Em 2022, trechos de uma entrevista concedida por Nelson Piquet feita em novembro de 2021 ressurgiram nas redes sociais. Nesta conversa, o tricampeão munidal (1981, 1983 e 1987), tece comentários racistas e homofóbicos em relação a Lewis Hamilton, heptacampeão da categoria (2006, 2014, 2015, 2017, 2018, 2019 e 2020), a quem chamou de “neguinho”.

Os comentários do brasileiro viralizaram na internet e pilotos, equipes, jornalistas e fãs responderam com repúdio à atitude do tricampeão. Depois da repercussão, o piloto do Brasil se retratou em nota.

Me desculpo com todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um grande piloto, mas a tradução em algumas mídias e que agora circula nas redes sociais não é correta“.

Nelson Piquet (à direita), em corrida de Fórmula 1 em 2018. Foto : Hoch Zwei / Icon Sport
Nelson Piquet (à direita), em corrida de Fórmula 1 em 2018. Foto : Hoch Zwei / Icon Sport

Nesta sexta-feira (24), a Justiça do Distrito Federal condenou, em primeira instância, o ex-piloto brasileiro de Fórmula 1 a pagar R$ 5 milhões em danos morais pelos comentários racistas e homofóbicos. A decisão é do juiz Pedro Matos de Arruda, da 20ª Vara Cível de Brasília.

Relembre o caso Piquet x Hamilton

Um trecho da entrevista que Piquet concedeu ao jornalista Ricardo Oliveira, explodiu nas redes sociais. O motivo? O brasileiro contou sobre o acidente envolvendo Lewis Hamilton e Max Verstappen durante o Grande Prêmio de Silverstone, em 2021.

O “neguinho' meteu o carro e não deixou (Verstappen sair). O “neguinho” deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro carro se f*. Fez uma p* sacanagem – disse Nelson Piquet.

Após o ato de racismo, o piloto inglês comentou nas redes sociais e condenou o uso de termo pelo colega de profissão.

É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Fui cercado por essas atitudes e virei alvo disso ao longo de toda minha vida. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação“.

Em seguida, o ex-piloto foi questionado sobre o que pensava sobre a temporada de 1982, que teve Keke Rosberg como campeão.

O Keke (Rosberg) era um bosta, não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele (Nico Rosberg, campeão em 2016). Ganhou o campeonato […] O “neguinho” devia estar dando mais c* naquela época, aí estava meio ruim” – declarou.

Foto Destaque: Divulgação