A abordagem de Carlos Alcaraz no tênis revela uma versatilidade notável, destacando-se principalmente por uma estratégia agressiva na linha de base. Confira a história do jovem espanhol que é destaque de sua geração.

História de Carlos Alcaraz

Divulgação
Divulgação

Carlos Alcaraz Garfia, é um tenista profissional espanhol. Ele já alcançou a posição de número 1 do mundo no ranking de simples masculino pela Associação de Tenistas Profissionais (ATP).

Ao longo de sua carreira, Alcaraz conquistou doze títulos individuais no ATP Tour, incluindo vitórias notáveis no US Open de 2022 e no Campeonato de Wimbledon de 2023, além de quatro títulos Masters 1000.

Sua vitória no US Open em 2022 fez dele o homem mais jovem e o primeiro adolescente na Era Aberta a liderar o ranking de simples, aos 19 anos, 4 meses e 6 dias.

Na categoria júnior, Alcaraz chegou ao 22º lugar do mundo e conquistou dois títulos no Circuito Júnior da ITF. Desde que se tornou profissional em 2018, acumulou três títulos no Circuito Mundial de Tênis da ITF e mais quatro no ATP Challenger Tour, alcançando o top 100 em maio de 2021.

Em seguida, venceu o Croatia Open, um torneio ATP 250, e atingiu o top 50 após chegar às quartas de final do US Open. Carlos Alcaraz encerrou o ano de 2019 vencendo as finais Next Generation ATP em Milão. Seu sucesso continuou em 2022, com vitórias notáveis no Rio Open, Miami Open e Barcelona Open, impulsionando-o para o top 10.

Em setembro de 2022, ele derrotou Casper Ruud na final do US Open, conquistando seu primeiro título em torneios principais. Em maio de 2023, recebeu o prêmio Laureus World Breakthrough of the Year, e em julho de 2023, venceu Wimbledon ao derrotar Novak Djokovic na final, conquistando seu segundo título em torneios principais.

Início

Divulgação
Divulgação

Nascido em 5 de maio de 2003, em El Palmar, Murcia, Espanha, Carlos Alcaraz Garfia é filho de Carlos Alcaraz González e Virginia Garfia Escandón, e tem três irmãos.

Aos quatro anos, Carlos Alcaraz iniciou sua jornada no tênis no Real Sociedad Club de Campo de Murcia, onde seu pai ocupava o cargo de diretor da academia de tênis.

Seu pai, um ex-jogador profissional, deixou o esporte devido a restrições financeiras. Em 2018, a família mudou-se para Villena, onde Carlos começou a treinar na Equelite JC Ferrero Sport Academy, sob a direção de Juan Carlos Ferrero.

Uma nova promessa

Divulgação
Divulgação

Aos 17 anos, Carlos Alcaraz fez sua estreia no Aberto da Austrália de 2021, tornando-se o mais jovem participante na categoria masculina de simples. Sua performance incluiu uma vitória sobre Botic van de Zandschulp, mas uma batalha na segunda rodada contra Mikael Ymer, onde foi derrotado.

No Aberto de Madri, Alcaraz deixou sua marca ao se tornar o vencedor mais da história do torneio, derrotando Adrian Mannarino como convidado e quebrando o recorde estabelecido por Rafael Nadal em 2004. Enfrentando Nadal no dia de seu 18º aniversário, Carlos Alcaraz não conseguiu superar o cinco vezes campeão.

Posteriormente, ao vencer o Challenger Open de Oeiras III de 2021, ele entrou no top 100 aos 18 anos em 24 de maio de 2021, tornando-se o mais jovem a alcançar essa posição.

No Aberto da França, Carlos Alcaraz avançou para a terceira rodada, alcançando esse estágio em Grand Slam pela primeira vez, ao derrotar Nikoloz Basilashvili. Em julho de 2021, chegou à sua primeira final da ATP no Aberto da Croácia Umag, vencendo o favorito Albert Ramos Viñolas.

Em seguida, conquistou seu primeiro título da ATP ao derrotar Richard Gasquet, tornando-se o campeão mais jovem desde Kei Nishikori em 2008 e o espanhol mais jovem a vencer um título da ATP desde Nadal em 2004.

Em Wimbledon, enfrentou Daniil Medvedev na segunda rodada, sendo derrotado.

No Aberto dos Estados Unidos, Carlos Alcaraz alcançou a quarta rodada ao derrotar Stefanos Tsitsipas em um emocionante tiebreak no quinto set, tornando-se o homem mais jovem a alcançar tal estágio desde 1992. Nas quartas de final, venceu Peter Gojowczyk antes de ser forçado a se retirar contra Félix Auger-Aliassime devido a uma lesão na perna.

No Erste Bank Open, derrotou Matteo Berrettini, número 7 do mundo, tornando-se o mais jovem a entrar no top 35 em 1º de novembro.

No Next Gen ATP Finals, Carlos Alcaraz teve uma impressionante fase de grupos, derrotando Brandon Nakashima, Juan Manuel Cerúndolo e Holger Rune. Nas fases eliminatórias, venceu Sebastian Baez na semifinal e Sebastian Korda na final para conquistar o título.

Evolução meteórica

Divulgação
Divulgação

A trajetória como cabeça-de-chave de Carlos Alcaraz no Grand Slam começou no Aberto da Austrália, onde, posicionado como No. 31, alcançou a terceira rodada, protagonizando uma batalha de cinco sets contra Matteo Berrettini.

No Rio Open, classificado como o sétimo cabeça-de-chave, Alcaraz fez história ao conquistar seu primeiro título ATP 500, derrotando Diego Schwartzman na final. Esse feito o catapultou para o top 20 do ranking de simples em 21 de fevereiro de 2022.

No Miami Open, encabeçando como o 14º cabeça-de-chave, Carlos Alcaraz escreveu seu nome na história ao vencer Casper Ruud na final, conquistando seu primeiro título de Masters 1000. Ele se tornou o campeão mais jovem na história desse torneio e o terceiro mais jovem vencedor de um título de Masters 1000 na ATP.

O Masters de Monte Carlo trouxe um revés, eliminando Alcaraz na segunda rodada contra Sebastian Korda. Contudo, no Aberto de Barcelona, ele surpreendeu ao superar Stefanos Tsitsipas nas quartas de final, alcançando pela primeira vez o top 10 do ranking em 25 de abril.

Essa conquista o tornou o 20º adolescente a entrar no top 10 desde 1973, sendo o mais jovem desde Rafael Nadal também em 25 de abril de 2005. Em seguida, Carlos Alcaraz derrotou Pablo Carreño Busta na final, conquistando mais um troféu.

No Madrid Open, um dia após completar 19 anos, Alcaraz surpreendeu ao derrotar Rafael Nadal nas quartas de final e Novak Djokovic nas semifinais, tornando-se o jogador mais jovem a vencer uma partida contra o número 1 do mundo desde 2004.

Na final, conquistou seu segundo título de Masters 1000 ao derrotar Alexander Zverev, tornando-se o campeão mais jovem na história do torneio. Essa sequência levou Carlos Alcaraz ao seu melhor ranking, o número 6 do mundo em 9 de maio de 2022.

No Aberto de Hamburgo, chegou à final, resultando em um novo recorde pessoal de número 5 do mundo em 25 de julho de 2022. Tornou-se o jogador mais jovem a entrar no top 5 desde Nadal em 2005.

Na final, porém, foi derrotado por Lorenzo Musetti, experimentando a primeira derrota em uma final de torneio em sua carreira. No Aberto da Croácia, alcançou sua segunda final consecutiva, impulsionando-se para o número 4 do mundo em 1º de agosto.

No Aberto dos Estados Unidos de 2022, Carlos Alcaraz, agora cabeça-de-chave número 3, fez história ao se tornar o mais jovem número 1 do mundo aos 19 anos, 4 meses e 6 dias, quebrando o recorde de Lleyton Hewitt.

Esse feito veio após vencer Frances Tiafoe na final, onde ambos os jogadores disputavam a liderança do ranking, tornando-se o primeiro adolescente a liderar o ranking masculino desde Pete Sampras em 1990.

Duelo épico contra Novak Djokovic

Divulgação
Divulgação

Em 7 de janeiro, Carlos Alcaraz anunciou sua retirada do Aberto da Austrália devido a uma lesão na coxa, resultante de um contratempo nos treinos. Após o torneio, perdeu a posição de número 1 do mundo para o campeão Novak Djokovic, segurando essa classificação por 20 semanas.

No Indian Wells Open, alcançou sua centésima vitória na carreira ao derrotar o 31º cabeça-de-chave Tallon Griekspoor na quarta rodada, tornando-se o segundo jogador mais rápido a atingir essa marca, superando até mesmo o Big 3, sendo apenas superado por John McEnroe.

Após atingir as semifinais, Alcaraz superou o décimo primeiro cabeça-de-chave Jannik Sinner em sets diretos, consolidando uma aguardada vitória. Na final, venceu o quinto cabeça-de-chave Daniil Medvedev, conquistando assim seu oitavo título na carreira e terceiro título de Masters 1000.

Carlos Alcaraz se tornou o primeiro jogador a vencer o torneio sem perder um set desde Roger Federer em 2017. Além disso, se tornou o nono homem mais jovem a vencer as duas etapas do Sunshine Double, recuperando a posição de número 1 do mundo em 20 de março de 2023.

No Aberto da França de 2023, Carlos Alcaraz avançou para as semifinais. Em uma partida muito aguardada, foi superado por Novak Djokovic em quatro sets, enfrentando cãibras no início do terceiro set.

Em 2023, Carlos Alcaraz deixou sua marca na história ao conquistar o título de Wimbledon. No Queen's Club Championships, ele garantiu seu primeiro troféu na grama, em apenas seu terceiro torneio desse tipo na carreira, ao superar Alex de Minaur na final. Essa vitória em Londres o impulsionou de volta para o posto de número 1 do mundo no ranking.

Na jornada para a final do Wimbledon Championships de 2023, como cabeça de chave número 1, Alcaraz triunfou sobre adversários como Jérémy Chardy, Alexandre Müller, Nicolas Jarry, Matteo Berrettini, Holger Rune e Daniil Medvedev.

O ápice desse percurso foi a monumental vitória em cinco sets sobre Novak Djokovic, encerrando a busca de Djokovic pelo quinto título consecutivo e garantindo a liderança no ranking.

Com esse feito, Carlos Alcaraz tornou-se o segundo jogador, após Andy Murray, a derrotar Djokovic em uma final de Wimbledon. Além disso, ele quebrou o domínio do “Big 4” ao se tornar o primeiro jogador fora desse grupo a vencer Wimbledon desde Lleyton Hewitt em 2002.

Posteriormente, Carlos Alcaraz encontrou Djokovic novamente, desta vez na final de Cincinnati, numa revanche pela final de Wimbledon. Apesar de vencer o primeiro set, estar em vantagem de 4-2 no segundo set e ter um ponto de campeonato no tiebreak, Alcaraz acabou perdendo em três sets. Essa final do Masters ATP em três sets foi a mais longa da história do torneio, com uma duração de 3 horas e 49 minutos.

No US Open de 2023, onde Alcaraz buscava defender seu título de Grand Slam, chegou às semifinais tendo perdido apenas um set. Contudo, enfrentou o campeão de 2021, Daniil Medvedev, e foi derrotado em quatro sets.

Após esse torneio, Alcaraz desceu para a segunda posição no ranking, uma vez que Djokovic não estava defendendo pontos. Encerrando a temporada 2023, Carlos Alcaraz participou do ATP Finals em Turim.

Estilo de jogo

Divulgação
Divulgação

Seu foco primordial está em conquistar um expressivo número de winners por meio de seu forehand, considerado seu golpe mais confiável e poderoso.

Destaca-se sua habilidade em atingir o forehand de forma plana e veloz, gerando winners de qualquer ponto da quadra. Adicionalmente, ele pode aplicar um considerável topspin, proporcionando uma margem maior sobre a rede.

O backhand de Alcaraz apresenta equilíbrio, sendo mais plano e com menor folga sobre a rede. Essa característica permite redirecionar o backhand na linha para conquistar winners precisos. O drop shot, habilmente camuflado, desempenha um papel crucial em sua estratégia.

Ao combinar frequentemente a potência de seus golpes para forçar os oponentes a recuar defensivamente, Alcaraz utiliza o drop shot de maneira precisa e dissimulada, dificultando a resposta adversária. Seu desempenho na rede é excelentes com deixadinhas e voleios, e ele demonstra habilidade no saque e voleio em momentos cruciais.

Títulos

Divulgação
Divulgação
  • Novato do Ano ATP 2020
  • Jogador do Ano ATP 2022
  • Jogador Mais Aprimorado ATP 2022
  • Revelação do Ano no Laureus World 2023

Melhor posicionamento no ranking ATP:

  • Alcançou o 1º lugar pela primeira vez em 12 de setembro de 2022

Melhor desempenho em Grand Slams – Simples:

Você ama outros esportes? Aqui no Esportelândia também falamos sobre: