No dia 9 de fevereiro de 1995, nascia no Acre, com uma genética monstruosa, o futuro do fisiculturismo brasileiro e mundial: Ramon Rocha Queiroz, mais conhecido como Ramon Dino, o Dinossauro do Acre.

Conheça a história do Atleta Ramon Dino

Nascido em família húmilde na capital do Acre, Rio Branco, Ramon sempre diferiu dos meninos da sua idade, sendo maior que os irmãos mais velhos e os amigos da escola.

Na época, o futuro bodybuilder gostava de esportes como capoeira e futebol, mas viu na calistenia (conjunto de exercícios físicos utilizando o peso do próprio corpo) uma maneira de se exercitar e potencializar a sua estrutura muscular.

Ramon Dino: história, títulos e Arnold Classic Ohio
Divulgação/Ramon Dino

Como o Ramon Dino começou no Fisiculturismo?

Ele praticava calistenia em uma praça pública próximo da onde morava, um desses dias, enquanto fazia exercícios próprios da modalidade, foi abordado por um profissional de educação física que viu seu potencial. Nesse caso, o personal em questão veio a ser o seu primeiro Coach no fisiculturismo.

A paixão pelo esporte era grande, Ramon ja comentou, em vídeos, que chegou a vender fio de cobre descascado para conseguir dinheiro e ir à Lan house acompanhar os atletas de destaque, até para ter referências no esporte e conseguir ter uma noção para o seu primeiro show.

Em entrevistas, Ramon revelou que chegou a andar 6 km por dia para pegar uma refeição, já que se voltasse de ônibus para casa não teria dinheiro o suficiente para lidar com as despesas da dieta.

Nesse momento delicado, Ramon Dino conheceu Rodrigo, um dos moradores do bairro onde morava. Rodrigo foi um dos primeiros a acreditar no sonho do jovem e começou a fornecer refeições gratuitamente para o futuro fenômeno da Classic Physique.

Ramon Dino natural
Divulgação/Ramon Dino

Ele ainda conta que ficou mais difícil quando ficou desempregado e perdeu também o patrocínio das marmitas. Mas, mesmo com tudo dando errado, ele não perdeu a fé e a garra em continuar lutando pelo sonho de se tornar um atleta profissional de fisiculturismo.

Ramon Dino natural no seu primeiro show

Ramon Dino natural
Reprodução/ramondinopro

Em dezembro de 2016, Ramon Dino estreou nos palcos competindo como Junior em um show local. Logo na estreia, o então promissor atleta já conquistou um título.

Meses depois, em abril de 2017, Ramon Queiroz subiu novamente nos palcos em mais um evento regional. Dessa vez, repetindo o feito do primeiro campeonato, mais um título foi adicionado para a conta do jovem fisiculturista.

Ramon Dino
Reprodução/Apolo Motivação

Vale dizer que em ambas competições o Ramon subiu na categoria Men's Physique, já que na época ele mal pensava em se tornar um Classic de sucesso. Contudo, devido ao seu tamanho muscular, indicaram que o jovem parasse de competir na categoria de bermudas e fosse para a Bodybuilder.

Assim, em sequência ele realizou algumas competições atuando como Bodybuilder.

Ramon Dino
Reprodução/Apolo Motivação

Mesmo conquistando alguns títulos por onde competia, Ramon sentia que algo ainda estava incompleto. Na época, ele já tinha uma parceria com a empresa Dragon Pharma, porém o jovem ainda passava por dificuldades financeiras no dia a dia.

Sendo assim, pessoas mais próximas aconselharam a competir em um grande show numa cidade com mais visibilidade. Dessa maneira, Ramon Queiroz partiu para São Paulo tentar conquistar o seu cartão profissional.

A competição no Mr. Olympia Brasil e o Pro Card

Em 2018, Dino participou do Olympia Brasil, um dos eventos mais importantes do cenário brasileiro. Como ele não possuía mídia, Ramon chegou sem ninguém o conhecer ou citar seu nome em alguma preleção dos campeões.

Entretanto, o promissor acriano chegou com o melhor físico do show e, além de campeão na sua categoria, foi campeão Overall. Sendo assim, Ramon Dino conquistou o tão sonhado Pro Card. Com o cartão profissional em mãos, ele se tornou um membro da IFBB Pro League e teve concebida a chance de disputar os melhores eventos do mundo.

Ramon Dino: história, títulos e Arnold Classic Ohio
Primeira entrevista do Dino após ser overall do Olympia amador 2018. Divulgação/Miguel Chain

O hiato sem competições

De fato, se tornar um atleta profissional é algo a ser comemorado. Entretanto, Ramon passou dois anos sem competir justamente por conta do Pro Card.

