fbpx
Conheça a história de Marcelinho Machado, ídolo do Flamengo no basquete. Veja também sua trajetória na seleção brasileira

Um dos maiores jogadores de basquete do Brasil nas últimas décadas, líder da Seleção Brasileira após a aposentadoria de Oscar Schmidt e ídolo da torcida do Flamengo, Marcelinho Machado encerrou sua carreira em 2018.

O ala-armador se despediu das quadras aos 43 anos, depois de construir uma das trajetórias mais brilhantes no basquete nacional. Foram 7 títulos brasileiros, sendo 5 do NBB.

Infelizmente, Marcelinho não se juntou à legião de brasileiros que jogaram na NBA. Mas isso não tira o seu nome da história do esporte brasileiro. 

Quer conhecer melhor como foi a história de Marcelinho Machado no basquete? Venha com a gente!

Infográfico: títulos e recordes de Marcelinho Machado

Infográfico de Marcelinho Machado

Quem é Marcelinho Machado?

Marcelo Magalhães Machado, conhecido como Marcelinho Machado, foi um dos melhores jogadores brasileiros de basquete nas últimas décadas e um dos líderes da Seleção Brasileira após a aposentadoria de Oscar Schmidt.

Nascido no Rio de Janeiro, em 12 de abril de 1975, Marcelinho Machado era ala-armador. Mesmo com 2 metros de altura, ele se destacava pela alta capacidade técnica e o ótimo aproveitamento em cestas de 3.

Marcelinho encerrou sua carreira no Flamengo, mas passou por diversos outros times do basquete brasileiro, além de ter jogado na Itália, na Espanha e na Lituânia.

Embora tenha tido convites para participar de períodos de treinamentos em algumas equipes da NBA, ele não chegou a jogar na liga norte-americana.

amazon

Você ama outros esportes além do Basquete? Aqui na Esportelândia também falamos sobre:

Quando e como Marcelinho Machado começou no basquete?

Marcelinho Machado encerrou sua carreira no Flamengo e foi no rubro-negro também onde ele começou como amador. De 1985 a 1989 Marcelinho fez parte da equipe juvenil do Flamengo. Depois desse longo período ele acabou indo para o Fluminense e lá ficou de 1989 a 1995. A estréia como profissional veio em 1995 pelo Tijuca. 

No Rio de Janeiro, o ala-armador passou ainda por Fluminense (dessa vez como profissional) e Botafogo. Marcelinho também defendeu o Corinthians do Rio Grande do Sul.

Na europa, Marcelinho defendeu o Rimini, na Itália, e o Cantabria, na Espanha. Em 2004, o ala-armador retornou ao Brasil para fazer parte do projeto da Telemar, que tinha Oscar como um dos dirigentes.

Com vitória sobre o Uberlândia na série final por 3 a 1, Marcelinho Machado ajudou o Telemar/Rio de Janeiro a ser campeão brasileiro.

Depois da passagem pelo Telemar, ele defendeu o próprio Uberlândia antes de retornar à Europa, para jogar pelo Zalgiris, na Lituânia.

Em 2007, Marcelinho Machado voltou em definitivo ao Brasil para, aos 33 anos, jogar pelo Flamengo. A passagem pelo Rubro-negro foi a mais marcante de sua carreira.

amazon

Em mais de 500 jogos pelo Flamengo, Marcelinho conquistou um Mundial Interclubes, uma Liga das Américas, uma Liga Sul-Americana, além de seis títulos nacionais e 10 cariocas.

O fim de sua carreira veio em maio de 2018, depois de o Flamengo ser eliminado pelo Mogi na semifinal do NBB.

Lista de todos os times Marcelinho Machado jogou

  • Tijuca: 1995 – 1997
  • Corinthians (RS): 1997 – 1998
  • Botafogo: 1998 – 2001
  • Fluminense: 2001 – 2002
  • Rimini Crabs (Itália): 2002 – 2003
  • Cantabria (Espanha): 2003 – 2004
  • Telemar: 2004 – 2005
  • Uberlândia: 2005 – 2006
  • Žalgiris Kaunas (Lituânia): 2006 – 2007
  • Flamengo: 2007 – 2018

Quais foram os títulos de Marcelinho Machado?

Marcelinho Machado encerrou a carreira em 2018 como um dos jogadores mais vitoriosos da história do basquete brasileiro. Além de títulos pela Seleção Brasileira, ele acumulou várias conquistas por clubes, especialmente o Flamengo.

Com a camisa do Brasil, Marcelinho foi tricampeão dos Jogos Pan-Americanos. Ele conquistou a medalha de ouro em Winnipeg, em 1999, em Santo Domingo, em 2003, e no Rio de Janeiro, em 2007.

Marcelinho Machado ainda ajudou a Seleção Brasileira a ser bicampeã sul-americana e bicampeã da Copa América. O ala-armador também defendeu o time nacional nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, ficando em quinto lugar, depois de ausências do time masculino do Brasil em Sydney-2000, Atenas-2004 e Pequim-2008.

Títulos por clubes

Marcelinho Machado foi heptacampeão brasileiro de basquete. O primeiro título veio com o Telemar/Rio de Janeiro, no antigo Campeonato Brasileiro de Basquete. Todos os outros 6 troféus foram pelo Flamengo.

Em 2007/2008, Marcelinho foi bicampeão do Campeonato Brasileiro de Basquete, já com a camisa do rubro-negro.

Já a partir da criação do NBB, o ala-armador ajudou o Flamengo a criar uma hegemonia no Novo Basquete Brasil.

O time de Marcelinho Machado venceu a primeira edição do NBB, em 2008/2009. Depois de três títulos consecutivos do Brasília, ele voltou a ser campeão nacional em 2012/2013, numa série de quatro conquistas consecutivas da liga nacional de basquete.

amazon

Além dos seis títulos nacionais, pelo Flamengo, Marcelinho ganhou um Mundial Interclubes, uma Liga das Américas, uma Liga Sul-Americana e 10 cariocas.

Lista de todos os títulos de Marcelinho Machado

  • Jogos Pan-americanos: 1999, 2003, 2007
  • Copa América: 2005, 2009
  • Campeonato Sul-Americano: 1999, 2003
  • Copa Tuto Marchand: 2007, 2009, 2011
  • Torneio Super Four: 2012
  • Super Desafio BRA: 2014
  • Campeonato Mundial Interclubes: 2014
  • FIBA Liga das Américas: 2014
  • Liga Sul-Americana: 2009
  • Campeonato Brasileiro: 2005 e  2008
  • NBB: 2009, 2013, 2014, 2015, 2016
  • Campeonato Carioca: 2004, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016
  • Troféu Flamengo 115 Anos: 2010
  • Troféu Gente Brasil: 2010
  • Liga Lituana: 2007
  • Copa da Lituânia: 2007
  • Campeonato Mineiro: 2005
  • Copa Joaquim de Oliveira: 2005
  • Torneio Internacional JK: 2004
  • Campeonato Nacional – Liga B: 1997

Veja abaixo em detalhes por quais equipes foram cada um desses títulos:

Seleção Brasileira

  • Jogos Pan-americanos: 1999, 2003, 2007
  • Copa América: 2005, 2009
  • Campeonato Sul-Americano: 1999, 2003
  • Copa Tuto Marchand: 2007, 2009, 2011
  • Torneio Super Four: 2012
  • Super Desafio BRA: 2014

Flamengo

  • Campeonato Mundial Interclubes: 2014
  • FIBA Liga das Américas: 2014
  • Liga Sul-Americana: 2009
  • Campeonato Brasileiro: 2008
  • NBB: 2009, 2013, 2014, 2015, 2016
  • Campeonato Carioca: 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016
  • Troféu Flamengo 115 Anos: 2010
  • Troféu Gente Brasil: 2010

Žalgiris Kaunas

  • Liga Lituana: 2007
  • Copa da Lituânia: 2007

Uberlândia

  • Campeonato Mineiro: 2005
  • Copa Joaquim de Oliveira: 2005

Telemar

  • Campeonato Brasileiro: 2005
  • Campeonato Carioca: 2004
  • Torneio Internacional JK: 2004

