Descubra quem reina no tênis feminino, com o atualizado ranking da WTA! A cada semana, a Associação de Tênis Feminino (WTA) revisa sua lista, revelando as líderes no cenário mundial do tênis.

Não apenas um indicador da melhor jogadora do momento, o ranking da WTA serve como base para determinar as cabeças de chave em prestigiados Grand Slams e em outros torneios do circuito. Aprofunde-se no entendimento do funcionamento desse sistema classificatório essencial para o universo do tênis feminino. Entenda melhor como funciona o ranking da WTA.

As 20 melhores colocadas do Ranking da WTA

  1. Iga Swiatek – 9,880
  2. Aryna Sabalenka – 8,905
  3. Elena Rybakina – 6,918
  4. Coco Gauff – 6,660
  5. Jessica Pegula – 6,065
  6. Ons Jabeur – 4,076
  7. Marketa Vondrousova – 3,996
  8. Maria Sakkari – 3,770
  9. Karolina Muchova – 3,590
  10. Jelena Ostapenko – 3,328
  11. Barbora Krejcikova – 2,891
  12. Bia Haddad Maia – 2,830
  13. Daria Kasatkina – 2,778
  14. Liudmila Samsonova – 2,760
  15. Qinwen Zheng – 2,720
  16. Madison Keys – 2,608
  17. Veronika Kudermetova – 2,555
  18. Petra Kvitova – 2,535
  19. Caroline Garcia – 2,330
  20. Ekaterina Alexandrova – 2,215

O que é o ranking da WTA?

A WTA (Women's Tennis Association) é a associação responsável por gerir as principais competições de tênis feminino no mundo. Sendo assim, para saber quais são as melhores jogadoras do momento, as tenistas são posicionadas no ranking da WTA de acordo com os seus resultados.

Assim, a tenista que figurar na primeira colocação do ranking da WTA pode ser considerada a melhor jogadora da atualidade. É com base no ranking da WTA que também são definidas as tenistas que serão cabeças de chave nos torneios do circuito mundial de tênis feminino.

Nos torneios da WTA, as participantes são definidos da seguinte forma:

  • 32 tenistas, 24 inscritas são definidos de acordo com o ranking de 42 dias (6 semanas) antes da competição;
  • 64 tenistas, 50 participantes são selecionados de acordo com o ranking da WTA;
  • 128 participantes, como nos quatro Grand Slams, 104 tenistas são definidas seguindo o ranking.

Para a definição de cabeças de chave, a WTA utiliza como referência o ranking divulgado na segunda-feira anterior ao início do campeonato.

Nos torneios da WTA, o número de cabeças de chave é:

  • 8 cabeças de chave em torneios de 32 participantes;
  • 16 cabeças de chave em torneios de 64 participantes;
  • 32 cabeças de chave para torneios de 96 participantes;
  • 32 cabeças de chave para os quatro Grand Slams: Australian OpenRoland-GarrosWimbledon e US Open.

Como funciona o ranking da WTA?

O ranking da WTA funciona de forma parecida ao ranking da ATP. Porém, há diferenças em algumas pontuações e alguns dos torneios.

Além disso, para a definição das posições do ranking da WTA, são considerados os resultados dos 16 torneios mais importantes disputados pelas tenistas ao longo do último ano (52 semanas).

Obrigatoriamente, entre os 16 torneios, devem ser considerados os quatro Grand Slams da temporada e mais outros quatro torneios WTA 1000 Mandatory, os obrigatórios. Além disso, contarão os outros oito melhores resultados em torneios WTA 1000 no-Mandatory, os não obrigatórios, WTA 500, WTA 250 e WTA 125.

Para a temporada 2020, em função da pandemia de Covid-19, a WTA aplicou novas regras no ranking feminino e passou a considerar os 16 melhores resultados das tenistas entre março de 2019 e dezembro de 2020.

Torneio Campeão Vice Semifinal Quartas Oitavas R32 R64 R128 Qualifying
Grand Slam 2.000 1.300 780 430 240 130 70 10 40
WTA 1000 Mandatory 1.000 650 390 215 120 65 35 10 30
WTA 1000 no-Mandatory 900 585 350 190 105 60 1 30
WTA 500 470 305 185 100 55 30 1 25
WTA 250 280 180 110 60 30 16 1 12
WTA 125  160 95 57 29 15 8 1 4

Quantos pontos vale o WTA Finals?

Ao fim de cada temporada, as oito melhores tenistas ainda disputam o WTA FinalsSe uma tenista for campeã invicta, ele receberá 1.500 pontos no ranking da WTA. Ou seja, menos que um Grand Slam, mas mais que qualquer outro torneio do circuito.

Mas essa pontuação é apenas se o título for de forma invicta, já que cada jogo disputado vale 125 pontos e cada vitória, mais 125 na fase de grupos. Sendo assim, as tenistas ganham os seguintes pontos em suas campanhas no Finals: 1500 para a campeã, 1080 para a vice e 750 para as semifinais (se não houver derrota na fase de grupo).

Se você não entendeu porque falamos de grupos na fase inicial, é válido lembrar que o WTA Finals não é jogado no formato eliminatório como os demais torneios do circuito. Os oito tenistas são divididos em dois grupos de quatro jogadoras, jogando entre si. As duas melhores de cada chave avançam para as semifinais.

Quem liderou o ranking da WTA por mais tempo?

O ranking da WTA passou a vigorar em 3 de novembro de 1975. Desde então, a tenista que mais vezes esteve no topo do ranking foi a alemã Steffi Graf, com 377 semanas.

Na lista de recordista do ranking da WTA, logo abaixo de Steffi Graf está a estadunidense Martina Navratilova, com 332 semanas como a número 1 do mundo. Recém-aposentada, Serena Williams já liderou o ranking da WTA por 319 semanas.

Ranking da WTA: classificação atual e como funciona
A alemã Steffi Graf é a tenista com mais semanas no topo do ranking da WTA em toda a história

Lista de tenistas que já lideraram o ranking da WTA

  1. Steffi Graf (Alemanha) – 377 semanas
  2. Martina Navratilova (Estados Unidos) – 332 semanas
  3. Serena Williams (Estados Unidos) – 319 semanas
  4. Chris Evert (Estados Unidos) – 260 semanas
  5. Martina Hingis (Suíça) – 209 semanas
  6. Monica Seles (Estados Unidos) – 178 semanas
  7. Ashleigh Barty (Austrália) – 121 semanas
  8. Justine Henin (Bélgica) – 117 semanas
  9. Lindsay Davenport (Estados Unidos) – 98 semanas
  10. Iga Swiatek (Polônia) – 82 semanas (atual e somando)
  11. Caroline Wozniacki (Dinamarca) – 71 semanas
  12. Simona Halep (Romênia) – 64 semanas
  13. Victoria Azarenka (Belarus) – 51 semanas
  14. Amélie Mauresmo (França) – 39 semanas
  15. Angelique Kerber (Alemanha) – 34 semanas
  16. Dinara Safina (Rússia) – 26 semanas
  17. Naomi Osaka (Japão) – 25 semanas
  18. Tracy Austin (Estados Unidos) – 21 semanas
  19. Maria Sharapova (Rússia) – 21 semanas
  20. Kim Clijsters (Bélgica) – 20 semanas
  21. Jelena Jankovic (Sérvia) – 18 semanas
  22. Jennifer Capriati (Estados Unidos) – 17 semanas
  23. Arantxa Sánchez (Espanha) – 12 semanas
  24. Ana Ivanovic (Sérvia) – 12 semanas
  25. Venus Williams (Estados Unidos) – 11 semanas
  26. Karolina Pliskova (República Tcheca) – 8 semanas
  27. Aryna Sabalenka (Bielorrússia) – 8 semanas
  28. Garbiñe Muguruza (Espanha) – 4 semanas
  29. Evonne Goolagong (Austrália) – 2 semanas

Em toda a história do ranking da WTA, iniciada em novembro de 1975, 29 tenistas já chegaram à condição de número 1 do mundo.

A romena Simona Halep encerrou as temporadas de 2017 e 2018 como a número 1 do mundo. Em 2019 e 2020, a australiana Ashleigh Barty foi quem finalizou o ano no topo do ranking da WTA.

É válido ressaltar que as tenistas dessa lista com o nome em negrito ainda estão em atividade e podem ampliar o número de semanas como número 1 do mundo. Desde 2017, 8 diferentes tenistas estiveram na liderança do ranking da WTA.