Após diversos dias de evento, o Corona Saquarema Pro 2022 chegou ao Finals Day, com um dia cheio de ondas e emoções.

Quartas de final

saquarema
Foto: Daniel Smorigo/WSL.

O dia começou com as quartas de finais femininas. Em quatro baterias, as surfistas deram tudo para conquistar uma vaga nas semifinais.

Teresa Bonvalot (POR) ganhou com uma diferença de 0.23 centésimos sob a australiana Bronte Macaulay. Com uma diferença também pequena, a francesa Tessa Thysen avançou sob a compatriota Vahine Fierro. A terceira bateria trouxe uma brasileira, Summer Macedo, mas a jovem caiu contra a japonesa Amuro Tsuzuki, com 5.90 contra 13.64. A última a se classificar foi a estadunidense Alyssa Spencer.

Logo em seguida, foi a vez dos homens entrarem na água. Para a alegria dos brasileiros, João “Chumbinho” Chianca e Gabriel Medina, na primeira e segunda bateria respectivamente, voaram direto para as semifinais, em um confronto verde-amarelo.  O marroquino Ramzi Boukhiam e o francês Joan Duru também passaram para as semis.

Semifinais

saquarema
Foto: Daniel Smorigo/WSL.

Seguindo a alternância, as mulheres voltaram a batalhar por ondas no pico de Itaúna e as semifinais femininas tiveram início. Tessa Thysen (FRA) eliminou Teresa Bonvalot (POR). Por uma diferença de um pouco mais de dois pontos, Alyssa Spencer (EUA) eliminou Amuro Tsuzuki (JAP).

Para o desespero dos fãs da Brazilian Storm, a primeira bateria masculina foi BRA x BRA. Chumbinho e Medina deram tudo de si e batalharam por uma vitória merecida. Com um total de dezoito ondas surfadas na bateria, apesar de ter um grande potencial, João não conseguiu vencer o tricampeão mundial de surfe, que levou a melhor. Gabriel finalizou a bateria com 10.87 e João Chianca, com 10.60.

E com 12.44 pontos, foi Ramzi Boukhiam quem ganhou a segunda bateria das semifinais masculinas e avançou para as finais, sob Joan Duru (FRA), que perdeu com 9.53.

Finais do Corona Saquarema Pro 2022

saquarema
Foto: Thiago Diz/WSL.

Após uma bateria de trinta e cinco minutos de duração com ondas escassas,  a norte americana Alyssa Spencer se consagrou campeã com 12.90 pontos, contra os 9,06 de Tessa Thyssen (FRA).

E na masculina, a final foi acirrada. Gabriel Medina (BRA) travou um combate contra Ramzi Boukhiam (MAR). Foram apenas quinze ondas, e durante a maior parte da bateria, foi o marroquino que estava liderando, para a aflição dos brasileiros na praia de Saquarema. Em cinco ondas, Ramzi conseguiu um somatório de 13.43 pontos, e até então Medina tinha apenas 6.67.

Porém, quando tudo parecia perdido, Gabriel deu seu nome e mostrou porque é foi campeão mundial não uma, não duas mas três vezes: nas últimas duas ondas da bateria, o natural de Maresias fez suas melhores pontuações e conseguiu virar quando muitos torcedores já haviam perdido a esperança. Com 13.67, Gabriel Medina se tornou campeão do Challenger Series de Saquarema. Veja mais aqui.

saquarema
Foto: Daniel Smorigo/WSL.

Haleiwa Challenger

Após o Corona Saquarema Pro, o próximo e último evento do ano do CS é o Haleiwa Challenger. Para os que ainda não conseguiram segurar uma vaga para competir no circuito de elite do ano que vem, esse evento no Havaí será a última chance. A janela para realização da etapa vai de 26 de novembro à 7 de dezembro.

Foto em destaque: Thiago Diz/WSL.