Tijuca

  • Campeonato Nacional – Liga B: 1997

Vá além do mundo do Basquete! Confira também nossos outros conteúdos:

Recordes de Marcelinho Machado no basquete

Além dos diversos títulos, ao longo de sua carreira, Marcelinho Machado acumulou algumas marcas expressivas, tanto pela Seleção Brasileira quanto por clubes:

  • Pentacampeão do NBB
  • Heptacampeão brasileiro
  • Decacampeão carioca
  • Recordista de pontos em um jogo do NBB: 63 pontos
  • Jogador que mais disputou o Campeonato Mundial de Basquete: 5 participações (1998/2002/2006/2010/2014, igualando a marca do porto-riquenho Jerome Mincy)
  • MVP da Copa América de 2005
  • MVP da Liga Sul-Americana de Basquete de 2009
  • MVP do NBB em 2009 e 2010
  • 5 participações no Jogo das Estrelas do NBB (2009 a 2012, 2014 e 2017)
  • MVP do Jogo das Estrelas do NBB de 2010
  • Campeão do torneio de 3 pontos do NBB em 2014 e 2015

Por que Marcelinho Machado não jogou na NBA?

Marcelinho Machado jogou na Itália, na Espanha, na Lituânia e acumulou várias conquistas no basquete brasileiro, mas não chegou a jogar na NBA. O ala-armador passou por períodos de treinamentos no Vancouver Grizzlies e no Chicago Bulls, em 2001, mas não permaneceu para a temporada regular.

Já em 2005, depois de ser eleito MVP da Copa América, Marcelinho Machado recebeu um convite para treinar no Cleveland Cavaliers, mas a negociação para defender a equipe que tinha Anderson Varejão e LeBron James não evoluiu.

Conhecido pelo bom aproveitamento de 3 pontos, Marcelinho acredita que poderia ter tido mais chances no estilo de jogo que predomina atualmente na NBA. “Hoje, com a chegada desta filosofia que a gente já viu o Brasil fazer em outras épocas, com Oscar e etc., o arremessador tem um peso maior na NBA. Mas não paro para pensar se eu teria mais chance ou não”, analisou.

“Acho que nas oportunidades que tive de ir para lá treinar, as coisas não caminharam. Bola para frente. Tenho muito orgulho de tudo que vivi na minha carreira. Gostaria de ter jogado lá por um, dois anos para sentir, testar meu potencial. Mas se não foi deste jeito, tudo bem, faz parte”, complementou Marcelinho.

amazon

Para azar dos fãs de basquete, nunca saberemos como seria o desempenho de Marcelinho Machado na melhor liga do mundo. Certamente, quem celebrou foi a torcida do Flamengo, que pôde contar com o talento do camisa 4 até os 43 anos.

Frases famosas de Marcelinho Machado

  • “Tenho certeza de que ajudei a escrever a história do basquete rubro-negro. Isso é um privilégio que tive na minha carreira”
  • “Quando era moleque, ainda nas categorias de base, lembro que eu, meu irmão (Ricardo) e o Peixoto (André Peixoto, filho do ex-jogador e técnico Peixotinho) ficávamos sonhando em um dia nos tornar jogadores profissionais e viver apenas do basquete. E hoje me vejo nessa condição”
  • “Outro motivo de orgulho é quando deixo o ginásio depois de um jogo e os torcedores me chamam de Marcezico! Isso não tem preço para quem é rubro-negro. Só de estar na mesma frase que o Zico já é motivo de orgulho máximo para qualquer atleta”

Quer conhecer a história de outros ídolos do esporte brasileiro? Confira então:

* Última atualização em 31/07/2019

amazon
Ficha Técnica
Título
Marcelinho Machado: história, títulos e recordes na carreira
Resumo
Conheça a história de Marcelinho Machado, ídolo do Flamengo no basquete. Veja também sua trajetória na seleção brasileira
Autor

Comentários

Salvar