Tudo da história do Brasileirão de futebol feminino, como é disputado, as vencedoras, goleadoras e as equipes das Séries A1 e A2!

Enquanto o Brasileirão é disputado desde o final da década de 1950, a versão feminina do Campeonato Brasileiro ainda dá seus primeiros passos.

A ideia do Campeonato Brasileiro Feminino demorou para sair do papel e agora alimentamos a esperança de que mais investimentos na modalidade possam levar a Seleção Brasileira a ser mais competitiva na Copa do Mundo de Futebol Feminino e também nos Jogos Olímpicos.

Quem sabe não vemos novas Martas serem reveladas nos próximos anos? 

Fique com a gente para conhecer a história do Campeonato Brasileiro Feminino, saber qual é seu formato de disputa, quais equipes participam, as maiores campeãs e artilheiras!

Quando e como surgiu o Campeonato Brasileiro Feminino?

Centro Olímpico primeiro campeão do Campeonato Brasileiro Feminino
Centro Olímpico, de São Paulo, foi o primeiro campeão do Campeonato Brasileiro Feminino, em 2013

O Campeonato Brasileiro Feminino foi criado em setembro de 2013. A competição organizada pela CBF só foi viabilizada graças a um patrocínio da Caixa Econômica Federal, que investiu R$ 10 milhões para a realização do torneio nacional de futebol feminino.

Em sua primeira edição, o Campeonato Brasileiro Feminino teve a participação de 20 equipes, de 13 estados e do Distrito Federal. Entre os grandes clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro masculino, somente o Vasco participou da primeira edição do Brasileirão feminino.

Até a criação do Campeonato Brasileiro Feminino, a única competição nacional de futebol feminino era a Copa do Brasil. 

A Copa do Brasil de Futebol Feminino foi extinta após a edição de 2016, uma vez que o calendário foi alterado pela CBF e houve a criação da Série A2 do Brasileirão Feminino.

Assim, a Série A1 do Campeonato Brasileiro Feminino passou a ser disputada por 16 equipes, enquanto a Segunda Divisão ficou com outros 16 times.

Porém, o número de participantes da A2 cresceu e a Segunda Divisão passou a ter 36 participantes a partir de 2019.

O crescimento do número de times no futebol feminino no Brasil é consequência da regra que obriga que todos os times da Série A masculina mantenham equipes femininas adulta e de base.

Essas medidas visam diminuir a distância entre o futebol feminino no Brasil e em grandes centros. Enquanto o Campeonato Brasileiro Feminino foi criado em 2013, a Liga dos Campeões de Futebol Feminino da Uefa já é disputada desde a temporada 2001/2002.

Entenda, a seguir, como funciona o Campeonato Brasileiro Feminino!

Regras do Campeonato Brasileiro Feminino

O Campeonato Brasileiro Feminino é disputado por 16 equipes. Na primeira fase, todos os times se enfrentam em turno único.

Oito times avançam para as quartas de final, disputada em jogos de ida e volta. O sistema de mata-mata é mantido nas semifinais e também na grande final, que define o campeão do Brasileirão Feminino da Série A1.

O clube campeão do Campeonato Brasileiro Feminino A-1 tem vaga assegurada na Copa Libertadores de Futebol Feminino do ano seguinte. Já os 4 últimos colocados são rebaixados para a Série A2 do Campeonato Brasileiro Feminino. 

Desde 2019, a Segunda Divisão do Brasileirão Feminino é disputada por 36 times, divididos em seis grupos com 6 equipes cada.

Na fase inicial, os times de cada grupo jogam todos contra todos em turno único. Os dois primeiros colocados de cada grupo mais os quatro melhores terceiros colocados se classificam às oitavas de final. O sistema“mata-mata” em ida e volta é mantido até a final. 

Você ama outros esportes além do Futebol? Aqui na Esportelândia também falamos sobre:

Times que disputaram o Campeonato Brasileiro Feminino em 2020

  • Audax-SP
  • Avaí/Kindermann-SC
  • Corinthians-SP
  • Cruzeiro-MG
  • Ferroviária-SP
  • Flamengo-RJ
  • Grêmio-RS
  • Iranduba-AM
  • Internacional-RS
  • Minas Brasília-DF
  • Palmeiras-SP
  • Ponte Preta-SP
  • Santos-SP
  • São José-SP
  • São Paulo-SP
  • Vitória-BA

Times que disputaram a Série A2 do Campeonato Brasileiro Feminino em 2020

  • 3B da Amazônia-AM
  • América-MG
  • Atlético Acreano-AC
  • Atlético Goianiense-GO
  • Atlético Mineiro-MG
  • Athletico Paranaense-PR
  • Auto Esporte-PB
  • Bahia-BA
  • Botafogo-RJ
  • Brasil de Farroupilha-RS
  • Ceará-CE
  • Chapecoense-SC
  • Cruzeiro-RN
  • ESMAC-PA
  • Fluminense-RJ
  • Fortaleza-CE
  • Foz Cataratas-PR
  • Goiás-GO
  • Juventus-SP
  • Juventude Timonense-MA
  • Napoli Cacarodense-SC
  • Náutico-PE
  • Operário-MT
  • Oratório-AP
  • Real Brasília-DF
  • Real Desportivo-RO
  • Santos Dumont-SE
  • São Francisco-BA
  • São Valério-TO
  • Serc-MS
  • Sport-PE
  • Tiradentes-PI
  • Toledo-PR
  • União Desportiva-AL
  • Vasco da Gama-RJ
  • Vila Nova-ES

Quem é o maior campeão do Campeonato Brasileiro Feminino?

Ferroviária de Araraquara campeã do Campeonato Brasileiro Feminino de 2019
Ferroviária de Araraquara foi a primeira equipe bicampeã do Brasileirão Feminino

Os maiores campeões da história do Campeonato Brasileiro Feminino são Ferroviária de Araraquara e Corinthians. As duas equipes paulistas são bicampeãs da Série A1.

Em 2019, o Campeonato Brasileiro Feminino conheceu seu primeiro bicampeão. A Ferroviária de Araraquara venceu o Corinthians na disputa de pênaltis e conquistou seu segundo título (o primeiro foi em 2014).

Já em 2020, foi a vez do Corinthians chegar ao seu segundo título. O Timão foi campeão ao vencer o Avaí/Kindermann na final.

Nas primeiras seis edições do Brasileirão de futebol feminino, seis equipes diferentes haviam sido campeãs.

Além dos bicampeonatos da Ferroviária e do Corinthians, três títulos ficaram com equipes paulistas: Centro Olímpico, Rio Preto e Santos.

A única vez que o campeão do Campeonato Brasileiro Feminino não era representante de São Paulo foi quando o Flamengo ficou com o título.

Veja, a seguir, todas as equipes que venceram o Campeonato Brasileiro Feminino!

Todos os campeões do Campeonato Brasileiro Feminino

  • 2013 – Centro Olímpico-SP
  • 2014 – Ferroviária-SP
  • 2015 – Rio Preto-SP
  • 2016 – Flamengo-RJ
  • 2017 – Santos-SP
  • 2018 – Corinthians-SP
  • 2019 – Ferroviária-SP
  • 2020 – Corinthians-SP

Vá além do mundo do Futebol! Confira também nossos outros conteúdos:

Quem é a maior artilheira do Campeonato Brasileiro Feminino?

Milene maior artilheira de uma edição do Campeonato Brasileiro Feminino
Com 19 gols em 2019, Milene se tornou a maior artilheira de uma edição do Campeonato Brasileiro Feminino

Até 2019, a maior artilheira de uma edição do Campeonato Brasileiro Feminino era uma jogadora argentina. A atacante Soledad Jaimes marcou 18 gols no Brasileirão Feminino de 2017 e ajudou o Santos a ser campeão naquele ano. Porém, o recorde dela foi quebrado por Milene, autora de 19 gols no Brasileirão Feminino de 2019, jogando pelo Corinthians.

Depois de Milene e Soledad Jaimes, a jogadora que mais marcou gols em uma edição do Campeonato Brasileiro Feminino é Danyelle, autora de 15 gols pelo Flamengo em 2018. 

Já Raquel Fernandes e Gabi Nunes fizeram 14 gols nas edições de 2014 e 2015, respectivamente.

Confira, a seguir, todas as artilheiras da história do Campeonato Brasileiro Feminino!

Todas as artilheiras do Campeonato Brasileiro Feminino

  • 2013 – Gabi Zanotti (Centro Olímpico): 12 gols
  • 2014 – Raquel Fernandes (Ferroviária): 14 gols
  • 2015 – Gabi Nunes (Centro Olímpico): 14 gols
  • 2016 – Millene (Rio Preto): 10 gols
  • 2017 – Soledad Jaimes (Santos): 18 gols
  • 2018 – Danyelle (Flamengo): 15 gols
  • 2019 – Milene (Corinthians): 19 gols
  • 2020 – Carla (Palmeiras): 12 gols

Enquanto aguardamos pela próxima edição do Campeonato Brasileiro Feminino, aproveite para saber tudo sobre outros campeonatos de futebol ao redor do mundo:

*Última atualização em 7 de dezembro de 2020

Comentários

Salvar
29 Compart.
Compartilhar23
Twittar
Compartilhar
WhatsApp
Pin6