O GP Brasil de Fórmula 1 foi um sucesso. Mais do que as apresentações na pista de Interlagos, a presença da torcida e o dinheiro envolvido chamaram a atenção dos fãs de automobilismo neste sábado (11).

São Paulo, que está garantido no calendário da F1 até 2030, provou que a etapa da categoria traz um retorno positivo para a capital paulista. E isso foi comprovado através de números da Fundação Getúlio Vargas.

Isso porque essa edição garantiu um impacto econômico bilionário para a cidade, além de registrar um recorde de público.

GP Brasil movimenta mais de R$ 1 bilhão para São Paulo

A edição 2023 do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 movimentou R$ 1,64 bilhão para São Paulo, o que representa um aumento de 12,9% em relação à última temporada. O levantamento foi feito com base nas informações da Secretaria Municipal de Turismo, por meio do Observatório do Turismo da São Paulo Turismo (SPTuris).

Do valor total movimentado na capital paulista, R$ 990,1 milhões vieram de forma direta, enquanto o restante dos R$ 647,5 milhões vieram indiretamente. A movimentação total gerou R$ 246,5 milhões em impostos para São Paulo.

2023 também registrou um recorde de público para a F1 em Interlagos. Ao todo, mais de 267 mil pessoas estiveram presentes no autódromo nos três dias. Isso significa um aumento de 47% em comparação a 2021.

Além disso, o GP de São Paulo destacou o juvenescimento do público que acompanha Fórmula 1. A faixa de 18 a 24 anos passou de 21,3% em 2022 para 21,6% em 2023; já na faixa dos 25 a 29 anos cresceu de 22,8% para 23,9% nesta edição.

Por outro lado, o público de 30 a 39 anos caiu de 28,3% para 25,8%. Na faixa dos 50 a 59 anos, outra diminuição: de 8,3% para 7,1%. Por fim, pessoas com mais de 60 anos representaram 4,1% do público em Interlagos em 2022, mas foram apenas 3,7% nesta temporada.

A expectativa é que o GP Brasil de F1 continue trazendo batalhas épicas na pista, enquanto a cidade de São Paulo se beneficia com o principal evento esportivo recorrente do país.