Tudo sobre os técnicos campeões brasileiros: o maior vencedor, os treinadores com mais títulos e lista completa do Brasileirão

As listas dos técnicos campeões brasileiros e daqueles que melhor exerceram a profissão na história do país se confundem facilmente. Nada mais justo, convenhamos.

Até porque os professores que conquistaram o Brasileirão não só demonstraram sua capacidade ao bater uma infinidade de candidatos diretos ao título como foram importantes na construção da identidade de uma seleção pentacampeã mundial.

É nesse clima nostálgico e professoral que convidamos você para acompanhar o texto abaixo, sobre os técnicos campeões brasileiros. Listamos os mais bem sucedidos, os estrangeiros, aqueles que fizeram jornada dupla, enfim, reunimos tudo o que você precisa saber sobre os comandantes que entraram para a história do futebol brasileiro.

Qual técnico tem mais títulos do Campeonato Brasileiro?

Lula e Vanderlei Luxemburgo dividem o posto de técnico com mais títulos do Campeonato Brasileiro. O primeiro foi o treinador do Santos pentacampeão da Taça Brasil entre 1961 e 1965, que, com Pelé, Pepe e cia, dominou o futebol jogado no Brasil.

Já Luxa alcançou o número de uma maneira inédita, vencendo o Brasileirão por quatro times diferentes entre os anos 1990 e 2000. O bi com o Palmeiras da Parmalat, em 1993 e em 1994, e o Cruzeiro da tríplice coroa de 2003 são as campanhas mais lembradas.

Treinadores com mais títulos do Campeonato Brasileiro

  1. Lula
  2. Vanderlei Luxemburgo
  3. Rubens Minelli
  4. Muricy Ramalho
  5. Osvaldo Brandão
  6. Ênio de Andrade

Ênio de Andrade (6º)

Ênio de Andrade é um dos técnicos com mais títulos brasileiros
(Reprodução/Revista Placar)
  • Títulos: 3
  • Times: Internacional (1979), Grêmio (1981), Coritiba (1985)

Abrimos a lista dos grandes técnicos brasileiros com a simplicidade de Ênio de Andrade. Metódico em seu trabalho mas prático em suas ideias, “Seu Ênio” alcançou um feito mais impressionante que os três títulos nacionais: vencê-los por ambos Internacional e Grêmio.

Só o fato de ser reverenciado pelas torcidas rivais do Rio Grande do Sul já o imortaliza dentro da boleiragem brasileira, mas o treinador foi além. Na beira do campo, foi responsável por liderar o Inter ao até hoje inigualável título invicto do Brasileirão de 1979.

A campanha vitoriosa do Coritiba de 1985 também é sempre lembrada pela atípica final disputada contra o Bangu, assim como o seu nome sempre vêm à tona pelos mais saudosos gremistas quando o assunto é o título mundial de 1983. Ênio não foi o técnico daquela equipe, mas começou a construí-la com a vitória no Brasileirão de 1981.

Retranqueiro para uns, estrategista para outros, o “Cabeça” pode até não ter a grife dos demais professores desta lista, mas teve a mesmíssima capacidade de liderar times vencedores.

Osvaldo Brandão (5º)

Osvaldo Brandão foi um dos técnicos campeões brasileiros com mais títulos conquistados

  • Títulos: 3
  • Times: Palmeiras (1960, 1972, 1973)

Osvaldo Brandão, tal qual Ênio de Andrade, foi um desses profissionais da bola que romperam a barreira da rivalidade e conquistar torcidas arquirrivais, no caso as de Corinthians e Palmeiras.

Brandão, ora, é o recordista de jogos em ambos e, até outro dia, era quem mais tinha títulos no comando do time alviverde. Quando o assunto é Brasileirão, inclusive, sua relação com Verdão é mais íntima. Foi com a equipe da zona oeste que se tornou um dos grandes técnicos campeões brasileiros.

O bicampeonato de 1972 e 1973, aliás, imortalizou Osvaldo para além do número de conquistas. Afinal ele comandava um dos mais famosos times da história do futebol brasileiro — time não, Academia; a segunda, para ser mais exato.

Muricy Ramalho (4º)

muricy ramalho sao paulo

  • Títulos: 4
  • Times: São Paulo (2006, 2007, 2008), Fluminense (2010)

Um dos mais trabalhadores técnicos campeões brasileiros é também um dos mais bem-sucedidos do grupo. Muricy Ramalho se entregou ao seu famoso lema, empilhou títulos nacionais e, em cinco anos, se tornou o grande treinador do Brasil na primeira década do século XXI.

Fala-se em trabalho como balizador do trabalho de Muricy porque não há como enquadrar a sua carreira dentro de só uma ideia.

Se o tricampeonato com o São Paulo foi marcado pelos imutáveis três zagueiros, as bolas aéreas mortais e os jogadores alternativos, o Flu de 2010 tinha craques como Deco, Conca e Fred, que passaram a se achar facilmente no campo depois que o técnico chegou às Laranjeiras.

Entre os dois vitoriosos times, a semelhança de uma ética inegociável — que o fez até rejeitar a Seleção Brasileira para honrar seus acordos — uma liderança muito experiente e um carisma “ranzinza” inigualável.

