Saiba como funciona a Liga Nacional de Handebol Feminino e os detalhes do regulamento. Veja também todas as equipes vencedoras

Todos os anos, as melhores equipes de handebol do Brasil se enfrentam na Liga Nacional de Handebol Feminino!

A competição, com mais de 20 anos de história, é o palco para as futuras estrelas do esporte no país mostrarem todo o seu potencial. 

Se você é fã de handebol e quer tirar todas as suas dúvidas sobre a Liga Nacional de Handebol Feminino, está no lugar certo.

Fique com a gente e confira todas as equipes vencedoras do campeonato brasileiro, como funciona a liga e os detalhes do regulamento!

História da Liga Nacional de Handebol Feminino

História da Liga Nacional de Handebol Feminino
Principal competição do país, Liga Nacional é disputada desde 1997

A Liga Nacional de Handebol Feminino é organizada, anualmente, pela Confederação Brasileira de Handebol (CBHb). A competição foi criada em 1997, quando Guaru-SP se sagrou a primeira equipe campeã.

Historicamente, as equipes paulistas dominam o Campeonato Brasileiro Feminino de Handebol. Até 2019, foram 16 títulos para representantes do estado de São Paulo. Catarinenses e cariocas vêm logo atrás, com três títulos para cada estado.

Confira, a seguir, quem são os maiores campeões da Liga Nacional de Handebol Feminino!

Maiores campeões da Liga Nacional de Handebol Feminino

Metodista/São Bernardo é maior campeã da Liga Nacional de Handebol Feminino
Metodista/São Bernardo é maior campeã da Liga Nacional de Handebol Feminino
  • Metodista/São Bernardo-SP – 9 títulos (2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2014 e 2015)
  • Guaru-SP – 4 títulos (1997, 2000, 2001 e 2002)
  • Concórdia/Unc-SC – 3 títulos (2013, 2017 e 2018)
  • Mauá-RJ – 3 títulos (1999, 2003 e 2004)
  • Pinheiros-SP – 2 títulos (2016 e 2019)
  • São Paulo – 1 título (2005)
  • Ulbra-RS – 1 título (1998)

Todos os campeões da Liga Nacional de Handebol Feminino

  • 1997 – A.A. Guaru-SP (vice-campeão C.E.Mauá/Universo – RJ)
  • 1998 – Clube Atlético Cairu/Ulbra/Diadora-RS (vice-campeão A.A. Guaru-SP)
  • 1999 – C.E.Mauá/Universo-RJ (vice-campeão A.A. Guaru-SP)
  • 2000 – A.A. Guaru-SP (vice-campeão C.E.Mauá/Universo – RJ)
  • 2001 – A.A. Guaru-SP (vice-campeão C.E.Mauá/Universo – RJ)
  • 2002 – A.A. Guaru/Palmeiras-SP (vice-campeão Metodista/Unimed ABC/Santo André)
  • 2003 – C.E.Mauá/Universo-RJ (vice-campeão São Paulo FC/AA Guaru-SP)
  • 2004 – C.E.Mauá/Universo-RJ (vice-campeão São Paulo FC/AA Guaru-SP)
  • 2005 – São Paulo FC/AA Guaru-SP (Metodista/São Bernardo-SP)
  • 2006 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Adeblu/FURB-SC)
  • 2007 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Blumenau/FURB-SC)
  • 2008 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Blumenau/FURB-SC)
  • 2009 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Blumenau/FURB-SC)
  • 2010 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Blumenau/FURB-SC)
  • 2011 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Blumenau/FURB-SC)
  • 2012 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Concórdia/UnC-SC)
  • 2013 – Concórdia/UnC-SC (vice-campeão Metodista/São Bernardo)
  • 2014 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Supergasbras/Concórdia/UnC-SC)
  • 2015 – Metodista/São Bernardo-SP (vice-campeão Concórdia/UnC-SC)
  • 2016 – Esporte Clube Pinheiros-SP (vice-campeão Metodista/São Bernardo-SP)
  • 2017 – Concórdia/UnC-SC (vice-campeão UNIP/São Bernardo-SP)
  • 2018 – Concórdia/UnC-SC (vice-campeão UNIP/São Bernardo-SP)
  • 2019 – Esporte Clube Pinheiros-SP (vice-campeão UNIP/São Bernardo-SP)

Títulos da Liga Nacional de Handebol Feminino por estado

  • São Paulo – 16 títulos
  • Santa Catarina – 3 títulos
  • Rio de Janeiro – 3 títulos
  • Rio Grande do Sul – 1 título

Onde assistir à Liga Nacional de Handebol Feminino

Para ver os jogos da Liga Nacional de Handebol Feminino, é possível recorrer a diferentes alternativas, mas é preciso ter em mente que nem sempre haverá transmissão. 

A final da edição de 2019, entre Pinheiros e São Bernardo, foi transmitida ao vivo pelo SporTV. O canal do Grupo Globo já havia exibido fases decisivas de outras temporadas.

Além de jogos em TV fechada, algumas partidas da Liga Nacional de Handebol Feminino são transmitidas também pela TVN Sports, um serviço de streaming que exibe online diversas competições, como a Superliga de Vôlei.

Como funciona a Liga Nacional de Handebol Feminino

Pinheiros foi bicampeão da Liga Nacional de Handebol Feminino em 2018 e 2019
Pinheiros foi bicampeão da Liga Nacional de Handebol Feminino em 2018 e 2019

As equipes que disputam a Liga Nacional de Handebol Feminino são divididas em três conferências regionais: Conferência São Paulo/Sul, Conferência Centro-Oeste/Sudeste e Conferência Norte-Nordeste.

O Regulamento da Liga Nacional de Handebol Feminino pode sofrer variações de acordo com o número de equipes participantes no campeonato nacional.

Em 2019, a Conferência São Paulo/Sul teve 6 equipes, que disputaram jogos em turno e returno entre agosto e novembro. As quatro melhores classificadas avançaram à fase final.

Na Conferência Centro-Oeste/Sudeste, foram 5 participantes. As equipes se enfrentaram em turno único, com jogos distribuídos ao longo de três dias em Anápolis-GO. Campeã, a Força Atlética-GO conquistou uma vaga no hexagonal final.

Além dos quatro classificados da Conferência São Paulo/Sul e da vencedora da Conferência Centro-Oeste-Sudeste, a fase final da Liga Nacional de Handebol Feminino contou com a participação do campeão da Conferência Norte/Nordeste. Em 2019, o vencedor foi o Português/AESO, de Pernambuco.

No campeonato brasileiro de handebol, é utilizada a seguinte contagem de pontos: 

  • Vitória – 2 pontos 
  • Empate – 1 ponto 
  • Derrota – 0 ponto

Nas fases classificatórias, caso necessário, o desempate entre duas equipe é feito de acordo com os seguintes critérios: 

  • Confronto direto; 
  • Maior número de vitórias; 
  • Saldo de gols nos jogos entre as equipes empatadas; 
  • Saldo de gols na fase; 
  • Menor número de gols sofridos em toda a fase; 
  • Maior número de gols marcados em toda a fase; 
  • Maior gol average, em todos os jogos da fase; 
  • Sanções (menor pontuação nas sanções aplicadas); 
  • Sorteio. 

Se houver empate entre três ou mais equipes, os critérios de desempate são:

  • Maior número de Vitórias; 
  • Contagem de pontos no confronto direto entre as equipes empatadas; 
  • Saldo de gols no confronto direto entre as equipes empatadas; 
  • Menor número de gols sofridos no confronto direto entre as equipes empatadas; 
  • Maior número de gols marcados no confronto direto entre as equipes empatadas; 
  • Saldo de gols na fase; 
  • Menor número de gols sofridos na fase; 
  • Maior número de gols marcados na fase; 
  • Maior gol average, no confronto direto entre as equipes empatadas; 
  • Maior gol average, em todos os jogos da fase; 
  • Sanções no confronto direto entre as equipes empatadas (menor pontuação nas sanções aplicadas); 
  • Sanções entre as equipes empatadas (menor pontuação nas sanções aplicadas); 
  • Sorteio.

Regulamento da Fase Final da Liga Nacional de Handebol Feminino

Na fase final da Liga Nacional de Handebol Feminino, as 6 equipes são divididas em dois grupos de três participantes. 

Cada time enfrenta os outros dois que estão na mesma chave em jogo único. Os dois primeiros colocados de cada grupo avançam à final.

A grande decisão da Liga Nacional de Handebol Feminino também é realizada em jogo único.

Em 2019, a fase final foi disputada na quadra do Pinheiros, em São Paulo.

Na disputa pelo título, a equipe do Pinheiros venceu o UNIP/São Bernardo por 21 a 18 e se sagrou bicampeã brasileira de handebol feminino.

Enquanto aguardamos pela próxima edição da Liga Nacional de Handebol Feminino, aproveite para alimentar sua paixão pelo handebol com outros conteúdos:

*Última atualização em 21 de janeiro de 2020

Ficha Técnica
Título
Liga Nacional de Handebol Feminino: história e maiores campeãs
Resumo
Saiba como funciona a Liga Nacional de Handebol Feminino e os detalhes do regulamento. Veja também todas as equipes vencedoras
Autor

Comentários

Salvar