Antes de mais nada, fica claro que as categorias fisiculturismo feminino estão cada vez maiores.

Ao todos, as cinco classes principais se destacam em vários quesitos: volume, feminilidade, simetria e proporção.

Acima de tudo isso, ainda tem o grande ponto do sucesso brasileiro entre as mulheres culturistas. Fazendo com que sua popularidade só aumente aqui no Brasil.

Contando com Miss Olympia, fica claro que nosso país está no topo do mundo no culturismo feminino.

Diante disso, confira abaixo tudo que você deve conhecer sobre as principais categorias fisiculturismo feminino. 

Fisiculturismo feminino: veja as 5 principais categorias

Bikini

Isa Pecini, atleta brasileira. Reprodução/Jeff Robinson

Em primeiro lugar, a Bikini é a classe de estreia de todas as categorias fisiculturismo feminino.

Assim como acontece com a Men ‘s Physique na masculina, a Bikini é a classe mais “atingível”.

Diante disso, ela se torna uma ótima porta de entrada no esporte. Além de que, chegar no corpo padrão desta classe não requer o uso de ergogênicos.

Desta maneira, já se pode notar sua principal diferença: manter, ao máximo, uma estética feminina e uma leveza, digna de modelo, nas poses.

Características de um atleta Bikini

Entretanto, a categoria Bikini é um tanto fechada. Isto porque seu padrão acabou se circulando em uma estrutura corporal.

Todas as maiores vencedoras desta classe possuem algo em comum: são mulheres esguias. Ou seja, pernas e braços compridos e, de preferência, altas.

Assim, por mais que seja “fácil” se encaixar nos quesitos (já que não precisa de muito volume, apenas uma excelente separação), é necessário ter nascido com uma estrutura adequada.

Principais atletas da Categoria Bikini

Por fim, na Categoria Bikini temos uma grande representante brasileira que já foi até campeã Miss Olympia, Elisa Pecini.

Elisa Pecini no Mr. Olympia 2021. Reprodução/ Kyle Wurzel

Entretanto, vale destacar que o país conta com outras grandes atletas, como Étila Santiago e Amanda Marques.

Se tratando das atuais melhores do mundo, pode-se citar a Lauralie Chapados (campeã do Arnold Ohio 2022) e Jen Dorie (Miss Olympia 2021)

Laurie Chapados. Reprodução/Waguilera

Categoria Wellness

Ju Chitarra, atleta brasileira. Reprodução/aroundthenpc

A próxima categoria fisiculturismo feminino se trata de uma das mais recentes do quadro profissional da NPC.

Em suma, a Categoria Wellness é quase feita 100% para as brasileiras.

Isto é devido às proporções de uma atleta desta classe. Além de ser mais “cheia” do que uma bikini, uma Wellness precisa de um desequilíbrio entre os membros. Nessa falta de proporção, o que deve se destacar são os quadríceps, posteriores e glúteo.

Assim, como as brasileiras são conhecidas pelo largo quadril genético, elas acabam saindo na frente.

Pontos principais da Wellness

Ângela Borges no Expo SuperShow 2021. Reprodução/ Magaclick

Antes de mais nada, vale destacar alguns dos pontos que são diferenciais na Categoria Wellness.

  • Membros superiores bem trabalhados, mas chamando menos atenção que os inferiores;
  • Costas detalhadas, mas sem estreamentos;
  • Bom condicionamento, porém, ainda é obrigatória trazer uma naturalidade feminina;
  • Glúteo no formato de gota;
  • Separação entre glúteo e femoral detalhada;
  • Shape em X, englobando quadríceps e braços.

Diante disso, fica claro o porquê desta classe fazer tanto sucesso no Brasil. Ainda nesse sentido, isso fica claro quando se trata do sucesso dentro da Wellness.

Principais atletas da Categoria Wellness

Como já dito algumas vezes ao longo deste artigo, esta classe é quase que predominante brasileira.

Sendo assim, atletas como Ângela Borges, Isa Nunes, Júlia Chitarra e a Miss Olympia Francielle Mattos comprovam a afirmação.

Francielle Mattos. Reprodução/Magaclick

Diante delas, as duas que travam uma verdadeira batalha desde a antiga federação é a atual melhor do mundo e Ângela Borges, atual top 2.

Entretanto, a porto-riquenha Yarishna Ayala, atual vencedora do Boston Pro, corre por fora na disputa pelo mundial de culturismo.

Yarishna no Boston Pro 2021. Repordução/W.Wittmann

Figure

Michele Belafera

Logo depois da categoria Wellness, chegou a hora de comentar sobre a classe que abre as portas para as mulheres mais musculosas.

Diante disso, a Figure é a primeira dentre três classes que visam um alto volume. Fator que independe da saúde ou da aparência física.

Entretanto, ao contrário das outras duas, alguns casos mostram ser possível chegar no nível Figure e ter traços femininos. Como a atleta Samantha Jerring.

Principais características da Categoria Figure

Assim como as categorias que irão ser apresentadas mais adiante, a Figure se destaca pelo nível muscular.

Acima de tudo, não é necessário apresentar fibras musculares evidentes.

Diante disso, a atleta não precisa apresentar cortes profundos e ter glúteos fibrando. Entretanto, sua parte superior tem que ser chamativa.

Assim, na pose de costas, onde o glúteo se torna evidente, a missão é chamar a atenção para a dorsal, e não para os membros inferiores.

Enfim, em comparação com as anteriores, a Figure é idêntica no quesito de harmonia de poses, desfile e padrão de beleza. Atletas com traços masculinos podem perder pontos na decisão. 

Principais atletas Figure no fisiculturismo

Por fim, apresentaremos as principais atletas da Figure no fisiculturismo feminino. Além da já citada Samantha Jerring, vale destacar a brasileira Michele Belafera.

Samantha Jerring em recente atualização no Instagram.

Outra que vale ser mencionada é a atual Miss Olympia, Cydney Gillon, e a atual 2° melhor do mundo, Natalia Soltero.

Natalia Soltero. Reprodução/Alex Pomeroy

Women’s Physique

Brasileira Natalia Coelho

Assim, dando continuidade, chegamos a Women ‘s Physique, uma das mais agressivas dentre as categorias fisiculturismo feminino.

Ela requer muito volume, condicionamento e uma ótima simetria. Neste caso, é importante que os músculos inferiores não chamem mais a atenção do que os superiores.

Diante disso, esta classe acaba se destacando no nível muscular. Mesmo que isso possa custar parte da sua feminilidade.

Em suma, para chegar nesse nível de massa acaba sendo necessário um grande uso de drogas. Assim, é comum encontrar atletas Women ‘s com barba, carecas, com mandíbulas grandes e feições masculinas.

Características da Women’s Physique

Em virtude desses pontos já mencionados, esta categoria exige um alto nível atlético das competidoras.

Assim, é necessário ter:

  • Ombros grandes para o shape em V;
  • Bom controle de cintura;
  • Cortes mais profundos;
  • Estreamento em glúteos e dorsais;
  • Músculos mais alongados do que arredondados.

Em conclusão, fica claro que a base mínima da atleta Women ‘s é ter o shape com cintura fina e ombros largos.

Shape pré competição da Natalia Coelho.

Principais atletas da Women’s Physique

Natália Coelho, atual top 2 da categoria no Ms.Olympia 2021, é a principal brasileira dentro da Women’s.

Além dela, ainda pode destacar o nome de Zama Benta, uma mulher com grande potencial na classe.

Zama Benta. Reprodução/ ProImageFitness

Em resumo, as atletas Sarah Villegas (atual melhor do mundo) e Juliana Malacarne (4x Miss Olympia) são as com maior destaque.

Bodybuilder

Iris Kyle, uma das melhores Bodybuilders do mundo.

A última das categorias fisiculturismo feminino possui um grande debate sobre. Isto porque, até ano passado, ela estava extinta. Sendo que no segundo semestre, a NPC voltou a colocá-la em seus shows.

Em síntese, um dos motivos que explicam esse “sumiço” é a saúde das atletas. Não é saudável uma mulher chegar em um nível tão grande de massa. Na mesma proporção, chega a ser impossível ela continuar com traços femininos no corpo.

Abuso de drogas, testosterona exógeno, treinos pesados e lesivos, riscos cardíacos e mais outros diversos fatores fizeram com que a Bodybuilder ficasse na gaveta durante anos.

Ainda, há o fator ligado ao marketing, tendo em vista que esta classe é pouco vista na mídia. É raro encontrar pessoas atraídas para assistir um show dela. Assim, a federação do evento não obtém o lucro esperado.

Pontos principais da Bodybuilder Feminina

Iris Kyle. Reprodução/DigitalMuscle

Assim como nos homens, os pontos principais da Bodybuilder se referem ao extremo do culturismo:

  • Máximo de volume muscular;
  • Máximo de condicão;
  • Definição estriada;
  • Simetria e proporção.

Entretanto, as classes se diferem no sentido das poses. Em outras palavras, elas são parecidas com o que havia na Women ‘s, com poses mais abertas, mãos soltas e trazendo a feminilidade.

Principais atletas da Categoria Bodybuilder feminina

Por fim, vale destacar algumas atletas que fizeram história. Como a experiente Dayana Cadeau.

Além da canadense, a Iris Kyle é uma das favoritas desta recente classe.

Imagem destacada: Reprodução/W.Wittmann