A Liga da Nações é o principal torneio de vôlei entre seleções após as Olímpiadas. Sendo assim, a edição feminina do campeonato está eletrizante e com grandes emoções. A LNV, como também é conhecida, encerrou a sua segunda semana de disputa, assim só volta no dia 27 de junho. A saber, a fase final será disputada em julho.

A seleção brasileira feminina é uma das fortes candidatas para levantar o troféu. Porém, a equipe foi derrotada pelo Estados Unidos neste domingo (18). Após a partida Thaísa Daher, central da seleção, soltou o verbo sobre o desempenho do Brasil.

Brasil na Liga das Nações 2023

A equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães disputou oito jogos pelo torneio, na campanha são seis triunfos e apenas duas derrotas. A trajetória está deixando o Brasil na 5ª colocação da Liga das Nações, com 18 pontos. A saber, as oito melhores seleções avançam para a fase final.

No mais recente confronto da Liga das Nações de Vôlei Feminino, a seleção brasileira enfrentou os Estados Unidos, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília. Infelizmente, o Brasil foi derrotado por 3 sets a 0, com parciais de 25/22, 25/19 e 25/22.

A equipe estadunidense realizou um jogo muito sólido e consistente, exibindo uma defesa eficiente e ataques poderosos que colocaram a defesa brasileira sob pressão constante. Desse modo, o Estados Unidos abriu 2 x 0 na partida. No terceiro set, o a equipe verde e amarelo lutou e tirou uma diferença de seis pontos, mas viram as rivais abrirem novamente e perderam em parciais diretas.

Thaísa busca melhorar

Como dito anteriormente, após o jogo, a central da equipe brasileira contou um pouco do sentimento pós partida e avaliou o que se pode levar do resultado adverso:

Sempre falo que na derrota a gente tem que buscar o que podemos aprender com ela. A gente fica com raiva, está revoltada, eu queria ganhar, óbvio que ninguém entra para perder. Mas, estamos vendo que está faltando um algo a mais. Agora é buscar o que a gente pode aprender e ajustar, vôlei é isso, elas jogaram muito bem, só que também faltou um pouco do lado de cá.”

Além disso, Thaísa apontou o que pretende melhorar na sua performance pessoal. Assim também, mostrou otimismo com o entrosamento da seleção para o resto da Liga das Nações:

Da minha parte, eu quero conseguir chegar melhor, bloquear mais. A gente tocou em algumas bolas, mas acredito que eu posso fazer melhor. Vou treinar, vou buscar forçar mais os saques. O tempo todo estávamos atrás e ficávamos força ou não força, porém tem que ir para o pau, sentar a mão no saque. Porque se não elas jogam com o passe na mão e fica difícil. Vamos estudar o que aconteceu de errado para evoluir, buscar crescimento, conexão, o time está começando a se entrosar, derrota faz parte, ninguém gosta, mas vamos aprender com ela.”

A próxima etapa da Liga das Nações

Com o encerramento da segunda etapa, a seleção brasileira volta a jogar pela LNV no dia 28 de junho, contra a Itália. A sede da última etapa classificatória é Bancoque, na Tailândia. Dessa maneira, além da equipe italiana, Thaísa e as demais comandadas de José Roberto Guimarães vão enfrentar o Canadá, Turquia e Tailândia.

A seleção feminina do Brasil nunca ficou fora das quatro primeiras colocações do torneio. Desse modo, em 2018, na primeira edição ficaram no quarto lugar. Em seguida, em 2019, 2021 e 2022, foram vice campeãs, perdendo para o Estados Unidos (19 e 21) e Itália, respectivamente.