Em mais um Resumão do Skate nesta quinta-feira (27/01), você fica por dentro da novidade sobre Tony Hawk, um dos maiores skatistas da história, e o projeto de construção de uma pista de skate assinado por Pedro Barros que não é bem-vindo por parte dos moradores de Florianópolis. 

Lenda do skate, Tony Hawk, fará turnê pela Europa por um motivo que poucos conhecem; entenda 

Tony Hawk se tornou um dos maiores nomes do skate mundial. Aos 53 anos de idade, o skatista fará uma turnê na Europa para fazer algo que poucos fãs sabem. Ele vai contar piadas e histórias inéditas. Seu show “Uma noite com Tony Hawk” será realizado em seis países. O evento será entre os dias 29 de julho e 06 de agosto. Apesar da data, os ingressos ainda não estão à venda. 

Além disso, o show do skatista será de aproximadamente uma hora e meia. Durante cerca de uma hora e meia, Tony Hawk irá falar sobre sua carreira, contar piadas e algumas histórias no skate. O skatista escreveu: “Estou muito animado para compartilhar as minhas histórias e levar meu show para o Reino Unido e Europa neste verão”. 

Pista assinada pelo skatista Pedro Barros enfrenta resistência 

O projeto que prevê a construção da pista de skate de park e street foi “boicotado” pelos moradores de Coqueiro, bairro de Florianópolis. A cidade é casa do medalhista de prata no Japão. Rodrigo Kiko Bungus, vice-presidente da Associação Pró-Coqueiros comentou sobre a recusa em nota.

“Acreditamos que o Parque de Coqueiros já está consolidado e bem assistido em termos de equipamentos de lazer, embora falte manutenção. Também já se encontra pequeno para acolher o público atual, enquanto o parque do Abraão se encontra abandonado por estar sendo subutilizado – escreveu.

Em seguida, o presidente do Conselho de Desenvolvimento do Continente (CODECON), Dalton Malucelli, também falou sobre a negativa. Segundo ele, o projeto original é de parque e não praça de esportes. Disse ainda que os argumentos são técnicos e objetivam qualidade de vida e preservação de áreas verdes. Em seguida, sugeriu que o projeto fosse construído em Abraão, bairro vizinho.

“Os moradores do bairro e proximidades, grande parte carentes, não merecem este equipamento que mudaria suas vidas, só os ‘riquinhos de coqueiros'?” – concluiu. 

De acordo com a prefeitura, a construção da pista ocuparia cerca de 10% da área do parque. Além disso, custaria R$ 1,5 milhão. Para concluir, Pedro Barros ressaltou a importância do incentivo à prática esportiva. Ainda mais, reforçou que o mais importante é que as pistas sejam construídas.