Rubens Minelli (3º)

Rubens Minelli está entre os três técnicos mais vezes campeões brasileiros

  • Títulos: 4
  • Times: Palmeiras (1969), Internacional (1975, 1976) São Paulo (1977)

Rubens Minelli é um dos mais importantes técnicos campeões brasileiros, e não só pela quantidade de títulos conquistados. Sua influência como comandante, gestor e estrategista vai além das vitórias.

É bem possível, por exemplo, que sem ele não houvesse o bicampeonato do Internacional nos anos setenta, a Segunda Academia do Palmeiras ou mesmo o treinador Muricy Ramalho.

O exercício teórico é divertido: sem o título do Robertão de 1969, talvez a transição entre as Academias do Verdão não fosse tão bem feita. Sem a conquista do Brasileirão de 77 (a terceira consecutiva de Minelli), possivelmente o meia Muricy não seria inspirado à seguir carreira no banco de reservas.

Por fim, é muito provável que sem suas inúmeras capacidades — táticas, estratégicas e de liderança — o Inter de Falcão, Carpegiani e cia não tivesse desenvolvido a força necessária para se manter no topo do futebol brasileiro por dois anos seguidos.

Vanderlei Luxemburgo (2º)

melhores tecnicos do brasil luxemburgo

  • Títulos: 5
  • Times: Palmeiras (1993, 1994), Corinthians (1998), Cruzeiro (2003) e Santos (2004)

Além de um dos mais vitoriosos, Vanderlei Luxemburgo é um dos mais discutidos técnicos campeões brasileiros.

Entre a vanguarda dos anos 1990 e os fracassos dos anos 2010, entre o carisma boleiro e a coleção de inimizades, Luxa é debatido como um patrimônio do futebol, o que ele de fato é.

Não é todo mundo (ninguém, aliás) que consegue vencer um Brasileirão por quatro times diferentes, tampouco conquistar cinco deles sem um Pelé ou um Pepe entre os seus titulares — ainda que Rivaldo, Edmundo, Dida, Alex e Robinho não sejam assim para se jogar fora.

Fora que o folclore envolvendo o seu personagem acaba atrapalhando uma visão objetiva de sua contribuição ao esporte. Luxa foi ele próprio grande parte do futebol brasileiro nos anos noventa e começo dos anos 2000.

Suas substituições arrojadas, suas formações fluídas, suas preleções boleiras e suas conquistas, enfim, não podem jamais ser apagadas. Mesmo que ele mesmo, as vezes, contribua para isso.

Lula (1º)

Luis Alonso Perez, o Lula, foi um dos técnicos mais vezes campeão brasileiro na história
(Reprodução/Acervo Gazeta Press)
  • Títulos: 5
  • Times: Santos (1961, 1962, 1963, 1964, 1965)

Como é comum nas listas que produzimos aqui na Esportelândia, damos preferência aos pioneiros.

Luís Alonso Pérez, o Lula, tem o mesmo número de títulos brasileiros que Vanderlei Luxemburgo, mas os conquistou bem antes do colega de profissão — todos de uma vez, inclusive.

Entre 1961 e 1965 o Santos simplesmente dominou o futebol brasileiro. Além do penta nacional, o alvinegro levou cinco títulos consecutivos do Campeonato Paulista, dois da Copa Libertadores e dois do Mundial Interclubes.

Sim, a época “coincidiu” com o auge físico de Pelé, que triturava defesas a esmo e solidificava o caminho rumo ao milésimo gol, mas não há como ignorar o papel de Lula na formação e principalmente na manutenção da máquina santista.

Além do Rei, o professor tinha de cuidar e enquadrar toda uma constelação, formada por Zito, Dorval, Pepe, Coutinho e Mengálvio. Aqueles mais vividos no futebol sabem a via de mão dupla que é ter uma equipe estrelada — sem falar no desfio de manter o nível mesmo em meio a inúmeras viagens e excursões.

Vá além do futebol! Confira:

Quais técnicos foram campeões brasileiros como jogadores?

Até aqui são oito campeões brasileiros como técnico e como jogador. O primeiro foi Ênio de Andrade, que levantou o título de 1960 como meia do Palmeiras e depois mais três vezes como comandante de Internacional, Grêmio e Coritiba.

O mais recente “professor” a alcançar a dobradinha foi Rogério Ceni, goleiro do São Paulo no tri de 2006, 2007 e 2008 e treinador do Flamengo em 2020. A lista completa:

  • Ênio de Andrade: Palmeiras de 1960 (Jogador) e Internacional de 1979, Grêmio de 1981 e Coritiba de 1985 (Técnico)
  • Paulo César Carpegiani: Internacional de 1975 e 1976 (Jogador) e Flamengo de 1982 (técnico)
  • Carlos Alberto Torres: Santos de 1965 e 1968 (Jogador) e Flamengo de 1983 (Técnico)
  • Pepe: Santos de 1961-65, 1968 (Jogador) e São Paulo de 1986 (Técnico)
  • Joel Santana: Vasco de 1974 (Jogador) e  Vasco de 2000 (Técnico)
  • Emerson Leão: Palmeiras de 1969, 1972-73, Grêmio de 1981 (Jogador) e Santos de 2002 (Técnico)
  • Muricy Ramalho: São Paulo de 1977 (Jogador) e  São Paulo de 2006-08, Fluminense de 2010 (Técnico)
  • Andrade: Flamengo de 1980, 1982, 1983, 1987, Vasco de 1989 (Jogador) e Flamengo de 2009 (Técnico)
  • Rogério Ceni: São Paulo de 2006-08 (Jogador) e Flamengo de 2020 (Técnico)

Quais técnicos estrangeiros foram campeões Brasileiros?

melhor tecnico do mundo jorge jesus

Apenas dois técnicos estrangeiros conseguiram ser campeões brasileiros, Carlos Volante e Jorge Jesus. O primeiro, argentino que deu origem ao volante , venceu com o Bahia a primeiríssima edição do Brasileirão, a chamada Taça Brasil de 1959.

O feito só foi se repetir exatamente 60 anos depois, quando o português comandou um esquadrão do Flamengo que empilhou recordes dos pontos corridos e venceu o campeonato de 2019 com quatro rodadas de antecedência.

Lista de todos os técnicos campeões brasileiros

  • 1959: Carlos Volante (Bahia)
  • 1960: Osvaldo Brandão (Palmeiras)
  • 1961: Lula (Santos)
  • 1962: Lula (Santos)
  • 1963: Lula (Santos)
  • 1964: Lula (Santos)
  • 1965: Lula (Santos)
  • 1966: Ayrton Moreira (Cruzeiro)
  • 1967: Aymoré Moreira (Palmeiras)
  • 1967: Mário Travaglini (Palmeiras)
  • 1968: Antoninho Fernandes (Santos)
  • 1968: Mário Zagallo (Botafogo)
  • 1969: Rubens Minelli (Palmeiras)
  • 1970: Paulo Amaral (Fluminense)
  • 1971: Telê Santana (Atlético Mineiro)
  • 1972: Osvaldo Brandão (Palmeiras)
  • 1973: Osvaldo Brandão (Palmeiras)
  • 1974: Mário Travaglini (Vasco da Gama)
  • 1975: Rubens Minelli (Internacional)
  • 1976: Rubens Minelli (Internacional)
  • 1977: Rubens Minelli (São Paulo)
  • 1978: Carlos Alberto Silva (Guarani)
  • 1979: Ênio Andrade (Internacional)
  • 1980: Cláudio Coutinho (Flamengo)
  • 1981: Ênio Andrade (Grêmio)
  • 1982: Paulo César Carpegiani (Flamengo)
  • 1983: Carlos Alberto Torres (Flamengo)
  • 1984: Carlos Alberto Parreira (Fluminense)
  • 1985: Ênio Andrade (Coritiba)
  • 1986: Pepe (São Paulo)
  • 1987: Jair Picerni (Sport)/ Nunes (Flamengo)
  • 1988: Evaristo de Macedo (Bahia)
  • 1989: Nelsinho Rosa (Vasco da Gama)
  • 1990: Nelsinho Baptista (Corinthians)
  • 1991: Telê Santana (São Paulo)
  • 1992: Carlinhos (Flamengo)
  • 1993: Vanderlei Luxemburgo(Palmeiras)
  • 1994: Vanderlei Luxemburgo(Palmeiras)
  • 1995: Paulo Autuori (Botafogo)
  • 1996: Luiz Felipe Scolari (Grêmio)
  • 1997: Antônio Lopes Vasco da Gama
  • 1998: Vanderlei Luxemburgo (Corinthians)
  • 1999: Oswaldo de Oliveira (Corinthians)
  • 2000: Joel Santana (Vasco da Gama)
  • 2001: Geninho (Atlético Paranaense)
  • 2002: Emerson Leão (Santos)
  • 2003: Vanderlei Luxemburgo (Cruzeiro)
  • 2004: Vanderlei Luxemburgo (Santos)
  • 2005: Antônio Lopes (Corinthians)
  • 2006: Muricy Ramalho (São Paulo)
  • 2007: Muricy Ramalho (São Paulo)
  • 2008: Muricy Ramalho (São Paulo)
  • 2009: Andrade (Flamengo)
  • 2010: Muricy Ramalho (Fluminense)
  • 2011: Tite (Corinthians)
  • 2012: Abel Braga (Fluminense)
  • 2013: Marcelo Oliveira (Cruzeiro)
  • 2014: Marcelo Oliveira (Cruzeiro)
  • 2015: Tite (Corinthians)
  • 2016: Cuca (Palmeiras)
  • 2017: Fábio Carille (Corinthians)
  • 2018:Luiz Felipe Scolari (Palmeiras)
  • 2019: Jorge Jesus (Flamengo)
  • 2020: Rogério Ceni (Flamengo)

Depois de conhecer todos os técnicos campeões brasileiros, que tal ler mais sobre futebol brasileiro? Acesse:

*Última atualização feita em 23 de março de 2020

Salvar