Conheça as regras de boa conduta do surf, como funcionam os campeonatos brasileiros e as novas regras da Liga Mundial de Surf

Você conhece o “código de boas condutas” do surf? São regras utilizadas pelos surfistas para que todos possam pegar ondas sem se sentirem prejudicados e também para evitar acidentes no mar.

Essas regras do surf não são formalizadas como as regras usadas em competições, mas conhecê-las é fundamental para qualquer surfista.

Se você tem alguma dúvida sobre as regras do surf, está no lugar certo. Vamos acabar com todas elas!

Fique com a gente e conheça as boas condutas do surf, as regras em competições brasileiras e na WSL, e saiba ainda como serão as regras do surf nos Jogos Olímpicos!

Principais regras do surf

No mundo do surf, há algumas regras que funcionam como “a etiqueta” do esporte. Elas indicam como o surfista deve se comportar no mar para evitar confusões e sempre manter o respeito pelos outros surfistas. 

Confira, a seguir, quais são essas regras!

Regras básicas do surf

  • A pessoa que está mais próxima do pico ou peak, onde acontece a quebra das ondas, tem a preferência na onda;
  • Se alguém está entrando ou pegando a onda, um outro surfista jamais deve entrar na mesma onda;
  • Depois de pegar uma onda, um surfista não deve remar em direção  em direção aonde as pessoas estão surfando). Há duas opções: ou esperar ou remar em direção à espuma;
  • Não soltar a prancha, pois isso pode gerar acidentes. O surfista deve fazer a “posição do joelhinho”, segurando as bordas da prancha
  • Não ficar se reposicionando para ter o “direito à onda” sobre outro surfista;
  • Em situações onde há uma fila para pegar ondas, quem está há mais tempo prioridade. Após pegar a onda, o surfista deve retornar ao fim da fila.

Você ama outros esportes além do Surf? Aqui na Esportelândia também falamos sobre:

Regras do surf em campeonatos brasileiros

Regras do surf em campeonatos
Regras do surf utilizadas pela CBS não são exatamente as mesmas da WSL

No surf, o objetivo é se manter na onda pelo maior tempo possível e explorá-la com o maior número de manobras. O surfista com as melhores notas será o vencedor.

Cada competição de surf, naturalmente, pode adotar um regulamento próprio se for a vontade de seus organizadores. Porém, a Confederação Brasileira de Surf (CBS) indica que as regras de competições devem ser adotadas em todas as categorias. 

Saiba, a seguir, quais as regras de campeonatos de surf conforme orientação da CBS. Mais adiante, você poderá conferir as regras da Liga Mundial de Surf (WSL)!

Formato de disputa

Os campeonatos que utilizam as regras indicadas pela Confederação Brasileira de Surf (CBS) são divididos em baterias de 4 surfistas, sendo que pelo menos 2 competidores avançam para a fase seguinte.

Em casos excepcionais que o cronograma exija, baterias de 5 atletas poderão ser disputadas.

O avanço de 50% dos competidores de uma bateria pode não ser obedecido no caso de baterias de repescagem ou no “losers round”.

Tempo das baterias

Nas primeiras fases, cada bateria deve ter um mínimo de 15 minutos. Já as finais, um mínimo de 20 minutos.

O início das baterias é sinalizado com um toque de sirene. Já o encerramento é indicado por dois toques de sirene.

Limite de ondas

Segundo o regulamento da Confederação Brasileira de Surf, o número máximo de ondas permitidas por bateria, assim como quantas serão consideradas para efeito de classificação, fica a critério do Diretor Técnico e do Head Judge em função das condições do mar. 

O competidor poderá ser informado quando restarem duas ondas, quando faltar uma onda e quando completar o número máximo de ondas para a bateria em questão. Se surfar mais que o limite da bateria poderá ser penalizado com multa no valor de uma inscrição, para cada onda extra.

Condições do mar

Caso as condições do mar não apresentem o tamanho mínimo exigido de 30 centímetros, o campeonato deverá ser realizado em outro local ou transferido para outro horário ou dia. 

Se o campeonato for oficialmente cancelado após o início, os pontos deverão ser divididos entre os atletas que estiveram classificados para a respectiva fase.

Pontuação no surf

Os juízes dão uma nota até dez para cada onda surfada, sendo que a avaliação mais alta e a mais baixa são descartadas. Calcula-se a média simples das três notas válidas para determinar a avaliação de cada onda.

Há uma série de critérios subjetivos que os juízes consideram, como dificuldade da manobra e a versatilidade do surfista para executar tipos diferentes de movimento.

Ao final da bateria, as melhores pontuações de cada surfista serão destacadas e somadas. O surfista que obtiver o maior número de pontos será o vencedor. 

Apenas as duas melhores ondas são consideradas na pontuação do surfista na bateria. Chega-se ao valor final com a soma destas duas notas.

Assim, o máximo que um surfista pode alcançar é 20 pontos (teria média 10 nas duas melhores ondas). 

Interferência 

O surfista que estiver na parte interna da onda tem o direito incondicional de surfá-la por toda sua extensão. Caso os juízes interpretem que outro competidor prejudicou a pontuação que o surfisita poderia alcançar, será caracterizada a interferência.

Regras do surf WSL

Gabriel Medina bicampeão mundial de surf
Gabriel Medina se tornou bicampeão mundial da WSL em 2018

A Liga Mundial de Surf (WSL) é responsável por organizar o Championship Tour (CT), mundial já vencido duas vezes por Gabriel Medina e uma por Adriano de Souza.

O Campeonato Mundial é dividido em 11 etapas, disputadas em 9 diferentes localizações: Austrália, Brasil, Indonésia, África do Sul, Taiti, EUA, França, Portugal e Havaí. Três etapas são disputadas na Austrália, e a etapa brasileira ocorre no Rio de Janeiro.

O Mundial de Surf funciona como um campeonato de pontos corridos, em que os resultados de cada etapa são somados para definir o campeão. 

Entenda, a seguir, como funcionam as etapas.

Formato de disputa das etapas da WSL

Enquanto o Championship Tour (CT) é disputado em pontos corridos, as 11 etapas que compõem o Mundial são disputadas no formato eliminatório. 

No campeonato masculino, há 34 surfistas na elite do surf. A cada etapa, eles ganham a companhia de outros dois surfistas, que são convidados ou participam de um torneio classificatório. Com 36 surfistas ao todo, cada etapa tem 7 fases.

Primeira fase

Na primeira fase de cada etapa do Mundial de Surf, os 36 surfistas são divididos em 12 baterias, com três atletas. Essa disputa não é eliminatória. Os dois primeiros de cada bateria avançam direto para a terceira fase, enquanto o perdedor disputa a segunda fase (repescagem).

Segunda fase (Repescagem)

Os 12 competidores derrotados na 1ª fase são divididos em 4 baterias de 3 atletas cada. Os dois primeiros colocados de cada bateria avançam para a 3ª fase. Já os perdedores desses 4 confrontos são eliminados, terminando a disputa da etapa na 33ª colocação.

Terceira fase

Os 32 surfistas que permanecem na disputa são divididos em 16 baterias no formato homem a homem. Quem vencer o duelo eliminatório avança para as oitavas de final, enquanto os perdedores encerram a etapa na 17ª colocação.

Oitavas de final

Nas oitavas de final, os 16 surfistas são divididos em 8 baterias homem a homem. Os vencedores avançam às quartas de final, enquanto os perdedores terminam a etapa na 9ª colocação.

Quartas de final

Nas quartas de final, os 8 surfistas são divididos em 4 baterias no formato homem. Os 4 vencedores formam as semifinais, enquanto os perdedores terminam a etapa na 5ª colocação.

Semifinal 

Nas semifinais, há a disputa de duas baterias com dois surfistas cada. Os dois vencedores fazem a final, enquanto os eliminados encerram a etapa empatados na 3ª colocação.

Final

Na bateria final, o surfista que somar as melhores notas será o campeão da etapa do Championship Tour (CT).

O vencedor leva 10 mil pontos, enquanto os últimos colocados ficam com apenas 265.

Pontuação por etapa do Mundial de Surf

  • 1º lugar – 10.000 pontos
  • 2º lugar – 7.800 pontos
  • 3º lugar – 6.085 pontos
  • 5º lugar – 4.745 pontos
  • 9º lugar – 3.320 pontos
  • 17º lugar – 1.330 pontos
  • 33º lugar – 265 pontos
  • Lesionado – 265 pontos

Acesso e rebaixamento na WSL

Depois de cada etapa do Campeonato Mundial de Surf, os surfistas recebem pontos com base em sua respectiva colocação e, quanto melhor o desempenho, mais pontos eles recebem. 

Por exemplo, no Championship Tour (CT), o primeiro colocado de uma etapa recebe 10 mil pontos, enquanto o segundo lugar recebe 8 mil. 

Esses pontos são somados para criar as classificações do CT. No final do ano, os surfistas masculinos e femininos no topo do ranking se tornarão os campeões da WSL.

Além de definir os campeões, essa pontuação também determina o rebaixamento.

No fim do ano, os surfistas que terminarem nas 22 primeiras posições do ranking mundial se mantêm na elite para a temporada seguinte. Além deles, competirão no ano seguinte os 10 melhores colocados da Divisão de Acesso (QS). 

Caso surfistas já classificados pelo CT estejam entre os 10 do QS, serão chamados o 11º, o 12º, e assim por diante. 

Para fechar os 34 membros da elite, dois atletas, que sofreram lesão durante o ano, ganham convite da WSL. Os injury wildcards de 2019 foram Kelly Slater e John John Florence.

Depois de saber a pontuação por etapa e como funciona o rebaixamento, conheça também como são definidas as notas em cada bateria da WSL. Confira logo abaixo!

Julgamento e Notas na WSL

Em cada bateria do Campeonato Mundial de Surf, são consideradas as duas melhores notas de um surfista. Como cada onda vale até 10 pontos, a pontuação máxima em uma bateria é de 20 pontos. 

Cada bateria dura, normalmente, 30 minutos. Caso a organização julgue necessário, pode aumentar esse tempo.

Um painel de cinco juízes pontua cada onda em uma escala de um a 10. Para cada pontuação, as notas mais alta e mais baixa (dos cinco juízes) são descontadas, e o surfista recebe a média das três pontuações restantes. 

Não há limite para o número de ondas que serão pontuadas, mas as duas ondas com melhor pontuação (de 1 a 10) são somadas para definir a pontuação final do surfista em uma bateria (com máximo de 20 pontos).

Os juízes analisam os seguintes elementos ao dar notas na WSL:

  • Compromisso e grau de dificuldade
  • Manobras inovadoras e progressivas
  • Combinação das principais manobras
  • Variedade de manobras
  • Velocidade, potência e fluxo

Escala de notas da WSL:

  • 0.0 – 1.9: Fraco
  • 2.0 – 3.9: Justo
  • 4.0 – 5.9: Médio
  • 6.0 – 7.9: Bom
  • 8.0 – 10.0: Excelente

Prioridade na WSL

O surfista com prioridade tem o direito incondicional de pegar qualquer onda que escolher.

Outros surfistas na bateria podem remar e pegar a mesma onda, mas apenas se não atrapalharem o potencial de pontuação de um surfista com prioridade. 

Um surfista perde a prioridade quando pega uma onda e/ou um surfista rema, mas perde uma onda. 

Se dois ou mais surfistas pegarem uma onda, o primeiro surfista a chegar à zona de decolagem terá prioridade.

Interferência na WSL

Um surfista que atrapalhe o potencial de pontuação de outro surfista com prioridade sobre ele receberá uma penalidade por interferência. 

Na maioria das situações, isso significa que a pontuação da bateria será calculada usando apenas a melhor onda de pontuação. 

Se um surfista causar duas interferências, ele será desqualificado da bateria.

Foi uma interferência que levou Gabriel Medina a ser eliminado na etapa de Peniche, em Portugal, na reta final do Campeonato Mundial de Surf de 2019.

Reinício de bateria 

Se ninguém pegar uma onda durante os primeiros 10 minutos de uma bateria, o juiz principal terá o poder de reiniciar a bateria.

Vá além do mundo do Surf! Confira também nossos outros conteúdos:

Regras do surf nas Olimpíadas

Regras do surf nas Olimpíadas
Filipe Toledo é uma das esperanças de medalha para o Brasil no surf nas Olimpíadas

O surf será disputado nas Olimpíadas pela primeira vez em 2020, nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Você sabe como vai funcionar a primeira competição olímpica de surf? A gente te conta!

O campeonato de surf da Olimpíada de Tóquio contará com 20 atletas homens e 20 mulheres, sendo no máximo dois atletas por país em cada gênero. 

A classificação será determinada pelos seguintes níveis hierárquicos:

  1. Os 10 primeiros homens e as 8 primeiras mulheres elegíveis do CT 2019.
  2. Os primeiros 4 homens e as primeiras 6 mulheres elegíveis do ISA Games 2020
  3. O melhor elegível do Pan-Americano 2019 + o melhor africano, o melhor asiático, o melhor europeu e o melhor da Oceania, todos elegíveis do ISA Games 2019.
  4. O campeão da Copa da Nação Anfitriã, que será realizada somente entre japoneses. Se algum japonês ou japonesa se classificar por algum outro método, não haverá a Copa da Nação Anfitriã e será aberta mais uma vaga para o nível hierárquico de número 2.

O local previsto de competição é em Chiba, a 40 minutos de Tóquio. O pico se chama Tsurigasaki. 

Há a expectativa de que a janela de competição do primeiro campeonato de surf das Olimpíadas seja de 16 dias, entre 24 de julho e 9 de agosto de 2020.

Agora que você já conhece as regras de surf dos Jogos Olímpicos e também da WSL, pode ficar na torcida por Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Ítalo Ferreira e todos os membros da Brazilian Storm.

Aproveite para ampliar ainda mais seus conhecimentos sobre surf com outros conteúdos:

Ficha Técnica
Título
Regras do surf: como são os campeonatos, a WSL e Olimpíadas
Resumo
Conheça as regras de boa conduta do surf, como funcionam os campeonatos brasileiros e as novas regras da Liga Mundial de Surf
Autor

Comentários

Salvar