O Brasil já possui vagas garantidas em diversos esportes nas Olimpíadas de Paris, que começarão em breve. As vagas são em esportes coletivos e também em individuais.

Entre os individuais, na ginástica, a maior esperança de medalhas é Rebeca Andrade. Enquanto, na canoagem, Isaquias Queiroz deve ser o grande nome brasileiro.

E os dois podem superar dois ídolos do esporte brasileiro nestas Olimpíadas, Robert Scheidt e Torben Grael. Os atletas, ambos da vela e já aposentados, têm cinco medalhas cada.

Isaquias Queiroz analisa “concorrência” de Rebeca Andrade nas Olimpíadas

Como citado, Isaquias Queiroz e Rebeca Andrade podem fazer história nas Olimpíadas de Paris. Vale lembrar que a ginasta tem duas medalhas e o canoísta, quatro.

E o próprio Isaquias faz questão de exaltar Rebeca Andrade e reconhecer que ela pode ultrapassá-lo nesta “briga” por medalhas olímpicas.

Tem uma pessoa aí que pode me superar, que é a Rebeca. Ela vai ter cinco provas na Olimpíada e pode conseguir mais medalhas do que eu. Vou focar na execução do meu trabalho. E a consequência do resultado é o que eu treinei.

Em seguida, Isaquias Queiroz completou comparando a canoagem, seu esporte, com o basquete:

A canoagem não é basquete. Você pode estar perdendo de dois pontos ali. Faltando um décimo, arremessa uma bola de três e ganha o jogo. Na canoagem, o que você faz no treino você vai fazer na competição. Não tem milagre.

Isaquias tem como treinador Lauro de Souza Júnior, ex-assistente de seu técnico anterior Jesus Morlán, que faleceu em 2018, mas deixou ensinamentos para o canoísta.

O Jesus Morlan está todo ali junto com a gente. O planejamento do trabalho é feito em cima do que ele inventou. E o Lauro, sem dúvida nenhuma, aprendeu muito com o Jesus” encerrou.

Quer saber mais sobre a carreiras desses grandes nomes do esporte brasileiro? Acesse nossos outros conteúdos sobre cada um deles: