Saiba tudo sobre a Fórmula E: quando surgiu, como funcionam os carros e a categoria, calendário, regulamento e todos os vencedores

Você já imaginou um campeonato disputado apenas por carros elétricos? É isso que acontece na Fórmula E!

A categoria dos carros elétricos surgiu em 2014 e, desde então, cresce a cada temporada. A Fórmula E já até recebeu o status de campeonato mundial, igualando-se à Fórmula 1 no topo do automobilismo mundial.

Mas você sabe como funciona a Fórmula E? Quais são as regras da competição? Quantas corridas são disputadas? Quais são as equipes e quem são os pilotos?

Respondemos todas essas perguntas. Siga com a gente e saiba tudo sobre a Fórmula E!

Quando surgiu a Fórmula E?

História da Fórmula E
Primeira corrida da história da Fórmula E foi disputada em Pequim, em setembro de 2014

A história da Fórmula E começou em setembro de 2014, com a realização da primeira corrida, em Pequim. A categoria foi fundada pelo espanhol Alejandro Agag, que segue como CEO. 

A proposta de um campeonato de carros elétricos e provas disputadas na cidade foi concebida por Jean Todt, presidente da Federação Internacional do Automóvel (FIA).

Todt apresentou a ideia aos políticos Alejandro Agag e Antonio Tajani em março de 2011. 

Agag, que tinha experiência na negociação de contratos com emissora de televisão, patrocínio e marketing, tomou a frente da organização da categoria.

Embora os carros elétricos sejam apontados como uma grande evolução a indústria automobilística, a Fórmula E demorou algumas temporadas para alcançar lucro. Somente no quinto ano de existência, a categoria alcançou lucratividade de 1 milhão de euros.

Em dezembro de 2019, a FIA concedeu statis de campeonato mundial à Fórmula E. 

A partir da temporada 2020/2021, a categoria de carros elétricos se junta à Fórmula 1 como as duas competições de elite entre os monopostos. O nome oficial será Campeonato Mundial de Fórmula E da ABB FIA.

Confira, a seguir, como funcionam os carros da Fórmula E!

Como é o carro da Fórmula E?

Carro da Fórmula E
Gen2 Evo é o carro da Fórmula E a partir da temporada 2020/2021

Os carros da Fórmula E são monopostos, assim como os da Fórmula 1, mas com a grande diferença de que são movidos a energia elétrica. 

Numa reta, eles podem atingir a velocidade de 280 km/h, mas o máximo de barulho que se consegue ouvir é um zunido agudo. Isso é consequência do funcionamento dos motores.

Como não existe a combustão gerada pela compressão de gases misturados com o combustível, a produção de força se dá pela passagem (silenciosa) da corrente elétrica. 

Além disso, como não há embreagem ou caixa de câmbio, basta pisar o pé no acelerador para sentir imediatamente a potência entregue pelo motor.  

Nas primeiras temporadas da Fórmula E, os pilotos precisavam trocar de carro ao longo da corrida para conseguirem completar a prova com energia suficiente armazenada nas baterias. 

Os carros evoluíram nas últimas edições e esses “pit stops” já não são mais necessários. Uma bateria na Fórmula E é capaz de aguentar 45 minutos de corrida, mais uma volta no circuito. 

Gen2 EVO: o novo carro da Fórmula E

Em janeiro de 2020, a organização da categoria apresentou o Gen2 Evo, carro que passará a ser usado na Fórmula E na temporada 2020/2021.

De acordo com a Fórmula E, houve uma série de alterações no design estrutural: uma nova asa dianteira, barbatana dorsal, asa traseira com curvatura e brasão do campeonato atualizado.

As modificações na carroceria foram feitas no meio do atual ciclo de quatro anos da era ‘Gen2’, para fornecer um novo e renovado ‘visual’ para a Fórmula E. 

O carro continuará equipado com pneus Michelin para todas as condições climáticas, de 18 polegadas, especialmente projetado para uso em condições úmidas e secas.


Agora é a hora de entender como funciona o campeonato de Fórmula E. Confira as regras!

Quais são as regras da Fórmula E?

Regras da Fórmula E
O vencedor de uma corrida na Fórmula E leva 25 pontos

As regras do campeonato da Fórmula E são similares às regras usadas na Fórmula 1. Há dois títulos separados, um dedicado aos pilotos e o outro às equipes. 

O campeonato dos pilotos é ganho pelo competidor que tenha acumulado mais pontos durante toda a temporada. 

Já o campeonato de equipes é decidido pela soma das pontuações dos dois pilotos de cada equipe ao longo da temporada.

Sistema de pontuação da Fórmula E

A Fórmula E segue um sistema de pontos padrão, usado em outras categorias sancionadas pela FIA, que concede pontos aos 10 primeiros colocados.

  • – 25 pts
  • – 18 pts
  • – 15 pts
  • – 12 pts
  • – 10 pts
  • – 8 pts
  • – 6 pts
  • – 4 pts
  • – 2 pts
  • 10º – 1 pt

Pontos adicionais também são concedidos por garantir a Julius Baer Pole Position e conquistar a volta mais rápida.

O piloto que começa na frente (Julius Baer Pole Position) ganha três pontos extras. Já o piloto que consegue a volta mais rápida durante a corrida recebe um ponto adicional. 

No entanto, o piloto deve terminar entre os 10 primeiros lugares para ganhar o ponto extra da volta mais rápida. Caso não consiga fazer isso, o piloto entre os 10 melhores com a próxima volta mais rápida leva o ponto extra.

  • Julius Baer Pole Position – 3 pontos
  • Volta Mais Rápida – 1 ponto (se terminar em uma das 10 primeiras posições)

Treinos e classificações na Fórmula E

Um fim de semana de prova da Fórmula E é dividido entre shakedown, treino, qualificação e prova Super Pole, além claro da própria corrida, chamada de E-Prix.

Shakedown

Na maioria dos E-Prix, um shakedown é realizado na sexta-feira, um dia antes do evento principal. Porém, isso depende da disponibilidade da pista (ou as ruas da cidade na Fórmula E). 

Os pilotos usam esta sessão para verificar os sistemas eletrônicos e a confiabilidade do carro, mas não o desempenho geral, já que os carros correm em uma velocidade reduzida. A potência é limitada a 110 KW.

O shakedown serve para que a FIA também analise o local de prova, levando em conta o feedback dos competidores.

Treino

Cada evento da Fórmula E tem duas sessões de treino: uma sessão inicial de 45 minutos, seguida de outra de 30 minutos. 

No caso de rodada dupla, como no primeiro e no último fim de semana da temporada, a programação de treinos é reduzida a apenas uma sessão de 45 minutos no segundo dia de uma rodada dupla. 

Nos treinos, as equipes e os pilotos vão para a pista com limite de tempo, para sentir a pista e adaptar a configuração do carro. 

Embora o cronômetro esteja ligado, isso não conta para o resultado final. Afinal, é apenas um sessão de treino. 

Nos treinos, a potência é de 250 KW.

Qualificação e prova Super Pole

A qualificação determina a ordem em que os pilotos começarão a corrida, com o piloto mais rápido ocupando o primeiro lugar e o mais lento em último.

A sessão dura uma hora, e os pilotos ficam divididos em quatro grupos de até seis carros, definidos pelas respectivas posições no campeonato. 

Para a primeira corrida da temporada, a ordem é decidida pela posição geral em que os pilotos terminaram a temporada anterior.  

Uma vez na pista, cada piloto tem 6 minutos para definir o melhor tempo, e os seis primeiros colocados vão para a prova Super Pole em uma tentativa de garantir a Julius Baer Pole Position e mais três pontos. 

Durante a prova Super Pole, os pilotos largam um por um, e o sexto piloto mais rápido das fases de grupos larga primeiro. Quando ele cruza a linha para começar a volta, a luz do pitlane fica verde e o quinto piloto mais rápido sai. 

Isso se repete até que todos os seis pilotos tenham completado uma volta.

Novamente, a potência é de 250 KW.

E-Prix, a corrida da Fórmula E

Enquanto as provas da Fórmula 1 recebem o nome de Grand Prix ou GP, as corridas da Fórmula E são chamadas de E-Prix.

As corridas da categoria começam com uma partida estática, o que significa que os carros ficam parados até as luzes ficarem verdes. 

Os pilotos se alinham em um grid fictício, a uma curta distância atrás do grid verdadeiro, e lentamente entram em posição para iniciar a corrida. 

O E-Prix dura 45 minutos. No final, quando os 45 minutos terminarem e o líder cruzar a linha de chegada, ainda haverá mais uma volta até que a corrida termine.

Durante a corrida da Fórmula E, há alternativas para que os pilotos ganhem mais potência. Veja quais são elas!

Modo Ataque e Fanboost

Desde a temporada 2018/2019, a Fórmula E conta com o Modo Ataque, que permite a cada piloto uma carga de potência extra por sua conta e risco. 

Para acionar o Modo Ataque, os pilotos precisam armar os carros, sair do trajeto e passar pela Zona de Ativação. Como recompensa por tomar um caminho mais lento pela lateral, eles poderão coletar 25 kW extra de potência. 

Os pilotos que garantem a velocidade extra podem usá-la por algumas voltas quando querem competir mais.

Já o Fanboost é uma possibilidade de o público escolher pilotos que receberão mais potência.

Os cinco pilotos que recebem o Fanboost recebem um impulso significativo de potência, que pode ser usado em uma janela de cinco segundos durante a segunda metade da corrida. 

O fã da categoria pode votar para dar o Fanboost ao seu piloto favorito a partir de seis dias antes da corrida e até os 15 minutos de cada prova. 

A votação acontece tanto pelo site da Fórmula E quanto usando uma hashtag com o nome do piloto escolhido, junto com #FANBOOST, nas redes sociais.

Pneus da Fórmula E

Pneus da Fórmula E
Michelin é a fornecedora oficial de pneus da Fórmula E

Os pneus da Fórmula E têm 18 polegadas. Fornecidos pela Michelin, são feitos sob medida e usados por todas as equipes e pilotos.

Cada piloto pode usar até quatro novos pneus traseiros e quatro dianteiros em cada evento. Isso significa que eles precisam fazer um total de dois conjuntos de pneus durarem da Shakedown até o fim da corrida.  

Tempo de carregamento

O carregamento do carro é proibido durante a qualificação e a corrida, assim como no parque fechado e nas verificações técnicas. 

As equipes podem carregar os carros entre as sessões e durante os treinos.

e-License: a Licença da Fórmula E

Assim como uma carteira de motorista, os pilotos da Fórmula E devem se qualificar para participar da categoria. 

Para entrar na Fórmula E, os pilotos devem cumprir os seguintes requisitos:

  • Conduzir uma sessão de treinamento específica da FIA, com foco na segurança elétrica, características específicas do carro de Fórmula E totalmente elétrico, bem como revisar os aspectos técnicos e esportivos da categoria;
  • Acumular pelo menos 20 pontos nos últimos três anos, em conjunto com o sistema de pontos da FIA, usado para se qualificar para um Superlicença. Ter tido uma Superlicença anteriormente ou ter participado de pelo menos três eventos anteriores da Fórmula E;

O campeão da temporada anterior se qualifica automaticamente para uma Superlicença no ano seguinte.

Se esses pontos não forem alcançados, um piloto que tenha demonstrado capacidade excepcional de modo consistente em categorias de monopostos ainda pode participar mediante julgamento da FIA.

Quantas corridas tem a Fórmula E?

Calendário da Fórmula E
Calendário da Fórmula E tem 14 corridas, distribuídas entre 12 cidades

A evolução da Fórmula E reflete também no crescimento do calendário da categoria. Em 2019/2020, a temporada conta com 14 provas em 12 cidades diferentes, sendo duas rodadas duplas. 

Além da Arábia Saudita, que abriu a temporada, haverá duplo ePrix no Reino Unido, no encerramento do calendário. 

As duas provas em Al-Diriyah foram as únicas disputadas em 2019. Todas as 12 etapas restantes acontecem em 2020.

Por enquanto, não há corridas da Fórmula E no Brasil. Mas isso pode mudar nas próximas temporadas. Em junho de 2019, o Ministério do Turismo divulgou nota em que afirmava que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) liberou o país para sediar o evento. Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro se candidataram a receber um ePrix.

Atualmente, Santiago é a única cidade sul-americana que tem corridas da Fórmula E.

Confira agora todo o calendário da categoria!

Calendário de corridas da Fórmula E

  1. Al-Diriyah (Arábia Saudita) – 22 de novembro
  2. Al-Diriyah (Arábia Saudita) – 23 de novembro
  3. Santiago (Chile) – 18 de janeiro
  4. Cidade do México (México) – 15 de fevereiro
  5. Marrakesh (Marrocos) – 29 de fevereiro
  6. Sanya (China) – adiado por conta da epidemia de Coronavírus, data a confirmar
  7. Roma (Itália) – 4 de abril
  8. Paris (França) – 18 de abril
  9. Seul (Coreia do Sul) – 3 de maio
  10. Jacarta (Indonésia) – 6 de junho
  11. Berlim (Alemanha) – 21 de junho
  12. Nova York (Estados Unidos) – 11 de julho
  13. Londres (Inglaterra) – 25 de julho
  14. Londres (Inglaterra) – 26 de julho

Não se assuste ao ver as repetições de Al-Diriyah e Londres. As duas cidades têm duas etapas, abrindo e fechando o campeonato da Fórmula E.

Vá além do Automobilismo! Confira também conteúdos de outros esportes:

Quantas equipes e quantos pilotos tem a Fórmula E?

Equipes e pilotos da Fórmula E
Brasileiro Felipe Massa é um dos pilotos da Venturi Racing

A Fórmula E tem crescido em número de equipes e pilotos nos últimos anos. Na temporada 2019/2020, são 12 equipes, com dois pilotos cada, totalizando 24.

O campeonato de 2019/2020 marcou a entrada de Mercedes-Benz e Porsche na categoria, seguindo o caminho que já havia sido trilhado por Audi, BMW, DS Automobiles, Jaguar, Mahindra, Nissan e Venturi.

Entre os pilotos, atualmente, a categoria tem apenas dois brasileiros. Lucas Di Grassi corre pela Audi Sport ABT Schaeffler. Já Felipe Massa é um dos pilotos da Venturi Racing.

Veja, a seguir, a relação de todas as equipes e seus respectivos pilotos! 

Equipes e pilotos da Fórmula E

Audi Sport ABT Schaeffler (Alemanha)

  • Lucas Di Grassi (Brasil)
  • Daniel Abt (Alemanha)

BMW i Andretti Motorsport (Estados Unidos) 

  • Alexander Sims (Grã-Bretanha)
  • Maximilian Günther (Alemanha)

DS Techeetah (China)

  • Jean-Éric Vergne (França)
  • António Félix Costa (Portugal)

Envision Virgin Racing (Grã-Bretanha)

  • Sam Bird (Grã-Bretanha)
  • Robin Frijns (Holanda)

GEOX Dragon (Estados Unidos)

  • Nico Müller (Suíça)
  • Brendon Hartley (Nova Zelândia)

Mahindra Racing (Índia)

  • Pascal Wehrlein (Alemanha)
  • Jérôme d’Ambrosio (Bélgica)

Mercedes-Benz EQ (Alemanha)

  • Stoffel Vandoorne (Bélgica)
  • Nyck de Vries (Holanda)

NIO 333 FE Team (China)

  • Oliver Turvey (Grã-Bretanha)
  • Ma Qing Hua (China)

Nissan e.dams

  • Oliver Rowland (Grã-Bretanha)
  • Sébastien Buemi (Suíça)

Panasonic Jaguar Racing (Grã-Bretanha)

  • James Calado (Grã-Bretanha)
  • Mitch Evans (Nova Zelândia)

TAG Heuer Porsche Formula E Team (Alemanha)

  • Neel Jani (Suíça)
  • André Lotterer (Alemanha)

ROKiT Venturi Racing (Polônia)

  • Felipe Massa (Brasil)
  • Edoardo Mortara (Suíço)

Quais são os maiores vencedores da Fórmula E?

Jean-Éric Vergne é o maior vencedor da história da Fórmula E
Jean-Éric Vergne é o maior vencedor da história da Fórmula E, com dois títulos

Na história da Fórmula E, apenas o piloto francês Jean-Éric Vergne foi campeão por mais de uma vez. Correndo pela Techeetah, ele venceu as temporadas 2018-2018 e 2018-2019.

Vergne foi o quarto piloto a ser campeão da Fórmula E. Antes dele, dois brasileiros já haviam vencido a categoria. Nelson Piquet Jr., o Nelsinho, levou o título da primeira temporada, em 2014-2015. Já em 2016-2017, o título ficou com Lucas Di Grassi.

O outro campeão da Fórmula E é o suíço Sebastien Buemi, vencedor em 2015-2016.

Todos os campeões da categoria já passaram pela Fórmula 1.

Todos os pilotos campeões da Fórmula E

  • 2014-2015 – Nelson Piquet Jr. (Brasil), NEXTEV Team China Racing
  • 2015-2016 – Sebastien Buemi (Suíça), da Renault e.dams
  • 2016-2017 – Lucas di Grassi (Brasil), da ABT Schaeffler Audi Sport
  • 2017-2018 – Jean-Éric Vergne (França), da Techeetah
  • 2018-2019 – Jean-Éric Vergne (França), da DS Techeetah

Qual equipe tem mais títulos da Fórmula E?

Equipe com mais títulos da Fórmula E
Renaul e.dams foi tricampeã nas três primeiras edições da Fórmula E

A Renault e.dams é a equipe com mais títulos na história da Fórmula E. Seus pilotos somaram mais pontos nas três primeiras temporadas da categoria.

Curiosamente, nos anos em que a Renault e.dams foi campeã, somente uma vez um de seus pilotos também levou o título na disputa individual. Isso aconteceu em 2015-2016, com a conquista do suíço Sébastien Buemi.

A hegemonia da Renault e.dams ainda está longe de ser ameaçada. Enquanto a  Audi Sport ABT Schaeffler foi campeã da Fórmula E em 2017-2018, a chinesa DS Techeetah levou o título em 2018-2019.

Equipes campeãs da Fórmula E

  • 2014-2015 – Renault e.dams
  • 2015-2016 – Renault e.dams
  • 2016-2017 – Renault e.dams
  • 2017-2018 – Audi Sport ABT Schaeffler
  • 2018-2019 – DS Techeetah

A cada temporada, a Fórmula E se consolida como uma das mais importantes e principais categorias do automobilismo mundial.

Os carros elétricos evoluem, novos e talentosos pilotos surgem, e os fãs de automobilismo desfrutam de mais uma emocionante competição.

Agora que você já sabe tudo sobre a Fórmula E, aproveite para conferir também:

*Última atualização em 7 de fevereiro de 2020

Comentários

Salvar
15 Compart.
Compartilhar3
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin12