Em 2008, o brasileiro Bruno Santos entrou para a história sendo o primeiro brasileiro a vencer em Teahupoo, Tahiti. Na ocasião, a vitória foi em cima do surfista local, Manoa Drollet. Na época, os brasileiros não despontavam como os grandes favoritos, a última vez que o Brasil tinha sido campeão de uma etapa tinha sido em 2002, com Neco Padaratz, vencendo em Hossegor, na França.

 

A praia de Teahupoo recebe o apelido de “a praia dos crânios quebrados”, o nome sinistro se deve ao fato de o local apresentar uma rasa bancada de corais que chegam quase a um metro de altura. Dessa forma, em caso de queda o encontro com os corais pode ser fatal.

Em 2000, o brasileiro Neco Padaratz chegou a se acidentar surfando na praia. Após o trauma, o catarinense decidiu não mais participar da etapa, só voltando três anos depois.

Campanha histórica de Bruno Santos

O brasileiro chegava a sua terceira vez disputando no Tahiti. Na primeira oportunidade, havia sido convidado. Enquanto que nas outras duas ganhou vaga após vencer as triagens. Ao todo, enfrentou 12 baterias e passando por surfistas bastante renomados da época.

No início da campanha, acabou sendo derrotado logo na primeira fase. Contudo, saiu bem na repescagem e passou por cima que ninguém menos que Mick Fanning. Na época, o atual campeão mundial. Em seguida, eliminou outro australiano e também dos grandes: Taj Burrow. No ano anterior, havia sido vice-campeão.

Nas oitavas, encarou o norte-americano Tim Reyes. Antes da bateria, Bruno não tinha mais nenhuma prancha, uma vez que todas as suas já haviam se quebrado. Então, decidiu recorrer a um surfista local para que pudesse emprestar sua prancha para que ele disputasse a bateria. No fim, com uma prancha emprestada, derrotou o norte-americano e avançou de fase.

Em seguida, disputou as quartas de final contra o brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho. Mais uma vez, Bruno passou e chegou nas semifinais. Até então, dos brasileiros, somente Danilo Costa havia chegado tão longe em Teahupoo. Assim, em 2003 chegou nas semifinais, mas foi eliminado por Kelly Slater.

Final contra Manoa Drollet

Nas semis, passou por CJ Hobgood, que tinha sido campeão mundial em 2001. Na final, contra Manoa Drollet, que eliminou nomes como Kelly Slater e  Joel Parkinson. O surfista era do próprio Tahiti e tinha sido convidado a participar do evento. Contudo, não teve chances contra o brasileiro que colocou vantagem de 5,17 e saiu como campeão.

Após o feito de Bruno, seis anos depois mais uma brasileiro repetiu a conquista na praia dos crânios quebrados: Gabriel Medina, em 2014. Em seguida, em 2018, o surfista de Maresias repetiu o grande feito.