O Clube de Regatas Vasco da Gama é, certamente, um dos maiores clubes do futebol brasileiro.

Fundado em 1898, o clube já tem mais de 120 anos de história, repleta de conquistas, times marcantes e grandes jogadores.

Pensando nisso, tentamos elencar para você o Top 10 dos maiores jogadores da história do Vasco. 

Obviamente, essa não é uma tarefa fácil. Falar de idolatria é subjetivo, visto que cada torcedor tem um sentimento em relação a cada jogador.

Os critérios que utilizamos aqui para montar essa lista foram, principalmente, história, idolatria, relevância para o clube, conquistas e o talento dentro de campo.

Portanto, não fique de fora. Confira a seguir os 10 maiores jogadores da história do Vasco da Gama!

Maiores da história do Vasco da Gama

  1. Roberto Dinamite
  2. Romário
  3. Juninho Pernambucano
  4. Ademir de Menezes
  5. Edmundo
  6. Bellini
  7. Barbosa
  8. Felipe
  9. Mauro Galvão
  10. Danilo Alvim

Danilo Alvim (10°)

Danilo Alvim, ídolo do VascoIniciando a nossa lista, temos um jogador que fez parte de um dos momentos mais encantadores da história do Vasco. Danilo Alvim era volante titular absoluto do famoso “Expresso da Vitória”, apelido dado ao Vasco nos anos 40, muito por conta da força do time. 

O volante chegou ao clube carioca em 1946, quando tinha 26 anos e vivia o auge da sua carreira. Apelidado carinhosamente de “Príncipe”, pela sua categoria dentro do campo, Danilo Alvim permaneceu no clube até 1954.

No total, foram 305 partidas disputadas e 65 gols marcados, número bastante expressivo para um jogador da sua posição. Ao lado de grandes nomes da história do Vasco, Danilo Alvim participou ativamente da conquista de 4 títulos estaduais (1947, 1949, 1950 e 1952). 

Mauro Galvão (9° lugar)

Mauro Galvão, ídolo do Vasco

Descendo um pouco no gramado, temos o primeiro zagueiro da nossa lista. Mauro Geraldo Galvão, ou apenas Mauro Galvão, é um dos grandes símbolos do time do Vasco na década de 90, período em que o Cruzmaltino alcançou enormes conquistas.

O zagueiro chegou ao clube carioca mais para o fim da sua carreira, em 1997, logo após ter sido campeão do Campeonato Brasileiro de 1996, com o Grêmio. Permaneceu no Rio de Janeiro por 3 anos e alcançou o auge mesmo já próximo de se aposentar.

Logo no seu primeiro ano vestindo a camisa do Vasco da Gama, Mauro Galvão voltou a ser campeão nacional. Liderando a zaga do time vascaíno e jogando ao lado do jovem Odvan, que também havia acabado de chegar, ele foi importantíssimo na conquista.

No ano seguinte, em 1998, veio a principal conquista da sua carreira e, dessa vez, usando a faixa de capitão. Naquele ano, o Vasco da Gama se sagrou campeão da Libertadores da América, batendo o Barcelona de Guayaquil na final.

Além de ser o responsável por erguer a Taça Libertadores, Mauro Galvão também participou de outras conquistas importantes do Vasco, como o Brasileiro e a Mercosul de 2000, o Carioca de 1998 e o Rio-São Paulo de 1999. Ao todo, disputou 88 partidas com a camisa do clube. 

Felipe (8° lugar)

Felipe,ídolo do Vasco

Mais um jogador importantíssimo do Vasco da Gama na década de 90, Felipe é considerado por muitos o maior lateral-esquerdo da história do clube.

Notado por grande categoria e habilidade com a perna esquerda, Felipe teve duas passagens pelo Vasco, e as duas com títulos na bagagem.

A primeira, certamente, foi a mais vencedora. Foi o lateral-esquerdo titular dos seguintes títulos: Campeonato Brasileiro (1997 e 2000), Copa Libertadores da América (1998), Campeonato Carioca (1998), Copa Rio-São Paulo (1999) e Mercosul (2000).

Após um longo período longe de São Januário, Felipe retornou ao Vasco em 2010. Nessa passagem, atuou a maioria do tempo no meio de campo, inclusive na conquista do título da Copa do Brasil de 2011. 

No total, Felipe entrou em campo com a camisa do Vasco em 358 oportunidades, somando as duas passagens.

Barbosa (7° lugar)

Barbosa, ídolo do Vasco

Primeiro e único goleiro da nossa lista, Barbosa era o arqueiro titular do famoso “Expresso da Vitória” que encantou o futebol brasileiro na década de 40.

Barbosa chegou ao Vasco em 1945 e por lá permaneceu até 1955, em sua primeira passagem. Posteriormente, retornou ao clube em 1958 e ficou até 1962 em São Januário.

Goleiro titular absoluto do Expresso da Vitória, Barbosa foi convocado para a Copa do Mundo de 1950 e foi lá que o atleta ficou marcado, mas de forma negativa.

Atuando debaixo das traves do gol brasileiro, Barbosa acabou falhando no gol decisivo da Copa, na final da competição diante do Uruguai, no famoso “Maracanazo”. Essa falha o acompanhou pelo restante da sua vida, mas é indiscutível que ele é um dos maiores nomes da história do Vasco.  

Vestindo a camisa do Cruzmaltino, Barbosa entrou em campo em 485 partidas, sendo o 5° jogador com mais atuações pelo clube. Além disso, foi decisivo nas conquistas de 6 títulos estaduais (1945, 1947, 1949, 1950, 1952 e 1958) e da Copa Rio-São Paulo de 1958. 

Bellini (6° lugar)

Bellini, ídolo do Vasco

Mais um zagueiro da nossa lista, Bellini tem uma história marcante e importantíssima para o Vasco da Gama. 

O defensor chegou ao clube em 1952, com apenas 22 anos, em um período de reconstrução para o Vasco, que sofreu o desmanche do time do Expresso da Vitória.

Apesar das condições adversas, Bellini conseguiu mostrar todo seu potencial, alcançando, inclusive, a titularidade do Brasil na Copa do Mundo de 1958, torneio que marcou o primeiro título da Seleção Brasileira em Copas.

Pelo Vasco, Bellini atuou em mais de 430 partidas, sendo o décimo jogador em números de jogos vestindo a camisa do clube.

Além disso, ajudou a equipe nas conquistas de três Campeonatos Carioca (1952, 1956 e 1958), além do título da Copa Rio-São Paulo (1958) e, por isso, é merecedor da nossa 6ª colocação. 

Não fique apenas no futebol! Venha ver conteúdos de outros esportes:

Edmundo (5° lugar)

Edmundo, ídolo do Vasco

Chegando ao ataque, temos ele, o “Animal”. Edmundo Alves de Souza Neto, ou apenas Edmundo, foi certamente um dos nomes mais marcantes da história do Vasco e também um dos melhores jogadores do clube em todos os tempos.

Cria da base vascaína, Edmundo permaneceu pouco tempo em São Januário na sua primeira passagem, mas retornou em outras 4 oportunidades, totalizando 5 passagens pelo clube.

Polêmico, mas sempre decisivo, Edmundo começou e encerrou a carreira no Vasco da Gama. No total, atuou em mais de 200 partidas, balançando as redes em 138 oportunidades.

Edmundo participou da conquista do Brasileiro de 1997, principal título do jogador pelo Vasco. Capitão do time, ele foi o artilheiro da Série A, com 29 gols. Além disso, conquistou o Campeonato Carioca em 1992. 

Ademir de Menezes (4° lugar)

Ademir de Menezes, ídolo do Vasco

Mais um saudoso nome da nossa lista, Ademir de Menezes é o primeiro grande ídolo do clube e também o principal nome do Expresso da Vitória dos anos 40. É considerado por muitos o maior jogador do clube antes da chegada de Roberto Dinamite.

Habilidoso, categórico e decisivo, Ademir de Menezes encantou o futebol brasileiro na década de 40, atuando pelo Vasco em duas oportunidades. A primeira, de 1942 até 1945, foi menos expressiva, com apenas a conquista do Campeonato Carioca em 1945 na bagagem.

Depois de atuar 3 anos no Fluminense, retornou em 1948, e se tornou o principal nome do time rapidamente. Com ele em campo, o Vasco voltou a conquistar o Campeonato Carioca em mais 3 oportunidades: 1949, 1950 e 1952.

As grandes atuações durante o período em que esteve em São Januário o credenciaram para disputar a Copa do Mundo de 1950, torneio em que foi titular absoluto e artilheiro da competição, com 9 gols marcados.

Pelo Vasco, totalizou 429 partidas disputadas (11º com mais jogos) e marcou 301 gols (terceiro maior artilheiro da história do clube).  

Juninho Pernambucano (3° lugar)

Juninho Pernambucano, ídolo do Vasco

Maior meio-campista da história do Vasco, ao menos em idolatria da torcida, Juninho Pernambucano marcou época na década de 90 vestindo a camisa alvinegra do clube carioca.

O meia chegou ainda muito jovem em São Januário, com apenas 20 anos, em 1995. Na sua primeira passagem, permaneceu até 2001 e foi, possivelmente, o principal nome do clube durante esse período.

Juninho era o maestro que regia o time que conquistou o maior título da história do Vasco,  a Libertadores de 1998. Além disso, participou ativamente das conquistas do Campeonato Carioca (1998), Campeonato Brasileiro (1997 e 2000), Copa Rio-São Paulo (1999) e Mercosul (2000).

Juninho também retornou a equipe em mais duas oportunidades, já no final da sua trajetória. Em uma dessas, em 2013, encerrou a carreira vestindo a camisa cruzmaltina.

Notado pelos seus incríveis gols de falta, Juninho é, inclusive, um dos maiores batedores de falta da história do Brasil e do Mundo. No total, Juninho vestiu a camisa do Vasco em 393 oportunidades e marcou 76 gols.

Romário (2° lugar)

Romário, ídolo do Vasco

O nosso segundo lugar é uma questão de talento, mas também de importância e idolatria. Dentro do campo, Romário foi, provavelmente, o melhor jogador que já atuou vestindo a camisa do Vasco da Gama. Mas, fora a qualidade individual, o ex-atacante também tem uma grande história em São Januário, marcada por conquistas e polêmicas.

Cria da base vascaína, Romário estreou pelo clube em 1985. Mesmo ainda muito jovem, mostrou logo cedo do que era capaz. Na sua primeira passagem, que durou até 1988,  marcou 139 gols e conquistou o bicampeonato carioca (1987 e 1988).

Depois de sair do clube para atuar na Europa e, posteriormente, em outros clubes brasileiros, Romário voltou pela primeira vez ao Vasco em 2000, para viver seu melhor momento no Brasil.

Nesse período, conquistou o Campeonato Brasileiro e a Mercosul, ambos em 2000, sendo, inclusive, artilheiro do campeonato sul-americano.

Depois de sair novamente do Vasco, Romário retornou a São Januário em mais duas oportunidades. A mais marcante foi em 2007, quando o “Baixinho” marcou, de pênalti, seu milésimo gol da carreira, momento que foi eternizado na história do Vasco e principalmente do próprio atacante.

No total, Romário atuou em 406 jogos e marcou 326 gols, sendo o segundo maior artilheiro da história do clube e, certamente, um dos maiores jogadores do Vasco em todos os tempos.

Roberto Dinamite (1° lugar)

Roberto Dinamite, ídolo do Vasco

Chegamos ao primeiro lugar da nossa lista. Carlos Roberto de Oliveira, conhecido como Roberto Dinamite, é certamente o maior jogador da história do Vasco, e os números podem mostrar o porquê.

Mais uma cria da base vascaína, Roberto Dinamite é, disparado, o jogador com mais atuações pelo Vasco, com mais de 1.100 partidas disputadas. Além disso, é também o maior artilheiro do clube, com mais de 700 gols marcados, muito acima de Romário.

Além do enorme faro de artilheiro que marcou a carreira de Roberto Dinamite em São Januário, o poder de decisão também foi fundamental para a conquista de diversos títulos, entre eles o Campeonato Brasileiro de 1974, primeiro da história do clube. O atacante foi o artilheiro da competição, com 16 gols marcados.

Além da conquista nacional, Roberto Dinamite também foi importante nas conquistas dos seguintes títulos do Campeonato Carioca: 1977, 1982, 1987, 1988 e 1992.

Apesar de Dinamite ter “manchado” um pouco sua idolatria graças a uma péssima gestão na presidência do clube nos anos 2000, com direito a dois rebaixamentos para a Série B do Brasileirão, a história do atacante dentro de campo ainda fala mais alto e, por isso, a primeira colocação é certamente merecedora. 

E aí, acha que ficou alguém de fora da nossa lista de maiores jogadores da história do Vasco da Gama? Comente!

E não deixe de ver outras listas do futebol brasileiro! Confira: