Nos últimos anos, é provável que você tenha visto que os surfistas brasileiros Gabriel Medina, Adriano de Souza, Italo Ferreira e Filipe Toledo foram campeões mundiais. Mas você sabe quem representa o Brasil no surf feminino? 

Se sua resposta foi Tatiana Weston-Webb, acertou em cheio!

Porto-alegrense, filha de um inglês e uma brasileira, ela construiu praticamente toda a sua vida no Havaí. 

A história de Tatiana Weston-Webb virou até reality show. Em 2021, representou o Brasil ao lado de Silvana Lima no surf feminino nas Olimpíadas de Tóquio.

Fique com a gente para conhecer um pouco de suas conquistas e os detalhes de sua trajetória!

Quem é Tatiana Weston-Webb?

Quem é Tatiana Weston-Webb?
Tatiana Weston-Webb foi a primeira brasileira a assegurar vagas do surf em Olimpíadas

Tatiana Weston-Webb é uma surfista profissional. Ela nasceu em Porto Alegre, em 9 de maio de 1996. Filha de mãe brasileira e pai inglês, mudou-se para o Havaí com a família com apenas duas semanas de vida.

Com dupla nacionalidade, Tatiana Weston-Webb decidiu, em 2018, que competiria pelo Brasil. Sexta colocada no WCT (Circuito Mundial de Surf) em 2019, ela conquistou o direito de representar o país na Olimpíada de Tóquio, em 2021.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Hoje estou animada em anunciar que, seguindo em frente, estarei representando o Brasil tanto no WSL Championship Tour quanto na preparação para os Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio. Esta é uma decisão importante para mim e sobre a qual estou muito empolgada. A maioria das pessoas não sabem que meu pai é da Inglaterra e minha mãe é do Brasil. Me sinto verdadeiramente abençoada por ter sido criada na linda ilha do Kauai – tanto a comunidade quanto as ondas tiveram um papel importante na formação de quem eu sou como surfista e como pessoa. Eu sou muito grato por isso, mas como todos vocês sabem. O Brasil é o país a onde nasci e sempre fez parte de quem eu sou e, recentemente, fui abordada pela Confederação Brasileira de Surf e pelo Comitê Olímpico Brasileiro, com a oportunidade de representar o Brasil. Sempre foi um sonho meu competir nas Olimpíadas e quando o surfe foi anunciado como um esporte olímpico oficial, eu sabia que meu sonho tinha uma chance de se tornar realidade. O Brasil possui grande parte do meu coração. Eu tenho família, amigos e uma quantidade incrível de apoio lá. É um lugar que sempre me fez sentir em casa. Estou muito orgulhosa de representar um país tão incrível com tanta paixão e dedicação pelo nosso esporte. Embora essa mudança me dê a oportunidade de representar o Brasil em 2020, todas as vagas têm que ser conquistadas e eu vou tentar o meu melhor para me qualificar como um dos poucos surfistas capazes de representar seus países nas Olimpíadas. Eu me considero muito feliz por ter o apoio dos fãs do Havaí, do Brasil e do mundo. Obrigada a todos por entender, respeitar e apoiar minha decisão. So today I’m excited to announce that, moving forward, I will be representing Brasil on both the WSL Championship Tour as well as in preparation for the 2020 Olympic Games in Tokyo. This is a major decision for me and one that I’m really excited about. Most folks aren’t aware that my Dad is originally from England and my Mom is originally from Brasil. Brasil is where I was born, but I feel truly blessed to have been raised on beautiful Kauai – both the community and (please read the rest below)

Uma publicação compartilhada por Tatiana Weston-Webb (@tatiwest) em

A surfista gaúcha faz parte da elite do surf mundial desde 2015, após ser bicampeã do Campeonato Mundial Júnior da International Surfing Association (ISA).

Na sua primeira temporada na World Surf League (WSL), ela recebeu o prêmio de Rookie of the Year, ou Novata do Ano. Desde então, Tati sempre se manteve no Top 10 da WSL.

Saiba, a seguir, como a história da “havaiana-gaúcha” começou!

Vá além do Surf! Confira também conteúdos de outros esportes:

Como Tatiana Weston-Webb começou no surf?

