Entenda por que o Washington Redskins mudou de nome: a história, as críticas, as pressões e como será o novo nome da franquia da NFL

Uma das mais valiosas franquias da NFL mudou de nome. O antes chamado Washington Redskins será, por ora, o Washington Football Team.

A mudança acontece após anos de pressão e de inúmeras críticas por parte de diversas comunidades de nativos norte-americanos, que lutam pelo fim da representação estereotipada de sua cultura e pela erradicação de nomes pejorativos como “Redskins”.

O processo que culminou na alteração, no entanto, vai além de um nome, passando por toda a história da franquia e desaguando na onda de protestos contra o racismo estrutural e pela justiça racial nos Estados Unidos, deflagrados após a morte de George Floyd.

Por que o Washington Redskins mudou de nome?

O porquê da mudança do Washington Redskins pode ser definido como o resultado de pressões combinadas.

A primeira “carga” vem da sociedade civil estadunidense, em especial das lideranças indígenas norte-americanas, que condenam o nome da franquia de maneira sistemática desde a década de 1960.

As ondas de protestos por todo os EUA após a morte de George Floyd potencializaram as críticas, tendo em vista a escalada das manifestações em Washington.

Foto de protesto em Washington
Os protestos em Washington duraram quase uma semana (Getty)

A pressão decisiva, porém — e infelizmente, se considerarmos o tempo que demorou a acontecer —, veio do mercado. As principais empresas parceiras da franquia, responsáveis pela maior parte dos investimentos, ameaçaram cortar o dinheiro caso o nome continuasse.

O “ultimato” seguiu toda uma movimentação prévia de outro grandes personagens que envolvem a NFL.

As principais lojas de varejo do país tinham retirado os produtos licenciados do time de seus sites e prateleiras; os canais ESPN tinham anunciado o abandono do uso do logo, que retrata justamente um nativo norte-americano; até a produtora de games Eletronic Esports retirou as referências ao logotipo no Madden 2021.

Protestos em Minnesota

Antes das pressões combinadas, um protesto em Minneapolis já tinha elevado as críticas ao nome do time de Washington.

Em 2014, mais de quatro mil nativos norte-americanos se juntaram em frente ao U.S Bank Stadium, casa do Minnesota Vikings, que naquele dia recebia justamente o Washington Redskins para uma partida da NFL.

Entre placas urgindo a mudança do nome e outras denunciando o racismo que ele carrega, foi a maior manifestação já registrada especificamente para esse fim.

Vá além do Futebol Americano:

A polêmica do Redskins: por que é considerado ofensivo?

O desconforto e a manifestação de lesão por parte daqueles retratados pelos antigos Washington Redskins já deveria ser o suficiente. É aquela velha história do direito de um que vai até onde começa o do outro.

Ainda assim, a história valida as críticas. O termo “Redskin” significa ‘pele vermelha”, o que por si só já é um termo defasado no que toca a maneira de se referir aos povos nativos dos Estados Unidos.

Sua origem data para a época colonial norte americana e às políticas de genocídio das populações nativas. Buscando expandir-se para os territórios indígenas, o governo pagava pela morte dos moradores dessas regiões e anunciava um determinado preço por cada “redskin”.

Mais à frente, ao final do século XIX, o termo era usado não só para se referir aos nativos como para classificar pessoas como “insolentes”.

Por isso era tão difícil de engolir a justificativa de Dan Snyder, dono da franquia de Washington, ao dizer que o nome era uma “homenagem” e usado de “maneira respeitosa”.

O passado do Washington Redskins

Se considerado o passado da franquia de Washington, o discurso de Snyder tem um crédito menor ainda. O time, afinal, foi o último a aceitar jogadores negros no elenco, com uma resistência notória fundador e antigo dono, George Preston Marshall.

Foi só em 1962 que a abertura enfim aconteceu e só após a pressão do governo federal, que ameaçou suspender o arrendamento do terreno do FedEx Field, o estádio da equipe.

A origem do nome Washington Redskins

O próprio Marshall nomeou a franquia. Originalmente chamada Boston Braves — outra referência citada pelas lideranças nativas como um estereótipo —, passou a chamar-se Boston Redskins em 1933, para descolar a imagem do Boston Braves (hoje Atlanta Braves) do beisebol.

A justificativa era uma homenagem ao treinador William Henry Dietz, que treinou o time entre 1933 e 1934 e dizia ser um sioux  — um dos principais troncos etnolinguísticos dos povos indígenas americanos —, mas que historiadores depois descobriram ser uma falsidade ideológica.

Em 1937, o time mudou-se para Washington e então adotou o nome que usou até 2020.

O logo também deve ser descontinuado pelo time de Washington

Reparação histórica e justiça racial

O nome não foi a única mudança da franquia.

Antes da alteração, foi iniciado um processo de apagamento das referências ao antigo dono, que começou com a derrubada de uma estátua sua nos arredores do FedEx Stadium, continuou com a retirada de seu nome do “Ring of Fame”, uma espécie de memorial dentro do estádio, e agora segue para a “limpeza” do site oficial.

Para os ativistas da representatividade indígena, o abandono do “Redskins” foi apenas uma etapa do processo de reparação histórica com os povos nativos dentro do esporte, mas ainda assim uma vitória importantíssima.

A franquia de Washington, afinal, é a quarta mais valiosa da NFL, que por sua vez é a liga esportiva de maior audiência e poderio econômico nos Estados Unidos.

A mudança pode resultar numa geração em cadeia e pressionar outros times que estereotipam os povos indígenas em seus nomes, logos ou mascotes. O Cleveland Indians, da MLB, por exemplo, anunciou a revisão de seu nome após a ação da equipe de Washington.

As atenções podem se voltar agora aos “remanescentes” Atlanta Braves, Chicago Blackhawks, Kansas City Chiefs e até o Texas Rangers, que exaltam uma força policial americana do século XIX tida como responsável pela morte de muitos nativos.

A luta das lideranças indígenas norte-americanas é pelo fim da estereotipação da sua cultura.  (Phil Ellsworth / ESPN Images)

O novo nome do Washington Redskins

O Washington Redskins passará a se chamar Washington Football Team, pelo menos no decorrer da temporada 2020/21 da NFL. A ideia é primeiro remover as referências aos Redskins para depois escolher um novo nome.

Depois de se informar sobre a mudança de nome do Washington Redskins, aproveite agora para ler mais sobre a NFL:

*Última atualização em 9 de agosto de 2020

Comentários

Salvar
Compartilhar
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin