Neste domingo (14), Pâmela Rosa conquistou o bicampeonato mundial de skate street feminino. Assim como em 2019, a paulista cresceu na decisão e venceu o Super Crown, evento final da SLS. Além disso, Rayssa Leal, vencedora das duas etapas anteriores, ficou na 2ª colocação e completou a dobradinha brasileira no pódio.

Por fim, Momiji Nishiya, campeã olímpica, fechou a temporada com o 3º lugar na finalíssima. Confira agora como tudo isso aconteceu:

Primeira fase do Super Crown: volta de 45 segundos

Primeiramente, as oito participantes foram para a pista para a linha de 45 segundos, tendo que mostrar o máximo de manobras em pouco tempo. Dessa forma, a holandesa Roos Zwetsloot, que vive uma fase incrível, fez uma volta limpa e faturou a maior nota da primeira fase, 5.1. Pâmela Rosa também iniciou bem, mas não o suficiente para assumir a liderança, conquistando 4.6 pontos ficou na 2ª colocação.

Por outro lado, Rayssa Leal conquistou 3.8 pontos, uma nota mediana para o nível da skatista. Depois de encaixar sua segunda manobra, a Fadinha foi parar fora da pista e perdeu um pouco de tempo. No entanto, nem isso foi capaz de tirar o sorriso da maranhense, que encerrou sua primeira participação no Super Crown dando risada.

Segunda fase: best trick

Após todas as skatistas executarem suas voltas, chegou o momento das quatro chances para mandar as melhores tricks possíveis. Assim, a primeira bateria teve a japonesa Funa Nakayama como destaque, que, após uma volta bem abaixo, retomou com tudo com uma nota 6.0

Logo na segunda tentativa, Rayssa Leal mostrou que estava pronta para qualquer desafio, pois com uma nota 6.9, a Fadinha assumiu a liderança parcial. Na terceira chance, Candy Jacobs, a mais experiente da final, elevou o nível e fez uma manobra digna de 7.0 pontos. No entanto, logo em seguida, Momiji Nishiya bateu a marca da holandesa e encerrou a sessão das manobras com uma nota 8.0.

Portanto, ao fim do best trick, as quatros melhores colocadas ganharam mais duas chances para elevarem suas notas. Assim, Rayssa LealMomiji NishiyaSamarria BrevardPâmela Rosa se classificaram para as últimas manobras.

Final four: show de Pâmela Rosa

Pâmela Rosa foi a primeira a executar a quinta tentativa e já chegou com tudo. Com muita velocidade e explorando a extensão do corrimão, a brasileira passou por cima do vão da pista e faturou 7.7 pontos. Em contrapartida, as outras quarto competidoras desperdiçaram suas chances.

Na sexta e última manobra, Pâmela, que já estava na liderança, não se contentou com o que já tinha feito. Sendo assim, a skatista foi para a pista para confirmar a sua dominância na SLS. Mais uma vez com muita velocidade e por cima do vão, a paulista faturou uma nota 8.1, a maior do evento. Dessa maneira, restou para a brasileira ver suas adversárias errarem suas manobras e, pela segunda vez, comemorar o título mundial.

Crédito: Reprodução/Instagram: @sls

Desde a criação da SLS, nenhuma etapa do Super Crown não teve a presença de Pâmela Rosa, são 11 decisões e contando. Assim como em 2019, a bicampeã mundial subiu no pódio com Rayssa Leal, que ficou com o vice-campeonato. Ademais, a japonesa Momiji Nishiya completou o pódio, com o 3º lugar.

Dessa forma, apenas brasileiras venceram as etapas da SLS este ano. Rayssa Leal nas duas primeiras edições, em Salt Lake City e Lake Havasu. E, em Jacksonville, no Super CrownPâmela Rosa levou mais título para casa. O Brasil é, definitivamente, o país do skate!

Foto destaque: Reprodução/Instagram/rayssalealsk8