Anastasia Pavlyuchenkova é uma tenista profissional russa que se tornou número 1 júnior do mundo aos 14 anos de idade e teve uma carreira antes do profissional muito boa, vencendo três títulos de Grand Slam.

Por cerca de 13 anos, Pavlyuchenkova esteve entre as 50 melhores do ranking e participou de 48 Grand Slam consecutivos, tendo a nona maior sequência de participações, empatada com Ana Ivanovic.

Ao todo, conquistou 12 títulos de simples no WTA Tour e mais cinco títulos de simples no Circuito Feminino da ITF. Seus dois principais títulos aconteceram em 2014, quando venceu o Open GDF Suez de 2014 e a Copa do Kremlin de 2014.

Em Grand Slam, teve como melhor resultado, o vice campeonato de Roland Garros em 2021. Antes disso, havia chegado às quartas de finais em seis oportunidades, uma vez em Roland Garros, outra no US Open, uma em Wimbledon e três vezes no Australian Open.

Anastasia Pavlyuchenkova também teve sucesso em duplas, vencendo seis títulos no WTA Tour e mais oito no Circuito ITF. Teve seu melhor ranking de duplas em 2013, com o 21º lugar.

Conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2020, no Japão, no torneio de duplas mistas, quando jogou ao lado do compatriota Andrey Rublev.

Teve como melhor ranking de simples até hoje, a 11ª posição em 2021 e no momento está na 24ª colocação do ranking de simples.

Em simples, Anastasia Pavlyuchenkova tem mais de 800 jogos na carreira, com 487 vitórias e 335 derrotas, com uma porcentagem de vitórias de 59.2%.

Em duplas, passou das 400 partidas, tendo vencido 235 vezes e perdido em 167 oportunidades, com uma taxa de vitórias de 58.5%.

Em sua única final de Grand Slam, Anastasia Pavlyuchenkova perdeu para Barbora Krejcikova, confira os melhores momentos da final logo abaixo:

Prêmios de Anastasia Pavlyuchenkova

Ao todo, Anastasia tem 17 títulos de simples, contando WTA Tour e Circuito ITF, enquanto nas duplas ela conquistou 14 títulos no geral, somando os dois circuitos. Jogando duplas mistas, conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de 2020, ao lado de Andrey Rublev.

Aos 32 anos, a russa ainda tem lenha para queimar e tem uma boa porcentagem de vitórias tanto em simples, como em duplas, tendo 59.2% de vitórias nas partidas individuais e 58.5% de vitórias nas duplas.

Seus melhores momentos da carreira aconteceram quando ainda era adolescente e jogava os torneios júnior. Venceu três Grand Slam como júnior, o Aberto da Austrália em 2006, depois o US Open também em 2006 e em 2007 voltou a vencer na Austrália.

Como júnior obteve um recorde de 131 vitórias e 23 derrotas em simples e 87 vitórias e 22 derrotas em duplas.

 

Ganhos de Anastasia Pavlyuchenkova

A tenista russa tem muitos jogos na carreira e muitas participações em torneios, tendo vencido no total 31 títulos na carreira, juntando simples e duplas. Com isso, a tenista já acumulou ganhos de mais de 13 milhões de dólares.

Aos 32 anos, Anastasia Pavlyuchenkova ainda tem alguns anos de alto nível e ainda pode vencer mais alguns torneios e aumentar seu lucro como profissional.

Em 2020, nas Olimpíadas, Anastasia Pavlyuchenkova e Andrey Rublev conquistaram a medalha de ouro nas duplas mistas, confira os principais lances abaixo:

Curiosidades de Anastasia Pavlyuchenkova

A maior posição no ranking profissional que Anastasia Pavlyuchenkova conseguiu em sua carreira foi a 11ª colocação em 2021 e no momento a tenista russa se encontra na 24ª posição.

Antes disso, quando ainda era uma adolescente, ela se tornou número 1 do mundo no ranking júnior, tendo conquistado três Grand Slam na categoria. Ela se tornou profissional no final de 2005, aos 14 anos, mas seguiu disputando torneios na categoria de baixo.

A tenista é destra e utiliza um backhand com as duas mãos, tem 1,76 metros de altura e nasceu na cidade de Samara, na Rússia.

Tem como ponto alto da carreira a conquista da medalha de ouro nas duplas mistas nas Olimpíadas de Tóquio. Outro grande momento em sua carreira foi a final de Roland Garros, disputada em 2021.

Ela condenou a invasão da Rússia à Ucrânia em fevereiro de 2022 e afirmou: “ambições pessoais ou motivos políticos não podem justificar a violência”.

Apesar disso, acabou ficando de fora do torneio de Winbledon no mesmo ano, devido a decisão do All England Club de não permitir atletas russos de disputarem o torneio, em resposta a invasão à Ucrânia.

Em 2023 não conseguiu entrar na República Tcheca para disputar o Aberto de Praga, já que o governo do país não permitiu a entrada de atletas russos e bielorussos.