Um dos esportes mais populares e acompanhados pelos brasileiros é o vôlei. Tanto no feminino como no masculino, a Seleção sempre reserva bons momentos para o Brasil. No entanto, os atletas sofrem com lesões e até doenças ao longo da carreira. Nesta quinta-feira (11), a jogadora Paula Borgo, 29 anos, perdeu a batalha contra o câncer no estômago, no qual travava desde 2022.

Mãe divulga a morte da filha nas redes sociais

O tumor foi diagnosticado durante os exames médicos realizados na pré-temporada da equipe em 2022. Com isso, ela foi afastada das quadras para realizar o tratamento contra a doença. Assim, depois de alguns meses no combate contra o câncer, sua mãe divulgou nesta quinta-feira (11), a morte da sua filha.

Luto no Vôlei! Atleta não resiste a luta contra o câncer
Reprodução/ Instagram

Entenda a doença de Paula Borgo

A oposto era o novo reforço do time do Barueri, do técnico José Roberto Guimarães, para a Superliga Feminina 2022/23. Mas durante exames acabou descobrindo o câncer no estômago. Durante a pré-temporada foi diagnosticada com a doença e recebeu apoio do clube e dos fãs.

Gostaria de dizer às pessoas que me acompanham para ficarem calmas. Estou bem e tomando o melhor tratamento possível. Peço a todos que orem por mim, para que tudo fique bem“, disse a oposta nas redes sociais.

Em novembro de 2022, Ana Paula Borgo revelou que foi descartada pelo Barueri. O contrato dela foi rescindido 15 dias depois do diagnóstico e a atleta afirmou, na época, que não recebia apoio do clube e da CBV.

Saiba mais sobre a carreira no Vôlei

Ana Paula Borgo começou nas categorias de base de alguns clubes de São Paulo. Assim, jogou em alguns times do estado, também teve uma passagem pelo Fluminense. Além disso, teve duas experiencias fora do país, na Turquia e Itália, no Kale 1957 SporVolei Bérgamo, respectivamente. Esse foi o seu último clube, já que quando chegou no Barueri logo foi diagnosticada com o câncer.

A oposto ainda teve momentos na Seleção, o principal foi na conquista da medalha de prata na Liga das Nações, em 2019, quando ajudou o time a chegar neste lugar no torneio.