Suzanne Lenglen é uma ex-tenista francesa que se tornou a primeira atleta feminina a se tornar uma grande celebridade mundial. Além disso, ela foi a primeira número 1 do mundo entre 1921 e 1926.

Conhecida como La Divine (A Divina), Lenglen teve muitas conquistas nos torneios da época e tem números impressionantes, tendo perdido apenas sete partidas na carreira de simples, seis nas duplas e 18 nas duplas mistas, sempre com uma porcentagem de vitória acima dos 95%.

Ao todo, conquistou oito títulos de Grand Slams, sendo seis vezes Wimbledon e mais duas vezes Roland Garros.

Conquistou também o Campeonato Mundial de Quadra Dura, torneio de tênis que foi disputado entre 1912 e 1923, foram quatro conquistas desse troféu, a primeira delas aos 15 anos.

Além dos troféus já citados acima, venceu a medalha de ouro nas Olimpíadas de 1920, em Antuérpia na Bélgica. Todos esses títulos foram em torneios de simples, ou seja, individuais, ainda conquistou outros tantos em duplas e duplas mistas.

Suzanne Lenglen é pioneira no tênis feminino e morreu ainda muito jovem, aos 39 anos, entrou para o Hall da Fama do Tênis em 1978 e tem seu nome como homenagem na segunda principal quadra do torneio de Roland Garros, em seu país natal.

Suzanne Lenglen revolucionou o tênis feminino ao trazer para o esporte o estilo agressivo do masculino, além disso, quebrou a convenção das mulheres competirem com roupas inadequadas para o tênis.

Foi responsável também pelas turnês profissionais se tornarem as bases do tênis masculino até o início da Era Aberta.

Foi através de sua rebeldia que se tornou profissional, deixando o amadorismo onde os clubes é que ficavam com a maior parte dos prêmios.

Sobre isso, ela falou: “Para mim, é uma fuga do cativeiro e da escravidão. Ninguém mais pode me dar ordens para jogar torneios em benefício dos donos dos clubes”.

Prêmios de Suzanne Lenglen

Ao todo Lenglen conquistou 83 títulos disputando torneios individuais, mais 74 em duplas e 93 em duplas mistas. Foram 332 vitórias e apenas sete derrotas jogando simples, com uma porcentagem de vitórias de 97.9%.

Em duplas foram 254 vitórias e seis derrotas com uma porcentagem de vitórias de 97.7%, enquanto nas duplas mistas venceu 381 partidas e perdeu 18 jogos, com uma taxa de vitórias de 95.5%.

Foram oito títulos de Grand Slam em simples, seis em Wimbledon e dois do Aberto da França, em duplas teve o mesmo número de conquistas nos dois torneios e em duplas mistas, foram dois títulos na França e três na Inglaterra, em Wimbledon.

Nas Olimpíadas de 1920 na Antuérpia, Bélgica, venceu a medalha de ouro nas disputas de simples e duplas mistas e a de bronze das duplas femininas.

 

Ganhos de Suzanne Lenglen

Em uma época onde para jogar os grandes torneios, o atleta deveria ser amador e vinculado a um clube, que ficava com a maior parte do prêmio, Suzanne Lenglen resolveu se tornar profissional e foi quando recebeu os maiores valores de sua carreira.

Fez uma turnê nos Estados Unidos recebendo cerca de 100 mil dólares, o que para a década de 1920 era um valor muito alto.

No ano seguinte fez outra turnê, dessa vez na Inglaterra, sem que os valores ficassem muito claros, mas após isso, se aposentou do esporte.

Curiosidades de Suzanne Lenglen

Suzanne Lenglen foi a tenista número 1 do mundo nas seis primeiras edições do ranking até que se aposentou do tênis amador em 1926.

Depois partiu para as turnês profissionais, tendo feito uma nos Estados Unidos e depois outra na Inglaterra, sendo seu período em que mais lucrou como atleta.

Venceu um total de 250 títulos em toda a sua carreira, se tornando uma das maiores vencedoras de todos os tempos. Foram 83 troféus conquistados em simples, 74 em duplas e 93 em duplas mistas.

Lenglen tem porcentagens de vitórias impressionantes na carreira, tanto em simples, como em duplas e duplas mistas. A menor delas é quando jogou ao lado de um homem, com 95.5% de vitórias conquistas, nas duplas são 97.7% de vitórias e nas simples são 97.9%.

No pós Primeira Guerra Mundial, ela conseguiu 287 vitórias em 288 partidas de simples, tendo uma primeira sequência de 108 vitórias consecutivas e depois outra 179 vitórias consecutivas.

Lenglen terminou sua carreira com uma impressionante sequência de 250 vitórias consecutivas no saibro e se tornou membro do International Tennis Hall of Fame em 1978.

Uma das quadras do complexo de Roland Garros tem o nome de Suzanne em forma de homenagear um dos maiores ícones da história do esporte francês.

Conhecida como a Deusa, Lenglen se tornou um símbolo do orgulho nacional francês após a Primeira Guerra Mundial, sendo uma heroína nacional e muitas vezes retratada como imbatível e chamada de notre Suzanne (nossa Suzanne).