A chave principal de Wimbledon 2023 começou na segunda-feira (3). As desejadas decisões estão marcadas para os dias 15 e 16 de julho. O torneio promete grandes histórias para esta edição. 

Neste sentido, a primeira grande homenagem de Wimbledon ocorreu nesta terça-feira (4). Roger Federer, a lenda da bolinha amarela, recebeu um grande reconhecimento do público presente. Sendo assim, confira a história do suíço no campeonato.

A carreira de Roger Federer

Federer é visto por muitos como o maior jogador de tênis de todos os tempos. A lenda conquistou 103 troféus de simples na carreira, sendo que 20 foram de Grand Slam. Todo o seu currículo o fez ser uma das maiores referências do esporte, assim conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo.

Todo esse carinho o fez ser homenageado pela organização de Wimbledon. A saber, Roger Federer é o maior campeão do torneio com oito títulos. Descubra alguns números de sua longa trajetória pela grama sagrada de Wimbledon.

A caminhada de Federer em Wimbledon

O tenista se aposentou na Laver Cup, em setembro do ano passado. Dessa maneira, Roger Federer deixou um grande legado para o tênis mundial. Um deles é ser o maior campeão na superfície de grama, com 19 troféus, sendo oito do Grand Slam londrino.

Além disso, o suíço possui grandiosos números de vitórias, em sets, games, tie-breaks e em estatísticas gerais. Todos esses requisitos foram responsáveis pela homenagem a Roger Federer. Confira toda a história do suíço em Wimbledon.

Dominação da disputa juvenil

Roger Federer disputou a chave juvenil na grama sagrada em 1998. O suíço faturou o caneco de simples e de duplas do torneio. No individual, Federer foi o 5º cabeça de chave do Grand Slam, e não perdeu nenhum set durante a campanha.

Para conquistar o título Federer eliminou: Philipp Langer por 6/0 e 6/2, Andrej Kracman pelo placar de 7/6 e 6/3, Jerome Haehnel por duplo 6/4, David Sherwood com parciais de 7/6 e 6/2, Lovro Zovko por 7/5 e 6/2 e Irakli Labadze também por duplo 6/4.

Na chave de duplas, o suíço fez parceria com Olivier Rochus. Os dois foram campeões após eliminarem duas duplas cabeças de chave. Além disso, perderam apenas um set na disputa.

A trajetória contou com triunfos sobre: Simon Dickson/David Sherwood por 6/4 e 6/1, Edgardo Massa/Ignacio Gonzalez King por 2 x 1, com parciais de 2/6, 6/4 e 6/2, K.J. Hippensteel/David Martin duplo 6/3 e sobre Michael Llodra/Andy Ram por duplo 6/4.

O maior campeão do profissional de Wimbledon

Roger Federer disputou a chave profissional no All England Club 23 vezes. Dessa maneira, de 1998 a 2021, foi campeão oito vezes (2003, 04, 05, 06, 07, 09, 12 e 2017) e vice em outras quatro edições (2008, 14, 15 e 2019). Já na chave de duplas, o suíço jogou três vezes, em 1999, 2000 e 2001, e a melhor campanha foi as quartas de final em 2000.

Nas quatro primeiras disputas de Federer em Wimbledon, o suíço caiu na primeira rodada em três, 1999, 2000 e 2002, e nas quartas em 2001. Por outro lado, de 2003 até 2009, chegou em todas as decisões do torneio de simples. Assim, ganhou seis títulos, cinco seguidos, e foi vice em 2008.

Outra curiosidade é que em três dessas conquistas o vice campeão foi Andy Roddick, em 2004, 05 e 09. Assim também, Rafael Nadal disputou três decisões contra Roger Federer, mas ganhou uma, em 2008. Veja as campanhas de 2003 até 2009 do suíço em Wimbledon:

Ano Adversários Sets perdidos
2003 Hyung-Taik Lee
Stefan Koubek
Mardy Fish
Feliciano Lopez
Sjeng Schalken
Andy Roddick
Mark Philippoussis
1
2004 Alex Bogdanovic
Alejandro Falla
Thomas Johansson
Ivo Karlovic
Lleyton Hewitt
Sebastien Grosjean
Andy Roddick
2
2005 Paul-Henri Mathieu
Ivo Minar
Nicolas Kiefer
Juan Carlos Ferrero
Fernando Gonzalez
Lleyton Hewitt
Andy Roddick
1
2006 Richard Gasquet
Tim Henman
Nicolas Mahut
Tomas Berdych
Mario Ancic
Jonas Bjorkman
Rafael Nadal
1
2007 Teimuraz Gabashvili
Juan Martin Del Potro
Marat Safin (RUS)
Tommy Haas
Juan Carlos Ferrero
Richard Gasquet
Rafael Nadal
3
2008 Dominik Hrbaty
Robin Soderling
Marc Gicquel
Lleyton Hewitt
Mario Ancic
Marat Safin
Rafael Nadal
3
2009 Yen-Hsun Lu
Guillermo Garcia-Lopez
Philipp Kohlschreiber
Robin Soderling
Ivo Karlovic
Tommy Haas
Andy Roddick
3

Roger Federer continuou tendo grandes desempenhos em Wimbledon entre 2010 e 2021. Sendo assim, foram mais dois títulos, em 2012 e 2017, e três vice campeonatos (2014, 15 e 19), todas as derrotas foram para Novak Djokovic. As outras campanhas foram: quartas de final em 2010, 11, 18 e 21, segunda rodada em 2013, e semifinal em 2016. Veja abaixo todas as finais que o suíço jogou nas 11 edições:

Ano Adversários Sets Perdidos
2012 Albert Ramos
Fabio Fognini
Julien Benneteau
Xavier Malisse
Mikhail Youzhny
Novak Djokovic
Andy Murray
5
2014 Paolo Lorenzi
Gilles Muller
Santiago Giraldo
Tommy Robredo
Stan Wawrinka
Milos Raonic
Novak Djokovic
4
2015 Damir Dzumhur
Sam Querrey
Samuel Groth
Roberto Bautista-Agut
Gilles Simon
Andy Murray
Novak Djokovic
4
2017 Alexandr Dolgopolov
Dusan Lajovic
Mischa Zverev
Grigor Dimitrov
Milos Raonic
Tomas Berdych
Marin Cilic
0
2019 Lloyd Harris
Jay Clarke
Lucas Pouille
Matteo Berrettini
Kei Nishikori
Rafael Nadal
Novak Djokovic
6

Outros números interessantes

Roger Federer também possui excelentes números que ajudam a ilustrar todas as conquistas do suíço na grama sagrada. 

Em toda a sua carreira, Federer disputou 120 partidas de simples em Wimbledon, venceu 106, ou seja, um aproveitamento de 88,33%. Além disso, o suíço ganhou 331 sets e perdeu 76, um aproveitamento de 81,32 % nas parciais disputada.

Roger Federer disputou 4.060 games em Wimbledon, venceu 2422 games e perdeu outros1638. Desse modo, possui 59,65 % de aproveitamento. Por fim, quando o assunto é tie-break, o suíço jogou 80 desempates, com 57 triunfos. O aproveitamento é de 71,25 %.

A homenagem de Wimbledon para Roger Federer

Nesta terça-feira (4), Federer foi aplaudido de pé pelo público presente na Quadra Central do All England Club. O suíço foi convidado para ficar no camarote real ao lado de Kate Middleton, princesa de Gales.

A organização justificou a homenagem para Roger Federer é para ser:

“Um momento para celebrar suas conquistas e agradecê-lo por todas as lembranças.”