Michael Jordan e mais 9: veja quem são os 10 maiores jogadores do Chicago Bulls em todos os tempos e suas estatísticas na franquia

Se alguém perguntar quem é o maior jogador do Chicago Bulls em todos os tempos, não há dúvidas que a resposta será Michael Jordan. Mas quais outros grandes jogadores fizeram história pela franquia?

Decidimos relembrar os maiores jogadores da história do Chicago Bulls e chegamos ao top 10. Como não poderia deixar de ser, a lista conta com companheiros de

Jordan nos seis títulos da NBA. Porém, você encontrará também estrelas que defenderam a franquia antes e depois da chegada do maior de todos os tempos.

Acabe com qualquer curiosidade e veja quem são os 10 maiores da história dos Bulls!

Maiores jogadores do Chicago Bulls em todos os tempos

  1. Michael Jordan
  2. Scottie Pippen
  3. Jerry Sloan
  4. Bob Love
  5. Derrick Rose
  6. Artis Gilmore
  7. Chet Walker
  8. Norm Van Lier
  9. Dennis Rodman
  10. Toni Kukoc

Toni Kukoc (10º lugar)

Toni Kukoc melhores estrangeiros da NBA
Toni Kukoc foi tricampeão da NBA com o Chicago Bulls
  • Período no Chicago Bulls: 1993 a 2000
  • Estatísticas nos Bulls: 14,7 pontos por jogo; 4,3 assistências; 4,9 rebotes

Se você teve a oportunidade de assistir à série Arremesso Final, pôde ver como a chegada de Toni Kukoc ao Chicago Bulls não foi tranquila. A forma como o dirigente Jerry Krause enalteceu a contratação do croata despertou ciúmes de Michael Jordan e Scottie Pippen.

Kukoc havia sido eleito o melhor jogador do Mundial de Basquete de 1990 e do Campeonato Europeu de 1991. Nos Bulls, ele conseguiu driblar as desconfianças e ser peça importante para a conquista do tricampeonato entre 1996 e 1998.

Em 1996, o croata foi eleito o 6º homem da NBA e, depois de defender também 76ers, Hawks e Bucks, é considerado um dos melhores estrangeiros que já jogaram na liga norte-americana.

Dennis Rodman (9º lugar)

dennis rodman
Rodman foi parceiro de Jordan e Pippen no segundo tricampeonato da franquia
  • Período no Chicago Bulls: 1995 a 1998
  • Estatísticas nos Bulls: 5,2 pontos por jogo e 15,3 rebotes por partida

A espinha dorsal da dinastia Chicago Bulls nos anos 90 definitivamente não teria sido a mesma sem a presença de Dennis Rodman. Junto a Michael Jordan e Scottie Pippen, o ala-pivô conduziu a franquia de Illinois ao seu segundo tricampeonato da NBA.

Rodman era necessário por um aspecto técnico em específico: rebotes. Sua média de pontos não era alta, mas o atleta compensava as limitações técnicas debaixo do garrafão. The Worm, como foi apelidado, liderou as médias do quesito durante sete temporadas seguidas na NBA, inclusive as três em que jogou pelos Bulls.

A importância defensiva de Rodman era tão grande para o time que o técnico Phil Jackson e Michael Jordan aceitavam seus atos de indisciplina, com direito a longas viagens para Las Vegas, onde festejava por dias consecutivos no meio da temporada.

Norm Van Lier (8º lugar)

  • Período no Chicago Bulls: 1971 a 1978
  • Estatísticas nos Bulls: 12,2 pontos por jogo; 6,8 assistências e 4,6 rebotes

Se Dennis Rodman era um fenômeno na defesa, Norm Van Lier não fica atrás. Durante sua passagem pelos Bulls na década de 1970, ele esteve três vezes no time ideal de defensores da NBA e por cinco vezes no “second team” de defesa da liga.

Van Lier disputou cinco playoffs pelos Bulls e participou de três edições do All-Star Game da NBA.

Chet Walker (7º lugar)

  • Período no Chicago Bulls: 1969 a 1975
  • Estatísticas nos Bulls: 48,3% em arremessos de quadra/ 20,5 pontos por jogo, 6,1 rebotes

Chet Walker chegou aos Bulls depois de já ter sido campeão pelo Philadelphia 76ers. Em seis temporadas em Chicago, ele nunca teve médias inferiores a 19 pontos e 5 rebotes por jogo.

Junto com Jerry Sloan, Bob Love e Norm Van Lier, Chet Walker ajudou o Chicago Bulls a ter um time competitivo na primeira metade da década de 1970, com participações em playoffs em todas as temporadas em que ele defendeu a franquia.

Vá além do Basquete! Confira também:

Artis Gilmore (6º lugar)

  • Período no Chicago Bulls: 1976 a 1982 e 1987 a 1988
  • Estatísticas nos Bulls: 60,3% de aproveitamento em arremessos de quadra; 20,4 pontos por jogo e 11,2 rebotes

A história conta que o Chicago Bulls era um mero coadjuvante na NBA antes da chegada de Michael Jordan. Porém, houve quem se destacasse pela franquia bem antes do GOAT ser draftado.

Artis Gilmore foi um dos grandes pivôs da NBA logo depois da fusão com a ABA. Membro do Hall da Fama desde 2011, ele esteve em seis edições do All-Star Game e no time de melhores defensores da liga em 1978.

Derrick Rose (5º lugar)

Derrick Rose Chicago Bulls
Derrick Rose foi o MVP da NBA em 2011 e conduziu os Bulls à final de conferência
  • Período no Chicago Bulls: 2008 a 2016
  • Estatísticas nos Bulls: 19,7 pontos; 6,2 assistências e 3,7 rebotes

Depois da era Michael Jordan, o mais perto que o Chicago Bulls ficou de reviver seus tempos de glórias foi quando Derrick Rose esteve no seu auge.

Rose foi o MVP da NBA em 2011 e liderou os Bulls até a final de conferência daquele ano. A equipe acabou derrotada pelo Miami Heat, de LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh.

Selecionado na primeira escolha do draft de 2008 pelo Chicago Bulls, Derrick Rose foi eleito o novato do ano e ainda participou de três edições do All-Star Game. As lesões, entretanto, prejudicaram o decorrer de sua carreira.

Depois dos Bulls, Rose já defendeu New York Knicks, Cleveland Cavaliers, Minnesota Timberwolves e Detroit Pistons.

Bob Love (4º lugar)

Bob Love Chicago Bulls
Bob Love teve sua camisa 10 aposentada pelo Chicago Bulls
  • Período no Chicago Bulls: 1968 a 1976
  • Estatísticas nos Bulls: 19,4 pontos por jogo; 6,3 rebotes e 1,6 assistências

A camisa 10 de Bob Love foi a segunda a ser aposentada pelo Chicago Bulls.

Bob Love defendeu a franquia entre 1968 e 1976. Nesse período, chegou a duas finais de conferência e esteve nas duas primeiras edições do All-Star Game da NBA.

Com alta média de pontos, o ala-pivô ainda se destacava na defesa. Por duas vezes, foi eleito para o time de melhores defensores da NBA.

Jerry Sloan (3º lugar)

Jerry Sloan
Jerry Sloan foi o primeiro jogador da história do Chicago Bulls a ter a camisa aposentada
  • Período no Chicago Bulls: 1966 a 1976
  • Estatísticas nos Bulls: 14,7 pontos por jogo; 7,7 rebotes e 2,2 roubos

Jerry Sloan defendeu o Chicago Bulls como jogador entre 1966 e 1976 e ajudou o time a chegar a duas finais de conferência. Ele ainda foi técnico da franquia entre 1979 e 1982.

A camisa 4 utilizada por Jerry Sloan foi a primeira a ser aposentada na história do Chicago Bulls. Com ele, a franquia teve oito participações consecutivas em playoffs.

Curiosamente, Jerry Sloan foi técnico do Utah Jazz entre 1988 e 2011 e enfrentou os Bulls nas finais da NBA de 1997 e 1998.

Scottie Pippen (2º lugar)

Scottie Pippen
Scottie Pippen ganhou 6 títulos da NBA pelo Chicago Bulls e teve a camisa 33 aposentada
  • Período no Chicago Bulls: 1987 a 1998 e 2003 a 2004
  • Estatísticas no Bulls: 18 pontos por jogo; 6,8 rebotes e 2,1 roubos

Scottie Pippen foi o principal parceiro em quadra de Michael Jordan. Assim como o camisa 23, foi hexacampeão da NBA pelo Chicago Bulls.

Ele participou de 7 edições do All-Star Game, foi eleito o MVP do Jogo das Estrelas de 1994 e esteve oito vezes no time ideal de defensores na NBA.

No período em que Jordan fez uma pausa em sua carreira, em 1994/1995, o ala liderou as estatísticas do Chicago Bulls em pontos, assistências, rebotes, tocos e roubos de bola. Até então, ele foi apenas o segundo da história da NBA a conseguir tal feito numa franquia.

Pippen teve sua camisa 33 aposentada pelos Bulls. Na NBA, ele defendeu também Houston Rockets e Portland Trail Blazers.

Pela seleção dos Estados Unidos, Scottie Pippen fez parte do Dream Team dos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.

Michael Jordan (1º lugar)

michael jordan
Michael Jordan é o maior jogador de basquete da história
  • Período no Chicago Bulls: 1984 a 1993 e 1995 a 1998
  • Estatísticas pelos Bulls: 31,5 pontos por jogo; 5,4 assistências e 6,3 rebotes

O maior jogador da história do Chicago Bulls é também o maior jogador da história do basquete. Michael Jordan foi o principal líder da franquia nos 6 títulos conquistados pelos Bulls na NBA. Em todas as 6 finais, o camisa 23 foi escolhido como Most Valuable Player (MVP).

Michael Jordan iniciou sua trajetória na NBA em 1984, quando foi selecionado pelo Chicago Bulls no draft. Curiosamente, ele foi apenas a terceira escolha. Antes do maior jogador de todos os tempos, Hakeem Olajuwon foi selecionado pelo Houston Rockets e Sam Bowie foi escolhido pelo Portland Trail Blazers.

Jordan permaneceu nos Bulls até o fim de 1993, quando decidiu jogar beisebol. A sua parada esteve relacionada à morte de seu pai, assassinado em julho daquele ano.

Ele retornou em 1995 e se aposentou novamente depois de ajudar os Bulls a conquistarem seu sexto título da NBA, em 1998.

Entre 2001 e 2003, Michael Jordan retornou à NBA para defender o Washington Wizards.

Nas 15 temporadas em que atuou na NBA, Jordan teve média de 30,1 pontos. Ele foi MVP da NBA em 5 temporadas, cestinha da liga 10 vezes, esteve em 14 edições do All-Star Game e foi o MVP do Jogo das Estrelas em três edições.

Seu número 23 foi aposentado pelo Chicago Bulls e também pelo Miami Heat, franquia que ele nunca defendeu.  

Atualmente, Michael Jordan é dono do Charlotte Hornets

Com o melhor da história da NBA, encerramos a lista dos maiores jogadores do Chicago Bulls em todos os tempos. Sentiu falta de alguém por aqui? Deixe sua opinião nos comentários!

E aproveita para alimentar sua paixão por basquete, com mais conteúdos sobre o esporte da bola laranja:

Comentários

Salvar
48 Compart.
Compartilhar48
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin