fbpx
Os detalhes da carreira de Bernardinho como ex-jogador e treinador das seleções brasileiras de vôlei feminina e masculina, dono de 7 medalhas olímpicas!

Gritos e caretas na beira da quadra, exigência máxima de seus comandados e uma extensa galeria de troféus. Ao ler essas características, você pensou em Bernardinho, certo?

Um dos treinadores mais vitoriosos da história do voleibol, Bernardinho ainda segue em atividade, mas já tem seu nome marcado para sempre no esporte brasileiro.

Campeão à frente tanto da seleção feminina de vôlei quanto da seleção masculina, ele também já havia sido vitorioso enquanto era jogador.

Quer conhecer melhor a história de Bernardinho? Venha com a gente que te contamos todos os detalhes!

Infográfico: as conquistas de Bernardinho

Infográfico da carreira de Bernardinho

Quem é Bernardinho?

Carioca, Bernardo Rocha de Rezende, o Bernardinho, nasceu em 25 de agosto de 1959. Ele é ex-jogador e um dos treinadores mais vitoriosos da história do vôlei mundial.

Depois de conquistar as primeiras medalhas olímpicas do vôlei feminino brasileiro, Bernardinho foi bicampeão das Olimpíadas no comando da seleção brasileira masculina, além de ter conquistado uma série de outros títulos ao longo da carreira.

Quando e como Bernardinho começou no vôlei?

Bernardinho técnico da seleção brasileira de vôlei

Embora seja lembrado pelas conquistas como treinador, Bernardinho foi também um atleta vitorioso. No Rio de Janeiro, ele defendeu Fluminense, Flamengo, Vasco e Boavista, sendo campeão brasileiro de 1981.

Sua trajetória como jogador da Seleção Brasileira de vôlei foi iniciada em 1979. Cinco anos depois, ele fez parte da lendária geração de prata do Brasil. O vice-campeonato olímpico em Los Angeles, em 1984, foi a primeira conquista expressiva do voleibol brasileiro.

Depois de encerrar a carreira como atleta em 1986, Bernardinho foi auxiliar de Bebeto de Freitas, treinador da Seleção Brasileira de vôlei masculino nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988.

Sua primeira experiência como treinador foi no voleibol italiano, como treinador do Perugia, entre 1990 e 1992. No ano seguinte, ele assumiu o comando do Modena.

Como foi a trajetória de Bernardinho na seleção feminina de vôlei?

Em 1994, Bernardinho retornou ao Brasil para ser treinador na seleção feminina de voleibol. Logo em seu primeiro ano à frente do time nacional, ele conquistou o vice-campeonato do mundial disputado no Brasil e foi campeão do Grand Prix. No ano seguinte, foi a vez de conquistar a medalha de prata na Copa do Mundo.

Responsável por comandar uma geração que contava com Fernanda Venturini, Ana Moser, Leila, Ana Paula, Virna, Márcia Fu, Ana Flávia, Ida, Hilma e Fofão, Bernardinho levou o voleibol feminino do Brasil à sua primeira medalha olímpica.

Nas semifinais dos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, a derrota da Seleção Brasileira no tie-break para Cuba ficou marcada pela discussão entre Ana Moser e Márcia Fu com Regla Torres e Mireya Luis.

Já na decisão de terceiro lugar, o Brasil derrotou a Rússia, por 3 a 2, garantindo a medalha de bronze.

Uma segunda medalha de bronze com Bernardinho à frente da seleção brasileira de vôlei feminino veio nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000. Aquela geração tinha Fofão, Leila e Virna como remanescentes da Olimpíada anterior, apoiadas por Érika, Elisângela e Valewska.

22bet

A equipe brasileira venceu todos os sete jogos que disputou até as semifinais, quando voltou a ser derrotada por Cuba. A medalha de bronze foi conquistada com vitória sobre os Estados Unidos, por 3 a 0.

Em 2000, Bernardinho deixou o comando da seleção feminina. Além das duas medalhas de bronze em Olimpíadas, ele foi tricampeão do Grand Prix, em 1994, 1996 e 1998, bicampeão do Montreux Volley Master, em 1994 e 1995, tricampeão do Campeonato Sul Americano, em 1995, 1997 e 1999, e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos em Winnipeg, em 1999.

Como foi o desempenho de Bernardinho na seleção masculina de vôlei?

Bernardinho técnico da seleção brasileira de vôlei masculino

Em toda a história do esporte, é difícil encontrar uma seleção tão vitoriosa quanto a de vôlei masculino do Brasil sob o comando de Bernardinho.

Ao longo de 16 anos da “era Bernardinho”, foram 4 medalhas olímpicas (dois ouros e duas pratas), 3 Campeonatos Mundiais, 8 Ligas Mundiais, 8 Campeonatos Sul-Americanos, duas Copas do Mundo de vôlei e dois Jogos Pan-Americanos, além de títulos de torneios de menor expressão.

Bernardinho assumiu o comando da seleção brasileira de vôlei masculino em 2001. Naquele mesmo ano, ele ganhou a Liga Mundial, o Campeonato Sul-Americano e a Copa América. Já no ano seguinte, levou o Brasil ao primeiro título do Campeonato Mundial em sua história.

Ele ainda foi bicampeão sul-americano e da Liga Mundial, além de erguer o troféu da Copa do Mundo, antes de disputar sua primeira Olimpíada com o time masculino do Brasil.

Quatro medalhas olímpicas

À frente de uma equipe que contava com Giba, Ricardinho, Nalbert, Dante, Serginho, Gustavo, Rodrigão, André Nascimento, Anderson, Maurício, Giovane e André Eller, Bernardinho conduziu o Brasil ao seu segundo ouro olímpico no voleibol — em 1992, José Roberto Guimarães comandou o time campeão em Barcelona.

O lugar mais alto do pódio em Atenas, em 2004, foi alcançado depois de vitórias sobre Estados Unidos, nas semifinais, e Itália, na final.

Já nos Jogos Olímpicos de Pequim e na Olimpíada de Londres, em 2008 e 2012, o time de Bernardinho chegou às finais nas duas edições, mas acabou ficando com a prata.

Em Pequim, a Seleção Brasileira foi derrotada na final pelos Estados Unidos, por 3 a 1. Já em Londres, a derrota foi ainda mais triste, com revés no tie-break diante da Rússia.

A segunda medalha de ouro de Bernardinho veio com o apoio da torcida no Rio de Janeiro, em 2016.

O Brasil ficou apenas em quarto lugar no seu grupo na primeira fase, com 3 vitórias em 5 jogos, e, nas quartas de final, passou pela Argentina, que havia sido líder de sua chave.

Já nas semifinais e na final, o Brasil foi implacável e derrotou Rússia e Itália por 3 a 0.

Foi a vez então de uma geração de Bruninho (filho de Bernardinho), Lipe, Wallace, Lucão, Lucarelli, Maurício Borges e Maurício Souza, Evandro, William, Éder e Douglas celebrar o ouro olímpico.

Em janeiro de 2017, Bernardinho deixou o comando da seleção masculina, sendo substituído por Renan Dal Zotto.

Quais times foram treinados por Bernardinho?

Bernardinho Rexona Ades
No comando do projeto Rexona, Bernardinho conquistou 12 títulos da Superliga feminina em 20 anos

Extremamente vitorioso no comando das seleções brasileiras, Bernardinho também encheu sua galeria de troféus como treinador de times.

Sua trajetória à frente de clubes começou na Itália, no início da década de 1990, à frente de Perugia e Modena.

12 títulos na Superliga no mesmo projeto

Foi como técnico do Rexona que Bernardinho ganhou seus primeiros títulos nacionais. No comando do time do Paraná, ele foi campeão da Superliga Feminina em 1997/98 e 1999/2000.

Em 2004, o treinador retornou ao Rexona-Ades, mas em uma nova era, dessa vez no Rio de Janeiro. E, como não poderia deixar de ser com Bernardinho, veio mais uma coleção de taças, além de uma grande rivalidade.

Entre as temporadas 2004/2005 e 2012/2013, as finais da Superliga sempre foram decididas entre o time de Bernardinho e o Osasco.

Depois de ser vice-campeão em 2004/2005, o Rexona-Ades/Rio de Janeiro conquistou o tetracampeonato da Superliga feminina entre 2005/2006 e 2008/2009.

Já com o nome Unilever/Rio de Janeiro, a equipe de Bernardinho ganhou a Superliga mais 5 vezes (2010/11, 2012/13, 2013/14, 2014/15 e 2015/16).

O fim do projeto Rexona no voleibol feminino aconteceu com mais um título da Superliga, a de 2016/2017. Naquela temporada, a equipe atuou como Rexona-Sesc/Rio de Janeiro.

Foram 12 títulos de Superliga feminina em 20 anos de projeto, iniciado em Curitiba e depois migrado para o Rio de Janeiro. Após a conquista em 2016/2017, o então copatrocinador Sesc passou a ser o gestor do time ainda comandado por Bernardinho.

Na temporada 2018/2019, pela primeira vez desde a criação do projeto, o Sesc-RJ, de Bernardinho, não chegou às semifinais da Superliga Feminina. Antes de ser eliminado pelo Sesi Bauru nas quartas de final, a equipe alcançou uma série de 14 finais consecutivas.

Além dos 12 títulos nacionais, com o projeto Rexona, Bernardinho foi tetracampeão sul-americano (2013, 2015, 2016 e 2017) e conquistou 14 vezes o Campeonato Carioca.

Quantas vezes Bernardinho foi campeão?

Um dos recordes de Bernardinho é o número de títulos. Entre taças levantadas com clubes e no comando das seleções brasileiras, o treinador soma mais de 50 conquistas na carreira.

Como técnico de seleções, ele conquistou 6 medalhas olímpicas consecutivas (de 1996, em Atlanta, a 2016, no Rio de Janeiro): dois bronzes, duas pratas e dois ouros.

Como já havia sido prata em Los Angeles, em 1984, Bernardinho tem ao todo 7 medalhas olímpicas.

Já como técnico de times, ele já soma 12 títulos da Superliga feminina.

Títulos de Bernardinho na seleção feminina de vôlei

  • Grand Prix de Voleibol: 1994, 1996, 1998
  • Campeonato Sul-Americano de Voleibol Feminino: 1995,1997,1999
  • Jogos Pan-Americanos: 1999
  • Montreux Volley Masters: 1994 e 1995
  • 1994 – Vice-campeão no Mundial de Voleibol Feminino
  • 1996 – Bronze na Olimpíada de Atlanta
  • 1997 – Bronze na Copa dos Campeões
  • 1999 – Prata no Grand Prix
  • 1999 – Bronze na Copa do Mundo de Voleibol
  • 2000 – Bronze no Grand Prix
  • 2000 – Bronze na Olimpíada de Sydney

Títulos de Bernardinho na seleção masculina de vôlei

  • Medalha de ouro nos Jogos Olímpicos: 2004 e 2016
  • Campeonato Mundial de Vôlei: 2002, 2006 e 2010
  • Copa dos Campeões de Voleibol: 2005, 2009 e 2013
  • Copa do Mundo de Voleibol: 2003 e 2007
  • Liga Mundial de Voleibol: 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010
  • Jogos Pan-Americanos: 2007 e 2011
  • Campeonato Sul-Americano de Voleibol Masculino: 2001, 2003, 2005, 2007, 2009, 2011, 2013 e 2015
  • 2001 – Copa América de Voleibol
  • 2001 – Campeão do Torneio Ponte di Legno, na Itália
  • 2001 – Campeão do Torneio Consorzio Metano de Vellecamonica, na Itália
  • 2001 – Vice-campeão da Copa dos Campeões de Voleibol, no Japão
  • 2002 – Vice-campeão da Liga Mundial de Voleibol
  • 2002 – Campeão do Torneio Sei Nazioni
  • 2003 – Bronze no Pan-americano de Santo Domingo
  • 2004 – Ouro na Olimpíada de Atenas
  • 2005 – Vice-campeão da Copa América de Voleibol
  • 2007 – Vice-campeão da Copa América de Voleibol
  • 2008 – Prata na Olimpíada de Pequim
  • 2010 – Campeão do Torneio Hubert Jerzy Wagner, na Polônia
  • 2011 – Vice-campeão da Liga Mundial de Voleibol, na Polônia
  • 2011 – Bronze da Copa do Mundo
  • 2012 – Prata na Olimpíada de Londres
  • 2013 – Vice-campeão da Liga Mundial de Voleibol, na Argentina
  • 2014 – Vice-campeão da Liga Mundial de Voleibol, na Itália
  • 2014 – Vice-campeão Mundial, na Polônia.
  • 2015 – Prata no Pan-americano de Toronto
  • 2016 – Vice-campeão da Liga Mundial na Polônia
  • 2016 – Ouro na Olimpíada do Rio, no Brasil

Títulos de Bernardinho em times

  • Torneio Top Volley: 2006 e 2009
  • Salonpas Cup: 2004, 2006 e 2007
  • Campeonato Sul-Americano de Clubes de Vôlei Feminino: 2013, 2015, 2016 e 2017
  • Superliga Brasileira de Voleibol: 97/98, 99/00, 05/06, 06/07, 07/08, 08/09, 10/11, 12/13, 13/14, 14/15, 15/16 e  16/17
  • Copa do Brasil de Voleibol: 2007, 2016 e 2017
  • Supercopa Brasileira de Voleibol: 2015 , 2016 e 2017
  • Campeonato Carioca de Voleibol: 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012,2013,2014,2015, 2017 e 2018
  • Campeonato Paranaense de Voleibol: 2003
  • Supercopa dos Campeões de Vôlei: 2001
  • Copa Rio de Vôlei: 2009

Quais membros da família de Bernardinho também se destacaram no esporte?

Bernardinho e Bruninho
Bernardinho foi treinador de seu filho Bruninho na campanha vitoriosa na Olimpíada do Rio de Janeiro

A família de Bernardinho é bastante envolvida com esportes. Filho de seu relacionamento com Vera Mossa, também ex-jogadora de vôlei, Bruninho é levantador da Seleção Brasileira e foi campeão olímpico no Rio de Janeiro, além de medalhista de prata em Londres e Pequim.

Depois do relacionamento com Vera Mossa, Bernardinho se casou com outra ex-jogadora. Esposa do treinador, Fernanda Venturini foi levantadora da Seleção Brasileira na década de 1990 e medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996.

Quais as principais frases de Bernardinho?

Com nome marcado na história do esporte brasileiro e também palestrante, Bernardinho é conhecido pela sua capacidade motivacional. Não é à toa, ele é autor de frases marcantes:

  • “Creio que errar na forma é aceitável, desde que não se duvide jamais da intenção”
  • “A vontade de se preparar tem que ser maior do que a vontade de vencer. Vencer será consequência da boa preparação”
  • “No fundo, é um paradoxo: sou um perfeccionista que sabe que a perfeição jamais será atingida. E, se isso fosse possível, também não gostaria de alcançá-la. Seria o fim dos objetivos e eu não conseguiria viver sem eles”
  • “Expectativa gera responsabilidade, o que leva à necessidade de mais trabalho e a uma atenção ainda maior aos detalhes”

Qual é o livro do Bernardinho?

Quer conhecer mais bastidores da trajetória de Bernardinho sob a visão do próprio treinador? Uma oportunidade é lendo o livro que ele escreveu, chamado “Transformando suor em ouro”.

No livro, Bernardinho relata sua trajetória no vôlei desde os tempos de jogador. Ele conta ainda quais foram as estratégias e as lições de liderança que o ajudaram a conduzir seus comandados a diversos títulos. O principal método é o que ele chama de “Roda da Excelência”, utilizado também para orientar gestores a conduzirem seus negócios.

Se você não é tão fã assim de livros e curte mais um cinema ou Netflix, nós também te damos dicas. Fique à vontade para escolher entre os melhores filmes de futebol americano ou os grandes filmes de basquete!

Agora que você sabe tudo sobre Bernardinho, aproveita para conhecer mais sobre outros grandes ídolos do esporte brasileiro:

Quer conhecer a história de outros ídolos do esporte brasileiro? Confira então:

Se quiser mais sobre treinadores, conheça a história de Bill Belichick, o técnico mais vitorioso da história do futebol americano, e entenda por que Vince Lombardi deu nome ao troféu do Super Bowl!

*Última atualização em 27 de março de 2019

Ficha Técnica
Título
Bernardinho: a história de um dos técnicos mais vitoriosos do vôlei
Resumo
Carioca, Bernardo Rocha de Rezende, o Bernardinho, nasceu em 25 de agosto de 1959. Ele é ex-jogador e um dos treinadores mais vitoriosos da história do vôlei mundial. Depois de conquistar as primeiras medalhas olímpicas do vôlei feminino brasileiro, foi bicampeão das Olimpíadas no comando da seleção brasileira masculina, além de ter conquistado uma série de outros títulos ao longo da carreira.
Autor

Comentários

Salvar