fbpx
Saiba tudo da carreira de Oscar Schmidt: as conquistas pela seleção brasileira, a homenagem na NBA e a entrada no hall da fama

Maior cestinha da história do basquete, membro do hall da fama e ídolo do esporte brasileiro. Todas essas características se referem a um único homem: Oscar Schmidt!

Betway Brazil Sports Banners

Com nome eternamente marcado na história do basquete, o Mão Santa acumulou conquistas e recordes ao longo de sua carreira. Muitos ainda se questionam por que ele não jogou na NBA.

Se você tem essa dúvida, não se preocupe. Nós vamos respondê-la!

Venha com a gente e conheça todos os detalhes da história de Oscar Schmidt!

Infográfico: títulos e recordes de Oscar SchmidtOscar Schmidt Infográfico

Quem é Oscar Schmidt?

Oscar Schmidt, apelidado de “Mão Santa” é reconhecido como o maior jogador da história do basquete brasileiro. Em uma carreira de mais de 30 anos, recheada de títulos e conquistas por clubes do Brasil, da Europa e também pela Seleção Brasileira, ele detém o recorde de maior cestinha do basquete em todos os tempos, com 49.737 pontos.

O ex-jogador de basquete e hoje palestrante nasceu em 16 de fevereiro de 1958, em Natal, capital do Rio Grande do Norte.

Embora tenha se destacado no basquete, os primeiros passos foram no futebol. Foi somente depois de ter se mudado para Brasília, que Oscar começou a arriscar as primeiras cestas. Aos 13 anos, ele iniciou sua trajetória no Clube Unidade Vizinhança.

Certo é que Oscar Schmidt, com 2,05m de altura, tinha motivos para buscar uma carreira esportiva no basquete.

amazon

Você ama outros esportes além do Basquete? Aqui na Esportelândia também falamos sobre:

Como Oscar Schmidt começou no basquete?

Depois de começar a jogar basquete no Clube Unidade Vizinhança, em Brasília, Oscar se mudou para São Paulo aos 16 anos de idade. Na capital paulista, em 1974, ele começou sua carreira infanto-juvenil defendendo o Palmeiras.

Ao se destacar no clube alviverde, Oscar foi convocado para a seleção brasileira juvenil de basquete e, em 1977, foi eleito o melhor pivô do Campeonato Sul-Americano juvenil. Assim, logo, foi convocado para defender a seleção principal.

O primeiro título de Oscar Schmidt pela Seleção Brasileira foi o Campeonato Sul-Americano, em 1978. Naquele mesmo ano, ele ajudou o time nacional a conquistar a medalha de bronze no Mundial disputado nas Filipinas.

Por quais times Oscar Schmidt jogou?

Depois de iniciar sua carreira como profissional no Palmeiras, Oscar foi levado pelo técnico Cláudio Mortari para jogar pelo Sírio. Foi no novo clube que ele foi campeão mundial interclubes em 1979, vencendo a Copa William Jones.

A passagem de Oscar pelo Sírio foi encerrada em 1982, quando ele foi jogar pelo América do Rio. Contudo, pouco tempo depois, ele recebeu convite para se transferir para o basquete italiano.

11 anos de Oscar na Itália

O responsável por levar Oscar para a Itália foi Bogdan Tanjevic, que havia sido derrotado pelo Sírio no Mundial interclubes. O treinador convidou o Mão Santa a defender o Juvecaserta.

Foram 11 temporadas de Oscar no basquete italiano, com 8 anos no Juvecaserta e outros 3 no Pavia.

Oscar Schmidt foi o primeiro jogador na história do Campeonato Italiano de basquete a superar a marca de 10 mil pontos.

Depois do sucesso na Itália, foi a vez de desfilar seu talento nas quadras espanholas.

Passagem de Oscar pela Espanha

Após disputar a Olimpíada de Barcelona, em 1992, Oscar se transferiu para o Valladolid, da Espanha.

No período em que atuou pelo clube espanhol, Oscar inspirou o escritor Felix Angel a escrever o livro “Jugar como Oscar”, ou Jogar como Oscar na tradução literal.

Retorno de Oscar ao Brasil

Em 1995, Oscar retornou ao Brasil, para defender o Corinthians. No time alvinegro, o Mão Santa voltou a ser campeão brasileiro.

Ele ainda jogou pelo Banco Bandeirantes, entre 1997 e 1998, e pelo Mackenzie, entre 1998 e 1999.

O último clube da carreira de Oscar Schmidt foi o Flamengo. Com a camisa do rubro-negro, ele se tornou o maior cestinha da história do basquete, com 49.737, superando Kareem Abdul-Jabbar, que havia anotado 46.725 pontos.

Em 2013, Oscar se aposentou.

Times que Oscar Schmidt jogou ao longo de sua carreira

  • Palmeiras – 2.033 pontos em 82 jogos
  • Sírio – 4.351 pontos em 146 johos
  • Juvecaserta (Itália) – 9.143 pontos em 284 jogos
  • Pavia (Itália) – 4.814 pontos em 119 jogos
  • Forum Valladolid (Espanha) – 2.009 pontos em 71 jogos
  • Corinthians – 4.270 pontos em 131 jogos
  • Bandeirantes – 3.570 pontos em 117 jogos
  • Mackenzie – 4.613 pontos em 120 jogos
  • Flamengo – 7.241 pontos em 219 jogos

Quais o título mais importante conquistado por Oscar Schmidt?

O maior título conquistado por Oscar Schmidt em sua carreira foi a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 1987, em Indianápolis. Sob a liderança do Mão Santa, a Seleção Brasileira impôs a primeira derrota da história da Seleção Norte-Americana de basquete em um jogo disputado nos Estados Unidos.

Na Market Square Arena, Indianápolis, os Estados Unidos contava com David Robinson, futuro membro do Dream Team.

Depois de abrirem 20 pontos de vantagem, os norte-americanos foram surpreendidos pela precisão de Oscar e Marcel nos arremessos de 3 pontos. No fim, em uma virada espetacular, o Brasil conquistou o título dos Jogos Pan-Americanos por 120 a 115.

Naquela final, Oscar marcou 46 pontos.

Oscar Schmidt na final do Pan-Americano de 1987 em Indianópolis

Além do título histórico do Pan-Americano de 1987, Oscar conquistou três Campeonatos Sul-Americanos pela Seleção Brasileira. Por clubes, foram diversos títulos no Brasil e na Europa.

Lista de todos os títulos de Oscar Schmidt como jogador profissional

  • 1 Pan-Americano (1987)
  • 4 Campeonatos Sul-Americanos
  • 3 Campeonatos Brasileiro
  • 4 Campeonatos Paulista
  • ​2 Campeonatos Cariocas
  • 1 Campeonato Mundial 
  • 1 Copa da Itália
  • 2 Campeonatos Italiano da Segunda Divisão (1983)

Veja abaixo em detalhes por quais equipes foram cada um desses títulos:

Seleção Brasileira

  • Jogos Pan-Americanos (1987)
  • 3 Campeonatos Sul-Americanos de Basquete (1977, 1983 e 1985)

Palmeiras​

  • 1 Campeonato Brasileiro (1977)
  • 2 Campeonatos Paulistanos (1975 e 1976)

Sírio​

  • 1 Campeonato Paulista (1979)
  • 1 Campeonato Brasileiro (1979)
  • 1 Campeonato Sul-americano (1979)
  • 1 Campeonato Mundial (1979)

Corinthians​

  • 1 Campeonato Brasileiro (1996)

​Mackenzie

  • ​1 Campeonato Paulista (1998)

Flamengo

  • ​2 Campeonatos Cariocas (1999 e 2002)

Juvecaserta Basket (Itália)

  • 1 Copa da Itália (1988)
  • 1 Campeonato Italiano da Segunda Divisão (1983)

Pallacanestro Pavia (Itália)

  • 1 Campeonato Italiano da Segunda Divisão (1991)

Vá além do mundo do Basquete! Confira também nossos outros conteúdos:

Principais recordes de Oscar Schmidt no basquete

A precisão nos arremessos rendeu a Oscar o apelido de Mão Santa e também uma série de recordes. O principal deles é ser o maior cestinha da história do basquete, com 49.737 pontos. Ele é também quem mais pontuou na história do basquete nas Olimpíadas.

Betway Brazil Sports Banners

Mas essa é apenas uma das várias marcas expressivas da carreira de Oscar Schmidt. Confira algumas delas a seguir:

  • Maior cestinha da história do basquete: 49.737 pontos
  • Maior cestinha da história do basquete em Olimpíadas: 1.093 pontos
  • Maior número de participações de um jogador de basquete em Olimpíadas: 5 (Moscou 1980, Los Angeles 1984, Seul 1988, Barcelona 1992 e Atlanta 1996) — recorde dividido com Teófilo Cruz, de Porto Rico, e Andrew Gaze, da Austrália
  • Maior cestinha em um jogo de basquete nas Olimpíadas: 55 pontos, contra a Espanha em Seul’1988
  • Cestinha em 3 edições do torneio masculino de basquete das Olimpíadas: Seul 1988, Barcelona 1992 e Atlanta 1996
  • Média de 42,3 pontos por jogo em Seul’1988
  • Jogador com mais cestas de três pontos, dois pontos e lances livres em Olimpíadas
  • Cestinha do Campeonato Brasileiro em 10 edições (1979, 1980, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002 e 2003)
  • Cestinha do Campeonato Italiano em 8 edições (1984, 1985, 1986, 1987, 1989, 1991, 1992 e 93)
  • Cestinha da Copa Europa em duas edições (1986 e 1988)
  • Maior cestinha da Seleção Brasileira, com 7.693 pontos em 326 jogos — 23,5 de média

Por que Oscar Schmidt não jogou na NBA?

Quem vê todos os recordes de Oscar ao longo da carreira deve se perguntar as razões para que ele nunca tenha jogado na NBA. A realidade é que ele chegou a ser draftado pelo New Jersey Nets na sexta rodada do draft de 1984.

Porém, Oscar recusou o draft e todos os demais convites para jogar na NBA por uma simples razão: quem jogava na liga profissional dos Estados Unidos não era autorizado a defender a seleção de seu país até 1989.

Assim, para não deixar jogar pelo Brasil, Oscar preferiu seguir grande parte de sua carreira no basquete europeu.

Participação de Oscar Schmidt no All Star Game da NBA

Embora não tenha jogado na NBA, Oscar foi homenageado pela liga. Em 2017, ele foi convidado para disputar o jogos das celebridades no fim de semana do All Star Game.

Em menos de 15 minutos em quadra, o Mão Santa marcou quatro pontos nos dois arremessos de dois que tentou, pegou dois rebotes e deu uma assistência.

Quando Oscar Schmidt entrou para o Hall da Fama do Basquete?

Em setembro de 2013, a sensacional trajetória de Oscar Schmidt no basquete foi eternizada, com a entrada do brasileiro para o Hall da Fama do basquete, em Springfield, em Massachusetts, nos Estados Unidos. Oscar recebeu sua premiação das mãos de Larry Bird, a quem homenageou em seu belo e emocionante discurso.

Quais membros da família de Oscar Schmidt se destacaram no esporte?

Oscar Schmidt disputou 5 Olimpíadas — um recorde no basquete —, mas, infelizmente não conseguiu conquistar uma medalha olímpica. A medalha que faltava à família Schmidt acabou vindo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Sobrinho de Oscar, Bruno levou o ouro na dupla formada com Alison no vôlei de praia. “Foi uma satisfação incrível. A medalha que eu nunca ganhei, ele ganhou para mim”, comentou na época o Mão Santa.

Já outro membro da família Schmidt até se arriscou no basquete. Filho de Oscar, Felipe chegou a ser companheiro do pai no Flamengo. Mas, sua maior conquista foi ser campeão estadual da Flórida pela Admiral Farragut Academy, quando atuava no High School.

Felipe desistiu da carreira de jogador de basquete para ser cineasta.

É válido lembrar ainda que o jornalista Tadeu Schmidt, que se destacou em coberturas esportivas, é irmão de Oscar.

Livro de Oscar Schmidt

Aos 13 anos de idade, Oscar Daniel Bezerra Schmidt começava sua trajetória no basquete. Aos 19, já integrava a seleção principal do Brasil. Em toda sua carreira, foi um dos maiores colecionadores de recordes do esporte mundial.

Oscar conquistou a admiração do povo brasileiro por seu brilho defendendo a seleção brasileira de basquete por 20 anos e entrou para o Hall da Fama do basquete.

O Livro “Oscar Schmidt: Conquistando o Sucesso” é um relato dessa trajetória na visão do próprio Mão Santa.

Para comprar o livro basta clicar nesse link. Garantimos que é inspiração pura!

Frases famosas de Oscar Schmidt

Não foi só com a bola laranja nas mãos que Oscar deixou marcas. O ex-jogador de basquete tem uma série de frases memoráveis, que destacamos a seguir.

  • “Vocês já viram muitos jogadores melhores que eu. Mas não vão ver nenhum que tenha treinado mais e que tenha tanta obstinação pelo basquete quanto eu”, disse Oscar ao anunciar sua aposentadoria em 2003.
  • “O impossível só vira realidade se você estiver bem preparado quando a chance aparecer”.
  • “Muita gente fala que vai vencer, mas a maioria não vence. Eu vou vencer. E, mesmo que eu não consiga, vou tentar de todos os modos”, disse Oscar, sobre o tratamento de um tumor no cérebro.
  • “Não existe talento sem treinamento”

Oscar Schmidt será sempre lembrado como um dos maiores esportistas da história do Brasil e um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos.

Quer conhecer a história de outros ídolos do esporte brasileiro? Confira então:

* Última atualização em 31/07/2019

Betway Brazil Sports Banners
Ficha Técnica
Título
Oscar Schmidt: história, títulos e recordes do Mão Santa
Resumo
Saiba tudo da carreira de Oscar Schmidt: as conquistas pela seleção brasileira, a homenagem na NBA e a entrada no hall da fama
Autor

Comentários

Salvar