Em uma história repleta de superações, conquistas e uma rivalidade épica, a trajetória de Jerry West transcende o simples basquete para se tornar um ícone da determinação humana. Desde sua infância humilde em West Virginia até se tornar uma lenda nas quadras da NBA, West personifica a persistência e a busca pela grandeza.

Confira mais da vida e carreira deste gigante do esporte, cujo nome ecoa como sinônimo de excelência, tanto dentro quanto fora das quatro linhas. Jerry West, o homem que inspirou a logo da NBA!

Início da vida de Jerry West

Divulgação
Divulgação

Jerry West, também conhecido como “o Logo” devido à sua silhueta icônica que inspirou o logotipo da NBA, foi uma figura proeminente no basquete americano como jogador, técnico e executivo.

Jerry Alan West nasceu em Chelyan, West Virginia, em 28 de maio de 1938, em uma família pobre. Ele era o quinto de seis filhos e cresceu em um ambiente difícil, marcado pela violência doméstica de seu pai.

A morte de seu irmão mais velho na Guerra da Coreia teve um impacto profundo em West, levando-o a se tornar introvertido. Apesar de sua infância difícil, West encontrou refúgio no basquete, desenvolvendo suas habilidades incansavelmente.

Durante seu tempo na East Bank High School, West se destacou como um jogador de basquete excepcional, conquistando numerosas honras e levando sua equipe ao campeonato estadual. Sua dedicação ao esporte e sua habilidade inegável abriram portas para uma carreira universitária promissora.

Carreira universitária

Divulgação
Divulgação

Jerry West optou por frequentar a West Virginia University (WVU), onde continuou a impressionar como jogador de basquete. Em seus anos universitários, ele acumulou uma impressionante lista de realizações, incluindo várias convocações para a equipe All-American e liderança em pontos e rebotes. Sua habilidade excepcional o destacou como um dos melhores jogadores universitários de sua época.

Carreira profissional: Los Angeles Lakers (1960–1974)

Divulgação
Divulgação

Após uma carreira universitária brilhante, Jerry West ingressou no Minneapolis Lakers, que mais tarde se tornou o Los Angeles Lakers. Ao longo de sua carreira na NBA, West demonstrou uma habilidade extraordinária no basquete, ganhando reputação como um dos maiores jogadores da liga.

Seus anos nos Lakers foram marcados por várias aparições nas finais da NBA, embora ele tenha enfrentado desafios persistentes contra os Boston Celtics. Jerry West se destacou como um artilheiro excepcional, líder de equipe e jogador decisivo, ganhando o apelido de “Mr. Clutch” por sua capacidade de fazer arremessos importantes nos momentos cruciais do jogo.

Divulgação
Divulgação

Sua parceria com Wilt Chamberlain trouxe sucesso significativo aos Lakers, incluindo uma vitória histórica nas Finais da NBA de 1972. No entanto, apesar de suas muitas conquistas individuais e coletivas, West foi frustrado várias vezes nas finais, especialmente contra os Celtics.

Após uma carreira lendária, Jerry West se aposentou em 1974, encerrando um capítulo notável na história do basquete. Seu legado como um dos maiores jogadores da NBA e sua contribuição para o esporte continuam a ser lembrados até hoje.

Divulgação
Divulgação

 

Você ama esportes? Confira alguns que o Esportelândia cobre:

  1. Surf
  2. Fisiculturismo
  3. Automobilismo
  4. Artes marciais
  5. Atletismo
  6. Basquete
  7. Tênis
  8. Vôlei

Carreira como treinador

Los Angeles Lakers (1976–1979)

Divulgação
Divulgação

Jack Kent Cooke, proprietário dos Lakers, conhecido por identificar qualidades de liderança, convidou Jerry West para ser treinador e participar das decisões sobre jogadores. West assumiu como treinador dos Lakers na temporada 1976-77.

Em três anos, ele liderou os Lakers e a estrela Kareem Abdul-Jabbar a um recorde de 145 vitórias e 101 derrotas, qualificando-se para os playoffs em todas as três temporadas. Sob seu comando, a equipe chegou às finais da Conferência Oeste em 1977.

Essa fase marcou o início da carreira de Jerry West como técnico, onde ele demonstrou sua capacidade de transformar e liderar equipes com sucesso consistente.

Carreira como executivo: Los Angeles Lakers (1979–2000)

Divulgação
Divulgação

Após seu período como treinador, Jerry West trabalhou como olheiro por três anos e, em 1982, tornou-se gerente geral dos Lakers. Ele foi fundamental na construção da dinastia dos Lakers dos anos 80, conhecida como “Showtime”, que conquistou cinco campeonatos da NBA.

Jerry West desempenhou um papel crucial na montagem do elenco vencedor, incluindo estrelas como Magic Johnson, Kareem Abdul-Jabbar e James Worthy, sob a liderança do técnico Pat Riley.

Após um período de baixo desempenho no início dos anos 90, ele reformulou a equipe ao redor de Vlade Divac, Cedric Ceballos e Nick Van Exel, ganhando 48 jogos e alcançando as semifinais da Conferência Oeste.

Jerry West recebeu o prêmio de Executivo do Ano em 1995 e continuou a moldar os Lakers ao trazer Kobe Bryant, Shaquille O'Neal e o treinador Phil Jackson, lançando as bases para o tricampeonato dos Lakers entre 2000 e 2002.

Memphis Grizzlies (2002–2007)

Divulgação
Divulgação

Em 2002, Jerry West assumiu como gerente geral dos Memphis Grizzlies, motivado pelo desejo de construir uma franquia vencedora. Durante sua gestão, ele transformou a equipe, que estava à beira de ser vendida, em um time competitivo nos playoffs.

Fez poucas trocas, mas maximizou o potencial dos jogadores, incluindo Pau Gasol, James Posey e Jason Williams, além de contratar o técnico Hubie Brown, que foi eleito Treinador do Ano em 2004.

West ganhou seu segundo prêmio de Executivo do Ano nesse ano. Em 2007, aos 69 anos, ele se aposentou e passou as responsabilidades de gerenciamento para Chris Wallace, deixando um legado de transformação e sucesso na franquia.

Golden State Warriors (2011–2017)

Divulgação
Divulgação

Em 2011, Jerry West juntou-se ao Golden State Warriors como membro do conselho executivo, desempenhando um papel importante na transformação da equipe. Jerry contribuiu para a conquista do primeiro campeonato dos Warriors em 40 anos, em 2015, e seu trabalho ajudou a garantir mais um título na temporada 2016-17.

Sua participação incluiu uma participação minoritária não divulgada na equipe. Sua experiência e visão estratégica foram essenciais para o sucesso dos Warriors, tornando-o uma figura central na administração da equipe durante esse período de renascimento e glória.

Los Angeles Clippers (2017–2024)

Divulgação
Divulgação

Em 2017, após ajudar os Warriors a vencer o campeonato contra o Cleveland Cavaliers, Jerry West anunciou sua mudança para o Los Angeles Clippers como membro do conselho executivo e consultor. O técnico dos Clippers, Doc Rivers, havia sugerido a ideia de West se juntar à organização.

Apesar de considerar sua saída dos Warriors como um dos dias mais tristes de sua vida, West estava entusiasmado com o novo desafio. Durante sua passagem pelos Clippers, Jerry West continuou a influenciar positivamente a estrutura da equipe, embora enfrentasse uma controvérsia relacionada ao recrutamento de Kawhi Leonard em 2020, que resultou em uma investigação da NBA.

Perfil como jogador

Divulgação
Divulgação

Jerry West foi um armador versátil que podia desempenhar tanto as funções de playmaker quanto de marcador, sendo eficaz em ambas as extremidades da quadra. Conhecido por seu arremesso rápido e por marcar pontos decisivos, ganhou o apelido de “Mr. Clutch”.

Jerry também era um reboteiro competente, com braços longos, mãos rápidas e excelentes instintos defensivos, sendo um dos melhores ladrões de bola e bloqueadores de arremesso entre os armadores da NBA.

Foi selecionado para todas as equipes All-Defensive desde sua introdução em 1969 até sua aposentadoria em 1974. Sua ética de trabalho e insatisfação constante com seu próprio desempenho eram notáveis.

Jerry West teve uma carreira impressionante, com 14 seleções para o All-Star, 12 para o All-NBA Team e cinco para o All-Defensive Team. Ele marcou 25.192 pontos, 6.238 assistências e 5.366 rebotes em 932 jogos, com uma média de 27.0 pontos, 6.7 assistências e 5.8 rebotes por jogo.

Apenas Michael Jordan, Elgin Baylor e Wilt Chamberlain superam sua média de pontos por jogo entre os jogadores aposentados. Em 1979, foi eleito para o Naismith Memorial Basketball Hall of Fame, e os Lakers aposentaram sua camisa número 44 em 1983.

Em 2008, foi votado como o terceiro maior ala-armador de todos os tempos pela ESPN, e em 2022, foi classificado como o 14º maior jogador da história da NBA pela The Athletic.

Legado

A famosa posição que inspirou o logo da NBA
A famosa posição que inspirou o logo da NBA

Jerry West encerrou sua carreira como jogador com médias impressionantes e foi eleito para o Hall da Fama do Basquete em 1979. Ele liderou os Lakers em pontuação em sete temporadas e é superado apenas por Michael Jordan em média de pontuação nos playoffs.

West foi fundamental na construção de duas dinastias dos Lakers: a dos anos 80, com Pat Riley e estrelas como Magic Johnson e Kareem Abdul-Jabbar, e a dos anos 2000, com Phil Jackson, Shaquille O'Neal e Kobe Bryant.

Além de suas contribuições em quadra, West foi homenageado com diversas estátuas e prêmios. A cidade de Morgantown, na Virgínia Ocidental, dedicou uma rua em sua honra, e a Universidade da Virgínia Ocidental aposentou seu número 44.

Jerry West também foi imortalizado em estátuas no Coliseu da WVU e no Staples Center. Em 2019, recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade. O logotipo da NBA é inspirado na silhueta de West, destacando seu impacto duradouro no basquete.

Conquistas coletivas e individuais

Divulgação
Divulgação

Conquistas e prêmios na carreira como jogador:

  • Campeão da NBA (1972)
  • MVP das Finais da NBA (1969)
  • 14 vezes All-Star da NBA (1961–1974)
  • MVP do All-Star Game da NBA (1972)
  • 10 vezes no Primeiro Time All-NBA (1962–1967, 1970–1973)
  • 2 vezes no Segundo Time All-NBA (1968, 1969)
  • 4 vezes no Primeiro Time Defensivo da NBA (1970–1973)
  • Segundo Time Defensivo da NBA (1969)
  • Campeão de pontuação da NBA (1970)
  • Líder em assistências da NBA (1972)
  • Time de aniversário da NBA (35º, 50º, 75º)
  • Nº 44 aposentado pelo Los Angeles Lakers
  • Jogador mais destacado do Final Four da NCAA (1959)
  • 2 vezes All-America do consenso (1959, 1960)
  • All-America de terceiro time – AP, UPI (1958)
  • 2 vezes Jogador do Ano da SoCon (1959, 1960)
  • Nº 44 aposentado pelos West Virginia Mountaineers
  • Salão da Fama do Basquete Universitário
  • Salão da Fama do Basquete como jogador
  • Medalha Presidencial da Liberdade (2019)

Estatísticas de carreira como jogador:

  • Pontos 25.192 (27,0 ppg)
  • Rebotes 5.366 (5,8 rpg)
  • Assistências 6.238 (6,7 apg)

Estatísticas de carreira como treinador

  • NBA 145–101 (.589)

Como executivo:

  • 8 vezes campeão da NBA (1980, 1982, 1985, 1987, 1988, 2000, 2015, 2017)
  • 2 vezes Executivo do Ano da NBA (1995, 2004)

Medalhas representando os Estados Unidos:

  • Jogos Olímpicos 1960 – ouro em Roma
  • Jogos Pan-Americanos 1959 – ouro em Chicago

 

Vida pessoal

Divulgação
Divulgação

Jerry West casou-se com Martha Jane Kane em 1960, com quem teve três filhos. Eles se divorciaram em 1976. Em 1978, ele se casou com Kristine “Karen” Bua, e o casal teve dois filhos. Seu filho Jonnie jogou pelo time universitário de West, os West Virginia Mountaineers, e casou-se com a golfista profissional Michelle Wie em 2019.

Conhecido por sua personalidade introvertida e nervosa, West também era admirado por sua ética de trabalho implacável. Ele muitas vezes se isolava após derrotas e lutava para se abrir com sua família.

Seu sotaque forte e voz aguda eram alvo de brincadeiras, mas sua determinação e vontade de vencer eram inigualáveis. Em 2011, West revelou em sua autobiografia que sofreu abuso físico de seu pai na infância e lutou contra a depressão ao longo de sua vida.

Sua representação na série “Winning Time” da HBO foi controversa, levando West a exigir uma retratação pela forma como foi retratado.

Jerry West faleceu em 12 de junho de 2024, em Los Angeles, aos 86 anos.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por NBA (@nba)

Que tal se aprofundar no mundo esportivo e ir além? Confira aqui no Esportelândia: