“Pai, quero ser  campeão mundial”. Essa frase foi dita por Gabriel Medina quando tinha apenas 11 anos. Aos 20, ele se tornou o primeiro brasileiro campeão mundial de surf.

Desde então, Medina coleciona uma legião de fãs no Brasil e ao redor do mundo. Se você quer saber mais sobre a carreira de Gabriel Medina, como ele começou no surf e seus títulos mundiais, está no lugar certo. Venha conosco!

Quem é Gabriel Medina?

Gabriel Medina Pinto Ferreira, conhecido mundialmente como Gabriel Medina, é um surfista profissional bicampeão mundial. Ele nasceu em 23 de dezembro de 1993, em São Sebastião, no litoral de São Paulo.

Com uma trajetória brilhante no surf ao longo de sua adolescência, Medina chegou à elite do surf mundial quando tinha apenas 17 anos. Em 2014, aos 20, ele se tornou o primeiro brasileiro campeão mundial de surf profissional. Nos três anos seguinte, foi duas vezes 3º colocado no campeonato mundial e uma vez vice.

Em 2018, Gabriel Medina se tornou bicampeão mundial de surf. O terceiro título esteve próximo em 2019, mas o surfista de Maresias perdeu a final da última etapa para o compatriota Italo Ferreira.

Após um ano sem Tour devido à pandemia. Gabriel Medina voltou com tudo em 2021, o paulista foi amplamente dominante. Nessa temporada, a WSL implementou o novo sistema de Finals, gerando uma certa insatisfação pelo fato de Medina ter sido o melhor atleta de todo o ano e já seria campeão mundial muito antes.

Porém, em uma temporada tão especial para Medina, ele também foi dominante na WSL Finals de 2021, batendo o compatriota Filipe Toledo na grande final e sagrando-se tricampeão mundial.

Em 2022, Gabriel pouco competiu, o atleta tirou um ano para cuidar de uma lesão e também de sua saúde mental. Medina chegou a correr três etapas do Tour, antes de se lesionar novamente.

O brasileiro foi o primeiro surfista a realizar um backflip em uma etapa do circuito mundial de surf.

Gabriel Medina backflip

Você ama outros esportes além do Surf? Aqui na Esportelândia também falamos sobre:

Com quantos anos Gabriel Medina começou a surfar?

Gabriel Medina: biografia, títulos mundiais e curiosidades
Gabriel Medina entre o padrasto Charles e a mãe Simone, e ao lado da irmã Sophia e do irmão Felipe

Gabriel Medina começou sua trajetória no surf aos 9 anos, quando ganhou a primeira prancha de seu padrasto Charles. Ao perceber o talento de Gabriel, Charles deixou o comando da loja de produtos de surf da família em Maresias, no litoral paulista, para a sua esposa Simone e passou a ser o treinador do jovem surfista.

Segundo Charles, Gabriel ainda não conseguia fazer manobras, mas distribuía o peso do corpo sobre as pernas de um jeito diferente dos outros garotos da sua idade. Assim, ele fazia a prancha ganhar mais velocidade.

Aos 15, Gabriel Medina assinou contrato com a Rip Curl e se tornou surfista profissional. Dez dias depois, ele se tornou o mais novo surfista da história a vencer uma etapa do WQS, a divisão de acesso do surf mundial.

Após assombrar o mundo do surf e conquistar várias etapas do WQS, Gabriel Medina ingressou na elite do surf mundial, o WCT, em 2011, quando tinha apenas 17 anos. Logo em sua estreia na elite, Medina venceu duas etapas do circuito mundial de surf. Não demorou muito para que ele se tornasse campeão mundial!

Como foram os títulos mundiais de Gabriel Medina?

  • 2014
  • 2018
  • 2021

Gabriel Medina é tricampeão mundial de surf. O brasileiro venceu o circuito mundial pela primeira vez em 2014, enquanto o bicampeonato veio quatro anos depois em 2018, já o tri chegou em 2021.

Relembre, a seguir, como foram as conquistas do mais vitorioso membro da BrazilianStorm, como ficou conhecida a talentosa geração de surfistas brasileiros na WSL.

Primeiro título mundial de Gabriel Medina

Gabriel Medina: biografia, títulos mundiais e curiosidades
Em 2014, Gabriel Medina foi primeiro brasileiro campeão mundial de surf

Em 2014, Gabriel Medina entrou para a história do esporte nacional ao se tornar o primeiro brasileiro campeão mundial de surf. O primeiro título mundial de Medina foi conquistado aos 20 anos, igualando feito da lenda Kelly Slater.

A conquista foi confirmada no Billabong Pipe Masters, disputado em North Shore de Oahu, no Havaí. Medina chegou à etapa do Havaí com apenas dois concorrentes ainda vivos na disputa: o australiano Mick Fanning, tricampeão mundial, e o norte-americano Kelly Slater, 11 vezes campeão mundial.

Fanning e Slater não conseguiram ir além das quartas de final, o que assegurou a Gabriel Medina o primeiro título mundial de sua carreira.

Bicampeonato mundial de Gabriel Medina

Gabriel Medina: biografia, títulos mundiais e curiosidades
Gabriel Medina se tornou bicampeão mundial de surf em 2018

Quatro anos depois de seu primeiro título, Gabriel Medina se tornou bicampeão mundial de surf. Aos 24 anos, o surfista brasileiro conquistou o título da Liga Mundial de Surf ao avançar à final da etapa de Pipeline, no Havaí.

Ao superar o sul-africano Jordy Smith por 16,27 pontos a 15,83 na semifinal, Gabriel Medina eliminou antecipadamente as chances do australiano Julian Wilson, segundo colocado no ranking, de ultrapassá-lo no campeonato.

Na final do Billabong Pipe Masters, Medina enfrentou justamente Julian Wilson. O brasileiro venceu a etapa por 18,34 a 16,70.

Na campanha de seu título em 2018, Gabriel Medina venceu três etapas do circuito. Antes de ganhar no Pipe Masters, ele já havia vencido o Tahiti Pro, disputado na perigosa onda de Teahupo'o, e o Surf Ranch Pro, na piscina de ondas artificiais que Kelly Slater e sócios construíram na Califórnia.

A regularidade foi o grande trunfo de Gabriel Medina para ser bicampeão mundial de surf. Além de vencer três etapas, ele chegou às semifinais três vezes e avançou às quartas de final outras três. Seu pior resultado foi o 13º lugar na primeira etapa, na Austrália.

Vá além do mundo do Surf! Confira também nossos outros conteúdos:

Tricampeonato mundial de Gabriel Medina

Gabriel Medina: biografia, títulos mundiais e curiosidades
Medina bateu Toledo na WSL Finals e consagrou-se tricampeão mundial em 2021

Após um 2020 sem surf devido à pandemia, a temporada de 2021 de Gabriel Medina foi marcada por altos e baixos.

Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Medina chegou como favorito, mas acabou perdendo na semifinal para o japonês Kanoa Igarashi. Na disputa pelo bronze, ele foi derrotado pelo australiano Owen Wright e ficou fora do pódio.

Apesar da decepção olímpica, Medina deu a volta por cima e se tornou tricampeão mundial de surf em 2021.

Durante a temporada na WSL, Medina liderou o ranking durante todo o ano. No entanto, sua liderança estava ameaçada, já que nesse mesmo ano a WSL mudou o modelo de disputa do campeonato, criando a WSL Finals, um evento de um dia apenas para decidir o campeão mundial.

Mesmo assim, Gabriel não se abateu, ele enfrentou Filipe Toledo na grande decisão em Trestles e venceu seu tricampeonato mundial na casa do adversário, derrotando o compatriota em duas baterias eletrizantes para consagrar a terceira conquista do mundo.

Pausa, lesões e temporada de 2023

Gabriel Medina é campeão em Margaret River com somatório absurdo
WSL/Aaron Hughes.

Após seu terceiro título mundial, Gabriel Medina resolveu tirar um tempo para se recuperar mentalmente e também cuidar de uma lesão. Dessa forma, o astro perdeu a primeira metade do ano de 2022. Medina retornou no sexto e sétimo evento até se machucar novamente e encerrar sua participação.

Já no ano de 2023, Gabriel retornou saudável, o tricampeão mundial acumulou nonas colocações nas quatro primeiras etapas desta temporada. Porém, no quinto evento em Margaret River, Medina deu show.

O brasileiro nunca tinha conseguido passar das quartas de final em Margaret, dessa forma, Gabriel Medina mostrou mais uma vez seu talento e venceu pela primeira vez em um dos picos mais desafiadores do mundo.

Depois de seu triunfo em Margaret River, Medina disputou o Surf Ranch, parando na fase quartas de final, quando perdeu para o australiano Ethan Ewing. Em seguida, Gabriel foi eliminado por Barron Mamiya nas oitavas de final em El Salvador.

Medina chegou otimista em Saquarema para tentar quebrar o tabu de títulos no Brasil. No entanto, o tricampeão mundial acabou novamente decepcionando no evento do Rio, caindo na fase da repescagem diante de Samuel Pupo.

Vale lembrar que Gabriel Medina já venceu em Saquarema, porém em uma etapa do Challenger Series na temporada de 2022. O paulista nunca conquistou uma etapa da elite do tour no Brasil.

Depois de um resultado ruim em Saquarema, Medina se recuperou em Jeffreys Bay, local em que já tinha conquistado um título em 2019.

Gabriel fez um bom campeonato e chegou até a fase das semifinais, perdendo somente para o australiano Ethan Ewing. O resultado ajudou Medina a recuperar a sexta colocação no ranking de John John Florence.

A ótima atuação de Medina em Jeffreys Bay levou o tricampeão mundial a encostar em Yago Dora, quinto colocado do ranking.

Por fim, Gabriel Medina fez um campeonato praticamente perfeito em Teahupo’o, no entanto, o tricampeão mundial acabou derrotado na decisão da etapa perdendo para Jack Robinson.

Dessa forma, esse resultado não foi o suficiente para Gabriel Medina garantir sua vaga na WSL Finals. Além disso, acabou superado por Filipe Toledo e João Chianca na corrida pelos jogos olímpicos.

A última chance de Medina chegar nas Olimpíadas seria por meio de uma vaga no Isa Games.

Título do ISA Games, vaga olímpica e temporada de 2024

Gabriel Medina não começou bem nas duas primeiras etapas da WSL no Havaí. O surfista terminou eliminado no terceiro round em Pipeline e Sunset.

Depois disso, Medina chegou no tão aguardado ISA Games. O tricampeão mundial não decepcionou em Porto Rico e venceu a competição, garantindo assim sua vaga nas Olimpíadas de forma épica.

Após o título no ISA Games, Gabriel seguiu em boa fase e terminou na terceira colocação na etapa de Peniche em Portugal.

No evento seguinte, o brasileiro voltou a acumular uma eliminação no terceiro round. No entanto, sua bateria foi muito questionada, principalmente por conta dos critérios dos juízes da WSL.

Medina chegou a expressar todo seu descontentamento com a liga em uma entrevista após a derrota em Bells Beach.

Desabafo contra os julgamentos da WSL

Gabriel Medina crítica WSL após eliminações polêmicas no Surf Ranch
Reprodução/Instagram

Em 2023, Gabriel Medina foi eliminado de forma polêmica diante de Ethan Ewing no evento do Surf Ranch. Dessa forma, o tricampeão mundial resolveu fazer um post em suas redes sociais pedindo por mais justiça nos resultados e julgamentos dos juízes, confira:

Por favor, entenda a importância desta discussão.

O surf é a minha vida, e meu amor por este esporte é incondicional. Surfo com paixão e pretendo deixar um belo legado quando olhar para trás um dia.

No entanto, a comunidade do surfe, especialmente a brasileira, está estarrecida com a falta de clareza e inconsistência na definição das notas já há muitos anos, mas ultimamente isso tem sido ainda mais chocante.

Está claro que a avaliação dos juízes está agora recompensando um surfe muito simples, transições incompletas e PROGRESSÃO e VARIEDADE está sendo completamente retirada da equação. Isso é muito frustrante e ameaça o crescimento do esporte.

Fãs e patrocinadores não aceitarão que isso continue e, em um futuro próximo, acabarão se afastando, uma vez que esperam um julgamento igual e justo para o esporte.

Também é importante observar que muitos treinadores tiveram a oportunidade de falar com a WSL após as baterias/etapas para discutir sobre PROGRESSÃO e VARIEDADE nos critérios e a falta de valorização para as manobras. O retorno recebido é sempre bastante defensivo, com exemplos ruins para ilustrar seus argumentos.

A WSL precisa urgentemente esclarecer seus critérios e aplicar um julgamento justo para preservar a evolução do esporte.

Obrigado,
Gabriel Medina e todo Brasil”.

Em 2024, Medina voltou a reclamar sobre os critérios dos juízes da WSL. O tricampeão mundial não concordou com o resultado de sua bateria contra Cole Houshmand em Bells Beach.

Curiosidades sobre Gabriel Medina

Gabriel Medina: biografia, títulos mundiais e curiosidades
Prancha do surfista brasileiro Gabriel Medina tem 3 quilhas
  • Altura: 1,79m
  • Peso: 78kg
  • Pais: Cláudio de Jesus Ferreira e Simone Medina
  • Irmãos: Felipe Medina e Sophia Rodrigues
  • Primeiro campeão mundial de surf brasileiro em 2014
  • Gabriel já venceu um total de 17 etapas no WCT
  • Primeiro Goofy a vencer em Margaret River depois de 33 anos
  • Time do coração: Corinthians
  • Gabriel venceu a primeira edição da WSL Finals em 2021
  • Medina tem como amigos pessoais astros de outros esportes como: Neymar, Bruninho e Jimmy Butler

Brazilianstorm

Gabriel Medina: biografia, títulos mundiais e curiosidades
Brazilianstorm em 2022

Gabriel Medina é uma das principais referências para jovens surfistas no Brasil. Com ele, Italo Ferreira e Filipe Toledo surgiu a Brazilian Storm, apelido dado à geração de brasileiros que fazem sucesso na elite do surf mundial.

Desde que foi campeão mundial em 2014, Medina se acostumou a ser um dos candidatos mais fortes ao título da Liga Mundial de Surf. Dessa forma, Gabriel puxou a fila e elevou o nível dos outros brasileiros que também alçaram o troféu, casos de Adriano de Souza, Italo Ferreira e Filipe Toledo.

Enquanto aguardamos pelas próximas conquistas do paulista, aproveite para alimentar sua paixão pelo surf com outros conteúdos: