Na noite de quarta-feira (29), a Riot Games fez seu pronunciamento sobre o caso de homofobia ocorrido durante uma live de League of Legends no dia 28. O streamer PazPeaceful, cujo nome real é Matheus Paz, ofendeu Gabriel Minerva, também streamer e ex-pro player de LoL, com diversos termos homofóbicos, quando notou sua provável derrota. 

Em comunicado rápido, a Riot Games comentou que não tolera nenhuma atitude preconceituosa. Além disso, afirmou que providenciaria as medidas cabíveis. Como consequência, PazPeaceful recebeu 14 dias de ban do MOBA. 

“Em relação ao acontecimento ocorrido hoje, a Riot Games não tolera qualquer tipo de comportamento preconceituoso e tomaremos medidas disciplinares cabíveis conforme prevêm os Termos de Serviços dos nossos jogos. Agradecemos aos feedbacks da comunidade no caso”.

 

Insatisfação pela Comunidade de LoL

Em suma, a decisão final da Riot Games não agradou boa parte da comunidade. Logo que se revoltou com a punição amena dada ao streamer.

Hoje, o League of Legends, recebe cerca de 11,5 milhões de jogadores mensais e 4,2 milhões de jogadores diários. Mas, as reclamações acerca das punições da Riot são frequentes, pois são comuns casos de racismo, homofobia e machismo dentro do jogo, nos quais a empresa trata de forma branda os responsáveis.  

Vale lembrar que a mesma punição é dada em casos de ociosidade em jogo, o famoso “afk”. Bem como, também em situações de queda de energia e/ou internet, que acarretam a saída do jogo.

Enquanto isso, até o presente momento, a plataforma de streaming Twitch, utilizada pelo streamer PazPeaceful, não se pronunciou sobre o ocorrido. 

Foto Destaque: Divulgação/https://twitter.com/RiotGamesBrasil/status/1443339485832491009

Salvar