Antes de tudo, o talibã é um grupo radical islâmico que retomou o poder sobre o Afeganistão. Com isso, diversas mulheres que conseguiram direitos nos últimos anos estão correndo risco. Bem como, outros ramos as atletas também estão sofrendo e com medo do grupo.

Sendo assim, duas ex-atletas da seleção afegã de vôlei relatam o terror imposto pelo grupo terrorista no país e como isso vem afetando o esporte. Nesse ínterim, Zahra Fayazi, técnica e ex-jogadora do Afeganistão, fez um triste relato para a BBC. Ao passo que, Fayazi contou que uma atleta foi morta e outras estão escondidas esperando para fugir.

O que disse Zahra Fayazi sobre os atentados do Talibã?

Nós não queremos que isso aconteça com outras de nossas jogadoras. Elas, inclusive, precisaram queimar seus equipamentos esportivos para salvarem a si próprias e suas famílias. Eles (Talibã) não querem que elas tenham qualquer coisa relacionada ao esporte. Elas estão assustadas. Muitas das nossas jogadoras de províncias foram ameaçadas por parentes que fazem parte do Talibã e por seguidores do Talibã. O Talibã disse às famílias das nossas jogadoras para que não as deixem praticar esportes ou sofrerão com a violência.

Em contrapartida, a treinadora hoje se encontra em Londres, pois conseguiu fugir. Nesse sentido, revelou ter fugido para um país vizinho logo depois de ter sofrido um esfaqueamento em Cabul (capital do Afeganistão).

Do mesmo modo que Fayazi contou a triste realidade triste das atletas, também contou sobre a jogadora assassinada. Em suma, a treinadora disparou:

Ela era apenas uma jogadora e não fez nada a ninguém para ser atacada. Nós todas estamos chocadas com o que aconteceu. Não conseguimos acreditar. Talvez a gente perca outras amigas.

Como resultado, da fala de Zahra Fayazi a realidade das atletas afegãs não só de vôlei mas como em todos os esportes. Ao passo que, todas as atletas estão sendo brutalmente perseguidas.

Foto destaque: Reprodução/BBC

Salvar