Em suma, logo após conquistar o Olympia Brasil ele voltou para sua cidade natal, onde não há shows profissionais. Ou seja, somando este fato com a falta de dinheiro para viajar para fora do Brasil ou outros estados, Ramon Dino passou quase três anos sem competir.

Porém, pouco antes da pandemia, o influenciador Tiago Toguro ficou sabendo de um atleta com uma das melhores genéticas do mundo. E foi assim que Ramon ganhou fama no Brasil inteiro.

Ramon Dino na Mansão Maromba

Quando uma foto do seu shape chegou até o Toguro, o famoso influenciador o convidou para passar uma temporada na Mansão maromba em São Paulo, prontamente aceito pelo Dino.

Em São Paulo ele conseguiu patrocínios, fez amizades com importantes nomes do cenário do fisiculturismo, como Horse, Renato Cariani, Guilherme Gnomo, etc.

Na Mansão maromba ele também conheceu Vitória Viana, mais conhecida como Vit, que também era moradora da Mansão e tempos depois virou esposa do Ramon e mãe dos seus dois filhos.

Ramon Dino: história, títulos e Arnold Classic Ohio
Ramon segurando seu primeiro filho, Ravi, junto à sua esposa, Vit. Reprodução/Giba Jr.

A derrota com gosto de vitória na estreia do Pro

Com o auxílio do Toguro, Ramon conheceu nomes importantes para sua carreira. Um deles, Renato Cariani, é considerado pai do Dino justamente por ser um mentor para o atleta.

Cariani concedeu ao fisiculturista o patrocínio da Max Titanium, onde permanece até os dias atuais, e maior visibilidade na mídia do bodybuilding.

Dessa maneira, em agosto de 2021 Ramon competiu no Europa Pro daquele ano. Essa foi a primeira vez que o Dino subiu em um show profissional. Para os brasileiros, ele era o amplo favorito, porém, Fabian Mayr, da Áustria, conseguiu superar o estreante da noite.

Entretanto, nem tudo foi negativo para Ramon Dino na disputa do Europa Pro 2021. É raro acontecer, mas naquela edição deste campeonato os dois primeiros colocados receberiam a vaga para o Olympia. Assim, mesmo terminando com a 2° posição, o brasileiro estava classificado para o show mais importante do mundo.

Mr. Olympia 2021 – Ramon Dino apareceu para o mundo

Foi naquela edição do Mr. Olympia que, o até então desconhecido mundialmente, Ramon Dino se revelou para o mundo. Nenhum portal de notícias mundial dava ao brasileiro uma chance de figurar entre os melhores. Ainda mais considerando sua vice-colocação no Europa Pro.

Porém, para a surpresa de muitos, um tal de Ramon Rocha Queiroz subia no palco do Olympia com uma estrutura familiar. De fato, a primeira vista, o físico do brasileiro se assemelha com o do canadense Chris Bumstead, que naquele dia iria conquistar seu 3° título de Mr. Olympia.

Quando Dino subiu no palco, os brasileiros presentes na plateia foram ao êxtase. No caso, o êxtase foi ainda maior quando o atleta foi chamado para batalhar na primeira chamada, ao lado do Cbum, Terrence Ruffin, Breon Ansley e Urs Kalicinski.

Ao fim do show, Ramon Dino conquistou a 5° colocação que, de fato, não foi chateação para ninguém, muito menos para os fãs brasileiros que puderam ver pela primeira vez um atleta da Classic Physique entrar em conflito com os melhores.

categoria Claissic Physique
Top 4 do Mr. Olympia 2021 Classic Physique. Reprodução/PhotoByCaz

Entretanto, a vida aguardava muitas outras experiências positivas para o estreante no Mr. Olympia 2021.

Expo Super Show 2021 – A primeira vitória como profissional

Ramon Dino
Reprodução/ Integral TV

Pouco mais de um mês depois do Mr. Olympia 2021 aconteceu a disputa profissional do Expo Super Show, no Rio de Janeiro. Em resumo, Ramon Dino escolheu competir neste evento, pois ele precisava garantir sua vaga para o Olympia 2022, além disso, era a chance da sensação brasileira subir em um campeonato no Brasil e sentir a força do público verde e amarelo.

Com certeza, em termos de grandiosidade, aquela edição do Expo Super Show chamou a atenção não só pelo fato do Ramon estar presente, mas sim, pois outro brasileiro conseguiu confrontar frente a frente com o então top 5 do mundo, Gabriel Zancanelli.

A batalha entre os dois ícones brasileiros da categoria dos físicos clássicos ficou marcada na história do Brasil graças ao apoio da torcida. De fato, muitos fãs que estiveram presentes relataram que o clima estava igual ao de Copa do Mundo.

Ramon Dino
Reprodução/Giba Jr.

Porém, dali só sairia um vencedor. Dando sequência as expectativas, Ramon Dino conquistava ali sua primeira vitória como atleta profissional. De quebra, ele já conseguiu sua vaga para o Olympia 2022, podendo focar o restante do ano para o show principal.

Entretanto, tranquilidade não é uma palavra comum no vocábulário de um fisiculturista profissional. Mesmo classificado, Ramon decidiu que iria competir no Arnold Classic Ohio, o segundo show de fisiculturismo mais importante do mundo.

Arnold Classic Ohio 2022 – A derrota duvidosa

Depois de competir no Europa Pro, no Olympia 2021 e no Expo Super Show, Ramon ainda estava a fim de buscar desafios. Foi assim que o brasileiro aceitou o convite para participar do Arnold Classic Ohio 2022, onde enfrentaria nomes já conhecidos, como Terrence Ruffin, Urs Kalecinski e Breon Ansley.

Se tratando do top 5 do Olympia de 2021, apenas Chris Bumstead não iria competir no Arnold. Ou seja, Ramon, que ficou em 5° no show, era colocado no top 4 no Arnold segundo as expectativas. Porém, para a alegria dos brasileiros, o Dinossauro do Acre “chegou chegando” na cidade de Columbus e estremeceu o palco do evento.

Ao subir no show, ficou óbvio a discrepância do shape do Ramon comparado ao do Urs e do Ansley. Assim, faltava apenas a batalha pelo título contra Terrence Ruffin.

Depois de muitos rounds de julgamento, infelizmente, o americano se sagrou campeão da disputa do Arnold Classic Ohio 2022. Contudo, grande parte da mídia ficou em dúvida sobre o resultado.

Poses da categoria Classic Physique - Conheça quais são
Reprodução/W.Wittmann

Em termos de físico, Ramon Dino e Ruffin possuem estruturas diferentes, quantidades de massa diferente e até mesmo maneiras de posar diferentes (vale pontuar que Ruff já foi considerado diversas vezes o melhor posador do mundo).

Sobre a quantidade de massa, era inegável que o brasileiro estava melhor. Porém, de fato, a estrutura do Terrence, com proporções e simetrias ideias, deu o título para o americano.

Ramon Dino e Terrence Ruffin
Reprodução/ Bailey

Por outro lado, foi a partir daqui que defitivamente o Ramon Dino ganhou destaque internacionalmente e foi idealizado como um dos três melhores do mundo, ainda ficando atrás do Terrence Ruffin e do Chris Bumstead.

Mr. Olympia 2022 – Ramon Dino x Cbum: a briga pelo topo

Prévias Classic Physique Olympia 2022 - Ramon surpreende
Reprodução/W.Wittmann

Depois de quase dez meses sem competir, Ramon voltou aos palcos em dezembro de 2022 para disputar o Mr. Olympia daquele ano. No caso, todos já sabiam: o brasileiro iria brigar para ficar entre os melhores.

Quando foi vice-campeão do Arnold 2022 desbancando Urs Kalicinski e Breon Ansley, Ramon já foi colocado no top 3 mundial junto ao Terrence e ao Chris. Assim, bastava subir no Olympia daquela temporada para decidir quem seria o campeão.

Antes de mais nada, já é possível adiantar que Terrence subiu no palco com um shape que não fazia parte do seu histórico. Logo de primeira, o atleta já foi jogado para a segunda chamada, onde terminou no top 6.

Assim, o caminho para a disputa do título do Mr. Olympia 2022 ficou evidente: Ramon Dino contra Chris Bumstead.

Pode-se tirar todos os outros fisiculturistas que participaram desta batalha, afinal, a briga entre Ramon e Cbum foi histórica para o esporte. Desde que vem colecionando títulos no topo da categoria, essa foi a primeira vez que alguém chegou perto de destronar o canadense.

A disputa foi árdua, o brasileiro conseguiu se destacar em alguns pontos. Entretanto, analisando de maneira fria, muitos críticos do esporte consideram que Bumstead venceu de maneira que não restou dúvidas. O atual quatro vezes campeão conseguiu desbancar Ramon em todas as poses. Porém, como já dito, foi a primeira vez que ele sentiu que seu título estava sendo ameaçado.

Com a 2° posição no Mr. Olympia 2022, o mundo inteiro afirmou: Ramon Dino é um dos melhores fisiculturistas da era atual do bodybuilding.

Arnold Classic Ohio 2023 – A história foi feita

Quase quatro meses após ser o top 2 do mundo, Ramon Dino participou do Arnold Classic Ohio 2023. Em suma, antes mesmo do dia do show todos já davam o brasileiro como amplo favorito e a expectativa estava certa.

Em março de 2023, Ramon Dino se isolou na posição de 2° melhor do mundo quando venceu a edição do Arnold Ohio sobre o alemão Urs Kalicinski. O título, o primeiro do Ramon fora do Brasil, serviu para que ele fosse colocado com um dos maiores representantes da Classic Physique no cenário atual.

A melhora nas poses

Até Ramon Dino subir no palco do Arnold Classic Ohio 2023 e conseguir vencer o show, algumas pessoas, tanto do Brasil quanto do exterior, criticavam o jovem constantemente por conta de suas poses.

Até mesmo na edição de 2022 do Olympia, quando ficou em 2° lugar, o atleta foi massacrado por alguns erros cometidos na hora de mostrar seu físico. Um desses, por exemplo, foi na duplo bíceps de costas, que Ramon não conseguia encaixar a pose e ficava mexendo seus braços, atrapalhando assim a visualização do seu físico.

Entretanto, após apenas quatro meses, Dino demonstrou que se empenhou e conseguiu apresentar melhoras significativas em todas suas poses durante os confrontos realizados no Arnold Classic Ohio 2023. Assim, não restaram dúvidas, mesmo que Urs Kalicinski seja um dos melhores posadores da categoria, Ramon conseguiu apresentar um físico que jamais tinha sido visto pelo mundo do bodybuilding.

Mr. Olympia 2023: a rivalidade com Cbum

Renato Cariani e Júlio Balestrin chegam ao veredito sobre Cbum x Ramon no Mr. Olympia 2023.
Reprodução: Moriau

A rivalidade entre Chris Bumstead e Ramon Dino no Mr. Olympia 2023 foi um espetáculo assistido por fãs de fisiculturismo ao redor do mundo.

Chris, como o principal atleta, estava acostumado a dominar o palco, mas Ramon estava determinado a desafiar essa hegemonia.

Ramon Dino surpreendeu a todos com um físico incrível combinado com uma presença de palco que fez com que ele se destacasse. Enquanto Chris exibia sua imponência digna de um campeão, Ramon trazia uma estética moderna e inovadora.

O palco transformou-se em um verdadeiro campo de batalha com dois atletas no auge, onde ambos lutavam pelo título.

No final, Ramon Dino acabou ficando com o top 2. Porém, com um físico digno de ser batido e muitos fãs chegaram a cogitar sea derrota para Cbum não foi injusta.

A dúvida dos fãs após uma inesperada derrota

O ano de 2024 não começou muito bem para Ramon Dino. Depois de uma ótima performance no Olympia 2023, o brasileiro decidiu se arriscar e subir no palco do Arnold Classic Ohio 2024.

"SONHO VIRANDO REALIDADE!" O discurso emocionante de Wesley Vissers após vencer Ramon Dino no Arnold Classic Ohio 2024

Infelizmente, contrariando todas as expectativas, Ramon perdeu o título do show para o holândes Wesley Vissers e viu seu trono ser retirado.

Depois do show, o nome de Dino começou a circular em páginas de fisiculturismo comentando se seria esse o pontapé para um possível declínio de carreira.

Porém, o maior fisiculturista brasilerio até então pareceu não se abalar e, logo após o Arnold, comentou que iria começar, com 32 semanas de antecedência, sua preparação para o Olympia 2024.

Ramon Dino

Ramon Dino deixou claro: seu objetivo agora será destronar Chris Bumstead no show mais importante do mundo e fará tudo o possível para isso acontecer.

Títulos do Ramon Dino

Mesmo com pouco tempo disputando shows profissionais, o Dino do Acre ganhou colocações muito expressivas em campeonatos de grande expressão.

Dito isso, confira todos os títulos conquistados por Ramon Dino abaixo:

  • Campeonato regional 2016 Men's Physique – Top 1;
  • Campeonato regional 2017 Men's Physique – Top 1;
  • Mr. Olympia Brasil 2018 – Top 1 e Overall (Pro Card);
  • Europa Pro 2021 – Top 2 (vaga para o Mr. Olympia 2021);
  • Mr. Olympia 2021 – Top 5;
  • Muscle Contest Brasil 2021 – Top1 (vaga Mr. Olympia 2022);
  • Arnold Classic Ohio 2022 – Top 2;
  • Mr. Olympia 2022 – Top 2 (vaga automática para o Olympia 2023);
  • Arnold Classic Ohio 2023 – Top 1;
  • Mr. Olympia 2023 – Top 2;
  • Arnold Classic Ohio 2024 – Top 2.