Recorde a história de Romário: a carreira, as polêmicas, os recordes e os títulos conquistados como jogador

Certamente, a carreira de Romário fala por si só, não só dentro de campo, mas fora dele também.

Entre as quatro linhas, Romário era fatal. O baixinho fazia gol de todos os jeitos e era completamente dominante dentro da pequena área.

Fora de campo, muitas polêmicas, provocações, brigas e, claro, muita histórias marcantes.

Se você quer conhecer mais sobre a vida e a carreira deste jogador histórico para o futebol, aqui é o lugar certo.

Falaremos do começo de sua carreira, das passagens marcantes, das polêmicas extracampo, das conquistas, gols marcados e de tudo que cerca a carreira de Romário. Confira!

Quem é Romário?

Quem é Romário?
Romário é o segundo maior artilheiro da história do futebol

Romário de Souza Faria, o Romário, é um ex-jogador de futebol, que atuava como atacante. O atleta teve um carreira de destaque, atuou durante 24 anos como profissional e teve passagens marcantes, tanto no Brasil como na Europa.

Mesmo com a baixa estatura, apenas 1,67 m, Romário tinha todos os predicados de um grande centroavante. Posicionamento, técnica, categoria, arranque, noção de espaço e muito faro de gol são características marcantes do “baixinho”. 

Ainda criança, Romário iniciou sua trajetória no esporte numa escolinha de futsal que seu pai abriu para incentivar o filho a praticar esporte. Parece que a ideia surtiu efeito, não é mesmo?

A carreira do craque é marcada por títulos, polêmicas, recordes, prêmios individuais e, claro, muitos gols. 

Como Romário começou no futebol?

Romário, ex-jogador de futebol
Romário já se destacava nas competições juvenis

Depois de se destacar na Estrelinha, clube montado pelo seu pai, Romário foi visto por um olheiro que o levou até o Olaria, clube da cidade do Rio de Janeiro. 

Com mais visibilidade, Romário passou a mostrar a todos do que era capaz.  Logo no primeiro ano, artilharia e título do Campeonato Carioca Juvenil, em 1979.

Após esse começo avassalador no Olaria, o baixinho foi levado para o Vasco da Gama para jogar as competições juvenis a princípio, pois não era permitido alguém ingressar com tão pouca idade. 

Ficou 3 anos no juvenil do Vasco e obteve mais uma sequência absolutamente dominante. Foram 3 Cariocas Juvenis disputados, 2 títulos e artilharia garantida em todos os campeonatos.

Carreira profissional de Romário

Romário, ex-jogador de futebol
Romário iniciou sua trajetória nofutebol profissional no Vasco da Gama

Em 1985, já com 19 anos, Romário subiu para o time profissional do Vasco da Gama. Sua estreia em jogos oficiais foi diante do Coritiba, em 6 de fevereiro daquele ano, numa partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Naquela oportunidade, o Vasco venceu por 3 a 0, mas sem gols do baixinho.

Seu primeiro tento foi anotado apenas em agosto de 1985, num amistoso contra o Nova Venécia (ES). O Vasco venceu por 6 a 0, e Romário marcou 2 gols. 

Vasco da Gama e ida para Europa

Romário, ex-jogador de futebol
Romário. Roberto Dinamite e seus ex-companheiros

O início de sua trajetória no clube carioca também foi de muita expectativa e destaque. Logo no primeiro Campeonato Carioca, em 1985, Romário foi vice-artilheiro da competição.  

Em 1986, no seu segundo ano de carreira, formou dupla de ataque com Roberto Dinamite, maior artilheiro da história do Vasco. 

A parceria teve muito sucesso nos 3 anos seguintes, quando foram bicampeões do Campeonato Carioca, em 1987 e 1988, tendo Romário como artilheiro da competição em 87 e vice-artilheiro em 88.

O grande desempenho de Romário nesses anos, principalmente no Campeonato Carioca, o credenciou para a disputa da Olimpíadas de Seul em 1988. Ele foi convocado e se consagrou artilheiro da competição com 7 gols.

Com a atuação nas Olimpíadas, o então campeão das Copas dos Campeões da UEFA, PSV, se interessou pelo atacante e efetuou sua contratação, ainda no ano de 1988. 

