A F1 tem passado por mudanças em seus regulamentos e também na formação de seus carros. Isso fica claro após o anúncio de todos as equipes e suas diferentes dimensões em asas traseiras e dianteiras, coisa que não era comum. Assim, também a Aston Martin planeja uma nova mudança em seus veículos, desta vez a longo prazo e em uma parte escassa dentro da Fórmula 1.

O que a Aston Martin pode oferecer a F1?

Acima de tudo, desde 2014, o motor permaneceu o mesmo, sendo patrocinada pela Mercedes. A Red Bull já decidiu seguir seu próprio caminho e fazer seus próprios motores, apesar disso ter sido um pouco alterado recentemente com a ajuda da Honda, e essa decisão parece ter inspirado outras equipes.

Sendo assim, a Aston Martin também está interessada em fabricar seus próprios motores. Embora, ainda esteja longe de uma decisão final, a equipe está interessada em explorar mais do que o normal dos demais carros.

“Acho que, avançando com nossas ambições, definitivamente estamos estudando nosso fornecimento de unidades de potência a longo prazo”, comentou Andrew Green, diretor técnico da equipe.

Por outro lado, o proprietário do time, Lawrence Stroll que poderia financiar o projeto. Decerto, após a Aramco tornarse o principal patrocinadora da Aston, aumentando o caixa da equipe dentro do cockpit.

Em 2026 está previsto para um novo regulamento das unidades de potência e acho que como equipe, adoraríamos estar envolvidos nisso. A Com certeza, vamos estudar isso em detalhes e entenderemos se há algum benefício nessa direção”, finalizou o britânico.

Por fim, a categoria ainda terá o pré-testes neste mês no Barhein. A primeira corrida dá temporada está marcada para o dia 20 e contará com um grande mistério visto essas novas regras e física dos carros. Em suma, todos os detalhes da Fórmula 1, você acompanha aqui no Esportelândia.

Foto Destaque: Divulgação/XPB Images