Saiba tudo sobre Hugo Calderano: sua biografia, quando começou no tênis de mesa, seus títulos e o melhor ranking que alcançou

Apesar e tradicional e muito praticado, o tênis de mesa nunca foi um esporte de alto nível de fato no Brasil. Isto é, até aparecer Hugo Calderano.

Melhor brasileiro da história do ranking mundial, Calderano alcançou, com muito talento, personalidade — e ainda bem bem jovem — um lugar na elite dos mesatenistas. Missão cumprida, certo? Longe disso.

Em busca de uma medalha olímpica, Hugo vem escrevendo uma história vitoriosa e muito bem-sucedida. Você pode conferir seus principais capítulos no texto a seguir, que conta tudo o sobre o grande nome do tênis de mesa do país.

Quem é Hugo Calderano?

(Divulgação/Hugo Calderano)

Hugo Marinho Borges Calderano é um mesatenista profissional natural do Rio de Janeiro. Nascido no dia 22 de junho de 1996, estreou na categoria adulta do tênis de mesa em 2013.

Considerado uma promessa do esporte desde os 12 anos de idade, o brasileiro se consolidou de vez como um atleta de ponta em 2018, quando alcança a sexta posição do ranking da Federação Internacional de Tênis de Mesa, até hoje sua maior colocação e a do país na história do esporte.

Descrito como um jogador de estilo intenso e calculado, Hugo já disputou mais de mil partidas oficiais e conquistou mais de cem medalhas, mais da metade delas de ouro, é bom dizer.

Entre os pontos altos de sua carreira estão as quatro medalhas de ouro dos Jogos Pan-Americanos e o bronze do ITTF World Tour Grand Finals, obtido após a vitória contra Fan Zhendong, número 1 do mundo e um dos maiores mesatenistas de todos os tempos.

Quando Hugo Calderano começou a jogar tênis de mesa?

Hugo Calderano começou a jogar tênis de mesa em 2005, quando entrou no programa de treinos do esporte no Fluminsense, no Rio de Janeiro. Sua estreia como profissional foi em 2013, mesmo ano em que ganhou o seu primeiro Prêmio Brasil Olímpico como melhor mesatenista do país.

Qual o melhor ranking de Hugo Calderano?

O melhor ranking de Hugo Calderano se deu entre dezembro de 2018 e agosto de 2019, quando ficou na sexta posição. Chegou a ficar a menos de 400 pontos do Top 5. Começou o ano de 2021 na sétima posição, a maior de um atleta não asiático.

Biografia de Hugo Calderano

Hugo Calderano começou cedo no tênis de mesa, aos nove anos. Vindo de uma família de educadores físicos (o avô e a mãe), foi incentivado a entrar cedo para os treinos do time do Fluminense.

Em poucos anos o jovem já estava disputando torneios nacionais e mostrando talento e naturalidade com a raquete. Para se ter noção, foi eleito o melhor atleta escolar no Prêmio Brasil Olímpico em 2009, apenas quatro anos depois de se iniciar na prática.

A evolução no tênis de mesa o fez investir de vez na carreira em 2010, quando mudou-se para São Caetano, em São Paulo. A ideia era treinar num dos polos de preparação olímpica disponíveis no país.

O período “paulista” de Calderano foi de muito aprendizado e de muitos resultados. Venceu medalhas no Circuito Mundial Juvenil em 2011, particou do Projeto Vivência Olímpica em 2012 e estreou entre os adultos em 2013, já eleito melhor mesatenista pelo Prêmio Brasil Olímpico.

Início da carreira internacional

O ano de 2014 foi de passos decisivos na carreira de Hugo Calderano. Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude, foi contratado TTF Liebherr Ochsenhausen, clube alemão, para disputar a Bundesliga e a Champions League do tênis de mesa.

Profissional de fato, Calderano respondeu às novas responsabilidades com uma evolução no seu jogo, ainda mais intenso e então mais preciso.

A rodagem internacional o deixou na ponta dos cascos para o Pan-Americano de Toronto, em 2015, quando levou as Medalhas de Ouro de Simples e de Equipes.

O nível do Pan até se manteve na sua primeira Olimpíada, em 2016. O resultado é que infelizmente não foi o mesmo: o brasileiro caiu, de pé, nas oitavas.

Vá além do tênis de mesa! Confira:

A elite do tênis de mesa

A experiência olímpica deu casca ao jogador, que passou a competir com maior confiança no alto nível do tênis de mesa.

No mesmo ano de 2016, por exemplo, ficou com a prata do Aberto da Hungria e com o ouro do Aberto da Suécia, neste fazendo dupla com Gustavo Tsuboi. Já em 2017 foi campeão tanto das duplas quanto de simples do Aberto do Brasil.

O ano de 2018 é aquele que Hugo Calderano dá o seu grande salto profissional. Começa com a 15ª posição do ranking mundial, a então maior já alcançada por um atleta sul-americano na história.

Confiante pela marca, Hugo fez história novamente no Aberto do Catar, parte da etapa Platinum do Circuito Mundial, batendo o alemão Timo Boll, na época número 1 do mundo, e chegando à vice-colocação.

O encerramento da temporada foi melhor ainda, com a heroica vitória sobre Fan Zhendong nas quartas do ITTF World Tour Grand Finals e com a histórica sexta posição no ranking mundial.

Consolidação

Os anos seguintes ao lugar no Top 6 mundial foram de consolidação para Hugo Calderano.

Dominante no cenário nacional e continental — com direito ao Prêmio Brasil Olímpico de Atleta da Torcida e mais duas medalhas de ouro no Pan de 2019 — o brasileiro foi capaz de se manter na elite do tênis de mesa mesmo entre os naturais altos e baixos de desempenho e resultados.

A expectativa é que o momento seja mais do que uma boa fase e que o nível se mantenha para a Olimpíada de Tóquio. Calderano, afinal, representa uma das chances de medalha do Brasil.

História de Hugo Calderano nas Olimpíadas

Hugo Calderano fez história na Olimpíada de 2016
(Danilo Borges/Brasil2016.gov.br)

Disputando a Olimpíada do Rio de Janeiro com vinte anos de idade, Hugo Calderano gerava mais expectativa pelo seu desempenho do que por seus possíveis resultados. Superou ambas as projeções ainda assim.

Depois de vencer o cubano Andy Pereira, na primeira fase; o sueco Par Gerell, na segunda, e o honconguês Peng Tang, na terceira, o brasileiro igualou ninguém menos que o xará Hugo Hoyama ao alcançar as oitavas de final e fazer a melhor campanha brasileira na modalidade.

Infelizmente foi derrotado nas oitavas pelo japonês Jun  Mizutani, curiosamente o número 6 do mundo na época, a posição que Hugo alcançaria dois anos depois.

Títulos de Hugo Calderano

  • Jogos Pan-Americanos/Simples (2015, 2019)
  • Jogos Pan-Americanos/Duplas (2019)
  • Jogos Pan-Americanos/Equipes (2015)
  • Campeonato Alemão (2019)
  • Campeonato Pan-Americano (2017)
  • Jogos Olímpicos da Juventude/Bronze (2014)
  • Campeonato Latino-Americano (2014, 2015, 2016)
  • Aberto do Brasil (2017)
  • Aberto da Suécia/Duplas (2016)

Curiosidades sobre Hugo Calderano

  • O começo da trajetória de Hugo Calderano no esporte era dividido: quando garoto, treinava tanto tênis de mesa quanto vôlei no Fluminense.
  • Quando mudou-se para São Caetano para treinar em alto nível, o fez junto com o avô, o grande apoiador de sua carreira.
  • O avô aliás, fez de tudo para acompanhar o neto o mais próximo possível na Olimpíada de 2016, participando da organização do evento como voluntário.
  • Hugo Calderano é de fato um atleta. Seu preparo físico, constantemente registrado nas suas redes sociais, impressiona: é mortal pra cá, enterrada de basquete pra lá, entre outros exercícios absolutamente intensos.
  • Em 2019 Hugo pode sentir o seu tamanho dentro do esporte brasileiro. Foi eleito o Atleta da Torcida no Prêmio Brasil Olímpico, o primeiro mesatenista a ser assim reconhecido.
  • Já dentro do tênis de mesa, ele sobra. Também em 2019 foi eleito o melhor mesatenista do ano no Prêmio Brasil Olímpico, pela quinta vez consecutiva.

Agora que você conhece a história de Hugo Calderano aproveite para conferir outros conteúdos sobre tênis de mesa! Acesse:

*Última atualização em 20 de abril de 2021

Salvar