fbpx
Saiba como surgiu a Liga das Nações, competição criada pela FIVB para substituir o Grand Prix de vôlei! Confira história e maiores vencedores!

Todos os anos, as principais seleções de vôlei do mundo entram em quadra na disputa por um título internacional: a Liga das Nações!

A competição foi criada em 2018 como a mais nova aposta da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) para atrair torcedores e fortalecer o esporte ao redor do mundo.

Quer saber um pouco mais sobre a história da Liga das Nações de vôlei feminino? Neste post, vamos te ajudar a entender todos os detalhes sobre a competição entre as mulheres!

Venha com a gente e conheça tudo de mais uma das principais competições de vôlei do mundo!

Infográfico: os detalhes da Liga das Nações de vôlei feminino

Liga das Nações de vôlei feminino

O que é a Liga das Nações de vôlei feminino?

Ao longo da história do vôlei, diversas competições internacionais fizeram parte do calendário das seleções. Desde 2018, a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) promove a disputa da Liga das Nações.

No vôlei feminino, o torneio foi criado para substituir o Grand Prix. Já no masculino, foi a Liga Mundial que deixou o calendário das seleções.

A fase final das duas primeiras edições da Liga das Nações de voleibol feminino foi disputada em Nanquim, na China.

Os Estados Unidos foram os campeões tanto de 2018 quanto de 2019. Na primeira edição, as norte-americanas superaram a Turquia na final, enquanto, na disputa da medalha de bronze, a seleção chinesa derrotou o Brasil.

Em 2019, na disputada entre o Brasil e os Estados Unidos, as brasileiras abriram 2 a 0, mas cederam a virada. O bicampeonato das norte-americanas veio com 3 a 2 e parciais de 20/25, 22/25, 25/15, 25/21 e 15/13.

Na disputa de terceiro lugar, a China derrotou a Turquia e ficou com o bronze.

Seleção dos Estados Unidos venceu a primeira Liga das Nações de vôlei feminino
Seleção dos Estados Unidos venceu a primeira Liga das Nações de vôlei feminino em 2018 e conquistou o bicampeonato no ano seguinte

Como funciona a Liga das Nações?

A Liga das Nações é disputada por 16 países. Tanto para a competição feminina quanto para o torneio masculino, a FIVB definiu 12 seleções que disputarão a competição de forma fixa.

Já outros 4 times são chamados de “desafiantes” e devem disputar um torneio classificatório para a Liga das Nações.

Uma das maiores potências da história do voleibol desde a década de 1990 e dona de duas medalhas de ouro olímpicas no vôlei feminino, a Seleção Brasileira está entre as equipes fixas da Liga das Nações.

Esse é grupo formado por:

  • Alemanha
  • Brasil
  • China
  • Coreia do Sul
  • Estados Unidos
  • Holanda
  • Itália
  • Japão
  • Rússia
  • Sérvia
  • Tailândia
  • Turquia

Já as quatro seleções desafiantes na primeira edição da Liga das Nações de vôlei feminino foram:

22bet
  • Argentina
  • Bélgica
  • República Dominicana
  • Polônia

Última colocada na Liga das Nações de vôlei feminino em 2018, a Argentina não disputou a segunda edição em 2019. A equipe sul-americana perdeu sua vaga para a Bulgária.

Classificação final da Liga das Nações de vôlei feminino 2018

Seis seleções se classificam para a fase final da Liga das Nações. Em 2018, na decisão, os Estados Unidos derrotaram a Turquia, que havia eliminado o Brasil nas semifinais.

Já na disputa de terceiro lugar, a seleção brasileira foi superada pela China.

  • Campeão: Estados Unidos
  • Vice-campeão: Turquia
  • 3º colocado: China
  • 4º colocado: Brasil
  • 5º colocado: Holanda
  • 6º colocado: Sérvia

Classificação final da Liga das Nações de vôlei feminino 2019

Em 2019, o título da Liga das Nações voltou a ficar com os Estados Unidos, depois de vencer o Brasil por 3 a 2 (20/25, 22/25, 25/15, 25/21 e 15/13).

Na final, em Nanquim, a seleção brasileira abriu 2 a 0, mas perdeu a ponteira Natália por lesão e sofreu a virada.

Nas semifinais, o Brasil havia eliminado a Turquia por 3 a 0, com parciais de 25/23, 25/15 e 25/10. Já as norte-americanas passaram pela China.

Na disputa de 3º lugar, a China venceu a Turquia.

A classificação final da Liga das Nações de vôlei feminino em 2019 ficou com:

  • Campeão: Estados Unidos
  • Vice-campeão: Brasil
  • Terceiro lugar: China
  • Quarto lugar: Turquia
  • Quinto lugar: Polônia
  • Sexto lugar: Itália

Qual é o formato de disputa da Liga das Nações?

Ao longo de cinco semanas, todas as seleções são divididas em grupos de quatro equipes cada, disputando as partidas dentro de cada chave.

Dessa forma, todas as seleções se enfrentam na fase inicial, e cada um dos 16 países participantes sedia rodadas, ao menos, uma vez.

Após 15 partidas disputadas por cada equipe na fase inicial Liga das Nações, as cinco mais bem classificadas passam à fase final, assim como o país sede.

Na fase final, as 6 equipes são divididas em dois grupos. As duas melhores colocadas avançam à semifinal, disputada em confrontos eliminatórios.

Em 2019, a fase final do torneio feminino foi disputada, mais uma vez, na China, entre os dias 3 e 7 de julho.

Quais são as maiores jogadoras da história da Liga das Nações?

Anualmente, a Federação Internacional de Voleibol indica as melhores jogadores da Liga das Nações de vôlei feminino. Além do prêmio de MVP, a FIVB homenageia as melhores de cada posição.

Em 2018, as brasileiras Tandara e Suelen fizeram parte da seleção do campeonato da Liga das Nações.

Já em 2019, foi a vez de Gabi, Macris e Bia ficarem no Dream Team da competição.

Confira todas as eleitas a seguir.

Melhoras jogadoras da Liga das Nações de vôlei feminino de 2018

  • MVP (Most Valuable Player): Michelle Bartsch-Hackley (Estados Unidos)
  • Oposta: Tandara (Brasil)
  • Levantadora: Cansu Ozbay (Turquia)
  • Centrais: Dixon (EUA) e Eda (Turquia)
  • Ponteiras: Zhu (China) e Michelle Bartsch (EUA)
  • Líbero: Suelen (Brasil)
Suelen e Tandara eleitas para seleção da Liga das Nações de vôlei feminino de 2018
Suelen e Tandara estiveram na seleção de melhores da Liga das Nações de 2018

Melhoras jogadoras da Liga das Nações de vôlei feminino de 2019

  • MVP (Most Valuable Player): Andrea Drews (Estados Unidos)
  • Oposta: Ebrar Karakurt (Turquia)
  • Levantadora: Macris (Brasil)
  • Centrais: Ana Beatriz (Brasil) e Haleigh Washington (Estados Unidos)
  • Ponteiras: Liu Yanhan (China) e Gabi Guimarães (Brasil)
  • Líbero: Megan Courtney (Estados Unidos)

O que foi o Grand Prix de vôlei?

Competição que antecedeu a Liga das Nações de vôlei feminino, o Grand Prix foi disputado entre 1993 e 2017.

Depois do sucesso da Liga Mundial no vôlei masculino, a Federação Internacional de Voleibol decidiu pela criação de uma competição similar para o vôlei feminino e, assim, nasceu o Grand Prix.

Realizado anualmente, o torneio foi bem-sucedido no leste da Ásia, onde foram disputadas todas as fases decisivas até 2002. Apenas a partir de 2003, o Grand Prix viu sua etapa decisiva ir para a Europa.

Em toda a história do Grand Prix, o Brasil foi, com larga vantagem, o país mais vitorioso. A seleção brasileira acumulou 12 títulos, além de 5 vice-campeonatos.

Os três primeiros títulos do Brasil foram sob o comando de Bernardinho, enquanto todos os demais foram com José Roberto Guimarães como treinador.

Os Estados Unidos tiveram 6 conquistas, contra 3 da Rússia e duas de Cuba.

Brasil campeão do Grand Prix de vôlei
Seleção feminina de vôlei do Brasil conquistou 12 títulos do Grand Prix

Maiores campeões do Grand Prix de vôlei

  • Brasil – 12 títulos (1994, 1996, 1998, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2013, 2014, 2016 e 2017)
  • Estados Unidos – 6 títulos (1995, 2001, 2010, 2011, 2012 e 2015)
  • Rússia – 3 títulos (1997, 1999 e 2002)
  • Cuba – 2 títulos (1993 e 2000)
  • China – 1 título (2003)
  • Holanda – 1 título (2007)

Lista de todos os campeões do Grand Prix de vôlei

AnoSedeCampeãoVice-campeão3º lugar4º lugar
1993Hong KongCubaChinaRússiaBrasil
1994Xangai (CHN)BrasilCubaChinaJapão
1995Xangai (CHN)Estados UnidosBrasilCubaChina
1996Xangai (CHN)BrasilCubaRússiaChina
1997Kōbe (JAP)RússiaCubaCoreia do SulJapão
1998Hong KongBrasilRússiaCubaChina
1999Yuxi (CHN)RússiaBrasilChinaItália
2000Manila (FIL)CubaRússiaBrasilChina
2001MacauEstados UnidosChinaRússiaCuba
2002Hong KongRússiaChinaAlemanhaBrasil
2003Andria (ITA)ChinaRússiaEstados UnidosHolanda
2004Reggio Calabria (ITA)BrasilItáliaEstados UnidosCuba
2005Sendai (JAP)BrasilItáliaChinaCuba
2006Reggio Calabria(ITA)BrasilRússiaItáliaCuba
2007Ningbo (CHN)HolandaChinaItáliaRússia
2008Yokohama (JAP)BrasilCubaItáliaEstados Unidos
2009Tóquio (JAP)BrasilRússiaAlemanhaHolanda
2010Ningbo (CHN)Estados UnidosBrasilItáliaChina
2011MacauEstados UnidosBrasilSérviaRússia
2012Ningbo (CHN)Estados UnidosBrasilTurquiaTailândia
2013Sapporo (JAP)BrasilChinaSérviaJapão
2014Tóquio (JAP)BrasilJapãoRússiaTurquia
2015Omaha (EUA)Estados UnidosRússiaBrasilChina
2016Bangkok  (TAI)BrasilEstados UnidosHolandaRússia
2017Nanquim (CHN)BrasilItáliaSérviaChina

Quais foram as maiores jogadoras da história do Grand Prix?

Nos mesmos moldes de algumas das principais competições esportivas ao redor do mundo, como a NBA, o Grand Prix também elegia sua MVP. O prêmio concedido à jogadora mais valiosa pode ser entendido como a escolha da melhor jogadora do torneio.

Em toda a história do Grand Prix, 8 jogadores da Seleção Brasileira foram escolhidas como MVP do Grand Prix: Fernanda Venturini, Leila (duas vezes), Virna, Paula Pequeno, Sheilla (duas vezes), Mari, Thaísa e Natália (duas vezes).

Todas as MVPs do Grand Prix de vôlei

  • 1993 – Mireya Luis (Cuba)
  • 1994 – Fernanda Venturini (Brasil)
  • 1995 – Tara Cross-Battle (Estados Unidos)
  • 1996 – Leila (Brasil)
  • 1997 – Evgenia Artamonova (Rússia)
  • 1998 – Leila (Brasil)
  • 1999 – Virna (Brasil)
  • 2000 – Lioubov Sokolova (Rússia)
  • 2001 – Danielle Scott (Estados Unidos)
  • 2002 – Evgenia Artamonova (Rússia)
  • 2003 – Paola Cardullo (Itália)
  • 2004 – Logan Tom (Estados Unidos)
  • 2005 – Paula Pequeno (Brasil)
  • 2006 – Sheilla (Brasil)
  • 2007 – Manon Flier (Holanda)
  • 2008 – Mari (Brasil)
  • 2009 – Sheilla (Brasil)
  • 2010 – Foluke Akinradewo (Estados Unidos)
  • 2011 – Destinee Hooker (Estados Unidos)
  • 2012 – Megan Hodge (Estados Unidos)
  • 2013 – Thaísa (Brasil)
  • 2014 – Yuko Sano (Japão)
  • 2015 – Karsta Lowe (Estados Unidos)
  • 2016 – Natália (Brasil)
  • 2017 – Natália (Brasil)

Quer acompanhar a Liga das Nações, mas ainda não domina todos os detalhes do voleibol? Não se preocupe, nós te ajudamos a saber tudo das regras do vôlei para torcer por mais títulos da seleção brasileira!

Já se sua preferência é pela areia, você pode aproveitar e conferir tudo sobre a história do vôlei de praia e também todos os detalhes do esporte nas Olimpíadas!

*Última atualização em 7 de julho de 2019

Ficha Técnica
Título
Liga das Nações de vôlei feminino: tudo do “novo Grand Prix”
Resumo
Desde 2018, a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) promove a disputa da Liga das Nações. No vôlei feminino, o torneio foi criado para substituir o Grand Prix.
Autor

Comentários

Salvar