A velocista norte-americana Tori Bowie, de 32 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (3). A causa da morte da atleta, que foi ouro nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, não foi revelada. A informação foi anunciada pela Icon Management, agência que cuidava da carreira da atleta.

Estamos devastados em compartilhar a triste notícia de que Tori Bowie faleceu. Perdemos uma cliente, querida amiga, filha e irmã. Tori era uma campeã… um farol de luz que brilhava tanto! Estamos verdadeiramente com o coração partido e nossas orações estão com a família e amigos” diz o comunicado.

Medalhista de ouro no Rio 2016 morre aos 32 anos
Icon Sport

Tori se destacou especialmente nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, quando ganhou a medalha de ouro no revezamento 4x100m, que também contava com Tianna Bartoletta, Allyson Felix, English Gardner e Morolake Akinosun, que correu as eliminatórias. Além disso, ela também dividiu o pódio com as jamaicanas Elaine Thompson-Herah e Shelly-Ann-Fraser-Price, para ficar com a prata nos 100m. Além de levar o bronze nos 200m, ficando atrás de Elaine Thompson-Herah e da neerlandesa Dafne Schippers.

Medalhista de ouro no Rio 2016 morre aos 32 anos
Icon Sport

Carreira

Tori Bowie cresceu na região rural do Mississippi e despontou primeiro nas provas de salto em distância dos torneios universitários dos Estados Unidos. Em 2014 fez a transição para as provas de velocidade, onde foi muito bem logo cedo. Já no ano seguinte conquistou sua primeira medalha em Mundiais, um bronze nos 100m rasos.

Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, Brasil, em 2016, foi prata nos 100m rasos, bronze nos 200m rasos e liderou o time americano ao ouro no revezamento 4×100 rasos. Teve seu ápice em 2017, quando foi campeã mundial dos 100m rasos e do revezamento 4x100m rasos. Tori Bowie não competia desde junho de 2022. Ela também não participou das competições que garantiriam vagas para as Olimpíadas em Tóquio-2020.