No Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAP+, Douglas Souza, campeão olímpico, compartilha algumas experiências que teve envolvendo o preconceito e a homofobia no vôlei em entrevista ao Portal GE.

No esporte, é fato que promover a inclusão e diversidade é um dos objetivos fundamentais para o jogo limpo. Por outro lado, infelizmente, essas premissas ainda estão longe de serem realizadas, tanto dentro quanto fora do ambiente de alto rendimento.

Douglas Souza, um atleta que sempre foi aberto sobre sua orientação sexual, tem utilizado sua voz para lutar contra o preconceito dentro do esporte e aproveitou o dia do Orgulho, 28 de junho, para falar mais exclusivamente sobre o assunto.

O viado do time! Douglas Souza fala a verdade sobre preconceito e homofobia no vôlei

Douglas Souza abre o jogo sobre homofobia

Em uma entrevista, ele falou sobre sua vulnerabilidade, a decisão de não voltar para a seleção brasileira, e as dificuldades que enfrentou em sua carreira, incluindo episódios de depressão e ansiedade.

Não é que eu era superaceito, que todo mundo adorava o ‘viado' no time, não, mas eu me fazia ser, porque iam precisar de mim, na minha cabeça era isso. Sempre deixei isso muito claro, porque eu sabia que, se ficasse entre o Douglas e o heterozinho padrão, iam ficar com o heterozinho padrão.

Com isso, da para entender que, apesar de não ser sempre aceito por todos, ele conseguia se fazer necessário na equipe por causa de seu desempenho. De fato, Douglas Souza sabia que, se a escolha fosse entre ele e um jogador heterossexual, a preferência seria pelo heterossexual.

Então eu sempre tentei o meu máximo para que o time precisasse de mim, que precisasse do Douglas para ganhar jogos, para ganhar campeonatos. Eu meio que forçava, ‘vai me aceitar, sim'.

Douglas Souza também falou sobre sua carreira

Primeiro campeão olímpico assumidamente gay do vôlei masculino brasileiro, Douglas Souza aproveitou para falar que está focado na próxima temporada e em defender o Cruzeiro.

Quando foi anunciado como reforço do Cruzeiro, alguns torcedores criticaram sua chegada nas redes sociais.

Em resposta, o Cruzeiro publicou um manifesto pedindo respeito. Douglas lamentou que, em pleno 2024, ainda tem que falar sobre sexualidade no esporte.

É meio exaustivo todo santo ano ter que ficar falando sobre sexualidade dentro do esporte, mas infelizmente é uma coisa que a gente tem que falar. (Estamos em) 2024 e a gente ainda está falando sobre isso, ‘Ah, o Douglas é homossexual', tá, mas e daí?

O viado do time! Douglas Souza fala a verdade sobre preconceito e homofobia no vôlei

O jogador encerrou suas falas alegando que, independente de sua sexualidade, a cobrança terá que ser a mesma sobre a sua performance dentro de quadra. Assim, mostra que o esporte ainda há muito o que evoluir, principalmente alguns torcedores, sobre o assunto sexualidade.

O Douglas vai ser cobrado do mesmo jeito, sendo homossexual, sendo heterossexual, sendo o que for, ele vai ser cobrado se não tiver 50, 60, 70% de ataque em um jogo.

O viado do time! Douglas Souza fala a verdade sobre preconceito e homofobia no vôlei

Veja também: Em clima tenso, Thaisa fala a verdade sobre as Olimpíadas: “Será na força do ódio!”