O Iatismo, como a Vela era popularmente conhecida antes dos anos 2000, tem origem no século 17. O esporte surgiu na Holanda e, por ser uma embarcação fácil e ágil, chamou a atenção do rei da Inglaterra, Charles II.

O rei Charles II, que estava exilado na Holanda, fez alterações no jaghtstchip, o barco da vela, quando pode retornar à Inglaterra. Com isso, novos tipos de barcos foram elaborados com a ajuda do rei, que incentivou o Iatismo e promoveu as primeiras regatas.

Em 1720, o primeiro clube de iate foi criado. No entanto, a criação não ocorreu nem na Holanda e nem na Inglaterra. O país pioneiro de iate clube foi a Irlanda, que realizou a primeira grande regata em 1749.

No Brasil, a Vela chegou somente no final do século 19. Os europeus foram os responsáveis por trazer o Iatismo para o país. Em 1906, o primeiro clube de iate foi criado no Rio de Janeiro. Cerca de 29 anos depois, a primeira competição aconteceu em terras tupiniquins. 

Regras da Vela

De maneira geral, a Vela envolve mover o barco apenas com a energia dos ventos. Apesar de parecer simples, quem comanda a embarcação precisa de agilidade e experiência, pois precisa lidar com as mudanças no tempo enquanto navega.

Se tratando das Olimpíadas, são aplicadas as regras da Federação Internacional de Vela. Nas regras, todos os competidores partem do mesmo ponto, fazendo o mesmo percurso. O vencedor é quem chega primeiro no fim.

A Vela conta com cerca de 100 classes diferentes. Contudo, as que fazem parte do programa olímpico mudam com frequência. As classes são definidas por algumas especificidades, como tipos de barco e vela. 

Para os Jogos de Paris 2024, serão 10 tipos diferentes de classes, sendo elas: Laser, Laser Radial, 49er, 49erFx e Nacra 17, que foram mantidas de Tóquio. Fórmula kite (masculino e feminino), IQFoils (masculino e feminino) e 470 mista são as novidades da edição.

História da Vela nas Olimpíadas

A Vela faz parte dos Jogos Olímpicos desde a sua segunda edição, que ocorreu em Paris, em 1900. Contudo, devido às condições meteorológicas da época, a disputa da modalidade foi cancelada no primeiro programa olímpico. 

Em 1904, a modalidade não esteve presente nos jogos de St. Louis. Sendo assim, a Vela passou a estar presente em todas as edições dos Jogos Olímpicos a partir de 1908, Londres, e passou por inúmeras modificações desde então.

Inicialmente, as regras da Vela não eram bem definidas. Todavia, isso mudou após protocolos estabelecidos pela Federação Internacional de Vela (ISAF), fundada em 1907. Anteriormente, as regras eram definidas por clubes náuticos. 

Até 2000, o esporte era conhecido como Iatismo, como foi introduzido em Paris, em 1900. A disputa em mar aberto não foi disputada na cidade-sede dos jogos em todas as edições. Entretanto, o esporte sempre aconteceu no país da competição.

A modalidade foi disputada na mesma cidade em que os Jogos Olímpicos foram realizados em apenas seis ocasiões. Dessa forma, as cidades foram: Los Angeles 1932, Melbourne 1956, Barcelona 1992, Sydney 2000, Atenas 2004 e Rio de Janeiro 2016.

Brasil na Vela nas Olimpíadas e Paris 2024

O Brasil está presente nos Jogos Olímpicos com a Vela desde Moscou, em 1980. Naquela edição, Eduardo Penido e Marcos Soares conquistaram o primeiro ouro para o país na modalidade, nos 470 mista.

Nomes como o de Eduardo Penido, Marcos Soares, Lars Grael, Torben Grael, Robert Scheidt, Alexandre Welter, Lars Björkström e Marcelo Ferreira representaram o Brasil, o tornando uma potência na Vela.

Ao todo, o Brasil já conquistou 19 medalhas olímpicas com a Vela, sendo a modalidade que mais rendeu medalhas ao país. São 8 ouros, 3 pratas e bronzes ao longo da história. 

Nos Jogos de Paris 2024, o Brasil mais uma vez conta com os destaques de Martine Gahel e Kahena Kunze. No masculino, Bruno Lobo e Matheus Isaac vão em busca do ouro.

Confira abaixo a lista de atletas com mais medalhas na Vela:

Velejador(a) País Ouro Prata Bronze Gênero
Ben Ainslie Grã-Bretanha 4 1 0 Masculino
Robert Scheidt Brasil 2 2 1 Masculino
Torben Grael Brasil 2 1 2 Masculino
Paul Elvstrøm Dinamarca 4 0 0 Masculino
Jochen Schümann Alemanha 3 1 0 Masculino
Valentin Mankin União Soviética 3 1 0 Masculino
Tore Holm Suécia 2 0 2 Masculino
Hannah Mills Grã-Bretanha 2 1 0 Feminino
Iain Percy Grã-Bretanha 2 1 0 Masculino
Magnus Konow Noruega 2 1 0 Masculino
Mark Reynolds Estados Unidos 2 1 0 Masculino
Mathew Belcher Austrália 2 1 0 Masculino
Rodney Pattisson Grã-Bretanha 2 1 0 Masculino
Marcelo Ferreira Brasil 2 0 1 Masculino
Vela nas Olimpíadas: história e maiores medalhistas
Ben Ainslie nos Jogos Olímpicos de Londres 2012

Ben Ainslie esteve presente em cinco Jogos Olímpicos, disputando em Atlanta 1996, Sydney 2000, Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012. Ainslie conquistou pela Grã-Bretanha 4 ouros e 1 prata.

Vela nas Olimpíadas: história e maiores medalhistas
Robert Scheidt nos Jogos Olímpicos de Londres 2012

Robert Scheidt é o brasileiro maior medalhista brasileiro em Olimpíadas. Com cinco pódios disputados em Atlanta 1996, Sydney 2000, Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012, Scheidt tem 2 ouros, 2 pratas e 1 bronze.

Vela nas Olimpíadas: história e maiores medalhistas
Torben Grael e Marcelo Ferreira nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004

Na sequência, o terceiro atleta com mais medalhas em Olimpíadas também é brasileiro. Torben Grael conquistou 2 ouros, 2 pratas e 2 bronzes, disputando os Jogos Olímpicos de Los Angeles 1984, Atlanta 1996, Sydney 2000 e Atenas 2004.

Vela nas Olimpíadas: história e maiores medalhistas
Dinarmaquês Paul Elvstrøm velejando

A Dinamarca também tem um dos maiores medalhistas de Vela dos Jogos Olímpicos. Paul Elvstrøm conquistou 4 ouros nas Olimpíadas de Londres 1948, Helsinque 1952, Melbourne 1956 e Roma 1960.

Vela nas Olimpíadas: história e maiores medalhistas
Jochen Schümann é o 5ª maior medalhista na Vela

O quinto maior medalhista da modalidade é da Alemanha. Jochen Schümann participou dos Jogos Olímpicos de Montreal 1976, Seul 1988, Atlanta 1996 e Sydney 2000, conquistando 3 ouros e 1 prata.

Destaques na Vela Feminino pelo Brasil

Vela nas Olimpíadas: história e maiores medalhistas
Martine Grael e Kahena Kunze em Tóquio 2020

Assim como o pai, Toben Grael, Martine Grael é bicampeã olímpica. Aos 33 anos, Martina foi ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e repetiu o feito em Tóquio 2020, ao lado de Kahena Kunze, que também é filha de velejador.

Antes mesmo da dupla conquistar o primeiro ouro olímpico, Martine e Kahena foram campeãs mundial júnior na classe 420, em 2009. A dupla voltou a unir forças em 2012, a partir de um convite de Martine.

Atualmente, as duas atletas brasileiras são a nº1 do mundo na classe 49erFX e estarão nos Jogos Olímpicos de Paris 2024, tendo grandes chances de conquistarem o tricampeonato.

Qual o quadro completo de medalhas da Vela nas Olimpíadas?

Veja abaixo o quadro completo de medalhas da Vela nas Olimpíadas, unindo masculino e feminino. Observando que o critério de desempate são mais medalhas de ouro, depois de prata e por último de bronze.

Ordem  País Ouro Prata Bronze Total de medalhas
1 Grã-Bretanha 31 21 12 64
2 Estados Unidos 19 23 19 61
3 Noruega 17 11 4 32
4 França 15 14 20 49
5 Dinamarca 13 9 9 31
6 Austrália 13 8 8 29
7 Espanha 13 5 3 21
8 Suécia 10 14 13 37
9 Nova Zelândia 9 8 6 23
10 Países Baixos 8 9 9 26
11 Brasil 8 3 8 19
12 União Soviética 4 5 3 12
13 Itália 4 3 8 15
14 Áustria 3 4 1 8
15 Alemanha 3 3 7 13
16 China 3 3 2 8
17 Grécia 3 2 3 8
18 Bélgica 2 4 3 9
19 Finlândia 2 2 7 11
20 Alemanha Ocidental 2 2 3 7
21 Alemanha Oriental 2 2 2 6
22 Equipa mista 2     2
23 Argentina 1 4 5 10
24 Ucrânia 1 2 2 5
25 Suíça 1 2 1 4
26 Croácia 1 2   3
27 Polônia 1 1 3 5
28 Equipe Alemã Unida 1 1 1 3
29 Israel 1   2 3
30 Bahamas 1   1 2
31 Hong Kong 1     1
32 Canadá   3 6 9
33 Portugal   2 2 4
34 Eslovênia   2 1 2
35 Irlanda   2   2
36 Hungria   1 1 2
Japão   1 1 2
Rússia   1 1 2
39 Antilhas Neerlandesas   1   1
Chipre   1   1
Cuba   1   1
Ilhas Virgens Americanas   1   1
Lituânia   1   1
República Checa   1   1
45 Estônia     2 2
46 Império Russo     1 1
TOTAL 195 185 180 560

Agora que você sabe tudo sobre a Vela nas Olimpíadas, aproveite para se aprofundar ainda mais em outros esportes olímpicos com nossos outros conteúdos: