A WSL vive anos turbulentos com relação às notas e critérios de arbitragem. Na última temporada, a liga anunciou que o brasileiro Luli Pereira seria o novo head judge.

No entanto, os erros continuaram e talvez estejam até piores. Gabriel Medina expressou publicamente sua irritação após uma bateria no evento de Bells Beach.

Ser juiz da WSL é uma maldição?

É fato que o surf é um esporte totalmente diferente por conta de depender da natureza e ser subjetivo. Porém, alguns julgamentos recentes no circuito mundial da WSL causaram muitas polêmicas.

Com tantos problemas, o atual chefe de arbitragem, Luli Pereira, vem sendo muito criticado. No entanto, o ex-comentarista da WSL Brasil, André Gioranelli, defendeu o juíz no podcast Let’s Surf:

Eu não sou amigo pessoal do Luli, mas tenho um carinho pelo cara. Para mim, é um cara super capacitado para o trabalho. Ele recebeu uma proposta, que eu não sei se eu aceitaria, um presente de grego”, declarou Gioranelli.

Em seguida, o comentarista declarou ter certeza de que os erros iriam continuar e afirmou que Luli Pereira já recebeu ameaças de morte:

Eu sabia que os erros iriam continuar, mesmo com o Luli ali. Não acho que tudo que acontece hoje em dia é culpa dele, eu seria leviano em crucificar uma pessoa.

Para mim, eu veria (o cargo) como uma maldição, nem sei se eu aceitaria. Ele já me falou que foi ameaçado de morte, é só um campeonato de surf, assim como é só um jogo de futebol”, afirmou André Gioranelli.

Assista ao episódio completo do Let’s Surf com André Gioranelli abaixo:

Continue no mundo do surf! Confira também nossos outros conteúdos: