Juninho Pernambucano, Zico, Didi, Marcelinho Carioca e mais: os maiores cobradores de falta da história do futebol brasileiro 

O árbitro marca uma falta perto da intermediária, a torcida fica ansiosa, começa o frio na barriga e a expectativa aumenta. Todo mundo que passou por essa situação sabe como é ter um grande batedor de faltas no seu time. Esse é o lado bom. Mas tem a parte ruim, que é quando o especialista em bolas paradas está no time adversário.

Na história do futebol brasileiro, foram muitos os grandes cobradores de faltas. Houve aqueles que batiam colocado no ângulo, os que acertavam uma pancada de longe e até os que colocavam a bola por baixo da barreira.

Entre tantos craques das bolas paradas, fica a dúvida: quem foi o melhor batedor de faltas do Brasil em todos os tempos? 

Nós nos arriscamos a responder essa pergunta e formulamos uma lista com os 15 melhores cobradores de falta da história do futebol brasileiro. Aqui, não entram estrangeiros que fizeram história no Brasil, como Petkovic. A relação inclui somente os brasileiros.

Confira a lista dos melhores de falta do Brasil em todos os tempos e veja se concorda com a gente!

Melhores batedores de falta do Brasil na história

  1. Juninho Pernambucano
  2. Zico
  3. Didi
  4. Marcelinho Carioca
  5. Ronaldinho Gaúcho
  6. Neto
  7. Nelinho
  8. Marcos Assunção
  9. Rivellino
  10. Rogério Ceni
  11. Éder Aleixo
  12. Roberto Carlos
  13. Pepe
  14. Zenon
  15. Pelé

Pelé (15º lugar)

Cobranças de falta não eram exatamente a especialidade do Rei do Futebol. Mas não seria simples deixar Pelé de qualquer lista sobre os maiores do Brasil, não é mesmo?!

A justificativa para a presença dele aqui? Segundo um levantamento do jornal espanhol Marca, Pelé marcou 70 gols de falta na carreira. Para comparação, Lionel Messi, um dos principais batedores de falta do mundo atualmente, superou a marca de 50 no fim de 2019.

Confira uma sequência de gols de falta de Pelé no vídeo do canal Futebol Nacional:

Zenon (14º lugar)

Nos anos 1970 e 1980, um meia clássico era um dos principais batedores de falta do futebol brasileiro. Estamos nos referindo a Zenon.

Ex-jogador de Corinthians, Guarani, Atlético Mineiro e Avaí, o craque de bigode era mestre em colocar a bola no ângulo com uma precisão impressionante.

Assista a gols de falta feitos pelo Zenon enquanto jogava pelo Corinthians:

Pepe (13º lugar)

A força da batida na bola com a perna esquerda rendeu a Pepe o apelido de “Canhão da Vila”. Segundo maior artilheiro da história do Santos, com 405 gols, e atrás apenas de Pelé, o ex-ponta esquerda era temido pelos goleiros adversários nas cobranças de falta.

Pela Seleção Brasileira, Pepe foi bicampeão mundial, em 1958 e 1962. Confira alguns dos vários gols de falta que ele marcou no vídeo abaixo:

Roberto Carlos (12º lugar)

De todos os gols de falta marcados na história do futebol, um dos mais impressionantes foi de Roberto Carlos. Em duelo contra a França, em 1997, a bola fez uma curva extraordinária para sair da barreira e morrer no canto esquerdo de Barthez.

Em Copas, o lateral-esquerdo, um dos melhores da história em sua posição, marcou contra a China em 2002. Como não poderia deixar de ser, foi ao seu melhor estilo: uma pancada sem chances para o goleiro reagir a tempo.

Roberto Carlos marcou diversos outros gols de falta com a camisa 3 do Real Madrid. Confira alguns deles no vídeo abaixo (o gol pelo Brasil contra a França pode ser visto aos 4’14”):

Éder Aleixo (11º lugar)

Entre os canhotos que batiam na bola com maestria, Éder Aleixo recebeu o apelido de “Bomba de Vespasiano”, em referência à cidade onde nasceu, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O camisa 11 da lendária seleção brasileira da Copa de 1982 batia tanto com força quanto colocado e de qualquer lado do campo.

Confira alguns dos gols mais bonitos do ídolo do Atlético Mineiro, grande parte deles em bola parada:


Vá além do Futebol! Confira também:

Rogério Ceni (10º lugar)

Na história do futebol, nenhum goleiro marcou tantos gols quanto Rogério Ceni. O ídolo do São Paulo balançou as redes adversárias 131 vezes na carreira, sendo 62 em cobranças de falta.

Somente em 2005, quando foi o artilheiro do Tricolor Paulista na temporada mesmo sendo goleiro, ele fez 11 gols de falta.

Relembre o 100º gol da carreira de Rogério, marcado em clássico contra o Corinthians:

Rivellino (9º lugar)

Rivellino ficou conhecido com o dono da “patada atômica”, apelido dado por conta da potência que colocava ao bater na bola com sua canhota.

O ídolo de Corinthians e Fluminense não poderia ser esquecido entre os maiores batedores de falta do Brasil. Ele era capaz de aliar força e precisão.

Pela seleção, o gol mais marcante de bola parada foi o de empate contra a Checoslováquia na estreia da Copa de 1970. Depois de ele igualar o marcador, o caminho ficou aberto para a virada por 4 a 1. 

Marcos Assunção (8º lugar)

Para marcar um gol de falta, o cobrador deve ser capaz de colocar a bola longe do alcance do goleiro adversário, certo?! Poucos conseguiam fazer isso como Marcos Assunção.

O volante era brilhante em bater faltas colocadas, tanto por cima da barreira quanto no canto do goleiro. E não importava a distância.

Assunção não teve uma carreira consolidada na seleção brasileira como a maioria dos membros dessa lista, mas foi marcante nas batidas de falta em todos os times que defendeu. O torcedor palmeirense deve sentir saudades dos gols mostrados no vídeo abaixo:

Nelinho (7º lugar)

Se o quesito for curvas impressionantes na bola, Nelinho estará entre os candidatos ao topo da lista. O lateral-direito teve um leque de gols incríveis em cobranças de falta ao longo de sua carreira.

Um dos mais memoráveis gols de Nelinho foi na disputa de terceiro lugar da Copa de 1978, contra a Itália. Porém, aquele foi com bola rolando. De falta, o ídolo de Cruzeiro e Atlético marcou contra a Polônia:

Neto (6º lugar)

Outro canhoto genial nas cobranças de falta foi Neto. O ídolo do Corinthians não tinha problemas em bater de muito longe do gol. Nessas circunstâncias, ele enchia o pé na bola. Se a falta fosse mais perto da área, Neto colocava com precisão no canto. 

Em 2020, o Maracanã completou 70 anos e um dos gols mais bonitos lembrados da história do estádio foi justamente em uma cobrança de falta de Neto. Ele aparece aos 5’33” no vídeo abaixo.

Ronaldinho Gaúcho (5º lugar)

Ronaldinho Gaúcho foi dono de um repertório absurdo em cobranças de falta. Quando as bolas colocadas nos ângulos pareciam já ser esperadas, o Bruxo surpreendeu começando a bater por baixo da barreira.

Por onde passou, o genial meia não perdoou os goleiros adversários em bolas paradas. Com a camisa da seleção brasileira, o gol de falta mais marcante de Ronaldinho foi contra a Inglaterra, nas quartas de final da Copa do Mundo de 2002.

Segundo o craque, ele quis surpreender David Seaman batendo direto para o gol, mas sua intenção era acertar o outro ângulo.

No vídeo abaixo, você confere os 66 gols de falta de Ronaldinho desde o seu início no Grêmio até o último, pelo Querétaro, do México.

Marcelinho Carioca (4º lugar)

Com chuteiras tamanho 35, Marcelinho Carioca recebeu o apelido de “Pé de anjo”. E, de fato, o pé direito do meia fazia coisas incríveis quando encostava na bola.

De perto, Marcelinho batia de chapa. Quando a falta era distante, o segredo era a “alavanca”. E não importava o lado do campo, nem se a curva seria por dentro ou por fora. O repertório era inesgotável.

Marcelinho foi revelado pelo Flamengo, mas se destacou mesmo enquanto defendeu o Corinthians. Com a camisa do Timão, fez gols de faltas decisivos, como o que levou a final do Campeonato Paulista de 1995, contra o Palmeiras, para a prorrogação. No tempo extra, Elivelton fez o gol do título corintiano.

O pessoal do canal “Futebol Nacional” fez um compilado de 30 gols de falta de Marcelinho Carioca. Dá uma olhada:

Didi (3º lugar)

Bicampeão mundial, em 1958 e 1962, e um dos melhores jogadores do Brasil em todos os tempos, Didi foi o inventor da “folha seca”.

Foi assim que ficou conhecida a forma de bater faltas em que a bola “caía como uma folha seca”. “Eu cortava a bola, pegava no meio dela e fazia ela subir e cair”, explicou Didi, quando foi treinador do Botafogo.

A bola subia e caía tão rápido que não dava tempo de reação para os goleiros adversários. Atualmente, quem bate faltas de forma parecida é o craque português Cristiano Ronaldo

Didi foi ídolo de Fluminense Botafogo, além de ter jogado uma temporada no Real Madrid de Puskás e Di Stéfano.

Na reportagem abaixo, Didi tentava ensinar aos jogadores botafoguenses como deveriam fazer a sua marcante batida na bola:

Zico (2º lugar)

Para quem teve a honra de ver Zico jogar, o maior ídolo da história do Flamengo certamente será lembrado entre os grandes cobradores de falta da história do futebol. Para muitos, é o maior de todos os tempos.

O Galinho marcou 62 gols de falta na carreira, a maioria deles com a camisa rubro-negra. Mas também foi mestre nas bolas paradas jogando pela seleção brasileira, pela Udinese e pelo Kashima Antlers.

No vídeo abaixo, você confere alguns dos gols de falta marcados por Zico. A maioria deles aconteceu no Maracanã, onde marcou 333 gols na carreira. Ninguém balançou as redes tantas vezes na história do estádio quanto ele.

Juninho Pernambucano (1º lugar)

O “gol do Juninho no Monumental” está eternizado na música cantada pela torcida do Vasco. Mas aquele contra o River Plate pela Libertadores foi apenas um gols vários gols do “Reizinho da Colina” em sua longa trajetória como especialista em bolas paradas.

Para Juninho Pernambucano, não havia distância. Ele poderia cobrar faltas diretamente para o gol de muito, muito longe. E ao contrário de jogadores como Roberto Carlos ou Éder Aleixo, que chutavam com muita força, ele se destacava pela forma de bater na bola. Tanto é que inspirou outros batedores.

Um dos “inspirados” por Juninho foi o craque italiano Andrea Pirlo. “Eu o via chutar quando jogava no Lyon e comecei a tentar aquela forma de bater nos meus treinos. Percebi que estava dando certo e assim tentava fazer como ele”, disse.

O tempo de maior sucesso de Juninho Pernambucano nas cobranças de falta foi com a camisa do Lyon. Foram 100 gols com a camisa do clube pelo qual foi heptacampeão francês, sendo 44 deles em cobranças de falta e 10 na Champions League.

O mais marcante para a gente? Aquele em que ele fez o alemão Oliver Kahn “beijar” a trave! É o número 3 do vídeo abaixo 😉

 
Com Juninho Pernambucano, encerramos nossa lista de melhores batedores de falta do Brasil em todos os tempos. Aqui, deixamos menções honrosas para craques como Rivaldo, Alex e Roberto Dinamite.

Se você lembra de alguém ou discorda da nossa lista, aproveite o espaço dos comentários para deixar sua opinião!

Aproveite também para conferir outras listas do esporte mais popular do mundo:

*Última atualização em 2 de julho de 2020

Comentários

Salvar
Compartilhar
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin