Entenda as regras da esgrima: quais os principais golpes e como é a pista, a contagem da pontuação e o funcionamento dos combates

Por mais veloz que seja o esporte — com espadas se flexionando, atletas se contorcendo e luzes acendendo —, as regras da esgrima são bastante simples de se entender.

Entre armas, floretes, marchas e estocadas, o esporte tem éticas e costumes bem estabelecidos. E um sistema de pontuação claro, ainda mais com os sistemas eletrônicos mais modernos.

Ainda assim, para não restar dúvidas, reunimos as regras da esgrima no texto abaixo. E fomos além, trazendo um pouco da história, dos golpes e do vocabulário do esporte, tudo, enfim, que você precisa saber para poder curtir os combates nas Olimpíadas!

História da Esgrima

“Academie de l’Espée de Girard Thibaultera”, de Girard Thibault.
(“Academie de l’Espée de Girard Thibaultera”/Girard Thibault)

Datar a origem da esgrima é algo complicado. Afinal, os combates com armas são tão antigos quanto as civilizações em si. O esporte, no entanto, ainda que tenha datas pouco claras, consegue ter um esboço rastreado a partir do século XIV, na Europa.

A transformação do combate em atividade desportiva é uma junção de movimentos na Espanha, Itália e Alemanha. Espadachins desses países foram pioneiros na criação de éticas e etiquetas de combate que, com o tempo, passaram a ser regras esportivas.

No século XIX que, enfim, as armas passam a ser sem pontas e usadas em disputas acadêmicas. Em 1896, a esgrima estreia oficialmente na Olimpíada de Atenas.

O primeiro mundial, curiosamente, só é disputado bem depois, em 1921. Em 1924, a esgrima feminina passa também a ser esporte olímpico, finalizando a construção da modalidade competitiva.

Quais são as regras da esgrima?

Imagem de partida de Esgrima durante as Olimpíadas

A esgrima é um esporte bastante simples em suas regras. É constituída basicamente de combates individuais entre adversários, que, dentro de uma área demarcada, buscam marcar pontos ao encostar suas armas nos oponentes.

As principais regras da esgrima se alternam entre as categorias. São elas quem definem a superfície válida e os meios para a pontuação, assim como pormenores. Veremos todos mais abaixo.

Entre os aspectos gerais, há o impedimento do esgrimista sair da pista — o local onde é disputado o combate — pelo fundo, sob a penalidade de um ponto para o adversário.

Outra questão é o derrubar da arma. Se ela acontece durante um movimento de ataque do adversário que vira um toque válido, o golpe vale o ponto.

Já se a arma é derrubada antes de um movimento, a partida é paralisada para o reposicionamento dos oponentes, ambos com suas armas novamente empunhadas.

Qual é o principal o objetivo na esgrima?

O principal objetivo na esgrima é tocar o oponente com a arma ao mesmo tempo em que se evita ser tocado. É nessa dinâmica de ataque, contra-ataque que se baseia a “arte” da esgrima.

Já dentro de uma partida, o objetivo é, primeiro, terminar o duelo com mais pontos que o adversário. Em um segundo momento, o ideal é somar 15 pontos, que encerram automaticamente a partida.

Quais as modalidades da esgrima?

Existem três modalidades da esgrima, que são definidas pela arma empunhadas pelos adversários: Florete, Sabre e Espada.

Além de tamanhos e pesos diferentes, elas impactam em algumas regras de pontuação, como a área de contato permitida, seja do corpo, seja da arma em si. São elas:

  • Florete: Arma mais leve e de flexibilidade mediana, faz da categoria a mais popular. Medindo 90cm e com 500g, pontua somente com a ponta e só pode atingir o tronco.
  • Sabre: O sabre é a arma mais flexível e portanto mais rápida da esgrima. Tem 88cm e 500g. É empunhada pelos esgrimistas mais atléticos, já que pode atingir tudo da cintura para cima e com tanto a ponta quanto as “lâminas”.
  • Espada: A espada é a menos flexível e, portanto, mais lenta. Tem 110cm de lâmina e pesa 770g. É a categoria ideal para atletas mais altos. Pode pontuar em qualquer lugar do corpo, da ponta do pé ao topo da cabeça, mas somente com a ponta da arma.

Como se contam os pontos da esgrima?

É bastante simples a maneira em que se contam os pontos da esgrima. Basicamente, o esgrimista que tocar primeiro o ponto do corpo permitido com o ponto da arma permitido, faz o ponto.

Em caso de toque simultâneos, duas categorias — florete e sabre — contam com o adendo de uma das mais honrosas regras da esgrima, a “convenção”. Nela, o ponto vai para quem iniciou o ataque. Na espada, os pontos são dados aos dois.

Como é a pista de esgrima?

Inspiradas nos corredores dos castelos onde o esporte começou, a pista de esgrima é uma plataforma elevada, estreita e alongada. Tem 14 metros de comprimento (e mais dois metros de área de recuo para cada lado) e apenas dois metros de largura.

Uma linha central divide a pista em duas partes iguais de 7×2, os campos de cada um dos esgrimistas.

Duas outras linhas intermediárias, uma de cada lado, dividem simetricamente essas porções de 7 metros. São chamadas de “linhas de guarda” e marcam o reinício do combate após cada ponto e/ou tempo.

Vá além da Esgrima! Confira os textos de outros esportes na Esportelândia:

O combate da esgrima

Imagem de uma partida de esgrima com o placar desfocado ao fundo
(Reprodução/Wikimedia)

As regras da esgrima se alteram levemente entre países e competições. Ainda assim, o mais comum é que existam dois tipos de combate, os preliminares e os eliminatórios.

  • Preliminares: Um tempo de três minutos. Cinco pontos dão a vitória automática. Um minuto de prorrogação em caso de empate.
  • Eliminatório: Três tempos de três minutos cada. Vitória automática aos 15 pontos. Um minuto de prorrogação em caso de empate. Quantas prorrogações forem necessárias.

As modalidades espada e sabre até admitem disputas coletivas, mas os combates são sempre individuais.

Independentemente do tipo de partida, o ritual do combate é sempre o mesmo. Antes de começar, ambos os jogadores devem tirar os capacetes e saudar o árbitro, a torcida e um ao outro.

Depois, posicionam-se na linha de guarda e esperam o comando do árbitro. Este anuncia três frases: “Guarda” (do francês en-guarde, como nos filmes), “Prontos?” e “Combate!”. E inicia-se o duelo.

As regras da esgrima para paralisações do combate

Durante o combate, são quatro momentos em que as regras da esgrima permitem que ele seja paralisado:

  • Quando algum dos oponentes pontuam. Os esgrimistas então voltam a linha de guarda e esperam a liberação dos árbitros;
  • Quando alguém pisa na linha de advertência, o que automaticamente dá um ponto ao adversário. O combate é retomado na linha de guarda;
  • Quando alguém sai da pista lateralmente. Isso é permitido, mas o combate retoma um metro para trás do campo onde o esgrimista saiu. Se esse um metro der na área de advertência, ponto para o adversário e o duelo volta à linha de guarda.
  • Quando algum oponente derruba a arma. Se isso acontece durante um movimento válido, ponto para o adversário; se acontece antes do golpe, o combate é paralisado para a retomada da arma. De qualquer maneira, o duelo volta à linha de guarda.

Como é medida a pontuação na esgrima?

Na maioria das grandes competições, a medição da pontuação se dá numa união entre árbitros e um sistema elétrico que acusa automaticamente o golpe válido. Quando o movimento é correto, o capacete do esgrimista que fez o ponto se acende.

https://m.gifmania.pt/Gifs-Animados-Desportos/Imagens-Animadas-Esgrima/Esgrima-82995.gif

Os movimentos e golpes da esgrima

Partida de esgrima durante as Olimpíadas
(Reprodução)

A esgrima conta com alguns movimentos específicos e, principalmente, com um vocabulário específico. Listamos os principais deles:

  • Marchar: movimento frontal em direção à linha central.
  • Romper: movimento para trás em direção à linha de guarda.
  • Afundo: ataque básico da esgrima, com o joelho frontal flexionado e o braço da arma esticado.
  • Estocada: combinação da marcha com o afundo, seguindo o movimento para frente mas sem flexionar tanto o joelho.
  • Flecha: ataque rápido, em pé, correndo para cima do oponente com o braço esticado.
  • Balestra: união da flecha com o afundo, um pequeno salto em direção ao oponente que termina em afundo.
  • Contra-ataque: ação logo após a defesa de um ataque. Se o primeiro golpe entra, não é possível um contra-ataque. No máximo ao mesmo tempo.
  • Parada: a parada é um movimento de deflexão de um golpe, desviando a arma do oponente com a lateral da sua arma.
  • Resposta: o movimento após a parada, um ataque curto após o desvio da arma adversária.
  • Guarda: a posição de defesa. A técnica da guarda divide o tronco em quatro porções: quarta, sexta, sétima e oitava. As duas primeiras são porções superiores, e a quarta e a sétima são do lado oposto do braço que empunha a arma.

Agora que você sabe todas a regras da esgrima, que tal conferir o funcionamento de outros esportes olímpicos?

*Última atualização em 18 de janeiro de 2021

Salvar