Conheça a história de Ana Marcela Cunha, multicampeã da maratona aquática! Títulos, premiações e participações nas Olimpíadas

Quando o assunto é nadar em águas abertas, não há nenhum atleta tão vitorioso em todo o planeta quanto Ana Marcela Cunha.

Ela ostenta o recorde de pódios em Campeonatos Mundiais e também na Fina Marathon Swim World Series.

Com uma gigantesca coleção de medalhas ao longo de sua carreira, Ana Marcela espera ainda sua primeira conquista olímpica. Uma nova oportunidade virá em Tóquio, em 2020.

Enquanto esperamos pela terceira participação da atleta brasileira nos Jogos Olímpicos, aproveite para conhecer toda a história de vitórias de Ana Marcela Cunha até aqui!

Quem é Ana Marcela Cunha?

Quem é Ana Marcela Cunha
Ana Marcela Cunha foi eleita a melhor nadadora do mundo em águas abertas por 6 vezes

Ana Marcela Cunha é uma nadadora brasileira especialista em maratonas aquáticas. Ela nasceu em 23 de março de 1993, em Salvador.

Entre várias conquistas, Ana Marcela é a maior medalhista da história em campeonatos mundiais de águas abertas, com 11 pódios. Não à toa foi eleita por seis vezes como a melhor nadadora do mundo em maratonas aquáticas.

A atleta tem duas participações em Olimpíadas, nos Jogos de Pequim, em que ficou em 5º lugar, e do Rio de Janeiro, com a 11ª colocação. 

Assim, ela ainda persegue sua primeira medalha olímpica. As expectativas são de que a tão sonhada conquista possa vir em Tóquio 2020.

Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, Ana Marcela Cunha conquistou a medalha de ouro na prova de 10 km.

Saiba, a seguir, como essa história de sucesso nas águas abertas começou!

Como Ana Marcela Cunha começou na natação?

Ana Marcela Cunha começou a nadar aos 2 anos, na creche que frequentava em Salvador. Aos 13, ela já competia em disputas em águas abertas com atletas mais experientes. 

O primeiro título nacional de Ana Marcela em grandes competições foi conquistado em 2006. Quando tinha apenas 14 anos, ela foi campeã da Travessia dos Fortes no Rio de Janeiro.

Também em 2006, a nadadora baiana passou a integrar a seleção brasileira de águas abertas.

Dois anos depois, Ana Marcela Cunha fez sua estreia em Olimpíadas. Em Pequim, aos 16 anos, ela ficou na quinta colocação na prova de 10 km.

A grande coleção de medalhas em mundiais começou a ser formada em 2010, com um bronze nos 5 km em Roberval, no Canadá.

Remessa Online

Você sabe quantas vezes Ana Marcela foi campeã mundial? A gente conta logo abaixo!

Vá além da Natação! Confira também conteúdos de outros esportes:

Quais os títulos de Ana Marcela Cunha?

Ana Marcela Cunha campeã mundial em Kazan
Ana Marcela Cunha competiu com o cabelo pintado de roxo quando foi campeã mundial em Kazan

Ana Marcela Cunha tem uma série de títulos no currículo. Entre eles, é tetracampeã mundial da prova de 25 km, com as medalhas de ouro em 2011, 2015, 2017 e 2019. Também foi a vencedora da prova de 5 km em 2019.

Ao todo, a brasileira tem 11 medalhas em Campeonatos Mundiais de Esportes Aquáticos. Além dos cinco ouros, são duas pratas e quatro bronzes.

Das 11 medalhas, 10 foram em provas individuais. A exceção é uma prata nos 5 km por equipe no Mundial de Kazan, na Rússia, em 2015.

Nos Campeonatos Mundiais de Águas Abertas, Ana Marcela Cunha conquistou uma medalha de bronze nos 5 km em Roberval, no Canadá. 

Já na Fina Marathon Swim World Series, são 49 medalhas! Ela é recordista de vitórias na competição com 23 medalhas de ouro. 

Na Fina Ultra Marathon World Series, Ana Marcela foi tricampeã, vencendo provas de 32, 36 e 16 km.

A baiana tem ainda uma medalha de ouro na prova de 10 km dos Jogos Pan-Americanos, conquistada na edição de Lima, em 2019.

Quer saber todas as provas em que ela chegou ao pódio nas competições internacionais? A gente lista agora mesmo!

Todas as medalhas de Ana Marcela Cunha em competições internacionais

Títulos e medalhas de Ana Marcela Cunha
Ana Marcela Cunha foi campeã do Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019

Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos

Medalhas de Ouro (5)

  • 25 km no Mundial de Xangai, na China, em 2011
  • 25 km no Mundial de Kazan, na Rússia, em 2015
  • 25 km no Mundial de Budapeste, na Hungria, em 2017
  • 25 km no Mundial de Gwangju, na Coreia do Sul, em 2019
  • 5 km no Mundial de Gwangju, na Coreia do Sul, em 2019

Medalhas de Prata (2)

  • 10 km no Mundial de Barcelona, na Espanha, em 2013
  • 5 km por equipes no Mundial de Kazan, na Rússia, em 2015

Medalhas de Bronze (4)

  • 5 km no Mundial de Barcelona, na Espanha, em 2013
  • 10 km no Mundial de Kazan, na Rússia, em 2015
  • 5 km no Mundial de Budapeste, na Hungria, em 2017
  • 10 km no Mundial de Budapeste, na Hungria, em 2017

Campeonatos Mundiais de Águas Abertas

Medalha de Bronze (1)

  • 5 km no Mundial de Roberval, no Canadá, em 2010

Fina Marathon Swim World Series

Medalhas de Ouro (23)

  • 10 km em Setúbal, em Portugal, em 2008
  • 10 km em Santos, no Brasil, em 2010
  • 10 km em Cancún, no México, em 2010
  • 10 km em Eilat, em Israel, em 2012
  • 10 km em Cancún, no México, em 2012
  • 10 km em Hong Kong, em 2012
  • 10 km em Shantou, na China, em 2012
  • 10 km em Eilat, em Israel, em 2013
  • 10 km em Setúbal, em Portugal, em 2014
  • 10 km em Lac. St-Jean, no Canadá, em 2014
  • 10 km em Lac Magog, em 2014
  • 10 km em Lac Mégantic, no Canadá, em 2014
  • 10 km em Chun’An, na China, em 2014
  • 10 km em Balatonfured, na Hungria, em 2015
  • 10 km em Chun’An, na China, em 2015
  • 10 km em Lac Mégantic, no Canadá, em 2017
  • 10 km em Chun’An, na China, em 2017
  • 10 km em Balatonfured, na Hungria, em 2018
  • 10 km em Lac. St-Jean, no Canadá, em 2018
  • 10 km em Doha, no Catar, em 2019
  • 10 km em Setúbal, em Portugal, em 2019
  • 10 km em Lake Ohrid, na Macedônia, em 2019
  • 10 km em Nantou, Taipei, em 2019

Medalhas de Prata (14)

  • 10 km em Cingapura, em 2008
  • 10 km em Annecy, na França, em 2009
  • 10 km em Copenhague, na Dinamarca, em 2009
  • 10 km em Setúbal, em Portugal, em 2010
  • 10 km em Lac Mégantic, no Canadá, em 2012
  • 10 km em Viedma, na Argentina, em 2014
  • 10 km em Cozumel, no México, em 2015
  • 10 km em Hong Kong, em 2015
  • 10 km em Lac. St-Jean, no Canadá, em 2017
  • 10 km em Hong Kong, em 2017
  • 10 km em Seychelles, em 2018
  • 10 km em Seychelles, em 2019
  • 10 km em Chun’An, na China, em 2019
  • 10 km em Doha, no Catar, em 2020

Medalhas de Bronze (12)

  • 10 km em Hong Kong, em 2008
  • 10 km em Varna, na Bulgária, em 2009
  • 10 km em Lac. St-Jean, no Canadá, em 2010
  • 10 km em Fujairah, nos Emirados Árabes Unidos, em 2010
  • 10 km em Santos, no Brasil, em 2012
  • 10 km em Lac. St-Jean, no Canadá, em 2012
  • 10 km em Shantou, na China, em 2013
  • 10 km em Cancún, no México, em 2014
  • 10 km em Hong Kong, em 2014
  • 10 km em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2016
  • 10 km em Chun’An, na China, em 2018
  • 10 km em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2018

Fina Ultra Marathon World Series

Medalhas de Ouro (3)

  • 32 km em Lac. St-Jean, no Canadá, em 2012
  • 36 km em Nápoles, na Itália, em 2014
  • 16 km em Nápoles, na Itália, em 2017

Jogos Pan-Americanos

Medalha de Ouro (1)

  • 10 km em Lima, em 2019

Participações de Ana Marcela Cunha em Olimpíadas

Ana Marcela Cunha Olimpíadas
Ana Marcela Cunha ainda persegue sua primeira medalha em Olimpíadas

Em sua carreira, Ana Marcela Cunha participou de duas edições dos Jogos Olímpicos. Ela disputou a prova de 10 km tanto em Pequim, em 2008, quanto no Rio de Janeiro, em 2016. 

Na sua estreia olímpica, aos 16 anos, a nadadora brasileira ficou na 5ª colocação. Quatro anos depois, ela ficou fora da Olimpíada de Londres por muito pouco. A vaga seria assegurada pela participação no Mundial de Xangai, em 2011, mas ela ficou em 11º lugar, apenas uma posição atrás das dez nadadoras classificadas.

O retorno de Ana Marcela Cunha às Olimpíadas aconteceu no Rio de Janeiro. Competindo em casa, ela era uma das favoritas na prova de 10 km. Porém, ficou apenas no 10º lugar.

“Eu me preparei, e não foram quatro anos, foram oito anos lutando para voltar para uma Olimpíada. Em casa, cogitada como uma das favoritas, tenho certeza de que o que eu fiz aqui foi meu máximo. Mas não é digno de uma atleta três vezes campeã de Copa do Mundo, não sei quantas vezes no pódio de Copa do Mundo, de Campeonato Mundial. Estou triste, é lógico”, analisou.

Ela apontou que não conseguiu seguir sua estratégia de alimentação ao longo da prova. “Eu tinha três alimentações para fazer, e só fiz a primeira. Nadei 7,5km sem me alimentar. Isso conta muito na prova. É uma prova que todo mundo se preparou, muito mais que para o Mundial. Infelizmente, não consegui render o que eu estava pronta”, destacou. 

Enquanto Ana Marcela ficou longe do pódio, Poliana Okimoto conquistou a primeira medalha entre as mulheres brasileiras na história da natação nas Olimpíadas, ficando com o bronze.

Uma nova chance para Ana Marcela Cunha acontecerá em Tóquio, em 2020. Ela chega à competição com o retrospecto de cinco medalhas de ouro e duas pratas das nove etapas da Copa do Mundo de Águas Abertas disputadas em 2019.

Remessa Online

Recordes e prêmios de Ana Marcela Cunha

Prêmios e recordes de Ana Marcela Cunha
Ana Marcela Cunha conquistou o Prêmio Brasil Olímpico como melhor atleta duas vezes
  • Eleita seis vezes pela Fina como a melhor nadadora de águas abertas do mundo, em 2010, 2014, 2015, 2017, 2018 e 2019
  • Vencedora do Prêmio Brasil Olímpico do COB como melhor atleta do país em 2015 e 2018
  • Recorde de vitórias (23) e pódios (48) na Fina Marathon Swim World Series
  • 11 medalhas em Campeonatos Mundiais de Esportes Aquáticos
  • Tetracampeã mundial da prova de 25 km, com títulos em 2011, 2015, 2017 e 2019
  • Mulher brasileira com mais pódios em Mundiais em todas as modalidades olímpicas
  • Indicada para fazer parte do Hall da Fama Internacional da Natação em Águas Abertas

Com tantos recordes e prêmios, não há dúvidas de que Ana Marcela Cunha é uma das maiores atletas da história do esporte brasileiro.

Agora que você já conhece tudo sobre a nadadora baiana, aproveite para saber mais sobre a trajetória de outros grandes esportistas do Brasil:

*Última atualização em 19 de fevereiro de 2020

Comentários

Salvar