Passagem de Romário pelo PSV Eindhoven

Romário, ex-jogador de futebol
Romário com a camisa do PSV

No PSV, Romário teve um grande desempenho. Em 167 jogos, o atacante anotou 165 gols em 5 temporadas, média de quase um gol por jogo.

Os números impressionantes de Romário logo ganharam destaque nas reuniões de contratação de outros times europeus importantes, como o Barcelona

Chegada de Romário ao Barcelona

Comandada por Johan Cruyff na época, a equipe catalã não hesitou em realizar a compra do atacante em 1993, por 5 milhões de dólares americanos.

O atacante permaneceu por apenas uma temporada e meia na equipe do Barcelona, mas o suficiente para mostrar todo seu potencial. 

Na primeira temporada, título do Campeonato Espanhol, artilharia da competição e vaga garantida no elenco da Seleção Brasileira que disputaria a Copa do Mundo em 1994.

Naquele ano, em que conquistou títulos com o Barcelona e foi campeão da Copa do Mundo, Romário se tornou o principal candidato à conquista do título de Melhor jogador do mundo da FIFA para a eleição que ocorreria no início de 1995. 

Pelo Barcelona, foram 84 jogos disputados e 53 gols marcados, sendo que um desses gols foi eleito na época o gol mais bonito da história do Barcelona.

Volta de Romário para o Brasil

Romário, ex-jogador de futebol
Romário voltou para o Brasil mesmo se destacando na Europa

Mesmo no auge da sua carreira, em 1995, ganhando um dos maiores salários do mundo e com o passe avaliado em 12 milhões de dólares, Romário desejava voltar para o Brasil e forçou sua saída do Barcelona.

O Flamengo, time que havia dominado o futebol brasileiro na década anterior, queria seguir no topo e fez a contratação do baixinho. 

Romário chegou ao clube rubro-negro em 1995 e logo ganhou a eleição de melhor jogador do mundo, já com contrato assinado com o Flamengo. Assim, o atacante se tornou o único jogador na história a ganhar essa eleição sem estar com contrato firmado com um time europeu.

Naquele ano, a diretoria do clube carioca investiu pesado e contratou também Edmundo e Sávio, formando um ataque que na época foi apelidado de “melhor ataque do mundo”. 

Apesar do elenco recheado de craques, o clube não obteve sucesso na temporada. Perdeu a disputa do Carioca para o Botafogo e no Campeonato Brasileiro não conseguiu avançar para as fases finais.

Em 1996, já sem Edmundo, o Flamengo de Romário conseguiu a conquista do Campeonato Carioca, tendo o camisa 11 mais uma vez como artilheiro da competição. 

Nessa passagem, Romário atuou em 79 jogos e marcou 68 gols. Já no final do ano, o jogador foi transferido para o Valencia, clube em que teve uma passagem curta e sem muito destaque.

Romário voltou ao Flamengo por empréstimo em 1998, para marcar mais 38 gols em 39 jogos.

O grande desempenho e a vontade de permanecer no Brasil fizeram com que Romário acertasse em definitivo com o Flamengo, ficando no clube entre 1998 e 1999. Nessa passagem, mais 101 gols marcados em 106 jogos disputados e outra média impressionante. 

No total do ciclo de passagens pelo Flamengo, Romário disputou 240 jogos e marcou 204 gols, sendo o 5º maior artilheiro da história do clube.

Além dos gols, Romário conquistou os Campeonatos Cariocas (1996 e 1999), Copa Mercosul (1999), Copa Ouro Sul-Americana (1996) e a Copa dos Campeões Mundiais (1997).

Regresso ao Vasco da Gama

Romário, ex-jogador de futebol
Romário retornou ao clube que o revelou

Todo mundo já ouviu a expressão “o bom filho à casa torna”. Bom, foi exatamente o que aconteceu com o baixinho em 1999. Romário acertou a sua volta para o Vasco da Gama, clube que o revelou para o futebol, para a disputa das competições no ano 2000.

Formando dupla com Edmundo, seu desafeto depois de rixas entre os jogadores no período em que jogavam pelo Flamengo, Romário e companhia chegaram até a final do Mundial de Clubes da Fifa de 2000, disputado aqui no Brasil.

A equipe avançou até a final, mas foi derrotada nos pênaltis pelo Corinthians, com uma das cobranças sendo desperdiçada por Edmundo.

Com o andar da temporada, a convivência de Edmundo e Romário ficou cada vez mais insustentável. Os dois chegaram a se provocar em entrevistas e a briga ganhou destaque.

A diretoria e a comissão técnica acabaram privilegiando o baixinho, que permaneceu no clube, enquanto Edmundo buscou novos ares. 

Em termos de títulos, essa provavelmente é a principal passagem do craque pelo Brasil. 

Naquele ano de 2000, o Vasco da Gama conquistou o título brasileiro em cima do São Caetano, em final bastante polêmica, marcada pela queda do alambrado da arquibancada de São Januário. A decisão foi parar na Justiça Desportiva.

Além do título nacional, o Vasco de Romário se sagrou campeão da Copa Mercosul, em uma das maiores viradas da história do futebol. O cruz-maltino perdia por 3 a 0 para o Palmeiras, mas com um hat-trick do baixinho, a equipe virou para 4 a 3 e conquistou o título. 

Em 2001, o atacante não teve o mesmo sucesso. Apesar de ser artilheiro do Campeonato Brasileiro com 21 gols, o Vasco não conseguiu sequer passar da primeira fase. 

Outros clubes da carreira de Romário

Romário, ex-jogador de futebol
Romário não atuou apenas em um grande do Rio, o Botafogo

Mesmo com 35 anos em 2001, Romário ainda estava distante da aposentadoria. Depois de finalizar mais uma passagem pelo Vasco, o jogador ainda atuou por outros clubes, sem títulos marcantes, mas sempre deixando sua marca de artilheiro.

Nos anos 2000, o atacante defendeu também o Fluminense, em duas passagens: 2002–2003 e 2003-2004. Pelo clube das Laranjeiras, Romário atuou em 80 jogos e marcou 54 gols.

Nesse meio tempo, transferiu-se para o Catar, para jogar pelo Al-Saad, mas praticamente não jogou. Foram apenas 3 jogos confirmados com a camisa do clube.

Em 2005, o craque retornou mais uma vez para o Vasco da Gama. Já com 39 anos, o baixinho foi mais uma vez artilheiro do Campeonato Brasileiro, superando o argentino Carlitos Tevez, que atuava pelo campeão da competição, o Corinthians.

Em 2006, o atacante se transferiu para os Estados Unidos, para atuar pelo Miami FC em competições de segundo escalão do país. Lá, o atacante marcou mais 41 gols, chegando à marca de 985 gols na carreira.

Romário teve ainda uma passagem pelo Adelaide United da Austrália, mas durou pouco tempo. O atacante atuou em apenas 4 jogos e marcou 1 gol. 

Milésimo gol de Romário e última passagem pelo Vasco da Gama

Romário, ex-jogador de futebol
Já no fim da carreira, Romário marcou seu milésimo gol

Buscando atingir a marca de 1.000 gols na carreira e se tornar o segundo jogador brasileiro da história com essa marca (o primeiro foi Pelé), o atacante retornou mais uma vez ao Vasco da Gama, clube em que se tornou ídolo.

Faltando apenas 14 gols para chegar a essa histórica marca, Romário seguia mostrando que não precisava de muito tempo para se destacar. 

Em 2007, contra o Flamengo, Romário marcou seu 999° gol na carreira, ficando a um de atingir a tão sonhada marca. Ele precisou esperar alguns jogos, mais precisamente 361 minutos.

No dia 20 de maio de 2007, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, o Vasco atuava contra o Sport, em São Januário, casa do Vasco da Gama.

O time cruz-maltino já vencia o Leão por 2 a 0, quando aos 2 minutos do segundo tempo um pênalti foi marcado para o “Gigante da Colina”. Era a chance ideal para o baixinho anotar o tento de número 1.000 na carreira.

Diante dos 16 mil torcedores vascaínos, Romário pegou a bola e fez o gol. Foi um momento histórico e marcante, os jornalistas entraram em campo, todo mundo aplaudia e reverenciava o craque, que conseguiu um feito que apenas o Rei do futebol havia alcançado. 

Como foi a aposentadoria de Romário

Romário, ex-jogador de futebol
O América do Rio de Janeiro foi o último clube oficial de Romário

Depois de atingir a marca de 1.000 gols na carreira, Romário foi atuar no América do Rio de Janeiro, em 2009, para realizar um sonho do pai que era torcedor fanático do clube.

O pai, que havia falecido em 2008, sempre foi um incentivador do atleta e tinha o sonho de vê-lo atuando pelo clube de coração.

Já com 43 anos, Romário atuou em apenas um jogo com a camisa vermelha e branca do clube carioca. Posteriormente, o ex-jogador assumiu o cargo de diretor do clube e se aposentou oficialmente dos gramados.

Times em que Romário jogou como profissional

Time Período Jogos
Vasco da Gama 1985-1980 196
PSV Eindhoven 1988-1993 167
Barcelona 1993-1994 84
Flamengo 1995-1996 79
Valencia 1996-1997 21
Flamengo (emp.) 1997 36
Flamengo 1998-1999 1006
Vasco da Gama 2000-2002 140
Fluminense 2002-2003 26
Al-Saad 2003 3
Fluminense 2003-2004 54
Vasco da Gama 2005-2006 49
Miami FC 2006 55
Adelaide United 2006 4
Vasco da Gama 2007-2008 19
América (RJ) 2009 1

Títulos conquistados por Romário por clubes

Vasco da Gama 

  • Campeonato Carioca: 1987 e 1988
  • Campeonato Brasileiro: 2000
  • Copa Mercosul: 2000

PSV Eindhoven

  • Eredivisie (Campeonato Holandês): 1988–89, 1990–91 e 1991–92
  • Copa KNVB: 1988–89 e 1989–90
  • Johan Cruijff Schaal: 1992

Barcelona

  • La Liga (Campeonato Espanhol): 1993–94

Flamengo

  • Campeonato Carioca: 1996 e 1999
  • Copa Mercosul: 1999

Al-Sadd

  • Qatar Stars League: 2003-04
  • Copa do Emir do Qatar: 2002-2003

America-RJ

  • Campeonato Carioca – Série B: 2009

Trajetória de Romário na Seleção Brasileira

Romário, ex-jogador de futebol
Romário é até hoje um dos jogadores que mais marcou gols com a camisa do Brasil

Além de uma carreira marcante nos clubes em que atuou, Romário é um dos principais nomes da história da Seleção Brasileira.

Com a camisa canarinho, Romário atuou em 70 jogos oficiais e marcou 56 gols, números que até hoje o colocam na 4ª colocação do ranking de maiores artilheiros da história da Seleção Brasileira em jogos oficiais, atrás apenas de Pelé, Neymar e Ronaldo.

Quantas Copas Romário disputou?

Romário, ex-jogador de futebol
Romário beijando a taça da Copa do Mundo de 1994

Assim como qualquer jogador profissional, Romário sempre buscou disputar a Copa do Mundo e conseguiu duas vezes, em 1990 e 1994.

Em 1990, Romário era reserva do centroavante Careca, principal atacante da seleção na época. 

Já em 1994, Romário era o grande nome da seleção e a esperança da conquista do título após 24 anos de espera. O atacante formou uma dupla histórica com Bebeto, ídolo do Flamengo e do Vasco da Gama.

O Brasil encontrou dificuldades para se classificar para a Copa do Mundo de 1994. Romário era o grande jogador do país e houve grande pressão para que o técnico Carlos Alberto Parreira o convocasse para o jogo decisivo contra o Uruguai.

Diante da Celeste Olímpica, no Maracanã, Romário marcou os gols da vitória e assegurou a classificação para o Mundial dos Estados Unidos.


Na Copa de 1994, Romário correspondeu às expectativas e encerrou o torneio como artilheiro da seleção, com 5 gols. 

A conquista tirou o Brasil da fila que já durava 24 anos, desde a conquista do tricampeonato em 1970. 

Ausência de Romário nas Copas de 1998 e 2002

Especialistas e torcedores comuns sempre questionaram o porquê de Romário não ter participado das Copas de 1998 e 2002, já que ele seguia como principal centroavante do Brasil e do mundo, mesmo com a idade já mais avançada.

Em 1998, Romário havia se lesionado pouco tempo antes da convocação definitiva. Titular absoluto na época, o camisa 11 foi substituído pelo meio-campista Emerson na lista definitiva. A comissão técnica, liderada por Zagallo, alegou que não havia tempo para ele se recuperar.

Romário ficou completamente indignado com o corte e reclamou publicamente, dizendo que a comissão “não acreditava na sua recuperação” e que deveria ter mais paciência.

Em 2002, a não convocação foi ainda mais polêmica. Após um ótimo momento no Vasco da Gama, torcedores brasileiro faziam apelo para a convocação do baixinho.

Apesar da comoção nacional pela convocação do atacante, o técnico Luiz Felipe Scolari, o Felipão, optou não levá-lo.

Mais uma vez, Romário veio a público para reclamar com a comissão técnica, especialmente com Felipão, afirmando que havia “padrinhos e apadrinhados” no time, e por isso ele não era escolhido.

Títulos de Romário na Seleção Brasileira

Além da conquista da Copa de 1994,  em que Romário foi o artilheiro da Seleção Brasileira e conduziu a equipe ao título, o atacante foi bicampeão da Copa América e conquistou um título da Copa das Confederações com a camisa do Brasil. 

  • Copa do Mundo FIFA: 1994
  • Copa das Confederações: 1997
  • Copa América: 1989,1997

Quantos gols Romário fez?

Em toda a sua carreira, Romário fez 1.002 gols. O milésimo foi marcado jogando pelo Vasco, em 20 de maio de 2007, numa cobrança de pênalti em partida contra o Sport, em São Januário. Em jogos oficiais, o ex-atacante marcou 768 gols, mais até do que Pelé, que anotou 756.

 

Recordes de Romário

  • Mais gols em jogos oficiais (Revista El Gráfico) : 768 gols;
  • Maior número de artilharias em competições oficiais : 28 vezes;
  • Maior artilheiro de todos os tempos da Copa do Brasil : 36 gols;
  • Maior número de artilharias em Campeonato Carioca: 7 edições: 1986, 1987, 1996, 1997, 1998, 1999 e 2000;
  • Jogador mais vezes artilheiro do Brasileirão Série A: 2000, 2001 e 2005;
  • Maior artilheiro em uma edição de Copa das Confederações: 1997 – (7 gols);
  • Maior artilheiro da seleção brasileira em uma edição de jogos olímpicos: 1988 – (7 gols);
  • Jogador que mais fez gols em jogos oficiais em um ano pela seleção brasileira: 1997 – (20 gols);
  • Maior artilheiro do mundo no ano 2000: 73 gols;
  • Artilheiro mais velho de uma edição do Campeonato Brasileiro: 2005 – (39 anos).

Quantas vezes Romário foi melhor do mundo?

Romário foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa em 1994. Naquela ocasião, o atacante brasileiro superou o búlgaro Hristo Stoichkov, seu companheiro no Barcelona, e Roberto Baggio, principal jogador da Itália então vice-campeã mundial.

Em 1993, Romário ficou em segundo lugar na eleição da Fifa, atrás justamente de Baggio. Já em 1995, o brasileiro foi o quarto colocado, enquanto o prêmio de melhor do mundo ficou com George Weah, da Libéria.

Em 1996, Romário foi o décimo colocado da lista de melhores do mundo da Fifa. O prêmio ficou com outro brasileiro: Ronaldo.

Prêmios individuais mais relevantes de Romário

  • Melhor Jogador da Europa: 1994
  • Melhor Jogador do Mundo FIFA: 1994
  • Seleção da Copa do Mundo – FIFA: 1994
  • Melhor jogador do Campeonato Holandês: 1989, 1990 e 1991
  • Melhor atacante da Liga dos Campeões da UEFA: 1990 e 1993
  • L’Équipe Campeão dos campeões – Esportista do ano: 1994
  • Melhor Atacante do Campeonato Espanhol (Revista Don Balón): 1994
  • Melhor Jogador do Campeonato Espanhol: 1994
  • Melhor Jogador do Campeonato Brasileiro: 2000
  • Futebolista Sul-Americano do Ano: 2000
  • Futebolista Neerlandês do Ano: 1989
  • Estátua de Bronze no Estádio de São Januário: 2007

Time dos sonhos

  • Time dos Sonhos de todos os tempos da Copa do Mundo FIFA: 2002
  • Time dos Sonhos de todos os tempos do Vasco: (Jornal O Globo)
  • Time dos Sonhos de todos os tempos do Barcelona: (Jornal El Mundo Deportivo)

Bola de Prata ou Ouro

  • Bola de Prata da Copa das Confederações: 1997
  • Bola de Ouro Revista Placar: 2000
  • Bola de Prata Revista Placar: 2000, 2001 e 2005
  • Ballon d’Or: 1994 (Edição revisada em 2015)
  • Bola de Ouro da Copa do Mundo FIFA: 1994

Chuteira de Prata ou Ouro

  • Chuteira de prata da Copa do Mundo – FIFA: 1994
  • Chuteira de Prata da Copa do Mundo FIFA :1994
  • Chuteira de Ouro Revista Placar: 1999, 2000 e 2002
  • Chuteira de Ouro da Copa das Confederações: 1997
  • Chuteira de Ouro CBF: 2001 e 2005

Presenças em Hall da Fama

  • Hall da fama – Pachuca, México: 2014
  • Hall da Fama no Museu do Futebol Brasileiro: 2006
  • Calçada da fama no Maracanã: 2000

Biografia de Romário

  • Nome completo: Romário de Souza Faria
  • Data de nascimento: 29 de janeiro de 1966
  • Local: Rio de Janeiro, (RJ), Brasil
  • Altura: 1,67 m

Curiosidades de Romário

Ida ao carnaval

Romário, ex-jogador de futebol
Romário tinha uma excelente relação com Johan Cruyff, técnico do Barcelona

São inúmeras as histórias do craque durante seus 24 anos de carreira, algumas muito marcantes e curiosas. Uma das mais interessantes aconteceu quando o atacante atuava pelo Barcelona, em 1994.

Romário era o principal destaque da equipe comandada por Johan Cruyff. Perto do carnaval, o atacante queria ser dispensado do Barcelona por alguns dias para poder curtir a festa aqui no Brasil.  

Como contam o próprio técnico e o atacante, os dois teriam conversado antes de um jogo e concordado que, se Romário marcasse dois gols, ele seria liberado para viajar para o Brasil.

Romário então entrou em campo com essa missão e conseguiu mais do que o combinado. Ainda no primeiro tempo, o atacante anotou 3 gols e pediu substituição no intervalo. “Meu avião sai em uma hora”, disse o baixinho antes de ser liberado para curtir o carnaval carioca. 

 

Técnico e jogador

Romário, ex-jogador de futebol
Romário teve seus momentos como treinador de futebol

Em 2007, o atacante viveu uma situação bastante inusitada. O atacante atuava pelo Vasco da Gama, e o técnico Celso Roth havia sido demitido.

A diretoria decidiu então colocar Romário como técnico interino, até que outro nome fosse contratado. A curiosidade é que ele ainda não havia se aposentado e, portanto, ainda tinha contrato como jogador do Vasco.

Em uma partida válida pela Copa Sul-Americana, o Vasco vencia o jogo diante do América do México por 1 a 0, o que não era suficiente para a classificação. Aos 20 minutos do segundo tempo, o então técnico Romário decidiu se escalar e entrou em campo para os 25 minutos restantes. 

Problemas de Romário com dívidas

Romário, ex-jogador de futebol
Os problemas financeiros marcaram o fim da carreira de Romário

Apesar da carreira vitoriosa e com salários exorbitantes ao longo do período em que esteve atuando, Romário viu seu dinheiro indo embora rapidamente.

Com diversos problemas judiciais envolvendo pagamento de pensão para a ex-esposa, com quem teve dois filhos, e ocultamento de patrimônio, Romário teve que inclusive passar uma noite detido, em 2009

Carreira política de Romário

Romário, ex-jogador de futebol
Romário atua na política do Rio de Janeiro

Depois de aposentado, Romário tentou a sorte na carreira política. Em 2009, ele foi eleito Deputado Federal pelo estado do Rio de Janeiro, como o sexto mais votado naquelas eleições. Ele assumiu o cargo no início de 2010.

Desde então, o ex-atacante segue carreira política. Em 2014, Romário tentou a sorte nas eleições para senador do estado do Rio e foi eleito com mais de 6 milhões de votos.

Em 2018, Romário se candidatou para governador do Rio de Janeiro, mas não obteve votos suficientes para ser eleito. Dessa forma, como o mandato do senado tem duração de 8 anos, ele seguirá atuando na função até as eleições de 2022.

Agora que você conhece mais sobre a vida e a carreira de Romário, aproveite para conhecer outras histórias marcantes do esporte:

Salvar