Confira tudo sobre o Superclássico das Américas: histórico de confrontos, artilheiros, goleadas e maiores jogos Brasil x Argentina

Sim, nós sabemos que a rivalidade é um tanto forçada. E que algumas vezes nos priva de aproveitar certas coisas vindas do futebol de lá. Mas vamos admitir, ela é muito divertida. É só olhar para os maiores jogos Brasil x Argentina.

Afinal, uma rivalidade não precisa ser algo negativo. Pode ser simplesmente o resultado da disputa pela hegemonia continental e, em certos momentos, mundial. E pode ser celebrada, como no texto a seguir.

No conteúdo que produzimos com um pé no samba e outro no tango, você confere os jogos mais importantes, os maiores artilheiros e o histórico do confronto — número de jogos, maiores goleadas, quem tem mais vitórias.

Maiores jogos entre Brasil e Argentina

  • Brasil 1 x 0 Argentina (1914)
  • Brasil 2 x 1 Argentina (1974)
  • Argentina 0 x 0 Brasil (1978)
  • Brasil 3 x 1 Argentina (1982)
  • Argentina 1 x 0 Brasil (1990)
  • Argentina 2 x 2 Brasil (2004)

Brasil 1 x 0 Argentina (1914)

Pôster em comemoração aos jogadores daSeleção Brasileira da Copa Rocca de 1914

A partida entre Brasil e Argentina pela primeiríssima Copa Rocca já era o quarto confronto entre os países, o segundo com uma Seleção Brasileira de Futebol de fato — antes, eram selecionados regionais. Mas foi o primeiro título decidido entre os dois.

Disputado em Buenos Aires, o jogo foi vencido pelo Brasil com um gol de Ruben Sales, que marcou logo aos 13 minutos. O troféu do torneio, muito celebrado na época e hoje reconhecido pela FIFA, foi a primeira conquista da Seleção em sua história.

Ficha do Jogo

  • Argentina
    Rithner; Bernasconi e Lanús; Sande e Naón; Leonardi, Crespo, Izaguirre, Lamas, Sayanes e Antonio Piaggio. Treinador: Rithner
  • Brasil
    Marcos; Nery e Píndaro; Rubens Sales, Pernambuco e Lagreca; Millon, Osvaldo, Bartô, Friedenreich e Arnaldo. Treinador: Sylvio Lagreca

Brasil 2 x 1 Argentina (1974)

Brasil e Argentina na Copa de 1974

Simplesmente não há como não colocar o maior clássico das Américas na maior competição do futebol mundial. E 1974 foi a primeira vez que isso aconteceu.

Brasil e Argentina se enfrentaram pela segunda rodada da segunda fase da Copa do Mundo da Alemanha. A Seleção era a atual campeã mundial e, apesar da falta de Pelé, Tostão, Carlos Alberto Torres e outros da campanha do Tri, tinha ainda excelentes remanescentes.

Foram justamente eles que construíram a vitória brasileira. Rivellino abriu o placar aos 32 minutos do primeiro tempo e Brindisi empatou logo depois, aos 35. Jairzinho fechou a conta com 5 no relógio da segunda etapa.

Ficha do Jogo

  • Brasil
    Leão; Zé Maria, Luiz Pereira, Marinho e Marinho Chagas; Paulo César Carpegiani, Paulo Cezar Caju, Rivellino e Valdomiro; Jairzinho e Dirceu. Técnico: Zagallo
  • Argentina
    Daniel Carnevali; Ramón Heredia, Ángel Bargas, Rubén Glaría e Francisco Sá; Carlos Squeo, Miguel Brindisi, Carlos Babington e Agustín Balbuena; Rubén Ayala e Mario Kempes. Técnico: Vladislao Cap

Argentina 0 x 0 Brasil (1978)

Brasil e Argentina na Copa de 1978

O segundo confronto entre Brasil e Argentina em Copas do Mundo aconteceu em 1978.  A primeira e única até aqui na casa de um dos competidores. E nunca um sinônimo de “partida” foi tão preciso na descrição dos acontecimentos daquele 16 de agosto.

No jogo que ficou conhecido como “A Batalha de Rosário”, a bola foi apenas uma coadjuvante de uma intensa e violenta disputa física.

Mesmo com craques como Kempes, Ardiles, Roberto Dinamite e um jovem Zico, o protagonista mesmo foi o volante Chicão, um dos quatro amarelados da Seleção Brasileira.

A Argentina, que terminaria o torneio como campeã, não foi advertida uma vez sequer. E ninguém foi expulso, surpreendentemente.

Ficha do Jogo

  • Argentina
    Ubaldo Fillol; Jorge Olguín, Luis Galván, Daniel Passarella e Alberto Tarantini; Américo Gallego, Osvaldo Ardiles (Ricardo Villa) e Leopoldo Luque; Daniel Bertoni, Mario Kempes e Oscar Ortiz (Beto Alonso). Técnico: César Luís Menotti
  • Brasil
    Leão; Toninho, Oscar, Amaral e Rodrigues Neto (Edinho); Chicão, Batista, Jorge Mendonça (Zico) e Gil; Roberto Dinamite e Dirceu. Técnico: Cláudio Coutinho

Vá além do futebol:

Brasil 3 x 1 Argentina (1982)

Socrates e Maradona em 1982

A Copa do Mundo de 1982 foi a terceira consecutiva a sediar um Brasil e Argentina. Mas a partida em Barcelona foi a mais especial, futebolisticamente falando. Foi a mais estrelada, com Zico, Sócrates, Kempes e Maradona — que terminou a partida expulso — e uma das mais abertas entre as seleções.

O Brasil de 82 deu seu show de sempre, com Sócrates, Zico, Falcão e Cerezo comandando a partida e Leandro e Júnior correndo livres pelas laterais. Dois dos três gols saíram assim, um do próprio Júnior.

A Argentina diminuiu no finalzinho, já sem Maradona. Era o melhor do time em campo mas emendou uma uma entrada em Zico (o autor do primeiro gol) com outra no seu substituto, Batista.

O jogo foi válido pela segunda fase e precedeu justamente a derrota da Seleção para a Itália, a chamada “Tragédia do Sarriá”.

Ficha do Jogo

  • Brasil
    Valdir Peres; Leandro (Edevaldo) Oscar, Luizinho e Júnior; Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates e Zico (Batista); Serginho Chulapa e Éder. Técnico: Telê Santana
  • Argentina
    Fillol, Olguin, Galvan, Passarella, Tarantini – Barbas, Ardiles, Calderon – Bertoni (Santamaria), Maradona, Kempes (Ramón Diaz). Técnico: César Luís Menotti

Argentina 1 x 0 Brasil (1990)

Brasil e Argentina em 1990

O mais recente clássico em Copas do Mundo foi o mais feliz para a Argentina até aqui. E um dos maiores jogos Brasil x Argentina da história, por incrível que pareça.

A Seleção de Sebastião Lazaroni não inspirava confiança de ninguém. Muito pelo contrário. Ainda assim, tinha um bom time no papel. E que fez o seu melhor jogo do torneio contra os eternos rivais, pressionando desde o começo, colecionando bolas na trave e gols perdidos de Careca e Müller.

Mas a Argentina de Carlos Bilardo tinha Diego Maradona. O craque, mordido pela derrota na Copa América de 1989 e motivado pelas dificuldades na fase de grupo, fez uma antológica jogada no gol de Cannigia, o da vitória.

Não bastasse a história de pressão e superação e infindáveis lanceis nos melhores momentos, a partida resultou numa polêmica para a eternidade, a da “água batizada”.

Ficha do jogo

  • Argentina
    Sergio Goycochea; Juan Simón,Pedro Monzón e Oscar Ruggeri; Olarticoechea, José Basualdo, Jorge Burruchaga, Pedro Troglio (Gabriel Calderón) e Giusti; Diego Maradona e Caniggia. Técnico: Argentina Carlos Bilardo
  • Brasil
    Taffarel; Ricardo Rocha, Mauro Galvão(Renato Gaúcho) e Ricardo Gomes; Jorginho, Dunga, Alemão(Silas), Valdo e Branco; Careca e Müller. Técnico: Sebastião Lazaroni

Argentina 2 x 2 Brasil (2004)

Adriano comemorando gol contra a Argentina em 2004

Ok, admito o clubimo aqui neste último item da lista dos maiores jogos Brasil x Argentina da história. Mas não tem como, aquela final da Copa América de 2004 foi inesquecível para o torcedor brasileiro.

A Seleção Brasileira estava em uma entresafra curiosa, sem os principais destaques do penta e há um ano da explosão de Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Robinho. Tinha em Alex e Adriano suas maiores referências.

A Argentina, por sua vez, já tinha um esqueleto da equipe — com Heinze, Mascherano e Tévez — que seria eliminada pela Alemanha em 2006 mas no último ano de Marcelo Bielsa no comando.

O jogo em si foi movimentado e parelho, mas os seis minutos finais valem por todos os outros 84. Aos 42 do segunto tempo, Delgado desempatou para os hermanos, que passaram a aplicar eficientemente a sua conhecida catimba.

Mas aos 48 minutos, Adriano cosenguiu dominar uma bola alçada área e, num giro rápido e eficiente, marcou um golaço. A partida terminou empatada, a decisão foi para os pênaltis e o título ficou para o Brasil. E para a história

Ficha do jogo

  • Brasil
    Júlio César; Maicon, Luisão (Cris), Juan e Gustavo Nery; Renato, Kléberson (Diego), Edu e Alex (Felipe); Adriano e Luís Fabiano. Técnico: Carlos Alberto Parreira
  • Argentina
    Abbondanzieri; Collocini, Ayala e Heinze; Zanetti, Mascherano, Lucho González (D’Alessandro) e Sorín; Rosales (Delgado), Tévez (Quiroga) e Kily González. Técnico: Marcelo Bielsa

 Histórico de confrontos Brasil x Argentina

Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Associação do Futebol Argentino (AFA) divergem quanto aos números oficiais das partidas entre as suas seleções principais. O histórico de confrontos Brasil x Argentina registra, válidos ou não, 110 jogos até aqui.

Nessa contagem, são 44 vitórias brasileiras, 25 empates e 41 triunfos argentinos.

A CBF reconhece como oficiais 106 dessas partidas. O que mantém os 25 empates, diminui as vitórias verde-amarelas para 43 e as alvicelestes para 38.

A AFA também conta 106 jogos oficiais entre as duas seleções. Nessa contagem, são os argentinos que levam vantagem com 41 vitórias contras 40 dos brasileiros. Seguem os 25 empates.

Mais ou menos confrontos, a rivalidade entre Brasil e Argentina é uma história de mais de 110 anos. A maior parte de seus capítulos se deu na Copa Rocca, seguido por embates pela Copa América e depois por amistosos. Em Copas do Mundo, as Seleções se enfrentaram em quatro oportunidades.

Diego Maradona na Copa do Mundo de 1982
Em 1982, encerrou-se uma sequência de três confrontos Brasil e Argentina em Copas do Mundo

Quantas vezes o Brasil jogou contra a Argentina?

Independente do reconhecimento de uma federação ou de outra, o Brasil jogou 110 vezes contra a Argentina.

A primeira partida aconteceu em 1908, ainda antes da nossa Seleção ter uma equipe oficial. 1 a 0 para os argentinos. A mais recente aconteceu em novembro de 2019, pela Superclássico das Américas, a antiga Copa Rocca. O placar foi o mesmo.

Quem tem mais vitórias, Brasil ou Argentina?

Pelas contas da CBF, o Brasil é quem tem mais vitórias. São 43, contra 38 dos rivais sul-americanos. Já na contagem da AFA, é a Argentina quem mais triunfou no confronto. Bateram 41 vezes seus rivais continentais, que por sua vez venceram 40 partidas.

Qual foi a maior goleada entre Brasil e Argentina?

A maior goleada enter Brasil e Argentina aconteceu no dia 5 de março de 1940. Pela Copa Rocca, a seleção Albiceleste venceu por estrondosos 6 a 1. Carlos Peucelle (3), Herminio Massantonio (2) e Emilio Baldonedo (1) construíram o massacre. Jair da Rosa Pinto fez o gol de honra.

Não muito depois, o a Seleção Brasileira devolveu (quase) na mesma moeda. Foi em mais uma edição da Copa Rocca, a de 1945.

No dia 20 de dezembro, 6 a 2 para a estrelada equipe brasileira. Heleno de Freitas, Leônidas da Silva, Zizinho e Chico, cada um deixou um. Ademir de Menezes marcou logo dois. Perdernera descontou e Rinaldo Martino deixou a vitória de 1940 isolada como a maior vantagem.

Maiores artilheiros do Brasil x Argentina

  1. Pelé: 8 gols
  2. Leônidas da Silva e Hermínio Massantonio: 7 gols
  3. Emílio Baldonedo: 6 gols
  4. Ronaldo Fenômeno e Tucho Méndez: 5 gols
  5. Rivaldo e Lionel Messi: 4 gols

Aproveite também para conferir outras listas do esporte mais popular do mundo:

*Última atualização em 16 de dezembro de 2020

Salvar