Família de Tatiana Weston-Webb
Tatiana é filha de uma bodyboarder e um surfista. O irmão mais velho também surfa

Tatiana Weston-Webb começou a surfar graças à influência de seus pais e de seu irmão. Ela é filha da bodyboarder gaúcha Tanira Guimarães e do surfista Doug Weston-Webb, inglês criado nos Estados Unidos.

No início, a mãe de Tatiana queria que ela seguisse seus passos no bodyboard, mas a influência do irmão Tony, três anos mais velho, foi um empurrão para o surf.

Aos 8 anos, ela ganhou sua primeira prancha e começou a pegar ondas no Havaí. Cinco anos depois, tornou-se campeã nacional nos Estados Unidos pela primeira vez.

A família de Tatiana mora em Kauai, uma das ilhas do arquipélago havaiano. Quando ela começou no esporte, grandes surfistas locais serviam de inspiração para os iniciantes, especialmente o tricampeão mundial Andy Irons.

Trajetória de Tatiana Weston-Webb no tour

Títulos de Tatiana Weston-Webb
Tatiana Weston-Webb e Filipe Toledo conquistaram o US Open of Surfing de 2016

Em 2012, com apenas 16 anos, Tatiana começou a disputar seus primeiros campeonatos no Qualifying Series. Demorou somente duas temporadas para Tati conseguir fazer sua estreia no WCT com três resultados de nono lugar.

No ano de 2015, Tatiana Weston-Webb correu sua primeira temporada completa no tour, a gaúcha foi muito bem, com vários resultados sólidos e terminou como sétima melhor do mundo e novata do ano.

Na temporada seguinte, chegou a primeira vitória de Tati na elite do surf, quando fez uma dobradinha com Filipe Toledo no Vans US Open of Surfing, a sexta etapa daquele ano. No fim do ano, obteve seu melhor resultado até então, sendo a quarta surfista do mundo.

Em 2017, Tatiana passou em branco e não venceu nenhum evento, já que acabou derrotada na final em Fiji e também no Vans US Open of Surfing, acabando na décima posição do ranking.

No ano de 2018, Tati voltou a ser barrada em duas finais, perdendo em Bells Beach e em Uluwatu. No entanto, seus outros resultados foram melhores e a brasileira repetiu sua melhor campanha, acabando na quarta colocação do rankings da WSL.

Em seguida, na temporada de 2019, Weston-Webb não conseguiu vencer nenhum evento e chegou em somente uma final no evento em Margaret River. Dessa forma, acabou na sexta colocação.

A melhor temporada da brasileira foi em 2021, quando foi vice-campeã mundial. Durante o ano, Tati venceu o evento de Margaret River e chegou até a WSL Finals.

No evento derradeiro, Weston-Webb chegou a abrir 1 x 0 sobre Carissa Moore, mas foi superada pela havaiana em uma virada de 2 x 1. Dessa forma, a brasileira acabou como vice-campeã mundial.

Após seu melhor ano na carreira, Tatiana fez um 2022 de altos e baixos, mas mesmo assim foi a única mulher a vencer dois eventos na temporada. A brasileira conquistou o título em Portugal e na África do Sul.

Chegando na WSL Finals com a terceira colocação, acabou perdendo para Stephanie Gilmore, que saiu do quinto lugar rumo ao título daquela temporada.

Vale lembrar que não houve competição no ano de 2020, em função da pandemia de Covid.

Temporada de 2023 de Tatiana Weston-Webb

Tatiana Weston-Webb revela lesão e faz revelação sobre bateria “Deixei nas mãos de Deus”
WSL/Sloane

De fato, Tatiana Weston-Webb fez um ano muito inconstante, até a última atualização desse texto a brasileira não conseguiu chegar em nenhuma final, tendo seu melhor resultado duas semifinais, uma em Portugal e a outra no Surf Ranch.

Tatiana acumulou resultados médios durante toda a temporada, dessa forma, chegou em Jeffreys Bay para o oitavo evento de 2023 com esperanças de uma recuperação, principalmente por ser a atual campeã na África do Sul.

No entanto, Weston-Webb acabou barrada novamente no round de repescagem, mais uma vez pela sua rival direta no ranking Stephanie Gilmore. Assim, caiu para o oitavo lugar após o título de Lakey Peterson.

Tatiana Weston-Webb chegou em Teahupo'o com chances remotas de conseguir sua classificação para o evento decisivo em Trestles. A brasileira dependia de uma derrota de Caitlin Simmers logo no início da competição.

No entanto, Simmers venceu a sua bateria no primeiro round diante de Gabriela Bryan e Molly Picklum e destruiu as esperanças de Tatiana de ainda chegar na WSL Finals.

A brasileira já entrou na água para seu confronto sem chances de chegar no Top-5 da WSL. Mesmo assim, Tati foi bem em sua bateria e avançou até o round de quartas de final em Teahupo'o.

Tati acabou eliminada na fase de quartas de final diante de Tyler Wright. Dessa forma, a brasileira terminou a temporada sem conquistar títulos no WCT e não chegar em nenhuma final durante 2023.

Tatiana terminou em uma oitava e frustrante colocação no ranking da WSL na temporada de 2023. Esse resultado não foi suficiente para brigar pelo título mundial, no entanto, garantiu a brasileira nos jogos olímpicos de Paris em 2024.

Porém, o final da temporada de 2023 de Tati Weston-Webb foi dourado. A brasileira participou dos jogos Pan-Americanos no Chile, e conquistou a medalha da ouro na competição.

De fato, Tati era a surfista mais renomada da competição inteira. Muito favorita, a brasileira não deu chances para as rivais e venceu todas as suas baterias durante o evento.

Na grande decisão pelo ouro, Weston-Webb enfrentou um mar ruim, mas gigante. Perdendo até os últimos minutos do confronto, Tatiana conseguiu realizar um Drop surreal para virar o duelo e garantir a medalha dourada.

Títulos de Tatiana Weston-Webb

  • 2014 – Mahalo Surf Eco Festival/QS
  • 2015 – Paul Mitchell Supergirl Pro/QS
  • 2016 – Vans US Open of Surfing
  • 2021 – Margaret River Pro
  • 2021 – Vice-campeã mundial
  • 2022 – Meo Pro Portugal 
  • 2022 – Jeffreys Bay
  • 2023 – Medalha de ouro Isa Games em El Salvador
  • 2023 – Medalha de ouro no Pan-Americano do Chile 

Curiosidades sobre Tatiana Weston-Webb

Curiosidades sobre Tatiana Weston-Webb
Tatiana Weston-Webb namora o surfista brasileiro Jessé Mendes
  • Aos 11 anos, Tatiana Weston-Webb foi dublê no filme Soul Surfer. A produção conta a história de Bethany Hamilton, surfista que perdeu o braço esquerdo devido a um ataque de tubarão.
  • A série “Tatiana Weston-Webb” acompanha a rotina da surfista brasileira, seus treinamentos, viagens e competições. Em 2019, o canal Off exibiu a quarta temporada da série.
  • Tatiana é casada com o surfista brasileiro naturalizado italiano Jessé Mendes.
  • Por ter nascido em Porto Alegre e viver no Havaí desde suas primeiras semanas de vida, Tatiana recebeu o apelido de Havaiucha. 
  • A brasileira é goofy. Ou seja, surfa com o pé direito na frente.
  • Tatiana Weston-Webb tem 1,62m de altura e pesa 58kg, de acordo com os dados da WSL.
  • Desde pequena, ela mora em Kauai, uma das ilhas do arquipélago havaiano.
  • Tatiana tem os patrocínios da Oi, da TCL e das Havaianas.
  • O perfil oficial dela no Instagram, @tatiwest, conta com mais de 600 mil seguidores.
  • Em 2022 foi a única mulher a vence duas etapas na temporada.

Nas Olimpíadas de Tóquio, Tatiana acabou caindo na terceira rodada para a surfista local Amuro Tsuzuki, a japonesa ficou com o bronze na competição, perdendo para Carissa Moore, a medalhista de ouro.

Aproveite para aumentar seu conhecimento sobre surf: