Em recente vídeo divulgado no canal do Youtube Renato Cariani, a arbitragem do Arnold Classic Ohio 2022 deu sua opinião sobre os brasileiros no show.

Contando com sete atletas nascidos no Brasil, a edição deste ano do segundo evento mais importante do mundo mostrou como o nosso país segue forte no esporte.

Nesse cenário, os competidores brasileiros garantiram boas posições, como as mulheres na Wellness e o Ramon, na Classic Physique.

Diante disso, Tamer El-Guindy e Sandy Williamson, principais juízes do show, vieram a público apontar onde esses atletas devem melhorar.

Vale dizer que eles também explicaram melhor o motivo de cada atleta ter ocupado sua respectiva posição.

Isa Pecini – Top 4 Bikini

Arbitragem do Arnold Classic Ohio 2022
Reprodução/ W.Wittmann

Primeiramente, mesmo tendo conquistado o título de Miss Olympia no campeonato de 2019, Elisa ainda não conseguiu se enquadrar na categoria.

Seja como for, o Brasil esperava uma colocação melhor para a atleta nesse evento. Mesmo que um top 4 possa ser levado como algo positivo, considerando os fortes nomes que disputaram o prêmio.

Desta maneira, Sandy deixou claro que a condição física mostrada no posterior de coxa e glúteo da competidora deve ser melhorada.

Ambos os árbitros destacaram que isso não é impossível, já que a mesma apresentara tal detalhamento anteriormente.

Eles também destacaram haver um certo desbalanceamento no shape da brasileira, explicando a quarta colocação na competição.

Isa Pereira Nunes – Top 1 Wellness

Reprodução/ W.Wittmann

Sendo uma grata surpresa para a grande maioria dos fãs, Isa Pereira conquistou mais um título em sua ascendente jornada profissional no fisiculturismo.

Em suma, com um físico equilibrado e com poucos pontos fracos, Isa foi a única brasileira a ficar com a primeira colocação no evento.

Desta maneira, a arbitragem do Arnold Classic Ohio 2022 concluiu que o balanço mostrado pela brasileira foi o principal fator que fez com que ela ficasse com o top 1.

Angela Borges – Top 2 Wellness

Reprodução/ W.Wittmann

Angela Borges é, e ainda será por alguns anos, um dos maiores nomes do cenário do fisiculturismo.

Em síntese, um fato que comprova isso é seu favoritismo em todos os títulos que disputa, até mesmo no Mr.Olympia.

Por outro lado, mesmo sendo considerada uma rainha na categoria, alguns fatores fizeram que Angela ficasse com a primeira posição do Arnold Ohio 2022.

De acordo com Sandy, se comparar com o físico apresentado no mundial do ano passado, sua condição ainda estava excelente. Porém, ficou em contraste com seu glúteo, que acabou se sobressaindo em níveis musculares dos diversos agrupamentos inferiores.

Em conclusão, mesmo tendo uma parte frontal melhor do que a da Isa Pereira, a falta de balanço entre glúteo e posterior acabou a prejudicando.

Julia Chitarra – Top 4 Wellness

Reprodução/ W.Wittmann

Por fim, Julia Chitarra demonstrou uma grata evolução desde o Mr.Olympia e conseguiu se estabelecer como o quarto melhor físico da noite na Wellness.

Um dos fatores que comprovam a melhora apresentada é que Chitarra ficou a frente de uma das maiores atletas da classe: Yarishna Ayala.

A porto-riquenha ficara duas posições na frente da brasileira no Mr.Olympia 2021, comprovando sua boa evolução nesses últimos meses.

Diogo Montenegro – Top 3 Men’s Physique

Reprodução/ W.Wittmann

Depois de alguns meses de uma incrível terceira colocação no Mr. Olympia 2021 na Mens's Physique, Diogo subiu nos palcos com sede de vitória.

Entretanto, mesmo que seu condicionamento tenha sido o mesmo do mundial, Tamer afirmou que faltou um pouco de densidade no físico.

Isso pode ser explicado pela falta de alimento, principalmente carbo, antes do Diogo ter ido até os palcos.

Como resultado, seu físico acabou chegando “murcho”, ainda mais nas finais, o que lhe custou brigar por uma primeira colocação.

Ramon Rocha – Top 2 Classic Physique

Arbitragem do Arnold Classic Ohio 2022
Reprodução/ W.Wittmann

O brasileiro considerado como uma das genéticas mais poderosas do mundo demonstrou seu real potencial neste show.

Perdendo apenas para Terrence Ruffin, Ramon ficou com um segundo lugar que, para os brasileiros, teve gosto de primeiro.

Dessa forma, os árbitros concordaram com a grande maioria dos torcedores: Ramon e Terrence estavam muito próximos em todos os quesitos.

Porém, ainda nas prévias, o brasileiro demonstrou faltar um pouco de retirada de água no seu físico. Pois, o mesmo começou a suar bastante durante as poses.

Esse fator acabou prejudicando suas contrações, fazendo com que Ramon não conseguisse segurar as poses por tanto tempo. Assim, acabou perdendo para o Terrence na Classic Physique.

Fábio Giga – Top 9 Open

Arbitragem do Arnold Classic Ohio 2022
Reprodução/ Gui Pavan

Posteriormente da conquista do seu cartão profissional no mesmo evento, Giga realizou seu pro-debut enfrentando diversos nomes já renomados.

O brasileiro acabou ocupando a  última colocação do campeonato. Porém, demonstrou que consegue atingir um nível de condicionamento altíssimo para bater com os melhores da Open.

Por outro lado, de acordo com a arbitragem do Arnold Classic Ohio 2022, o volume muscular do brasileiro ainda está atrás dos demais competidores profissionais.

Diante disso, Giga deve entrar em um off-season visando ganhar ainda mais massa muscular. Assim poderá voltar ainda melhor para os palcos mundiais.

Imagem destacada: Reprodução/ProFitnessPro