A Série D não é somente a última divisão do Campeonato Brasileiro. É também a caçula dos torneios nacionais.

Nesse “pouco” tempo de vida, porém, dá para dizer que a competição caiu nas graças do torcedor. Se não é perfeita, mantém ao menos regularidade e um padrão de qualidade desde seu surgimento.

De lá para cá, acredite, muita coisa aconteceu na Série D. Times grandes caíram, artilheiros brilharam, estádios ficaram lotados, enfim, o que a faz ganhar importância ano após ano. E tudo, claro, você confere no conteúdo que preparamos a seguir.

História da Série D do Campeonato Brasileiro

Imagem do título do São Raimundo na Série D de 2009
(Divulgação)

A Série D do Campeonato Brasileiro estreou em 2009. Após anunciada a mudança na Série C, que passara de 60 para 20 times, abriu-se um “rombo” no calendário do pelotão inferior do futebol brasileiro.

A quarta divisão, então, foi criada às pressas, com 40 participantes e engatinhando no regulamento e na logística dos clubes. O campeão dessa edição foi o São Raimundo, do Pará.

As edições iniciais da competição foram marcadas pelo inicio regionalizado dos confrontos, por questões logísticas, e pelas sucessivas disputas judiciais.

Em 2010, por exemplo, o América de Manaus foi campeão, mas não subiu; em 2014, foram 41 participantes, para acertar uma briga no tribunal entre CBF e alguns times da Série C.

A grande mudança da Série D ocorreu em 2016, com a ampliação inicial de 40 para 48 times. Por pressão de clubes e Federações, o número subiu para 68 equipes.

Com a criação da fase preliminar em 2020, 60 clubes brasileiros passaram a preencher o calendário por pelo menos mais 4 meses, entre abril e julho.

Quais times grandes já caíram para a Série D?

Imagem do gol do Juventude na final da Série D de 2013
(Juan Barbosa / Agencia RBS)

Não, nenhum dos chamados “13 grandes” clubes brasileiros caíram para a Série D. No entanto, algumas das equipes de expressão nacional disputaram, sim, a quarta divisão do Campeonato Brasileiro.

Os times com maior destaque foram Juventude e Santo André, ambos campeões da Copa do Brasil. O clube gaúcho, que venceu o torneio em 1999, foi rebaixado para a Série D em 2010 e ficou com o vice-campeonato em 2013.

O time paulista faturou a Copa do Brasil em 2004 e jogou a Série D em 2013. Joga novamente o campeonato em 2021.

Outras equipes de tradição e com campanhas de destaque no certame nacional também passaram pela quarta divisão. A Portuguesa, por exemplo, vice-campeã brasileira, caiu para a D em 2016 e atua novamente na competição em 2021.

O São Caetano viveu algo parecido, vice-campeão brasileiro e da Copa Libertadores no começo dos anos 2000 e rebaixado em 2014. Disputou o campeonato em 2015, 2019 e em 2020.

Quantos times disputam a Série D?

68 times disputam a Série D do Campeonato Brasileiro. Além das quatro equipes rebaixadas da Série C, as demais 64 vagas da competição são repartidas pelas 27 federações estaduais filiadas à CBF.

A distribuição, no entanto, não é igualitária. Ela segue o Ranking Nacional de Federações (RNF). A Federação melhor colocado tem quatro vagas; as oito seguintes, três; as demais, duas.

Atualmente, é assim a quantidade de times por estado na Série D:

  • 4 times: São Paulo
  • 3 times: Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná,  e Santa Catarina
  • 2 times: Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Sergipe, Distrito Federal,  e Tocantins

Dentro de cada federação, as vagas são normalmente asseguradas aos melhores classificados dentro das competições estaduais, contanto, claro, que não estejam em outra divisão nacional.

Em São Paulo e no Rio Grande do Sul, as Copas Paulista e Gaúcha garantem uma vaga à Série D para um dos finalistas. A opção fica para o vencedor, que pode escolhe entre a “Dezinha” e a Copa do Brasil.

Como funciona a Série D?

A Série D funciona como um torneio misto de pontos corridos com eliminatórias. Contando com a final, são quatro fases disputadas na competição, incluindo uma fase preliminar:

  • Fase preliminar: esta reúne os oito times classificados com o pior ranking dentro das oito federações piores ranqueadas. São desenhados quatro confrontos entre eles. Os quatro vencedores avançam à primeira fase.
  • Primeira fase: os 64 times desta fase são divididos em oito chaves de oito times cada. As equipes do grupo se enfrentam entre si em dois turnos. Os quatro melhores de cada grupo avançam à segunda fase.
  • Segunda fase: a fase mais emocionante da Série D, um grande mata mata de 32 times com jogos ida e volta que só acaba na finalíssima.
  • Final: a final da Série D é disputada também em dois jogos. O time de melhor campanha na primeira fase manda a partida de volta em casa.

Onde assistir à Série D?

Em 2020, a CBF acertou duas parcerias para a transmissão da Série D. Primeiro foi o serviço de streaming (gratuito) MyCujoo, que também faz a cobertura de campeonatos femininos profissionais e masculinos de base.

Depois foi a vez da TV Brasil, que recentemente passou a ser o canal dígito “1” no sinal aberto. A emissora acertou a transmissão de 42 partidas do campeonato, incluindo as fases finais, na televisão e na internet.

Em 2023, a BandSports assumiu os direitos de transmissão da competição.

Vá além do Futebol:

Quais times disputam a Série D 2023?

Confira as equipes que jogam a Série D na temporada de 2023, a competição é dividida em oito grupos:

Grupo 1:

  • Humaitá
  • Nacional-AM
  • Princesa do Solimões
  • São Francisco-AC
  • São Raimundo-RR
  • Trem
  • Tuna Luso
  • Águia de Marabá

Grupo 2:

  • Atlético-CE
  • Caucaia
  • Cordino
  • Ferroviário
  • Fluminense-PI
  • Maranhão
  • Parnahyba
  • Tocantinópolis

Grupo 3:

  • Campinense
  • Globo FC
  • Iguatu
  • Nacional de Patos
  • Pacajus
  • Potiguar de Mossoró
  • Santa Cruz
  • Sousa

Grupo 4:

  • Asa
  • Atlético-BA
  • Bahia de Feira
  • Cruzeiro-AL
  • Falcon
  • Jacuipense
  • Retrô
  • Sergipe

Grupo 5:

  • Anápolis
  • Brasiliense
  • Ceilândia
  • Interporto
  • Iporá
  • Operário VG
  • Real Ariquemes
  • União Rondonópolis

Grupo 6:

  • Athletic Club
  • Democrata GV
  • Nova Iguaçu
  • Portuguesa-RJ
  • Resende
  • Santo André
  • Vitória-ES

Grupo 7:

  • CRAC
  • FC Cascavel
  • Ferroviária
  • Inter de Limeira
  • Maringá
  • Operário-MS
  • Patrocinense
  • XV de Piracicaba

Grupo 8:

  • Aimoré
  • Brasil de Pelotas
  • Camboriú
  • Caxias
  • Concórdia
  • Hercílio Luz
  •  Novo Hamburgo
  • São Joseense

Lista de todos os campeões da Série D

  • 2009 – São Raimundo – PA
  • 2010 – Guarany de Sobral*
  • 2011 – Tupi
  • 2012 – Sampaio Corrêa
  • 2013 – Botafogo – PB
  • 2014 – Tombense – MG
  • 2015 – Botafogo – SP
  • 2016 – Volta Redonda
  • 2017 – Operário – PR
  • 2018 – Ferroviário – CE
  • 2019 – Brusque
  • 2020 – Mirassol
  • 2021 – Aparecidense
  • 2022 – América de Natal
  • 2023 – Ferroviário – CE

*Campeão mas, por punição, não conquistou o acesso

Maiores campeões da Série D

Ferroviário e bicampeão da Série D
Lenilson Santos/Ferroviário

 

Em 2023, a Série D conheceu seu primeiro bicampeão, o Ferroviário do Ceará conquistou a competição, assim como no ano de 2018.

Artilheiros da Série D

Ano Jogador Gols Time
2009 Michell Parintins 10 São Raimundo-PA
2010 Danilo Pitbull 11 Guarany de Sobral
2011 Fernando 11 Cuiabá
2011 Marcinho Beija-Flor 11 Oeste
2012 Nino Guerreiro 13 CRAC
2013 Ademilson 12 Tupi-MG
2014 Nena 8 Brasil de Pelotas
2015 12 São Caetano
2016 Manoel 10 Altos-PI
2017 Eduardo 9 Atlético Acreano
2017 Weverton 9 Princesa do Solimões
2018 Édson Cariús  11 Ferroviário
2019 Júnior Pirambu 10 Brusque
2020 Wallace Pernambucano

Zé Love

 

12

 

América de Natal

Brasiliense

2021 Gabriel Santos 13 Caldense
2022 Ítalo Rafael Tavares 11 Amazonas
2023 Eron 14 Caxias do Sul

Qual o maior artilheiro da história da Série D?

O maior artilheiro da história da Série D é o atacante Aleíson. Revelado e campeão brasileiro pelo Flamengo em 2009, o atacante é um legítimo viajante da bola, marcando 29 gols na competição, que disputou entre 2013 e 2023 — por diferentes times, é claro.

Recordes da Série D

  • O Central de Caruaru é o time que mais participou da Série D desde sua criação, em 2009.
  • As regiões Nordeste e Sudeste são as que mais “forneceram” campeões da quarta divisão.  Foram quatro times vencedores de cada.
  • O maior artilheiro de uma única edição da Série D é o atacante Nino Guerreiro, que marcou 13 gols pelo CRAC, em 2012.
  • O maior público da história da quarta divisão do Campeonato Brasileiro foi registrado no jogo entre Santa Cruz e Treze: 59.966 pessoas compareceram ao Arruda para ver o empate em 0 a 0.
  • O time pernambucano detém, na verdade, os quatro maiores públicos da história da competição, além das três maiores médias de público. A maior foi em 2009: 38.246 torcedores por jogo.
  • A maior goleada da história da Série C foi aplicada pelo Pelotas. O time gaúcho viajou até São Paulo em 2020 para fazer 9 a 0 no São Caetano, em pleno Anacleto Campanella.
  • O CSA detém uma marca importante. É até hoje o único time que conseguiu subir da Série D para a Série A em quatro anos. O time alagoano conquistou três acessos consecutivos entre 2016 e 2018 e jogou na elite em 2019.
  • Em 2023, o Ferroviário se tornou o primeiro bicampeão da história da Série D.
  • Eron do Caxias do Sul é o maior artilheiro de uma única edição da Série D, o atacante marcou 14 gols em 2023.

Depois de conhecer tudo sobre a Série D do Campeonato Brasileiro, aproveite para conferir outros conteúdos sobre futebol: