Ana Alexia, popularmente conhecida como Mulher Pedra, é uma das mulheres mais promissoras dentro do fisiculturismo feminino.

Mesmo com sua pouca idade, o nível muscular e densidade apresentados por ela fizeram com que seu shape ganhasse certo destaque recentemente.

Diante disso, Ana concedeu entrevista exclusiva comentando sobre sua história dentro do esporte e muito mais, confira!

A academia surgiu para evitar alguma possível doença

Ao contrário de casos onde a academia surge como um lugar para buscar algo estético, a Mulher Pedra teve que iniciar na musculação “obrigatoriamente.”

Com apenas 15 anos, ela se viu diante de uma situação onde seus exames médicos estavam ruins e precisavam melhorar de algum jeito.

Meu primeiro contato com a academia foi por doença, meus exames estavam descompensados. Aí o médico me recomendou atividade física e tentar melhorar a alimentação.

Entretanto, assim como outros iniciantes na musculação, a vergonha de seu corpo estava presente. Sendo assim, ela decidiu evitar horários de pico na academia para não ter constrangimentos.

Meu corpo sempre teve uma forma diferente das minhas amigas da minha idade. Eu tinha ombros muito grandes, panturrilhas muito grandes também, mesmo sem nunca ter treinado.

Assim, fica claro que a genética esportiva sempre esteve presente na sua estrutura, mesmo quando a palavra “atleta” ainda nem passava na sua cabeça.

A estrutura muscular da Mulher Pedra chamou a atenção dos “conhecedores de fisiculturismo”

Eventualmente, era inegável que alguém ia notar a estrutura diferente conforme o tempo de treino ia aumentando.  

Teve um dia, depois de 1 ano de treino, que o dono da academia, que já competia, me lançou o convite para participar de um campeonato estadual, só que eu nunca tinha conhecido esse mundo.

Com toda a certeza, o convite lhe pegara de surpresa. Ana, ainda adolescente, mal conhecia as regras do fisiculturismo. Assim, a insegurança diante do primeiro campeonato surgiu na sua mente.

Quando ele me apresentou eu pensei: caramba! Será que vou conseguir ficar assim? Aí eu decidi encarar.

A porta do fisiculturismo abriu para Ana

Como resultado do convite feito pelo dono da academia, Ana Alexia realizou sua estreia nos palcos do fisiculturismo. A princípio, todo esse mundo esportivo causara uma certa estranheza, mas foi justamente isso que encantou Ana. “Aqui só tem gente estranha, igual eu”, relembrou a atleta em referência ao seu corpo ser diferente das outras meninas.

Justamente por essa estrutura corporal diferenciada, Mulher Pedra concluiu que já sofreu um pouco de preconceito.

Sempre me perguntavam se eu fazia natação, se eu treinava, isso na minha fase antes do treino. Depois que eu comecei a treinar ainda teve alguns casos, por mais que hoje eu não sofra mais com isso. Atualmente eu acho que tem mais admiração do que críticas.

Assim, era questão de tempo que sua estrutura esportiva chamasse a atenção de alguém com bagagem no esporte.

O convite que mudou sua vida dentro do fisiculturismo

Com o passar do tempo, Ana Alexia se viu apaixonada pelo esporte e por sua inclusão. Afinal, sua genética sempre chamava a atenção.

Assim sendo, depois de alguns anos, Tiago Toguro, um dos maiores influenciadores do Brasil, fez um convite para a Mulher Pedra.

Em 2020, o youtuber encontrou a atleta e a convidou para fazer parte da Mansão Maromba, uma espécie de casa para influenciadores e atletas. Com o propósito de alavancar sua mídia e crescer ainda mais dentro do esporte, Ana aceitou a proposta.

Foi um ponto crucial na minha vida e na minha carreira porque eu moro em Sergipe, que é um estado pequeno. Aí a Mansão foi uma vitrine pra mim. Eu aprendi muita coisa, tanto boas quanto ruins. Eu conheci pessoas que eu admiro e sou muito fã. Consegui criar amizades que eu tenho até hoje, tipo o Felipe Franco.

Diante disso, sua exposição na mídia foi repentina. Afinal, o vídeo de apresentação da atleta conta com mais de 400  mil visualizações.

Eu tinha muito medo de perder a minha essência, isso acontece com muita facilidade. Eu sempre procurava conversar com minha família justamente para não subir para minha cabeça.

Entretanto, há o outro lado da moeda. A Mulher Pedra, apelido que surgiu nessa época, comentou sobre as críticas que sofreu quando apareceu na mídia.

O corpo feminino musculoso não é aceito 100% na sociedade. Para o homem é um pouco mais fácil, mas para a mulher é mais difícil. Então a mídia, quando critica, critica com força. Até hoje eu sou muito criticada pelo meu corpo.

O histórico de competições da Mulher Pedra

Nesse hiato na Mansão Maromba, Ana aproveitou para se dedicar ao esporte. Assim, evoluiu seu shape e fez a cirurgia de silicone nos seios. Devido a isso, houve um tempo de repouso, que durou pouco, pois logo depois uma nova preparação foi iniciada.

Depois de 1 mês da cirurgia eu fiz uma preparação de 15 dias e subi no Muscle Context do Rio de Janeiro. Eu tive um pouco de dificuldade por não estar na minha casa, estava um pouco desconfortável.

Recentemente, a competidora da Women’s Physique foi campeã do NPC Pernambuco. Porém, sua jornada nessa temporada ainda não acabou.

No final de abril, ela subirá no Arnold Classic South America 2022, onde deseja sair com o título de campeã do desejado evento.

Os planos para o futuro

Por fim, Ana comentou sobre as dúvidas que existem sobre seu futuro. Já que ainda não decidiu se vai parar quando se tornar Atleta Pro ou se vai buscar algo além.

Eu sempre digo que vou parar quando ser Pro. Mas eu tenho certeza que não vou conseguir parar, não adianta, isso me move. Meu sonho é ser uma atleta reconhecida pelos esforços e pela força de encarar um preconceito sobre a mulher musculosa aqui no Brasil.