Em suma, esporte no Japão é mais do que apenas saúde

Antes de mais nada, o esporte é um passatempo saudável no país nipônico. Além disso, serve para propagar o espírito esportivo, ajudar na formação de caráter, sempre a jogar limpo

Skate no Japão

O Ariake Urban Sports Park, em Tóquio, foi construído para as olimpíadas e contava com duas pistas, uma para a modalidade Park e outra para Street. Porém, uma peculiaridade chamou a atenção daqueles que estavam ali. Uma placa que proibia a prática de skateboard fora do circuito.

Desse modo, o após as três medalhas conquistadas na modalidade, os skatistas japoneses sonham com o fim da marginalização do esporte. A saber, o país oriental não é o único com restrições.

Nesse sentido,em uma cultura em que todos falam baixo em lugares públicos, descartam seus lixos apenas em casa, o barulho de uma rodinha pode ser ensurdecedor. Por esse motivo, a prática do esporte é reservada aos parques, que inclusive foi onde o medalista de ouro, Yuto Horigome, aprendeu as primeiras manobras.

Yuto Horigome na conferência pós competição. (Foto destaque: Reprodução/ Asahi Shimbun/ via Getty Images)

“A cena do skate agora será levada para várias pessoas. Gostaria de dizer o quão divertido é o skate e quão profunda é a sua cultura” diz Yuto.

Ao contrário do Brasil, Japão tem uma afinidade com os esportes, onde levam a sério o esporte, mas não apenas para a saúde. Juntamente com atividades físicas, é ensinado aos jovens o espírito esportivo, disciplina, caráter. Sendo assim, na vitória ou na derrota, os atletas são valorizados igualmente caso o esforço tenha sido máximo.

Por outro lado, a campeã Momiji Nishiya de apenas 13 anos também se posicionou, contudo de uma forma mais discreta já que é parte também da cultura respeitar as regras impostas e vivê-las.

“Esperamos ver muitos outros parques para andar de skate no Japão. Gostaria de ter um bom treino e com mais frequência”- disse Nishiya.

Investimento no esporte

Além da cultura que semeia a prática esportiva, empresas como a Ajinomoto que atua nas áreas de nutrição, farmacêutica, cosméticos e entre outras. Então, sendo uma multinacional, além de investir no próprio território, também se faz presente em território brasileiro. Logo, atletas como o ginasta Arthur Nory, o judoca Rafael Silva, a maratonista aquática, e medalista de ouro, Ana Marcela Cunha.

Sede da Ajinomoto em Tóquio, Japão. Foto em destaque: (Reprodução/ Ajinomoto.com)

Por fim, a empresa de alimentos investiu em um programa denominado “Projeto Vitória”, que tem como foco a melhoria do desempenho de atletas por meio de suplementos nutricionais e de aminoácidos.

Foto destaque: Patrick Smith/Getty Images