Neste domingo (10),  Valtteri Bottas  encerrou seu jejum de mais de 1 ano sem vencer, e faturou o lugar mais alto do pódio no  GP da Turquia. Ademais, com Lewis Hamilton largando do meio do pelotão (sofreu uma punição sem grade pela troca de componentes), Max Verstappen finalizou em segundo. Sérgio Pérez completou o pódio.

Início da corrida no GP da Turquia

De início, na largada não existam grandes incidentes, com os pilotos sendo bem cuidadosos. Apenas  Pierre Gasly  não conseguiu evitar o toque com  Fernando Alonso,  fazendo o espanhol rodar e cair pro fundo do grid.

Logo depois, foi Alonso  quem causou um toque, tentando uma manobra arriscada em  Mick Schumacher em que o alemão também rodou. Imediatamente, ambos causadores do acidente levaram uma punição de cinco segundos.

Hamilton subindo o pelotão

Nesse meio tempo, na décima volta, Lewis Hamilton , que havia largado em 11º, já estava na 7ª colocação. Antes disto, travou uma ferrenha batalha com Yuki Tsunoda,  durando sete voltas de tentativa de ultrapassagem.

O japonês, que corre pela AlphaTauri parceira da Red Bull,  admitiu que segurou bem o inglês pois queria que  Verstappen  vencesse.

Posteriormente, mais cinco voltas em diante, e Hamilton  já passaria Norris Gasly.  Ainda antes da metade da prova, o inglês colava em  Pérez,  até então na 4ª posição, e se mantinha a expectativa se chegaria ou não ao pódio.

Bottas na ponta controla o ritmo no GP da Turquia

Constantemente, Valtteri Bottas,  que havia feito uma ótima largada, não deu chances para Verstappen. O finlandês, brilhantemente, controlou o ritmo na ponta e impediu que o holandês da RBR  aproximasse.

Por vezes, Max Verstappen também não ameaçou tanto. Sabendo que seu rival pelo título largaria no meio do grid, ficar na segunda colocação (e a frente de Hamilton) não seria resultado ruim, sendo que já era esperado uma Mercedes mais forte.

Hamilton x Pérez

Voltando ao, até então, líder do campeonato, Lewis Hamilton travou uma das mais emocionantes batalhas do ano.

Pouco depois, na volta 34, o inglês encostou em Pérez e, roda a roda, disputaram posição, curva após curva e, na abertura da volta seguinte, na reta principal, Hamilton parecia ter ganho a posição, até que Pérez encontrou melhor traçado, freou no momento certo, e saiu a frente do inglês.

A partir disso, Lewis Hamilton viveu na prova seu maior dilema da temporada.

Lewis Hamilton e o dilema dos pits

Mais tarde, próximo das 10 voltas finais, Lewis Hamilton se comunicava a todo momento com sua equipe para saber se havia de parar ou não. Desde o início da prova com os mesmos pneus, a situação da prova era de pódio para o inglês.

Visto que Leclerc, de início, também desejava ficar na pista, mas acabara indo aos boxes, Hamilton afirmou que o ritmo continuava decente mesmo com o composto esfarelando, e pediu para ficar na pista e terminar a prova com os mesmos pneus.

Com 8 voltas para o final, a distância entre Hamilton e Leclerc (na 4ª posição) era de 10s. Observando a grande possibilidade do inglês perder uma ou mais posições, a Mercedes deu a chamada aos boxes.

Na saída, Hamilton voltou a esbravejar. O ritmo com os novos compostos era péssimo e, além de voltar atrás de Leclerc Pérez, via no retrovisor Gasly Norris aproximando.

Bottas vence e Pérez volta ao pódio

Por fim, a situação de Bottas Verstappen se manteve. O finlandês conseguiu o hat-trick da prova, ao faturar a pole, vitória e volta mais rápida. Em suma, Sérgio Pérez veio a ultrapassar Leclerc e ficar com a 3ª posição no GP da Turquia. 

Ademais, piloto do dia, Carlos Sainz, que largou em último, fez uma corrida impressionante e terminou na 8ª colocação, e por pouco não ficou com a volta mais rápida.

Portanto, com o resultado, Max Verstappen reassume a liderança do campeonato, com diferença de 6 pontos e faltando seis provas para o fim. A próxima é em Austin, nos Estados Unidos.

Foto destaque: 

Salvar