Com mais de 25 anos dentro do fisiculturismo, Mário Mattiacci é um dos mais importantes culturistas brasileiros. Além de ser uma figura capaz de transmitir conhecimento por seus anos de prática, ele coleciona títulos e histórias dentro do esporte.

Nascido na Itália, ele chegou cedo ao Brasil e sempre foi apaixonado pelo esporte de “puxar peso”. Assim, levou essa paixão para sua vida profissional fora dos palcos, se tornando farmacêutico e educador físico no ambiente de musculação. Claro, ainda há sua formação de veterinário, algo que o orgulha até os dias atuais.

Diante disso, Mário Mattiacci concedeu entrevista exclusiva para contar melhor a história por trás de uma das mentes mais “Old School” do fisiculturismo nacional.

O começo da jornada de Mário Mattiacci – O amor pelo treino de musculação

Conheça a história de Mário Mattiacci, o "Doutor Bodybuilder"
Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

Antes de mais nada, o começo da carreira de Mário Mattiacci no fisiculturismo foi precoce. Ao contrário de muitos casos onde alguém começa a treinar por bullying ou para ter um corpo dentro do “padrão”, ainda criança, o Doutor Bodybuilder já queria começar a treinar.

Eu tinha uns 9 anos, eu já queria ficar mexendo com peso. Eu não sei porquê, talvez por ver meu pai treinar, alguma coisa assim. Já fazia muita flexão de braço em casa, fazia rosca com correntes. Meu pai chegou até a montar peso com cimento e lata de nescau.

Até esse momento, toda sua vida se passava em São Paulo capital. No entanto, quando fez 11 anos se mudou para Santos, litoral paulista. Entretanto, o sangue de academia ainda percorria suas veias, fazendo-o frequentar os ginásios da cidade, mesmo que não pudesse treinar ainda.

Porém, junto a sua avó, em um passeio casual por Santos, seu sonho de ser aceito  em uma academia foi realizado.

Com 13 anos, com a minha avó, fomos fazer um giro pelas academias. A gente foi em uma que tinha ginástica rítmica, que é uma ginástica que você pode pegar os pesinhos e fazer. Então, com 13 anos, eu comecei e fiquei quase 1 ano na ginástica.

Ainda, vale dizer que o fisiculturismo já estava entrando na sua vida por meio das revistas de musculação.

Os primeiros passos no processo de hipertrofia

Dando sequência ao seu começo na academia, logo que fez 15 anos ele conseguiu realizar um treino de musculação

Descendo as escadas da sala de ginástica rítmica tinha a sala de musculação. Aí eu perguntei para o instrutor se eu podia treinar, ele falou que sim. Eu dei um sorriso, fui para casa feliz.

Então, foi a partir daí que sua evolução foi sendo notada. Mesmo com a pouca idade, Mário já tinha alguém que fazia sua dieta. Seguindo o que estava sendo protocolado, sua alimentação consistia em coisas naturais, como frango e batata.

Conheça a história de Mário Mattiacci, o "Doutor Bodybuilder"
Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

Claro, juntando treino, descanso e alimentação programada, a evolução foi acontecendo. Mesmo que os aparelhos ainda não fossem iguais aos de hoje.

Eu fui aprendendo a treinar né, os aparelhos eram mais simplórios, as mecânicas não eram boas como hoje. As coisas foram andando.

Com isso, assim como outros jovens dos anos 80 e 90, a vida de Mário era cercada por atores e figuras que mostravam o poder dos músculos. Foi a partir daí que surgiu a vontade de subir nos palcos de culturismo.

Os heróis da vida real

Atualmente, crianças e adolescentes consomem inúmeras histórias de heróis com super  poderes e super força. Entretanto, na juventude de Mário, seus heróis eram bem mais reais e inspiracionais.

Eu olhava aqueles caras musculosos dos anos 80, que saíam nas revistas, como Lee Haney, Rich Gasperini, Bob Peres, Berry de Mey, eles eram meus heróis. Até minhas coreografias são inspiradas neles.

Foi nessa época que Mário Mattiacci também conheceu o esforço para ser atleta. Assim, ele foi aos poucos deixando de lado outros esportes para focar no anabolismo e na academia.

Eu comecei a sacrificar um monte de outras coisas. Eu mergulhava, andava de caiaque, vivia na praia porque eu cresci numa cidade que proporcionava muito essa questão de esporte. Mas aí catabolizava, então parei. 

Em outras palavras, foi a partir daí que sua vida se voltou ao Bodybuilding. Sempre visando o ganho de massa e a evolução do seu físico. Em virtude disso, era claro que sua 1° competição já estava se aproximando.

A estreia de Mário Mattiacci no fisiculturismo

Logo que sua rotina se transformou visando a melhora na academia, Mário pisou pela 1° vez nos palcos.

Em 94 eu competi no Mr. Santos, eu tinha 18 anos, 19 praticamente. Não tinha essas informações que a gente tinha hoje em dia. Eu tinha braços grandes, tríceps grandes, peitorais e panturrilhas grandes. Eu forcei muito isso na juventude.

Nesse sentido, Mário deixou claro que sua família o apoiou desde o início da sua jornada. Até porque, segundo ele, a família estava bem mais ligada ao esporte em comparação com os dias atuais.

O pessoal sempre se divertia com a família, gritando e comendo pipoca, era uma coisa mais ou menos assim. Hoje em dia mudou, os caras vão mais sozinhos, ou com a mulher ou namorada.

A continuação da carreira até o fim dos anos 90

Logo depois de sua estreia, Mário Mattiacci subiu novamente em 1995. Dessa vez, sendo treinado por Edison Serafim, outro grande nome do esporte.

Conheça a história de Mário Mattiacci, o "Doutor Bodybuilder"
Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

Em sequência, no ano de 1997, treinando em São Paulo, Mário frequentava uma academia diferenciada a fim de melhorar seu ponto fraco: quadríceps.

Eles estavam começando a importar umas máquinas de fora. A gente via diferença na articulação, como a tensão ia para coxa, que é meu ponto fraco.

Em uma dessas idas à esta academia, um dos maiores culturistas do Brasil chegou na vida de Mário: Wilson Santos.

Quando ele veio conversar comigo e ele quis me preparar, eu fiquei lisonjeado. Fiquei três meses com ele e aprendi demais. Na verdade, aprendi demais com todo mundo que eu fui passando.

Em continuação, os próximos anos da vida de Mário Mattiacci foram voltados ao esporte. Sempre ficando em 1°, 2° e  3°. Segundo ele, não era fácil, principalmente quando saiu da Junior e foi para a Sênior, onde competia contra atletas com bem mais idade e maturidade.

Nem tudo era perfeito – Mário também enfrentou dificuldades por causa do físico

Hoje, temos o fisiculturismo como um dos esportes mais assistidos no Brasil, ficando à frente de handebol e voleibol, por exemplo. Entretanto, nem sempre foi assim.

É comum nos depararmos com histórias de preconceitos envolvendo os físicos volumosos dos atletas. Assim, o Doutor Mário Mattiacci falou que sofreu com tais aspectos.

O preconceito está enraizado nos humanos. Naquela época as pessoas sempre relacionavam os músculos com pessoas toscas e burras. Ou com brutamontes, ignorantes e batedores. Isso foi muito difícil, me cansou bastante.

Ou seja, mesmo sendo jovem e inteligente, o seu volume muscular o impediu de conseguir alguns trabalhos, algo que o desanimou depois de um tempo.

A mudança de responsabilidade – O foco se direcionou ao estudos

Com o fato de que sofria preconceito por algumas pessoas etendo que lidar com as responsabilidades que envolvem um físico atlético, no começo dos anos 2000, Mário teve uma virada de jogo na sua vida.

Eu pesava quase 112 kg, tinha que aumentar a comida, hormônios e tudo mais. Enfim, chegou uma hora que tive que dar um ’xeque-mate’ e mudar as coisas. Surgiram cursos em Santos e me indicaram para fazer medicina veterinária porque eu gosto de animais. Aí eu fui cursar.

Com isso, a vida de fisiculturista foi deixada de lado durante longos anos da vida de Mattiacci. Sendo que ele só voltou à rotina, de fato, em 2018.

Eu entrei na faculdade com 112 kg, sai com 84 kg mais ou menos, e gordo. Teve várias coisas. Eu entrei em 1998 e só peguei o diploma em 2004. Tive que parar por falta de dinheiro e abri uma loja de suplementos.

Até o ano de 2006 essa loja era seu ganha-pão, ele conseguia vender para o Brasil inteiro. A loja acabou fechando por algumas restrições da Anvisa

Logo depois, já graduado, Mário ficou um período fazendo estágios durante 1 ano, onde vivia apenas para a medicina. Ele afirmou que não tinha como controlar outro ramo, como o esporte, durante esse período.

Eu fiquei 20 anos sem competir, desses 20 anos, uns 8 anos eu nem entrei na academia. Eu praticamente enterrei o Mário Bodybuilder. O Mário doutor é uma coisa e o atleta é outro, tem que saber separar.

Mário Mattiacci se torna uma referência fora dos palcos do bodybuilding

Assim, com o longo tempo de estudos, Mário Mattiacci tornou-se referência no ramo de cirurgia veterinária e, depois, no ramo de farmácia.

A farmácia, de todos os cursos, era o que chegava mais próximo dentro da minha abrangência, para eu poder dar consulta para as pessoas.

Ou seja, o apelido de “Doutor Bodybuilder” não veio por acaso. Afinal, Mário virou um grande profissional em ambas as áreas.

A volta aos treinos veio em 2016 como uma válvula de escape

Conheça a história de Mário Mattiacci, o "Doutor Bodybuilder"
Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

 

Como já dito, o Mário Bodybuilder não tinha morrido, ele ainda estava guardado na mente do doutor. Como consequência disso e de outros fatores emocionais, o fisiculturismo voltou à vida de Mattiacci no ano de 2016.

Em 2014 o Brasil estava um horror. Meu pai já tinha morrido de câncer. Eu caí numa tristeza e numa depressão, ficava sempre triste. A vida não tem sentido nenhum, quem dá sentido à vida somos nós. Eu via muita doença e morte na veterinária. Minha vida estava sem sentido.

Assim, em 2016, a decisão de voltar a treinar foi feita, mesmo que o foco ainda não estivesse totalmente no culturismo. “O Mário Bodybuilder ainda estava adormecido, mesmo treinando com força”, admitiu Mattiacci.

A reestreia de Mário Mattiacci nos palcos de fisiculturismo

Conheça a história de Mário Mattiacci, o "Doutor Bodybuilder"
Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

Seja como for, os anos fora do esporte foram cessados de vez em 2018, quando o Doutor Mário Mattiacci voltou aos palcos.

A volta foi de chorar. Ainda mais quando eu pisei no palco do Elis Regina, em 2019, porque foi o mesmo palco onde eu pisei em 1995. Você olha onde outro dia e eu era um moleque, a vida passa muito rápido.

Com sua reestreia no culturismo, o lado profissional deixou de tomar conta de 100% do seu dia. Hoje, sua rotina é focada em dias certos para atendimento, sem deixar de lado o treino.

Foi aí que eu tirei do mausoléu o Mário Bodybuilder. Quando eu voltei de vez, o conjunto de descanso e treino serviu para a evolução.

Diante disso, o atleta explicitou algumas de suas recentes conquistas feitas no fisiculturismo a partir de 2018.

Eu fui campeão em um evento do Alex (Presidente da SPFF) em 2019, ganhei o do Sardinha em 2021, quase virei Pro no Masters em Campinas, em 2020. Perdi para o Moisés Mutante.

Conheça a história de Mário Mattiacci, o "Doutor Bodybuilder"
Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

As expectativas para essa temporada 

Depois de um período de bulking, Mário se encontra em uma transição onde o volume de cardio está aumentando para perder gordura. Isso, já visando sua próxima temporada de shows.

Esse ano eu pretendo ir pro Mr. Olympia Amador e mais uns três. Vamos tentar buscar o Pro. Mas também não tenho tanta coragem, articulação já dói, tem o fator da pressão também.

Diante disso, ele afirmou que pensa em subir no Muscle Contest em novembro, onde haverá o Masters. Ainda, há campeonatos de amigos do passado que Mário pensa em subir para prestigiar os shows.

Assim, fica claro e evidente a enorme carreira dentro no fisiculturismo por parte do Doutor Mário. Com longos anos no esporte e na academia, seu físico já é reconhecido nacionalmente.

Reprodução/ Instagram, @drbodybuilder_mariomattiacci

Por fim, será possível conferir todo o histórico de competições até o momento da carreira de Mário Mattiacci, o Doutor Bodybuilder:

  • Top 1 Paulista IFBB 1995
  • Campeão Brasileiro IFBB 1995
  • Campeão Mr. Santos Jr. 1994
  • Top 3 Sênior 80 k 1994
  • Campeão Categoria Pesada Paulista Interior 1998
  • Top 3 Categoria Pesada Paulista Interior 1998
  • Campeão Categoria Jr. Paulista Interior  1995
  • Top 3 Categoria Média Paulista Interior 1995
  • Vice Overall Copa Ilhabela 1997
  • Top 4  Paulista Master 2018
  • Top 3 Paulista Sênior 90K 2018
  • Campeão Novice SPFF Master 2019
  • Top 3 Novice SPFF 90 K 2019
  • Vice Campeão Master I – Muscle Contest Estadual 2019
  • Vice Campeão Master Ms. & Mr. Brasil Open SPFF 2019
  • Vice campeão Masters Brasil Muscle Contest 2020 (vice pro) 45 +
  • Top 1 Masters 45 + Sardinha Classic 2021

Além disso, vale avisar que Mário Mattiacci possui o livro “Musculação e Fisiculturismo. Minha Vida, Minha Alma”, disponível na Amazon. Também, seu curso sobre musculação, hipertrofia e fisiculturismo pode ser acessado por meio do Hotmart.